1 Administração: conceito e importância 14



Baixar 0.94 Mb.
Página9/17
Encontro18.07.2016
Tamanho0.94 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   17

5 ROSEMARY STEWART E AS ESCOLHAS GERENCIAIS


Outra contribuição acadêmica importante para a compreensão do papel dos gerentes foi feita pela professora inglesa Rosemary Stewart, de Oxford. A professora Stewart desenvolveu um esquema para ajudar a compreender a natureza genérica dos cargos gerenciais e as diferenças entre eles, e que pode ser usado para analisar um cargo em particular e a forma como um indivíduo o desempenha. O esquema pode ser útil para gerentes preocupados com sua própria eficácia, e para aqueles que devem selecionar; avaliar e treinar outros.

Um dos pontos principais do esquema desenvolvido pela professora Stewart é a noção de que os cargos diferem entre si tanto pela sua natureza intrínseca quanto pelo fato de que ao desempenha-las, os ocupantes escolhem o que fazer e a maneira de fazer. No esquema de Rosemary Stewart, os cargos gerenciais têm três dimensões: escolhas, exigências e restrições.

Ao contrário do modelo de Mintzberg e de outros autores, Rosemary Stewart não procura interpretar o conteúdo dos cargos gerenciais. Ela não diz qual é o trabalho dos gerentes, mas como se pode estudá-lo.


5.1 Exigências
Exigências são as tarefas que o ocupante de qualquer cargo gerencial deve necessariamente desempenhar, porque fazem parte intrínseca de sua natureza ou constam de sua descrição. As exigências, ou demandas, compreendem o que é obrigatório fazer, como atingir certos padrões de desempenho, manter certos contatos, participar de certos tipos de reuniões ou cumprir determinadas obrigações burocráticas ou legais.
5.2 Restrições
As restrições são os fatores internos ou externos à organização, que limitam o que o ocupante do cargo pode fazer. As restrições impostas ao desempenho de um cargo podem se originar da legislação, da limitação de recursos, das instalações, do ritmo de trabalho de outras unidades da organização e de muitas outras fontes.
5.3 Escolhas
Escolhas são as atividades que o ocupante do cargo pode realizar, mas não é obrigado a realizar. São estas as oportunidades para fazer tarefas diferentes de outros e de maneira diferente de outros.

As escolhas gerenciais relacionam-se tanto ao tipo de trabalho em si quanto à forma de desempenha-la. São exemplos de escolhas as tarefas que o gerente decide ignorar ou delegar a subordinados, as habilidades que ele prefere aprimorar e a ênfase de sua atenção para certos aspectos de seu trabalho e da unidade que ele administra. Escolhas, em resumo, são as decisões que o gerente toma.

Essas dimensões dos cargos gerenciais, de acordo com a professora Stewart, podem ser representadas como círculos concêntricos. A área de cada um em relação aos outros dois permite visualizar a distribuição das exigências, restrições e escolhas (Figura 14).

Figura 14: Três dimensões do papel dos gerentes, segundo Rosemary Stewart








RESTRIÇÕES






DECISÕES

Fonte: (MAXIMIANO, 2000, p. 68)



6 FRED LUTHANS E O DESEMPENHO DOS GERENTES


Outro estudo, conduzido por Fred Luthans, concluiu que as atividades dos gerentes podem ser classificadas em quatro categorias:



  1. Funções gerenciais: tomar decisões, planejar e controlar.

  2. Comunicação: trocar e processar informações; processar documentação.

  3. Administração de recursos humanos: motivar, resolver conflitos, colocar pessoal, treinar.

  4. Relacionamento (networking): manter relações sociais, fazer política, interagir com pessoas de fora da organização.

Luthans também fez uma distinção entre gerentes de sucesso (que realizam objetivos pessoais importantes, como avançar na carreira) e gerentes eficazes (que realizam objetivos importantes para a organização e são bem avaliados por sua equipe).

Em suas conclusões, apontou que os gerentes eficazes nem sempre são aqueles que fazem as carreiras mais rápidas. Os gerentes de sucesso despendem mais tempo com networking (48%) e comunicação (28%), ao passo que os gerentes eficazes despendem mais tempo com as atividades de comunicação (44%) e administração de recursos humanos (26%).

O Quadro 7 sintetiza os números da pesquisa de Luthans.
Quadro 7: Prioridades diferentes determinam sucesso e eficácia


PRIORIDADES

SUCESSO

EFICÁCIA

1

2

3

4

Networking

Comunicação

Administração

Recursos humanos



Comunicação

Recursos humanos

Administração

Networking


Fonte: (MAXIMIANO, 2000, p. 69)

7 PRINCÍPIOS DE ANDREW GROVE


O húngaro naturalizado americano Andrew Grove, Homem do Ano de 1997 da revista Time, é um dos fundadores e foi presidente da Intel. Formado em engenharia química, tem o título de PhD pela Universidade da Califórnia. Como cientista, Grove teve participação importante na história dos microprocessadores e da indústria da computação. Como executivo, Grove tem concepções originais sobre a administração: Em primeiro lugar, ele acredita que todos são administradores. Em suas palavras, devem ser incluídos entre os administradores...

[...] as pessoas que, embora não supervisionem alguém diretamente, nem mesmo ocupem algum cargo relevante, afetam e influenciam o trabalho dos outros. São gerentes de tecnologia, que representam fontes de conhecimento, habilidade e experiência para muita gente dentro da empresa. São como peritos ou especialistas, que agem como. consultores para outros membros da empresa: são na verdade nós de uma rede mal definida de informação. Professores, pesquisadores de mercado, especialistas em computador e engenheiros de tráfego modelam o trabalho de outras pessoas por meio de seu know-how, tanto ou mais que o administrador tradicional com autoridade funcional. Assim, um gerente de tecnologia pode legitimamente ser chamado de administrador médio. De fato, à medida que nosso mundo torna-se cada vez mais orientado para a informação e a prestação de serviços, os gerentes de tecnologia vão adquirindo maior importância como membros da administração média. (GROVE apud MAXIMIANO, 2000, p. 70)

Para Grove, há três idéias básicas que orientam a administração de alta performance: produção, trabalho de equipe e empenho individual.


7.1 Produção
Todos produzem de alguma forma. Há funcionários que fabricam chips, enquanto outros emitem faturas ou criam softwares ou anúncios publicitários. Esta perspectiva básica proporciona uma maneira sistemática de administrar, da mesma forma como a linguagem e os conceitos financeiros criam uma abordagem comum para avaliar e administrar investimentos.

Produção, para Grove, é a palavra que define os resultados do administrador. O encarregado da fabricação de bolachas de silício, das quais se cortam os chips, produz bolachas bem acabadas e processadas, e de alta qualidade. O supervisor de um grupo de projetos produz projetos completos, que funcionam e estão prontos para entrar em produção. Administra-se uma faculdade, ele produz alunos bem treinados e educados, que já completaram o secundário ou estão aptos a passar de ano. Se o administrador é cirurgião, seu produto será um paciente totalmente curado e recuperado.

Figura 15: Grove resume essa idéia na seguinte posição

Produção das organizações localizadas em sua área de influência

Produção do Administrador



=

Produção de sua organização

+

Fonte: (GROVE apud MAXIMIANO, 2000, p. 71)



7.2 Desempenho Individual
Segundo Grave, uma equipe só trabalha bem quando cada um de seus integrantes empenha-se ao máximo. O empenho, ou desempenho, de uma pessoa na realização do trabalho depende da capacidade e motivação dela.

Como a tarefa mais importante do administrador é obter o máximo desempenho da equipe, há duas formas de lidar com a alta produtividade: treinamento e motivação. Ambos são responsabilidades primárias do administrador. Ao tratar de motivação, Grove recorre a Maslow, para estabelecer a ligação entre a teoria da hierarquia das necessidades e as motivações dos funcionários.

Na Figura 16 encontra-se um resumo das principais idéias de Andrew Grove a respeito do papel dos administradores.

Figura 16: Princípios de Andrew Grove



PRINÍPIOS DE ADMINISTRAÇÃO DE ALTA PERFORMANCE


TRABALHO DE EQUIPE



PRODUÇÃO



DESEMPENHO INDIVIDUAL

  • Produção sempre é trabalho de equipe

  • Produção do gerente é feita dos resultados de sua equipe

  • Atividade do gerente deve ser dividida com a equipe eficientemente

  • Desempenho depende de motivação e competência

  • Treinar e motivar equipe são responsabilidades fundamentos do gerente

Fonte: (GROVE apud MAXIMIANO, 2000, p. 73)
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   17


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal