1 Administração: conceito e importância 14



Baixar 0.94 Mb.
Página13/17
Encontro18.07.2016
Tamanho0.94 Mb.
1   ...   9   10   11   12   13   14   15   16   17

PEÇAS PADRONIZADAS


TRABALHADOR ESPECIALIZADO

  • Máquinas especializadas

  • Sistema universal de fabricação e calibragem

  • Controle da qualidade

  • Simplificação das peças

  • Simplificação do processo produtivo




  • Uma única tarefa ou pequeno número de tarefas

  • Posição fixa dentro de uma seqüência de tarefas

  • O trabalhador vem até o trabalhador

  • As peças e máquinas ficam no posto de trabalho


Fonte: (MAXIMIANO, 2000, p. 176)



8.1.1 Peças e Componentes Padronizados e Intercambiáveis
Cada peça ou componente pode ser montado em qualquer sistema ou produto final. Para alcançar a padronização, Ford passou a utilizar o mesmo sistema de calibragem para todas as peças, em todo o processo de manufatura. Além de padronização, Ford procurou simplicidade, reduzindo o número de peças de seus produtos. Por exemplo, o bloco de seu motor de quatro cilindros era uma única peça fundida, ao passo que seus concorrentes fundiam os quatro cilindros separadamente, para depois juntá-los.
8.1.2 Especialização do Trabalhador
O produto é dividido em partes e o processo de fabrica-lo é dividido em etapas. Cada pessoa e grupo de pessoas, num sistema de produção em massa, têm uma tarefa fixa dentro de um processo predefinido. A divisão do trabalho implica a especialização do trabalhador. Na produção artesanal, o trabalhador faz um produto do começo ao fim - desde o projeto até o controle de qualidade final - ou uma parte significativa de um produto final.
8.2 A Linha de Montagem de Henry Ford
No começo, a Ford trabalhava artesanalmente. Em 1908, o tempo médio de ciclo (o tempo total trabalhado antes de serem repetidas as mesmas operações) de um montador da Ford chegava há 514 minutos. Nesse sistema, cada trabalhador ficava sempre na mesma área de montagem e fazia uma parte importante de um carro (por exemplo, colocar rodas, molas, motor) antes de passar para o carro seguinte, que vinha até ele. Porém, era responsabilidade do trabalhador apanhar as peças no estoque e traze-las até seu posto. Para cumprir esta responsabilidade, o trabalhador tinha que ir atrás do trabalho.
8.3 A Linha de Montagem Móvel
Em 1910, Henry Ford estabeleceu a primeira planta dedicada exclusivamente à montagem final de peças fabricadas em plantas distintas, que eram partes de um processo produtivo comum.

A linha de montagem móvel, na qual o produto em processo desloca-se ao longo de um percurso enquanto os operadores ficam parados, desenvolveu-se rapidamente em seguida. Em 1912, o conceito de linha de montagem, sem mecanização, foi aplicado à fabricação de motores, radiadores e componentes elétricos. Finalmente, no começo de 1914, a Ford adotou a linha de montagem móvel e ,mecanizada para a montagem do chassi, que passou a consumir 1 hora e 33 minutos de trabalho, em contraste com as 12 horas e 28 minutos necessárias no ano anterior, quando a montagem ainda era artesanal. Urna fotografia da linha de montagem móvel de Ford encontra-se na Figura 33.

Figura 33: A linha de montagem de Ford





Fonte: (HENRY FORD MUSEUM; GREENFIELD VILLAGE apud MAXIMIANO, 2000, p. 177)



8.4 Inovações de Ford
Ford foi grande inovador em muitos outros aspectos. Também em janeiro de 1914, adotou o dia de trabalho de oito horas e duplicou o valor do salário, para cinco dólares por dia, medida que não foi vista com simpatia por seus concorrentes. Entretanto, ele achava que seus operários deveriam poder comprar o produto que fabricavam, o que sem dúvida. é opinião avançada até mesmo hoje em dia.
8.5 Expansão do Modelo Ford
Junto com o trabalhador especializado, que se tornou o principal elemento da linha de montagem móvel, surgiram novas ocupações. O engenheiro industrial assumiu o planejamento e controle da montagem; o engenheiro de produção ficou com o planejamento do processo de fabricação. Faxineiros limpavam periodicamente as áreas de trabalho enquanto técnicos circulavam para calibrar e reparar as ferramentas.

Outros especialistas controlavam a qualidade. Os supervisores deveriam procurar e encontrar problemas na fábrica, para que a administração superior pudesse corrigi-los. No final da linha, havia os reparadores, que tinham muitas das habilidades dos artesãos originais e consertavam o que quer que esteja errado. Neste sistema, o trabalhador especializado, mas sem grandes qualificações, não tinha perspectivas de ascensão profissional, que era privilégio dos engenheiros.



9 ALFRED SLOAN E A GENERAL MOTORS


Extremamente bem-sucedido na montagem da linha de produção e das estratégias de suprimentos, Ford não se preocupou com a estrutura organizacional necessária para administrar a totalidade das fábricas, atividades de engenharia e sistemas de marketing. Estas questões também não faziam parte da agenda da administração científica.

Entre Taylor e seus colegas, não houve quem fizesse proposições para organizar a empresa como todo. A solução deste problema permitiu finalizar o modelo da grande corporação, que domina o cenário dos negócios em todo o século XX. Foi esta a grande contribuição de um. homem chamado Alfred Sloan e de uma empresa chamada General Motors.

Alfred Sloan nasceu em 1875 e obteve seu título em engenharia do MIT em 1895. Em 1909, assumiu o controle de uma empresa fabricante de autopeças da qual seu pai era acionista.

Em 1916, essa empresa foi comprada pela United Motors, de William C. Durant, que também havia fundado e presidia a General Motors. A United Motors compreendia várias empresas que forneciam diversos tipos de componentes para o General Motors.

A GM havia sido criada no princípio do século XX, por meio da compra de uma empresa após outra. Isso resultou numa constelação de negócios independentes, com razoável sobreposição de produtos.

Figura 34: O modelo americano de administração de empresas industriais

SISTEMA FORD DE PRODUÇÃO



ORGANIZAÇÃO DA GENERAL MOTORS

Fonte: (MAXIMIANO, 2000, p. 181)



1   ...   9   10   11   12   13   14   15   16   17


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal