É escrito em itálico porque é um termo estrangeiro. Ele parece pertencer a qual idioma?



Baixar 98.89 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho98.89 Kb.
Gestalt

Anterior | Próxima

O termo Gestalt

O termo Gestalt é escrito em itálico porque é um termo estrangeiro. Ele parece pertencer a qual idioma?

Se você pensou alemão, acertou.

Gestalt é um termo alemão que não encontra tradução exata no português, significando:

Configuração - Todo - Forma - Aparência - Totalidade - Estrutura

Teoria da Gestalt

A Teoria da Gestalt também é conhecida, no Brasil, como Teoria da Forma.

Como o nome indica, a sua preocupação consiste em estudar os comportamentos como totalidades, como configurações, como formas com significado. Há um grande esforço para estudar os fenômenos psíquicos como totalidades organizadas.

Diferencia-se do behaviorismo que estuda o comportamento mediante a análise de estímulos e respostas.

Os precursores

Os precursores da Gestalt são o físico Ernst Mach (1838-1916), o filósofo e psicólogo Christian von Ehrenfels e Krüger.
 
Já no final do século XIX eles estudavam a percepção, entendendo-a como totalidade e não como soma de elementos isolados. Preocupavam-se em estudar os fenômenos psicológicos em seus aspectos naturais, enfatizando a mensurabilidade. Estava em evidência a Psicofísica.

Eles desenvolviam pesquisas sobre as sensações – dado psicológico – de espaço-forma e tempo-forma (dado físico).

O Surgimento

Surgiu na Alemanha, no ano de 1912.


 
Por isso, também é conhecida como Escola de Berlim. Surgiu com o objetivo de questionar a psicologia americana.



Opcionalmente, veja o material de apoio “A Psicologia da Gestalt nos dias atuais”, de Wolfgang Köhler, um dos principais autores dessa corrente.

 

Apriorismo



Inúmeras teorias tentam explicar o processo de aprendizagem. De acordo com o critério epistemológico de origem do conhecimento, elas podem ser classificadas em três grupos:

- Empirismo

Crença segundo a qual as estruturas de conhecimento são impostas pelo objeto (meio físico e social).

Há a valorização do meio em detrimento do indivíduo.

O sujeito é entendido como um recipiente vazio a ser preenchido pelo objeto.

A teoria behaviorista representa, na psicologia, o empirismo.

- Apriorismo

Crença segundo a qual as estruturas de conhecimento são dadas a priori, ou seja, são inerentes ao sujeito.

O apriorismo desvaloriza as contribuições do objeto (meio físico e social), supervalorizando as condições internas do sujeito.

“Esta epistemologia acredita que o ser humano nasce com o conhecimento já programado na sua herança genética. [...] Tudo está previsto. É suficiente proceder a ações quaisquer para que tudo aconteça em termos de conhecimento” (Becker, 2001b, p. 20).

Dentre as teorias de aprendizagem que apresentam uma sustentação epistemológica apriorista, pode-se destacar a teoria da Gestalt.

- Interacionismo

Crença segundo a qual a explicação da origem do conhecimento está na síntese permanente entre as condições internas do sujeito e do meio, entre a maturação e a experiência adquirida.

“Não é possível buscar a causa do comportamento humano num dos pólos da interação, pois a causa não está nem no indivíduo, nem no meio, mas nas ações do sujeito que responde às resistências do meio, modificando ativamente suas estruturas” (CUNHA, 1999, p.59).

Destaca-se, neste modelo, a Epistemologia Genética de Jean Piaget.

As Pesquisas

Os métodos de pesquisa envolvem a introspecção e a observação direta.
Os experimentos gestálticos basearam-se, sobretudo, em formas visuais.
Os primeiros experimentos basearam-se na percepção visual e sensação do movimento o “phifenômeno”.

Preocupavam-se em compreender os processos psicológicos implicados na ilusão de ótica.A ilusão de ótica ocorre quando o estímulo físico é percebido como uma forma diferente daquela que tem de fato.

O cinema é baseado no princípio da ilusão de ótica.
O cinema mostra-nos movimento ou nós percebemos movimento?
 
Trata-se de uma ilusão de ótica. Nós percebemos movimentos a partir da exposição rápida de quadros estáticos.

Experimentos de Köhler com macacos

Köhler realizou experimentos com macacos e concluiu que resolviam problemas de forma inteligente e não como uma busca ao acaso.

Um macaco foi colocado em uma jaula. No alto foi pendurada uma banana. No canto havia um caixote. O macaco tenta pular para atingir a banana. Como não obtém sucesso, o que faz?



Afasta-se do centro da jaula, dirige-se ao caixote, agarra-o e o leva ao centro da jaula, bem abaixo da banana. Sobe no caixote e pega a banana.



Posteriormente, a fruta foi colocada mais alta, de forma que um caixote não era suficiente. O macaco consegue empilhar dois caixotes, para atingir a banana.

Uma banana foi deixada do lado de fora da jaula. Há uma série de varas dentro da jaula.O macaco tenta agarrá-la esticando o braço. Não consegue.

Consegue atingi-la com uma vara.

A banana é colocada mais longe. O macaco não consegue mais pegá-la com uma vara.

Consegue encaixar as varas para alcançá-la.

Conceitos Fundamentais


  • Totalidade

  • Percepção

  • Estrutura

  • Isomorfismo

  • Meio geográfico e meio comportamental

  • Figura-fundo

  • Leis perceptivas



  • Insight

Opcionalmente, visite algumas páginas na Internet sobre a Teoria da Gestalt.

Totalidade

Olhe a seguinte figura. O que lhe parece?

Imagine a seguinte cena:

Mariana trabalha durante o dia e estuda à noite. Normalmente começa a trabalhar às 8h e chega em casa às 23h30min. Hoje está particularmente preocupada pois terá uma reunião amanhã às 7h30min. Porém, a aula termina um pouco mais cedo e chega em casa às 23h. Ao chegar em casa, encontra seu marido largando o telefone. Ele lhe diz: “Querida, chegaste mais cedo hoje!”. Ao passar pelo lado do telefone, vê um pedaço de papel onde está escrito Roberta e um número de telefone.

Duas situações merecem destaque na análise das histórias:

1 - Há variações pessoais na continuação da história;

2 - Isso é o que nos interessa do ponto de vista da Teoria da Gestalt:


Independente do desfecho, as histórias tendem a tomar dois elementos diferentes presentes na história como sendo um só;

Ao chegar em casa, Mariana vê o marido largando o telefone e vê um pedaço de papel com um número e um nome. Automaticamente os dois fatos se juntam, formando uma totalidade.

Será que os dois elementos estão necessariamente interligados?

O telefonema que está acabando de ocorrer tem, necessariamente, ligação com o número anotado?

Pensemos numa solução diferente, que dissocia os dois elementos:

- Sabendo que a esposa chegará cansada, o marido resolve fazer uma surpresa e telefona para a entrega de comida. Como o tempo de entrega é de cerca de 30 minutos, calcula o horário de sua chegada e liga trinta minutos antes. Como Mariana chega trinta minutos antes, ela terá de esperar pela comida. Eis o motivo de sua decepção, ao perceber que ela chegou antes.

- O bilhete com o nome e o número do telefone se referem ao telefonema que ele recebeu às 20h30min. Quem ligou foi Roberta, a secretária substituta do escritório onde Mariana trabalha, que se esquecera de avisá-la que a reunião de amanhã às 7h30min foi cancelada. 

A maioria das histórias tende a unir os dois elementos, ao invés de separá-los. Por quê?

Para entender essa situação, podemos recorrer ao conceito de totalidade, de acordo com a teoria da gestalt.

Enquanto o behaviorismo preocupa-se em dissociar o comportamento em seus elementos mínimos (estímulos e respostas) a fim de estabelecer suas relações causais, a Gestalt, ao contrário, preocupa-se em entender os comportamentos como totalidades.

Uma das premissas básicas da Gestalt afirma que há uma tendência a percebermos os eventos como totalidades e não como partes isoladas.

Diante de qualquer situação, fazemos um esforço para percebê-la como um todo com significado, que faça sentido. Para isso, tendemos a ver as situações como totalidades, como configurações.

Vamos a uma analogia na química:

Quando você está com sede, o que faz?


Toma água.

Qual é a fórmula química da água?

Isso mesmo: H2O.
Hidrogênio e oxigênio.

Se você não tem água, mas dispõe de hidrogênio e oxigênio, será que, ao consumi-los separadamente, saciará sua sede?

Por que será que hidrogênio e oxigênio separados não fazem o mesmo efeito que a água?

Porque existe entre eles uma relação específica que constitui uma certa totalidade.

Para a gestalt, o todo é maior do que a soma das partes.

O todo é percebido de maneira distinta da soma das características de seus elementos isolados.

Piaget também acredita que “o todo [...] nunca se reduz à simples soma do conjunto de componentes considerados isoladamente. Por mais essencial que seja um determinado componente num sistema, ele, sozinho, não define o conjunto” (CUNHA, 1999, p.115).

Agora vejamos um exemplo no campo da psicologia social. Os grupos sociais:

Em um evento social vemos um grande grupo de pessoas tendo um determinado comportamento. Isso indica qual a forma individual de cada um se comportar quando sozinho?

Ou, por outro lado, se eu conhecer cada um daqueles indivíduos separadamente, isso me indica qual será o seu comportamento como grupo?

Segundo a gestalt, não temos como fazer essa previsão, na medida em que o grupo forma uma totalidade.

Percepção



- não é a simples soma das estimulações que chegam aos receptores sensoriais

- organiza as informações recebidas

- é um elemento chave para a compreensão do comportamento e da inteligência

A Gestalt enfatiza “a percepção das relações, a consciência de relações entre as partes e o todo, entre os meios e as conseqüências”. Hilgard (1975, p.314).

O processo perceptivo não depende da atividade sensorial, do estímulo propriamente dito, mas do trabalho mental de percepção de relações. O que o indivíduo percebe e como percebe são fundamentais para entender o comportamento humano.

Behaviorismo: não cogita a existência de estruturas internas

Gestalt: a explicação do conhecimento passa pela noção de estruturas perceptivas

 

Gestalt: a inteligência depende do processo perceptivo



Epistemologia genética: a inteligência organiza o processo perceptivo

Estrutura

-Estrutura, ou forma, ou gestalt significa o contrário de uma coleção de partes.

- Estrutura, forma ou gestalt significa um todo organizado, um padrão organizado, uma configuração do campo perceptivo.

- Uma estrutura é um conjunto não somativo de partes e as funções dessas partes dependem da posição que elas ocupam na totalidade.

- Cada uma das partes da estrutura depende da sua estrutura de conjunto e das leis que regem essa estrutura de conjunto.

- A estrutura consiste em um conjunto de elementos relacionados entre si. Quando há a modificação de um elemento ou de uma relação ocorre a modificação dos outros elementos ou relações.

- Toda estrutura tende a manter-se como estrutura equilibrada, ou seja, que tende à harmonia.

Piaget: as funções são invariantes e as estruturas são variáveis.


Gestalt : funções e estruturas são organizadas de acordo com leis invariáveis.

Isomorfismo

Os caracteres gestálticos do fato percebido devem ter correspondência com caracteres gestálticos idênticos no fato cerebral correspondente.

Existe uma igualdade entre:

- a experiência do fenômeno - os processos que levam à percepção; e

- o correspondente fisiológico - o fenômeno físico sensível ou os correlatos corticais.

Meio geográfico e meio comportamental

Meio comportamental:


- resulta da interação das propriedades físicas do meio com a nossa interpretação;
- consiste na nossa interpretação do meio.

Nossos comportamentos são desencadeados pela nossa percepção do meio e não unicamente por suas propriedades físicas.

 

Alguém que tenha medo de sapos, ao enxergar um reagirá de forma intensa, mesmo que depois descubra que é de plástico.

Faz diferença ele não ser de verdade?

Ou melhor, se você tem medo, para você ele é de verdade.

Suponhamos que você esteja apaixonado (a). Você enxerga o alvo de sua paixão.

Seu coração começa a bater mais intensamente, sua pressão sanguínea aumenta. Ao olhar melhor, percebe que se enganou. Porém, as reações ocorreram independente da objetividade do fato. As reações são desencadeadas pela percepção, ou seja, pelo meio comportamental e não pelo meio geográfico.

Figura-fundo

observe o desenho:

O que você percebe?

A figura é ambígua e temos dificuldades para vê-la como uma totalidade porque, enquanto uma parte se destaca a outra serve de fundo.

- Há uma tendência para o campo perceptivo organizar-se em figura e fundo.

- A figura apresenta-se como fator estruturado e organizado, destacando-se do fundo, que parece espaço vazio.

- Quanto melhor a forma, melhor a distinção entre figura-fundo.

- Em figuras ambíguas é difícil distinguir a figura e o fundo. Nesse caso, para um dos elementos ser figura, o outro precisa ser forma e vice-versa.

 

Propriedades funcionais da figura, segundo Rubin



1) Só a figura tem forma
2) A linha de contorno pertence à figura
3) A figura projeta-se em plano mais próximo do percebedor do que o fundo
4) O fundo continua por trás da figura
5) Só a figura se constitui em tema consciente
6) Só a figura é objeto de evocação para a memória
7) A cor que recobre a figura se define como de superfície e a que recobre o fundo como de transparência

Leis da organização perceptiva

- Lei da pregnância

A organização psicológica tende sempre para a pregnância, isto é, a melhor gestalt, a boa forma. Diante de um campo perceptivo desorganizado, a lei da pregnância se impõe com o objetivo de atingir a melhor gestalt, a boa forma. Uma boa forma facilita a percepção.
 
Buscamos no campo perceptivo a forma mais simples, simétrica, regular e estável.

Para estruturar o campo perceptivo, os pormenores supérfluos tendem a ser negligenciados e os elementos que faltam tendem a ser completados. Essa organização é psicológica. O ambiente físico permanece inalterado.

A necessidade de atingir a boa forma cria a ilusão de uma terceira dimensão.

A percepção que prevalece é a do objeto simples e regular, em três dimensões, ao invés da figura mais complicada e irregular em duas dimensões.

Olhe a figura abaixo e veja se você a percebe como tendo duas ou três dimensões.

Uma organização de estímulos que não tenha boa forma pode prejudicar a percepção, levando a dificuldades em distinguir o que é essencial, ou seja, a figura, daquilo que é o fundo.



Imagine um texto em que não se consegue distinguir o que é essencial do que é secundário.

Se há dificuldades no campo perceptivo, conseqüentemente, haverá uma dificuldade no desempenho intelectual.

Opcionalmente, visite páginas da Internet onde são exibidas imagens em três dimensões:



www.possibilidades.com.br e www.ilusaodeotica.com

- Lei da semelhança

Como você percebe os elementos abaixo?
Como linhas ou como colunas? Por quê?

Tendemos a perceber como totalidades os elementos semelhantes entre si.

- Lei da proximidade

Como você percebe os elementos abaixo?


Como linhas ou como colunas? Por quê?

Tendemos a perceber como totalidades os elementos próximos entre si.

Daí o ditado popular:  “Diz-me com quem andas e te direi quem és”.

- Lei do fechamento

O que você vê na figura abaixo?

Apesar de não ser um triângulo, por que o enxergamos como um triângulo?

Tendemos a completar os elementos que faltam em uma figura a fim de formar uma totalidade.

A fofoca pode originar-se nesse fenômeno em que se completa uma cena a fim de formar uma totalidade.

- Lei da boa continuação

Observe a figura abaixo. Há quantas linhas na horizontal e quantas inclinadas?



Nossa organização perceptiva ocorre de tal forma que tendemos a continuar a linhas.

- Lei do caráter de participação

Leia a palavra abaixo:



Você conseguiu lê-la, apesar de estar mal escrita?

As características de uma parte do todo provêm do seu contexto e no seu contexto devem ser analisadas.

Insight

Disponha de seis palitos do mesmo tamanho. 


Pegue três palitos e tente fazer um triângulo.


Todos os lados do triângulo têm o mesmo tamanho: o lado do palito.
(Clique aqui para ver a imagem)

Foi fácil, não foi?

Agora pegue mais dois palitos e tente fazer dois triângulos.
(Clique aqui para ver a imagem)

E então? Continua muito fácil, não é mesmo?

Agora pegue mais um, ao todo serão seis, e tente fazer quatro triângulos. Continua valendo a regra de que todos os lados dos triângulos devem ter a mesma medida, ou seja, o comprimento do palito.

E então? Conseguiu?

Se conseguiu, você teve um insight.

Insight

- momento de dar-se conta da solução do problema;

- é o momento do “oh, é assim”.

- parece que, de repente tudo fica claro e compreensível e se estabelecem relações entre os elementos da situação.

- uma expressão de uma mudança súbita em uma estrutura.

- a compreensão súbita do campo perceptivo configurando uma totalidade.

Há fatores objetivos e subjetivos envolvidos na ocorrência do insight.

- subjetivos: motivação, necessidade, interesse, estado emocional, familiaridade com a situação, tipo de experiências anteriores, nível de inteligência, diferenças individuais.

 - objetivos: grau de estruturação da situação.

Vamos a uma outra situação:

Algumas crianças andam por um gramado. Duas crianças andam na frente de duas crianças. Duas crianças andam no meio de duas crianças. Duas crianças andam atrás de duas crianças. Quantas crianças são?

Se você respondeu 6 ou 8 você teve um falso insight

Se você respondeu 4, teve um insight. São 4 crianças, em fila indiana.

O conceito de insight é contrário ao de ensaio e erro.

ensaio e erro: explicação para a aprendizagem em teorias associacionistas; a pessoa vai experimentando diferentes respostas até que, ocasionalmente, surge a resposta correta; as respostas são determinadas por partes isoladas.

Insight: os elementos da situação são percebidos em um padrão certo; a solução surge de repente; o sujeito reage à situação total; o todo determina a organização das partes em uma situação significativa.

Para que ocorra o insight devem ser levados em conta os fatores subjetivos e objetivos:

Os dados devem estar presentes e apresentados de forma a proporcionar o entendimento. O sujeito deve estar predisposto a resolver o problema ou entender a questão.

O Insight pode ser de vários tipos:

- Profundo: se a pessoa obtém uma compreensão mais profunda da situação

- Superficial: se a pessoa obtém uma compreensão mais superficial da situação

- Verdadeiro: quando corresponde à resolução do problema

- Falso: quando se chega a determinada solução para um problema que, apesar de parecer correta e de constituir uma totalidade, é uma resposta falsa

Desenvolvimento e aprendizagem segundo a Gestalt

A teoria da Gestalt é estudada em Psicologia da Educação em virtude da sua contribuição para o entendimento dos processos de desenvolvimento e de aprendizagem.

- Desenvolvimento

O processo de desenvolvimento é explicado pela maturação do sistema nervoso e das estruturas perceptivas que o sujeito já traz ao nascer.

 

- Aprendizagem



A Gestalt salienta a importância da percepção no processo de aprendizagem.
 
A aprendizagem é explicada como um insight, uma revelação, que pode ser entendido como uma organização súbita do campo perceptivo a fim de configurar uma totalidade. O insight ocorre quando se percebe a relação entre o estímulo e o campo.

A aprendizagem

é determinada pela configuração dos estímulos;


consiste em perceber relações;
consiste em estruturar o campo perceptivo;
consiste na reação a totalidades e não a elementos isolados.

Se a aprendizagem ocorre por insight, cabe ao ensino tratar de organizar os estímulos de maneira a facilitar o processo perceptivo.

+ Problemas de aprendizagem

Se a aprendizagem depende da percepção, o problema de aprendizagem estará ligado a falhas no processo perceptivo.


 
Aquele que tiver falhas na estrutura perceptiva terá dificuldades em organizar o campo perceptivo a fim de constituir totalidades, ou seja, apresentará dificuldades na obtenção de insights.
 
A explicação das dificuldades de aprendizagem estará centrada no sujeito.

 

Gestalt e Educação

Princípios da Gestalt na educação

Os princípios da teoria da Gestalt estão presentes na compreensão do fenômeno de aprendizagem. Portanto, são importantes para o ensino:



  • O aluno mais inteligente terá mais facilidade para obter insights.

  • A experiência passada, apesar de não resolver o problema, facilita a compreensão de uma nova situação.

  • O insight é facilitado se os estímulos estiverem organizados de forma a facilitar a percepção.

  • Oferecer a oportunidade de agir sobre os elementos do meio para facilitar a organização do campo perceptivo.

Recomendações:

  • A matéria deve ser apresentada de forma clara, integrada;

  • Oferecer a oportunidade de agir sobre os elementos do meio para facilitar a organização do campo perceptivo;

  • Todos os elementos necessários à compreensão devem ser fornecidos;

  • Manter os elementos visíveis, disponíveis no seu campo perceptivo;

  • Estimular os alunos a realizar insights.

  • Necessidade de boas explicações, caso contrário, a criança preencherá com fechamentos os elementos faltantes. Esses elementos utilizados podem ser retirados de sua fantasia.

Atenção com o Falso insight

Se todas as laranjas são cor de laranja e todas as laranjas são frutas, logo, todas as frutas são...

Se você respondeu que todas as frutas são cor de laranja, você caiu na famosa pegadinha.

A forma como alguns estímulos são oferecidos aos estudantes podem levar a um falso insight. É o que os alunos costumam chamar de pegadinhas ou de pega-ratão.

 

Teste Abc



O teste ABC foi utilizado por muitas décadas. Baseia-na na idéia de que a aprendizagem da leitura e escrita depende das capacidades perceptivas e motoras, especificamente, motricidade fina.

Teste de Bender

É um teste baseado na Teoria da Gestalt e que mede o desenvolvimento através das habilidades perceptivas – especificamente visuais – e motoras. Apresenta indicadores de lesão neurológica a partir das reproduções de figuras.

Gestalt na organização do ambiente escolar

Muitas vezes, quando a professora tem dificuldades com a turma, ela socilita a presença da orientadora para conversar com os alunos. Nessa ocasião é comum ela se ausentar da sala.

Nesse caso, forma-se uma nova totalidade e as relações configuradas são outras. A professora e os alunos formam uma totalidade, enquanto a orientadora e os alunos formam uma nova totalidade. Logo, não tem sentido a professora ficar ausente dessa reunião.

Gestalt na elaboração do material didático

- Aprende-se por totalidades. 

- Material claro, bem organizado e simples facilita o processo perceptivo. 

- Letras muito desenhadas dificultam o processo perceptivo. 

- A apresentação das sílabas correspondentes a cada consoante dificulta a aprendizagem, pois a totalidade de cada sílaba será muito semelhante com as outras, dificultando a diferenciação entre elas.

- A utilização de negrito, tipos diferentes, ilustrações, cores variadas, etc. facilita a organização do campo perceptivo.

- Textos muito longos, com poucos parágrafos, com frases muito longas e com excesso de orações, dificultam a percepção, pois dificultam a discriminação entre figura e fundo.

- O melhor material didático é aquele que facilita a distinção clara entre figura e fundo, ou seja, o que é essencial do que é secundário.



Gestalt e Publicidade

As contribuições dessa teoria têm sido muito utilizadas em publicidade, já que, nessa área, o que importa é a forma como o sujeito percebe determinado fenômeno.

 

 

Na propaganda eleitoral esbanja-se desse tipo de recurso, por exemplo, jingles. Lei do fechamento. Completam-se as partes que estão faltando.



Curiosidades

Os princípios da Psicologia da Gestalt estão presentes no nosso dia-a-dia sem que percebamos.

Você certamente já ouviu dicas de moda e decoração baseadas na teoria da Gestalt.

- Gestalt e Moda



Em função da Lei da boa continuação, as listras na horizontal tendem a alongar a pessoa no sentido horizontal. Portanto, se você quer parecer mais gordinha, as listras na horizontal são recomendadas.

Se você quer parecer mais alta esbelta, as listras na vertical são recomendadas.

Algum dos dois parece maior?

O branco tende a ser percebido como tendo maior volume. O preto tende a ser percebido como tendo menor volume. Portanto, se você quer parecer mais gordinha, use roupas brancas. Se você quer parecer mais magra, use roupas pretas.

Atenção:

* A combinação roupa branca com listras na horizontal é ideal para quem quer parecer gordinha e baixinha.


 
* A combinação roupa preta com listras na vertical é ideal para quem quer parecer mais alta e magra.

- Gestalt e Decoração

Como o que importa é a forma com percebemos e não o estímulo na sua forma física, a decoração exige atenção aos processos perceptivos.

Se quisermos dar uma sensação de maior amplitude ao ambiente, as cores utilizadas devem ser claras. Espelhos também são idéias para dar a sensação de maior espaço.

Ao contrário, se queremos dar uma sensação de menor espaço, as cores escuras são idéias. Elas proporcionam um ambiente mais acolhedor e dão maior proximidade, como nos bares noturnos. As luzes de pouca intensidade ajudam a constituir esse ambiente.

Em qual ambiente é mais fácil dançar? Em um salão amplo e totalmente iluminado ou em um salão que pareça menor e pouco iluminado?

Criticas à Gestalt

A teoria da Gestalt e a Epistemologia Genética de Piaget, apesar de terem em comum a preocupação com a idéia de totalidade e a noção de estrutura, apresentam várias discordâncias.

origem das estruturas: para a Gestalt elas são herdadas, enquanto para Piaget elas são fruto de um processo de construção. Enquanto para a primeira a forma é dada, não tem gênese, para a segunda os esquemas são construídos. Para a primeira as formas não têm atividade, para a segunda a atividade é o cerne da explicação da gênese e do desenvolvimento do conhecimento.

Se no empirismo as condições internas do sujeito são completamente desconsideradas na gênese do conhecimento, no modelo apriorista as condições externas é que são, em maior ou menor escala, desconsideradas.

Nesse modelo, o conhecimento é entendido como uma programação prévia, como uma capacidade intrínseca ao ser humano que se manifestará desde que as condições externas não impeçam. Então, o meio externo é apenas concebido como empecilho, não como elemento essencial.

Para a Gestalt, a inteligência depende do processo perceptivo enquanto para Piaget é a inteligência que organiza o processo perceptivo


 
Enquanto para Piaget as funções são invariantes e as estruturas são variáveis, para a Gestalt tanto umas quanto outras são organizadas de acordo com leis invariáveis

Referências Bibliográficas



ARNHEIM, R. Arte e percepção visual: uma psicologia da visão criadora. São Paulo: Pioneira/EDUSP, 1980.
BECKER, Fernando. Para uma nova teoria de aprendizagem segundo Piaget. In: MOREIRA, Marco A. (org.). Aprendizagem: perspectivas teóricas. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 1985.
BIAGGIO, Angela M. B. Psicologia do desenvolvimento. Petrópolis: Vozes.
BOCK, TEIXEIRA e FURTADO. Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. São Paulo: Saraiva.
 CAMPOS, Dinah Martins de Souza. Psicologia da Aprendizagem. Petrópolis: Vozes.
CUNHA, Gládis Franck da. Interação e meio: a filtragem do mundo. Porto Alegre: UFRGS/FACED, 1999. Tese de Doutorado.
FALCÃO, Gérson Marinho. Psicologia da aprendizagem. São Paulo: Ática.
GAUQUELIN, Michel e GAUQUELIN, Françoise. Dicionário de Psicologia. Lisboa / São Paulo: 1998.
HILGARD, E. R. Teorias da aprendizagem. São Paulo: EPU, 1975.
KOFFKA, Kurt. Princípios de psicologia da Gestalt. São Paulo: Cultrix/Usp, 1975.
KÖHLER, Wolfgang. Psicologia da Gestalt. Belo Horizonte: Itatiaia, 1968.
KÖHLER, KOFFKA e SANDER. Psicología de la forma. Buenos aires: Paidós.
MARQUES, Tania B. I. e BECKER, Fernando. Aprendizagem humana: processo de construção. In: Pátio Revista Pedagógica. Porto Alegre: Artmed. Ano 4, n.15, nov2000/jan2001.
MARX e HILLIX. Sistemas e teorias em psicologia. São Paulo: Cultrix, 1990.
 PENNA, Antonio Gomes. Introdução à história da Psicologia contemporânea. Rio de Janeiro: Zahar.
PIAGET, Jean. [1972]. Problemas de psicologia genética. São Paulo: Abril Cultural, 1983.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal