1. Conceitos Gerais 3 Princípios da Administração 3



Baixar 16.23 Kb.
Encontro07.08.2016
Tamanho16.23 Kb.




GRUPO 6.1

MÓDULO 10


Índice


1. Conceitos Gerais 3

1.1.Princípios da Administração 3





1. Conceitos Gerais

Esperamos que vocês tenham percebido que o ato administrativo requer uma série de tomadas de decisão, pois temos que decidir desde cedo quando acordamos, se permanecemos na cama ou se levantamos, se vamos buscar um trabalho para nos mantermos ou se ficamos à mercê da ajuda alheia.

Não se esqueçam que o simples fato de vocês estarem nesse curso representa uma decisão importante que tomaram em suas vidas, pois poderiam ter decidido por não fazer nada ou, talvez, frequentar outro curso.

Mas para vocês se decidirem, tiveram que planejar, organizar e colocar seus planos em ação. Mas não acabou, pois no decorrer do curso foram forçados direta ou indiretamente a manterem o controle a partir da verificação constante dos resultados obtidos por vocês mesmos.

Para ilustrar esse ponto de vista, propomos o esquema que traz as principais decisões inerentes ao processo administrativo.

Figura: 2 – Principais decisões do processo de administrar.

Fonte: Maximiano (2006, p.27).

    1. Princípios da Administração

Dada a importância que a administração tem na sociedade, observamos que inúmeros pesquisadores dedicaram boa parte de seu tempo a estudar o fenômeno administrativo. Poderíamos fazer um inventário de contribuições para ratificar essa informação, mas isso seria exaustivo e não temos tanta certeza se esse procedimento contribuiria para a formação do gestor educacional. Portanto, nesse momento, vamos nos valer das contribuições de Peter Drucker.



Peter Ferdinand Drucker (1909-2005) é natural de Viena, Áustria. Foi filósofo e economista, sendo considerado por todos, ou pelo menos por quase todos, como o pai da gestão moderna. É o mais reconhecido dentre os pensadores do fenômeno dos efeitos da Globalização na economia em geral e em particular nas organizações. Suas teorias, métodos e conselhos são aplicados e estudados tanto por altos executivos como por aspirantes a gerentes e a gestores educacionais.

Os questionamentos de vocês são importantes, pois segundo Drucker (2001), os administradores que entenderem os princípios essenciais da administração e trabalharem por eles orientados, serão bem-formados e bem-sucedidos e certamente é isso o que buscamos.



Apresentamos, a seguir, os princípios de gestão propostos por Drucker (2001):

  • A administração trata dos seres humanos. Sua tarefa é capacitar as pessoas a funcionar em conjunto, efetivar suas forças e tornar irrelevantes suas fraquezas. É disso que trata uma organização, e esta é a razão pela qual a administração é um fator crítico e determinante. Hoje em dia, praticamente todos nós somos empregados por instituições administradas, grandes ou pequenas, empresariais ou não. Dependemos da administração para nossa sobrevivência. E a nossa capacidade de contribuição à sociedade também depende tanto da administração das organizações em que trabalhamos quanto de nossos próprios talentos, dedicação e esforço.

  • A administração está profundamente inserida na cultura, porque ela trata da integração das pessoas em um empreendimento comum. O que os administradores fazem na Alemanha Ocidental, no Reino Unido, nos Estados Unidos da América, no Japão, ou no Brasil é exatamente o mesmo. Como eles fazem é que pode ser bem diferente. Assim, um dos desafios básicos que os administradores enfrentam em países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil, é descobrir e identificar as parcelas de suas próprias tradições, história e cultura que possam ser usadas como elementos construtivos da administração. Portanto, a diferença entre o sucesso econômico do Japão e o relativo atraso da Índia é explicado, em grande parte, porque os administradores japoneses conseguiram transplantar conceitos administrativos importantes para seu próprio solo cultural e fazê-los crescer.

  • Toda empresa requer compromisso com metas comuns e valores compartilhados. Sem esse compromisso não há empresa, há somente uma turba. A empresa tem de ter objetivos simples, claros e unificantes. A missão da empresa tem de ser suficientemente clara e grande para promover uma visão comum. As metas que a incorporam devem ser claras, públicas e constantemente reafirmadas. A primeira tarefa da administração é pensar, estabelecer e exemplificar esses objetivos, valores e metas.

  • A administração deve também capacitar a empresa e cada um de seus componentes a crescer e a se desenvolver na medida em que mudem as necessidades e as oportunidades. Toda empresa é uma instituição de aprendizado e de ensino. Treinamento e desenvolvimento precisam ser instituídos em todos os níveis da sua estrutura, portanto, o treinamento e o desenvolvimento devem ser incessantes.

  • Toda empresa é composta de pessoas com diferentes capacidades e conhecimentos, que desempenham tipos bastante diferentes de trabalho. Deve estar ancorada na comunicação e na responsabilidade individual. Todos os componentes devem pensar sobre o que pretendem alcançar – e garantir que seus associados conheçam e entendam essa meta. Todos têm de considerar o que devem aos outros – e garantir que esses outros entendam. E todos têm que pensar naquilo que eles, por sua vez, precisam dos outros – e garantir que os outros saibam o que se espera deles.

  • Nem o nível de produção nem a “linha de resultados” são, por si sós, uma medição adequada do desempenho da administração e da empresa. Posição no mercado, inovação, produtividade, desenvolvimento do pessoal, qualidade, resultados financeiros, todos são cruciais ao desempenho de uma organização e à sua sobrevivência. Também as instituições não-lucrativas precisam de medições em algumas áreas específicas às suas missões. Tanto quanto um ser humano, uma organização também necessita de diversas medições para avaliar sua saúde e seu desempenho. O desempenho tem de estar entranhado na empresa e na sua administração; precisa ser medido – ou ao menos julgado – além de ser continuamente melhorado.

  • Finalmente, a coisa mais importante a se lembrar sobre qualquer empresa é que os resultados existem apenas no exterior. O resultado de uma empresa é um cliente satisfeito. O resultado de um hospital é um paciente curado. O resultado de uma escola é um aluno que aprendeu alguma coisa e a coloca em funcionamento dez anos mais tarde. Dentro de uma empresa só há custos.

A administração, segundo Drucker (2001), é considerada como uma arte liberal. É arte porque é prática e aplicação e é liberal porque trata dos fundamentos do conhecimento, autoconhecimento, sabedoria e liderança. Ademais, não podemos esquecer quais origens do conhecimento e das percepções estão nas ciências humanas e sociais, nas ciências físicas e na ética, que devem estar focadas sobre a eficiência e os resultados das organizações.



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal