1 Administração: conceito e importância 14



Baixar 0.94 Mb.
Página1/17
Encontro18.07.2016
Tamanho0.94 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   17







2008

SUMÁRIO


INTRODUÇÃO 9

CAPÍTULO I - SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO 14

1 Administração: conceito e importância 14


1.1 Definição do conceito 14

1.1.1 Processo 14

1.1.2 Decisões 15

1.1.3 Recursos 15

1.1.4 Objetivos 15

1.1.5 Pessoas 16

1.1.6 Administradores 16

1.2 Importância Social da Administração 16


1.3 Impacto da Qualidade da Administração 17

2 Teoria Administrativa 18

2.1 Conhecimentos Descritivos 18

2.2 Conhecimentos Prescritivos 19

2.2.1 Doutrinas 19

2.2.2 Técnicas 19

3 Formação do Conhecimento Administrativo 19

3.1 Experiência Prática 20

3.2 Métodos Científicos 20

3.2.1 Experimento 21

3.2.2 Levantamento Simples 21

3.2.3 Levantamento Correlacional 21


4 Objetivos e campo de aplicação 23


4.1 Enfoque 24

4.2 Escola 24

4.3 Modelo 24

4.3.1 Modelo de gestão (ou de administração) 24

4.3.2 Modelo de organização 25

5 Administração no Presente 25

5.1 Economia Globalizada e Competitividade 25

5.2 Interdependência 26

5.3 Tecnologia da Informação 26

5.4 Diminuição de Tamanho 26

5.5 Valorização da Administração Empreendedora 27

5.6 Defesa do Consumidor e Ênfase no Cliente 27

5.7 Ecologia e Qualidade de Vida 27

6 Linha do tempo da administração 28

7 Cases 31


CAPÍTULO II - PAPEL DO GERENTE 39

1 Henri Fayol e o Processo Administrativo 39

1.1 Função Administrativa 41

1.2 Papel de Gerente segundo Fayol 41

1.3 Princípio de Peter 43

1.4 Posdcorb 43


2 Chester Barnard e a funções do executivo 44

3 Hebert Simon e o processo decisório 45

4 Henry Mintzberg e os papéis gerenciais 46


4.1 Papéis Interpessoais 47

4.1.1 Figura de Proa 47

4.1.2 Líder 47

4.1.3 Ligação 47

4.2 Papéis de Informação 47

4.2.1 Monitor 47

4.2.2 Disseminador 47

4.2.3 Porta-voz 48

4.3 Papéis de Decisão 48

4.3.1 Entrepreneur 48

4.3.2 Controlador de Distúrbios 48

4.3.3 Administrador de Recursos 48

4.3.4 Negociador 48

5 Rosemary Stewart e as escolhas gerenciais 49


5.1 Exigências 49

5.2 Restrições 49

5.3 Escolhas 49

6 Fred Luthans e o desempenho dos gerentes 50


7 Princípios de Andrew Grove 51

7.1 Produção 51

7.2 Desempenho Individual 52

8 Níveis de Administração 53


8.1 Alta Administração 53

8.2 Supervisores de Primeira Linha 54

8.3 Gerência Intermediária 54

9 Habilidades Gerenciais 55


9.1 Habilidades segundo Katz 55

9.1.1 Habilidade Técnica 55

9.1.2 Habilidade Humana 55

9.1.3 Habilidade Conceitual 55

9.2 Habilidades segundo Mintzberg 56

9.2.1 Habilidades de relacionamento com colegas 56

9.2.2 Habilidades de Liderança 56

9.2.3 Habilidades de resolução de conflitos 56

9.2.4 Habilidades de processamento de informações 57

9.2.5 Habilidades de tomar decisões em condições de ambigüidade 57

9.2.6 Habilidades de alocação de Recursos 57

9.2.7 Habilidades de Empreendedor 57

9.2.8 Habilidades de Introspecção 57

10 Caso Companhia Siderúrgica Paulista 57

11 Caso Reconhecimento não compra pão! 59

CAPÍTULO III - TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES 61

1 Max Weber e a Burocracia 61



    1. As Organizações na visão de Weber 62

1.2 A Dominação segundo Weber 62

1.3 Premissas da Autoridade Legal-Racional 63


2 Tipologia de Etzionl 63


2.1 Tipos de Poder 64

2.1.1 Poder Coercitivo 64

2.1.2 Poder Manipulativo 64

2.1.3 Poder Normativo 64

2.2 Tipos de Envolvimento 64

2.2.1 Alienatário 65

2.2.2 Calculista 65

2.2.3 Moral 65

2.3 Tipos de Organizações 65

3 Tipologia de Blau e Scott 66


4 Disfunções da Burocracia 66


4.1 Disfunções segundo Perrow 67

4.1.1 Particularismo 67

4.1.2 Fazer a Cama 67

4.1.3 Excesso de Regras 68

4.1.4 Hierarquia 68

5 Modelos de Organização 68


5.1 Tipo Mecanicista 69

5.2 Tipo Orgânico 70


6 Imagens das Organizações 70


6.1 As Organizações segundo Mintzberg 70

6.2 As Organizações segundo Handy 71

6.2.1 Zeus 71

6.2.2 Apolo 72

6.2.3 Atena 72

6.2.4 Dioniso 72

7 Aprendizagem Organizacional 72

7.1 Cyert e March 73

7.2 Argyris e Schon 73

7.3 Peter Senge 74




CAPÍTULO IV - DA REVOLUÇÃO URBANA À REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 75

1 Da Pré-História á Revolução Urbana 75


1.1 Revolução Agrícola 75

1.2 Revolução Urbana 75

1.3 Egito 76

1.4 Babilônia e Assíria 77


2 China 77

3 Grécia 77


3.1 Democracia e Ética 78

3.2 Método 78

3.3 Qualidade 79

4 Roma 79


4.1 Instituições Políticas 79

4.2 Construção e Administração do Império 79

4.3 Instituições Econômicas 80

4.4 Forças Armadas 80

4.5 Princípios de Administração 81

5 Período Medieval 81

5.1 Sistema Feudal 81

5.2 Organização do Trabalho 81

6 Renascimento 81

6.1 Capitalismo Mercantil 82

6.2 Veneza 83

6.3 Maquiavel 83

6.4 Reforma 83

7 Revolução Industrial 84

7.1 Sistema de Fabricação para Fora 84

7.2 Sistema-Fabril 85

7.3 Condições de Trabalho e Sindicatos 85

8 Críticas à Sociedade Industrial 85

9 Um embrião de Teoria Administrativa 86


9.1 Eficiência 86

9.2 Função Soho 86

9.3 Robert Owen e New Lanark 87

9.4 Charles Babbage 87




CAPÍTULO V - ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA 88

1 Taylor e o movimento da Administração Científica 88

2 Início do movimento da Administração Científica 88


2.1 O Problema dos Salários 89

2.2 O Plano de Taylor 89

3 Segunda fase da Administração Científica 90

4 Terceira fase da Administração Científica 91

5 Integrantes do Movimento 92

5.1 Frank e Lillian Gilbreth e o Estudo de Movimentos 93

5.2 Henry Gantt 93

5.3 Hugo Munsterberg 93

6 Críticas à Administração Científica 94

7 Expansão do movimento 94

8 Produção em massa e linha de montagem 94

8.1 Princípios da Produção em Massa 95

8.1.1 Peças e Componentes Padronizados e Intercambiáveis 95

8.1.2 Especialização do Trabalhador 95

8.2 A Linha de Montagem de Henry Ford 96

8.3 A Linha de Montagem Móvel 96

8.4 Inovações de Ford 97

8.5 Expansão do Modelo Ford 97

9 Alfred Sloan e a General Motors 97
CAPÍTULO VI – TEORIA DAS RELAÇÕES HUMANAS 99

1 Abordagem humanística da administração 99


1.1 Aspectos históricos favoráveis à abordagem humanística 99

1.2 Teorias Transitivas da Administração 100

2 Teoria das Relações Humanas (Escola Humanística da Administração) 100

2.1 Elton Mayo 101

2.1.1 A Experiência de Hawthorne 101

2.1.2 Os estudos em Hawthorne de Elton George Mayo (1880-1949) 101

2.1.2.1 A Primeira fase: sala de provas de Montagem de Relés 103

2.1.2.2 Segunda fase: O grupo de observação e os doze períodos 103

2.1.2.3 Terceira fase: Programa de entrevistas 105

2.1.2.4 Quarta fase: Sala de Observações de Montagem de Terminais 106

2.1.3 Conclusões da Experiência de Hawthorne 107

3 Kurt Lewin 109

3.1 Conseqüências da teoria motivação 111

3.1.1 Teoria de Campo Lewin 111

3.2 Decorrência da Teoria das Relações Humanas 112

3.2.1 Motivação como fator influenciador 112

3.2.1.1 As necessidades Humanas Básicas 113

3.2.1.2 O ciclo motivacional 115

3.2.2 O moral e a atitude 115

3.2.3 Frustração e compensação 115

3.2.4 Liderança 116

3.2.4.1 Teoria de traços de personalidade 116

3.2.4.2 Teoria sobre estilos de liderança 116

3.2.4.3 Teorias situacionais da liderança 117

3.2.5 Comunicações 117

3.2.6 Redes de comunicação 118

3.2.7 Organização informal 120

3.2.8 Dinâmica de grupo 121

3.2.8.1 Características distintas de outros campos do conhecimento 123

3.2.8.2 Projetos de Pesquisa 124

3.2.8.3 Dinâmica de Grupo e a Administração 124

3.2.8.4 Teorias que desenvolveram o estudo da Dinâmica de Grupo 125

3.2.8.5 Dinâmica de Grupo e as Mudanças 126

3.2.8.6 Visão e Aplicação da Dinâmica de Grupo Pela Administração 127


4 Apreciação Crítica da Teoria das Relações Humanas 128


4.1 Houve uma inadequada visualização dos problemas das relações industriais 128

4.2 Limitação do Campo Experimental 128

4.3 Ênfase exagerada nos grupos informais 128

4.4 Enfoque manipulativo 129

4.5 Crítica 129

CAPÍTULO VII – PLANEJAMENTOP ESTRATÉGICO 130

1 Características do planejamento estratégico 130

2 Etapas do planejamento estratégico 131

2.1 Determinação dos objetivos empresariais 131

2.2 Hierarquia de Objetivos 133

2.3 Administração por objetivos 134

2.4 Análise das condições ambientais 130

2.4.1 Análise do ambiente geral 135

2.4.2 Análise do ambiente de tarefa 136

2.4.3 Análise organizacional 136

2.4.4 Formulação de alternativas estratégicas 138

2.5 Elaboração do planejamento estratégico 139

2.6 Filosofias de planejamento 141




REFERÊNCIA 145
LISTA DE FIGURAS
Figura 1: Administração como processo de tomar decisões sobre objetivos 14

Figura 2: A organização como sistema de recursos que realiza diversos tipos de objetivos 15

Figura 3: A complexidade do processo administrativo aumenta de forma diretamente proporcional ao volume e interdependência de recursos 17

Figura 4: Você está cercado, Caríba...de todos os tipos de organizações 17

Figura 5: Processo de formação e disseminação das teorias da administração 20

Figura 6: Exemplo de estudo de correlação 22

Figura 7: Três maneiras de estudar administração 23

Figura 8: Principais enfoques da administração 25

Figura 9: Principais estudiosos do papel dos gerentes 39

Figura 10: A escola clássica da administração 40

Figura 11: Funções da empresa segundo Fayol 41

Figura 12: Funções do Executivo segundo Barnard 44

Figura 13: Papéis gerenciais, segundo Mintzberg 46

Figura 14: Três dimensões do papel dos gerentes, segundo Rosemary Stewart 50

Figura 15: Grove resume essa idéia na seguinte posição 52

Figura 16: Princípios de Andrew Grove 52

Figura 17: Dois tipos de estruturas 53

Figura 18: Habilidades gerenciais, segundo Katz 56

Figura 19: Principais contribuições ao estudo das organizações 61

Figura 20: Herança de Weber 63

Figura 21: Dois modelos de organização 69

Figura 22: Os dois modelos de organização de Burns e Stalker 69

Figura 23: Eventos da revolução urbana 69

Figura 24: Alguns itens da herança grega 78

Figura 25: Alguns itens da herança de Roma 80

Figura 26: Administração e organizações no Renascimento 82

Figura 27: Tendências da Revolução Industrial 84

Figura 28: Os três momentos da administração científica 89

Figura 29: A administração científica criou a ênfase no estudo e racionalização de tempos e movimentos necessários para a execução das tarefas 90

Figura 30: Os princípios de Taylor 91

Figura 31: Principais integrantes do movimento da administração científica 92

Figura 32: Princípios da produção em massa 95

Figura 33: A linha de montagem de Ford 96

Figura 34: O modelo americano de administração de empresas industriais 98

Figura 35: Fábricas da Western Electric Company 102

Figura 36: Conclusões da Experiência de Hawthorne 108

Figura 37: Hierarquia das necessidades de Maslow 114

Figura 38: As seis etapas do planejamento estratégico 132

Figura 39: Hierarquia de objetivos a partir de um objetivo empresarial 134

Figura 40: Processo de formulação estratégica 139

Figura 41: As alternativas estratégicas 140

Figura 42: Os sete fatores que condicionam o comportamento da empresa 143



LISTA DE QUADROS
Quadro 1: Principais decisões do processo administrativo 15

Quadro 2: Dois tipos de conhecimentos a respeito da administração das organizações 18

Quadro 3: Desenho de um experimento 21

Quadro 4: A linha do tempo da administração inspirada na idéia de George Junior; Claude (1974, p. 9) 28

Quadro 5: Os 16 deveres do gerente segundo Fayol 42

Quadro 6: Os princípios de administração de Fayol 42

Quadro 7: Prioridades diferentes determinam sucesso e eficácia 51

Quadro 8: Três bases da autoridade segundo Max Weber 62

Quadro 9: Principais características das organizações burocráticas, segundo Weber 63

Quadro 10: Tipos de poder, obediência e organização, segundo Etzioni 64

Quadro 11: Tipos de organizações segundo Etzioni 66

Quadro 12: Classificação das organizações, segundo o tipo de beneficiário 66

Quadro 13: Algumas disfunções organizacionais, segundo diferentes autores 67

Quadro 14: Idéias sobre as imagens ou metáforas das organizações 70

Quadro 15: Configurações de Mintsberg 71

Quadro 16: Imagens de Handy 71

Quadro 17: Principais autores da escola da aprendizagem organizacional 73

Quadro 18: Cronologia dos Principais Eventos da Teoria das Relações Humanas 99

Quadro 19: os doze períodos do grupo experimental 104

Quadro 20: Comparação entre a Teoria Clássica e das Relações Humanas 108

Quadro 21: Os tipos de redes 119

Quadro 22: Comunicação como atividade gerencial 120

Quadro 23: Tipos de níveis de planejamento empresarial 131

Quadro 24: Transição dos estilos administrativos a partir da APO 135

Quadro 25: Perfil de uma análise organizacional 139


LISTA DE TABELAS
Tabela 1: Informações produzidas por um estudo correlacional 22

Tabela 2: Onde estão os pontos fracos 118

Tabela 3: Preço de custo por tonelada 124

INTRODUÇÃO

Objetivos do Curso:


    1. formação humanística – cristã, técnica e científica, generalista para atuar na administração das organizações. Competências, habilidades, atitudes e valores para atuar no mercado de trabalho em consonância com as demandas mundiais, nacionais e regionais.

    2. interação com as empresas e comunidade local e regional, prestando serviços de assessoramento.

    3. realização de atividades voltadas para a iniciação científica.


Objetivos da Disciplina:

Promover conhecimento dos conceitos de Teoria da Administração, motivando o aluno a estabelecer correlação entre as teorias das organizações e o seu impacto na sociedade e a aplicação desses conceitos de forma adequada.




Ementa:

  1. Definição do conceito de administração;

  2. Teoria administrativa;

  3. Formação do conhecimento administrativo;

  4. Objetivos e campo de aplicação da teoria da administração;

  5. Administração no presente;

  6. Papel do gerente;

  7. Evolução da administração;

  8. Teoria das organizações;

  9. Revolução urbana;

  10. Revolução industrial;

  11. Escola clássica;

  12. Modernos sistemas de produção;

  13. Planejamento.Estratégia.


Conteúdo Programático

    1. Definição do conceito de administração.

    2. Teoria administrativa.

    3. Formação do conhecimento administrativo

    4. Objetivos e campo de aplicação.

    5. Administração no presente.

    6. Papel do gerente.

    7. Evolução da administração.

    8. Teoria das organizações.

    9. Da revolução urbana à revolução industrial.

    10. Da escola clássica aos modernos sistemas de produção.

    11. Planejamento e administração estratégica.


Sistemática de trabalho:

Aulas expositivas,

quadro sinótico,

filmes,


trabalho em equipe,

debates,

palestras e exposição de trabalhos realizados pelos alunos,

pesquisa na internet e biblioteca.




Recursos didáticos: vídeos, retroprojetor e multimídia.


Critérios de avaliação:

  1. prova escrita: 80%

  2. apresentação de trabalhos: 20%

  3. total: 100%


Atividades extraclasse/Projetos especiais:

Desenvolvimento e apresentação de trabalho versando sobre Teoria Geral da Administração, utilizando-se da bibliografia indicada.




Referências Básicas:

BATEMAN,T. S. Administração. São Paulo: Atlas,1998.

MAXIMIANO, A. C. A. Teoria Geral Da Administração. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

MONTANA, P. J. Administração. São Paulo: Saraiva, 1998.




Referências Complementares:

ROBBINS; STEPHEN, P. Administração. São Paulo: Saraiva, 2000.




Cenário do futuro:

  1. Meio ambiente;

  2. Revolução tecnológica;

  3. Novos Materiais;

  4. Revolução Tecnológica e inteligência artificial;

  5. Biotecnologia;

  6. Globalização;

  7. Novos regimes políticos,novas nações.



Fusões de corporações:

    1. mega fusões - Indústrias, Bancos, Consultorias.



Consumo:

      1. mudança de gosto dos consumidores - produtos sofisticados, novas formas de lazer, etc.;

      2. mais opções, diversificação de modelos - carros, novos eletrodomésticos, roupas, etc.;

      3. produtos mais individualizados sob encomenda - carros, bicicletas;

      4. maior exigência, explorando ao máximo a relação custo x benefício;

      5. Código de Defesa do Consumidor.



Finanças:

  1. troca de moedas no mundo é da ordem de US$ 80 (oitenta) trilhões/ano;

  2. somente US$ 4 (quatro) trilhões destinam-se ao financiamento do comércio e serviços; a diferença é pura especulação cambial;

  3. sociedade cassino;

  4. dívida dos países em desenvolvimento ultrapassa US$ 1 trilhão;

  5. migração de dinheiro para paraísos fiscais;

  6. lavagem de dinheiro;

  7. mega investidores.



Ambiente Mundial:

  1. novos competidores;

  2. terrorismo em nível mundial;

  3. funcionamento da C.E.E., a partir de 1992 e unificação da moeda;

  4. exploração de novas empresas;

  5. fusão de empresas/capitais;

  6. fim da URSS, em 1991;

  7. reunificação Alemã;

  8. recessão mundial;

  9. queda do comunismo Leste Europeu;

  10. criação de mercados comuns;

  11. desemprego no nível mundial;

  12. migração de negócios para regiões diferentes no mundo.


Os consumidores estão mudando:

  1. maior sofisticação (maior consciência de qualidade);

  2. produtos personalizados;

  3. incremento de mulher na força de Trabalho.

  4. como nós ficamos em relação às mudanças que ocorrem no mundo?



Gerente Antigo x Gerente Moderno:

A concorrência é grande. Atualização ou ...



O perfil do gerente do futuro:

  1. mais generalista;

  2. muito mais preocupado em potencializar recursos humanos e desenvolvimento profissional;

  3. mais profissional, bem menos paternalista;

  4. mais preocupado em atualizar-se não só em sua área, mas de modo geral.



Exemplos:

  1. ligado a tudo o que acontece;

  2. mais Jovem;

  3. mais internacional;

  4. mais preparado academicamente;

  5. menos preocupado em permanecer longos anos em uma empresa, o que obrigará a empresa a movimentá-lo com mais freqüência;

  6. mais competitivo;

  7. mais ambicioso;

  8. falar duas línguas ou mais;

  9. ética com valor inerente.



Retrato das empresas do futuro:

  1. mais plana, mais enxuta, menos camadas na estrutura organizacional;

  2. diminuição de elos na cadeia hierárquica;

  3. unidades mais autônomas e com mais poder de decisão - menor quadro central de funcionários e maior autoridade local para lançamentos e preços de produtos;

  4. orientação para diferenciação;

  5. consciente de qualidade integrada

  6. Maior preocupação com atendimento e assistência técnica;

  7. Muito mais rápida na inovação tecnológica;

  8. Voltada para consultoria externa;

  9. Mais profissional, menos paternalista, mais exigente com os funcionários;

  10. Maior disposição para a recompensa pelo desempenho;

  11. Mais propensa a promover/movimentar funcionários promissores com maior freqüência;

  12. Internacionalização dos negócios.

Administração: processo de planejar, organizar, liderar e controlar o trabalho dos membros da organização, e de usar todos os recursos disponíveis para alcançar objetivos estabelecidos.

Por que as organizações e os administradores são necessários?

Praticamente todos os dias os jornais nos mostram manchetes como estas:



  1. “superávit nas exportações é o maior em todos os tempos”;

  2. “a taxa de juros foi aumentada novamente pelo Banco Central”

  3. “a Bolsa de Valores deve chegar aos 29.000 pontos em 2005”

  4. “o Brasil é criticado em Davos, pois não evoluiu socialmente como o esperado”;

  5. “foi substituído o presidente da Volkswagem/outra empresa qualquer: motivo queda de 15% nas vendas no mercado interno”



As aptidões para administrar:

  1. tomar decisões eficazes;

  2. comunicar-se com e sem a organização;

  3. aplicar adequadamente os controles e as mensurações;

  4. ser capaz de trabalhar com orçamentos e com planejamentos;

  5. ser capaz de empregar instrumentos analíticos as ciências da administração.

É pouco provável que alguém possua ao mesmo tempo todas essas aptidões. Todo administrador, contudo, precisa compreender em que consiste cada uma delas, o que podem fazer a seu favor e o que, pôr sua vez, dele exigem.

Portanto:

  1. administrar é lidar com pessoas;

  2. administrar é tomar decisões;

  3. administrar é liderar um grupo;

  4. administrar é alcançar resultados;

  5. administrar é estabelecer objetivos;

  6. administrar é comandar;

  7. administrar é mandar;

  8. administrar é dirigir;

  9. administrar é coordenar esforços;

  10. administrar é ser agente de mudanças;

  11. administrar é inovar;

  12. administrar é influenciar pessoas;

  13. administrar é exercer poder;

  14. administrar é obter resultados com e através de pessoas.

CAPÍTULO I - SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO

1 ADMINISTRAÇÃO: CONCEITO E IMPORTÂNCIA




1.1 Definição do Conceito
Objetivos, decisões e recursos são as palavras-chaves na definição do conceito de administração. Administração é o processo de tomar e colocar em práticas decisões sobre objetivos e utilização de recursos (Figura 1). Para esclarecer e ampliar a definição:


      1. Processo

A administração é processo ou atividade dinâmica, que consiste em tomar decisões sobre objetivos e recursos. O processo de administrar (ou processo administrativo) é inerente a qualquer situação em que haja pessoas utilizando recursos para atingir algum tipo de objetivo. A finalidade última do processo de administrar é garantir a realização de objetivos por meio da aplicação de recursos.

Figura 1: Administração como processo de tomar decisões sobre objetivos




  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   17


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal