1º encontro a misericórdia de deus comentário inicial comentarista



Baixar 73.89 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho73.89 Kb.
APRESENTAÇÃO

Estamos vivendo o tempo pascal, o tempo em que vemos concretamente os frutos da misericórdia de Deus para com os seus filhos e filhas. Por isso, este é o tempo favorável para aprofundarmos a nossa reflexão sobre a misericórdia de Deus e encontrarmos mais profundas motivações para viver este Ano Santo da Misericórdia convocado pelo Papa Francisco.

Procuremos valorizar este momento de graça que nos foi dado a fim de descobrirmos ainda muita coisa sobre o amor de Deus e sobre a nossa necessidade de amar cada vez mais.

Bom encontro a todos.



1º ENCONTRO

A MISERICÓRDIA DE DEUS

COMENTÁRIO INICIAL

COMENTARISTA – O nosso Deus nos ama com amor eterno e por isso sempre manifesta a sua misericórdia para conosco. Vamos conhecer um pouco mais desta verdade no nosso encontro de hoje.

CANTO INICIAL

1 – Banhados em Cristo somos novas criaturas./ As coisas antigas já se passaram, somos nascidos de novo.



Ref. – Aleluia, aleluia, aleluia!

ORAÇÃO INICIAL

ANIMADOR (A) – Em nome do Pai...

TODOS – Amém.

ANIMADOR – O Deus compassivo e misericordioso esteja no coração e na vida de cada um de nós.

TODOS – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

CONVERSANDO SOBRE O ASSUNTO

ANIMADOR (A) – O Papa Francisco, na bula Misericordiae Vultus nº 6, nos diz o seguinte:

LEITOR (A) – Paciente e misericordioso é o binômio que aparece, frequentemente, no Antigo Testamento para descrever a natureza de Deus. O fato de Ele ser misericordioso encontra um reflexo concreto em muitas ações da história da salvação, onde a sua bondade prevalece sobre o castigo e a destruição. Os Salmos, em particular, fazem sobressair esta grandeza do agir divino: É Ele quem perdoa as tuas culpas e cura todas as tuas enfermidades. É Ele quem resgata a tua vida do túmulo e te enche de graça e ternura ”  (103/102, 3-4). E outro Salmo atesta, de forma ainda mais explícita, os sinais concretos da misericórdia: O Senhor liberta os prisioneiros. O Senhor dá vista aos cegos, o Senhor levanta os abatidos, o Senhor ama o homem justo. O Senhor protege os que vivem em terra estranha e ampara o órfão e a viúva, mas entrava o caminho aos pecadores (146/145, 7-9). E, para terminar, aqui estão outras expressões do Salmista: O Senhor cura os de coração atribulado e trata-lhes as feridas. (...) O Senhor ampara os humildes, mas abate os malfeitores até ao chão (147/146, 3.6). Em suma, a misericórdia de Deus não é uma ideia abstrata mas uma realidade concreta, pela qual Ele revela o seu amor como o de um pai e de uma mãe que se comovem pelo próprio filho até ao mais íntimo das suas vísceras. É verdadeiramente caso para dizer que se trata de um amor  visceral. Provém do íntimo como um sentimento profundo, natural, feito de ternura e compaixão, de indulgência e perdão.

ANIMADOR (A) – O que podemos dizer sobre este assunto?

Colocações espontâneas

PALAVRA DE DEUS

COMENTARISTA – Deus visita o seu povo para manifestar a todas as pessoas a sua misericórdia. Cantemos aclamando a Palavra de Deus.

CANTO DE ACLAMAÇÃO

Ref. – A nós descei, Divina luz... A nós descei, Divina luz./ Em nossas almas acendei... o amor, o amor de Jesus. (Bis)

1 – Vós sois a alma da Igreja./ Vós sois a vida, sois o Amor./ Vós sois a graça benfazeja / Que nos irmana no Senhor,/ que nos irmana no Senhor.

3 – Divino Espírito descei./ Os corações vinde inflamar./ E as nossas almas preparar./ Para o que Deus nos quer falar./Para o que Deus nos quer falar.

LEITURA BÍBLICA (Lc 1, 67-79)


REFLEXÃO

ANIMADOR (A) – Vamos refletir sobre a Palavra que acabamos de ouvir respondendo às seguintes perguntas:

1 – Por que Deus liberta o seu povo?

2 – Quem é o Salvador que Deus suscitou?

3 – Por que os nossos passos são dirigidos no caminho da paz?



Respostas espontâneas

PRECES COMUNITÁRIAS

ANIMADOR (A) – Considerando as nossas reflexões e iluminados pela Palavra que acabamos de ouvir, vamos apresentar nossas orações comunitárias.

Preces espontâneas

ANIMADOR (A) – Agora, rezemos todos juntos a oração que Jesus rezou e nos ensinou a rezar.

TODOS – PAI NOSSO...

CANTO

Ref. – Procuro abrigo nos corações de porta em porta desejo entrar./ Se alguém me acolhe com gratidão, faremos juntos a refeição. (bis)

1 – Eu nasci pra caminhar assim, dia e noite; vou até o fim. O meu rosto o forte sol queimou, meu cabelo o orvalho já molhou: eu cumpro a ordem do meu coração.

2 – Vou batendo até alguém abrir. Não descanso. O amor me faz seguir, é feliz quem ouve a minha voz, e abre a porta, entro bem veloz: eu cumpro a ordem do meu coração.

3 – Junto à mesa vou sentar depois e faremos refeição, nós dois. Sentirá seu coração arder e esta chama tenho de acender; eu cumpro a ordem do meu coração.

4 – Aqui dentro, o amor nos entretém; e, lá fora, o dia eterno vem. Finalmente nós seremos um, e teremos tudo em comum! Eu cumpro a ordem do meu coração.

Colocações espontâneas

GESTO CONCRETO

ANIMADOR (A) – Neste mês, vamos pensar numa atividade para a divulgação do Ano da Misericórdia. Vamos planejar a nossa atividade.

Inicialmente, precisamos escolher um secretário ou uma secretária que anote as conclusões de cada reunião.

Escreva o nome da pessoa escolhida: ­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­______________________________________

Agora vamos levantar ideias para pensar nossa atividade. Vamos apresentar quatro sugestões, que serão discutidas na próxima reunião.

Sugestão 1: __________________________________________________________

Sugestão 2: ­­­­­­­­­­­­­­­­­__________________________________________________________

Sugestão 3: __________________________________________________________

Sugestão 4: __________________________________________________________



ORAÇÃO FINAL

ANIMADOR (A) – Senhor nosso Deus, sabemos que sempre vens ao nosso encontro com a vossa misericórdia. Fazei com que cada vez mais manifestemos ao mundo a vossa presença misericordiosa. Por Cristo, nosso Senhor.

TODOS – Amém.

ANIMADOR (A) – O Senhor nos abençoe e nos guarde. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

TODOS – Amém.

CANTO FINAL

1 – Cantar a beleza da vida, presente do amor sem igual:/ Missão do teu povo escolhido! Senhor, vem livrar-nos do mal!

Ref. – Vem dar-nos teu Filho, Senhor, sustento no pão e no vinho, E a força do Espírito Santo, unindo teu povo a caminho!

2 – Falar do teu Filho às nações, vivendo como Ele viveu: Missão do teu povo escolhido, Senhor vem cuidar do que é teu!

3 – Viver o perdão sem medida, servir sem jamais condenar: Missão do teu povo escolhido, Senhor vem conosco ficar!

4 – Erguer os que estão humilhados doar-se aos pequenos, aos pobres: missão do teu povo escolhido, Senhor, nossas forças redobre!

Buscar a verdade, a justiça, nas trevas brilhar como a luz: Missão do teu povo escolhido, Senhor nosso passos conduz!

Andar os caminhos do mundo, plantando teu Reino de paz: Missão do teu povo escolhido. Senhor nossos passos refaz!

Fazer deste mundo um só povo, fraterno a serviço da vida: Missão do teu povo escolhido, Senhor, vem nutrir nossa lida.

2º ENCONTRO

JESUS E A MISERICÓRDIA DE DEUS

COMENTÁRIO INICIAL

COMENTARISTA – Deus quer a misericórdia e não o sacrifício. Jesus veio ao mundo para ser o rosto misericordioso do Pai e possibilitar que nos sintamos amados por Ele. Iniciemos o nosso encontro de hoje

CANTO INICIAL

Ref. – Coração Santo, Tu reinarás;/ Tu nosso encanto, sempre serás! (Bis)

1 – Jesus amável, Jesus piedoso,/ Deus amoroso, frágua de amor!/ Aos Teus pés venho, se Tu me deixas,/ Humildes queixas, sentido expor!



ORAÇÃO INICIAL

ANIMADOR (A) – Em nome do Pai...

TODOS – Amém.

ANIMADOR – O Deus que enviou o seu Filho ao mundo para manifestar a todos nós o seu amor esteja no coração e na vida de cada um de nós.

TODOS – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

CONVERSANDO SOBRE O ASSUNTO

ANIMADOR (A) – O Papa Francisco, na bula Misericordiae Vultus nº 8, nos diz o seguinte:

LEITOR (A) – Com o olhar fixo em Jesus e no seu rosto misericordioso, podemos individuar o amor da Santíssima Trindade. A missão, que Jesus recebeu do Pai, foi a de revelar o mistério do amor divino na sua plenitude.  Deus é amor (1 Jo 4, 8.16): afirma-o, pela primeira e única vez em toda a Escritura, o evangelista João. Agora este amor tornou-se visível e palpável em toda a vida de Jesus. A sua pessoa não é senão amor, um amor que se dá gratuitamente. O seu relacionamento com as pessoas, que se abeiram d’Ele, manifesta algo de único e irrepetível. Os sinais que realiza, sobretudo para com os pecadores, as pessoas pobres, marginalizadas, doentes e atribuladas, decorrem sob o signo da misericórdia. Tudo n’Ele fala de misericórdia. N’Ele, nada há que seja desprovido de compaixão.

ANIMADOR (A) – O que podemos dizer sobre este assunto?

Colocações espontâneas

PALAVRA DE DEUS

COMENTARISTA – Jesus quer que os pecadores façam a experiência do seu amor a fim de que se sintam amados por Ele. Cantemos aclamando a Palavra de Deus.

CANTO DE ACLAMAÇÃO

Ref. – Aleluia, Aleluia. Como o Pai me amou assim também eu vos amei. Aleluia, Aleluia./ como eu estou no Pai, permanecei em mim

1 – Vós todos que sofreis aflitos, vinde a mim! Repouso encontrarão os vossos corações./ Dou graças a meu Pai que revelou ao pobre, ao pequenino no seu grande amor!



LEITURA BÍBLICA (Mt 9, 9-13)

REFLEXÃO

ANIMADOR (A) – Vamos refletir sobre a Palavra que acabamos de ouvir respondendo às seguintes perguntas:

1 – Por que Jesus convive com os pecadores?

2 – Por que as pessoas que convivem com os pecadores são discriminadas?

3 – Como mostrarmos ao mundo este rosto misericordioso de Jesus?



Respostas espontâneas

PRECES COMUNITÁRIAS

ANIMADOR (A) – Considerando as nossas reflexões e iluminados pela Palavra que acabamos de ouvir, vamos apresentar nossas orações comunitárias.

Preces espontâneas

ANIMADOR (A) – Agora, rezemos todos juntos a oração que Jesus rezou e nos ensinou a rezar.

TODOS – PAI NOSSO...

CANTO

1 – Conheço um coração tão manso, humilde e sereno./ Que louva ao Pai por revelar Seu Nome aos pequenos. Que tem o Dom de amar, que sabe perdoar,e deu a vida para nos salvar!



Ref. – Jesus, manda Teu Espírito, para transformar meu coração (2x)

2 – Ás vezes no meu peito bate um coração de pedra./ Magoado, frio, sem vida, aqui dentro ele me aperta./ Não quer saber de amar, nem sabe perdoar, quer tudo e não sabe partilhar.

3 – Lava, purifica e restaura-me de novo./ Serás o nosso Deus e nós seremos o Seu povo./ Derrama sobre nós, a água do amor, o Espírito de Deus nosso Senhor!

GESTO CONCRETO

ANIMADOR – Na reunião passada, levantamos quatro sugestões de atividades para divulgar o Ano da Misericórdia. Vamos recordar quais foram as quatro sugestões.

O secretário ou secretária faz a leitura das quatro atividades levantadas na reunião anterior

ANIMADOR (A) – Agora vamos escolher qual atividade iremos realizar.

O grupo discute e define qual atividade será realizada

ANIMADOR (A) – Devemos também marcar o dia, a hora e o local da nossa atividade.

Atividade: ___________________________________________________________

Dia: ___________ Hora: _____________ Local: _____________________________

O secretário ou secretária anota tudo para apresentar na próxima reunião

ORAÇÃO FINAL

ANIMADOR (A) – Senhor Jesus Cristo, rosto misericordioso do Pai, dai-nos a graça de revelarmos a cada dia a vossa face para o mundo. Vós que viveis e reinais com o Pai na unidade do Espírito Santo.

TODOS – Amém.

ANIMADOR (A) – O Senhor nos abençoe e nos guarde. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

TODOS – Amém.

CANTO FINAL

1 – Um dia uma criança me parou./ Olhou-me nos meus olhos a sorrir./ Caneta e papel na sua mão,/ Tarefa escolar para cumprir. E perguntou no meio de um sorriso: O que é preciso para ser feliz?



Ref. – Amar como Jesus amou./ Sonhar como Jesus sonhou./ Pensar como Jesus pensou./ Viver como Jesus viveu./ Sentir o que Jesus sentia./ Sorrir como Jesus sorria./ E ao chegar ao fim do dia eu sei que dormiria muito mais feliz. (Bis)

2 – Ouvindo o que eu falei ela me olhou/ e disse que era lindo o que eu falei./ Pediu que eu repetisse, por favor,/ mas não Dissesse tudo de uma vez./ E perguntou de novo num sorriso: O que é preciso para ser feliz?

3 – Depois que eu terminei de repetir,/ seus olhos não saíram do papel./ Toquei no seu rostinho a sorrir,./ Pedi que ao transmitir fosse fiel./ E ela deu-me um beijo demorado e ao meu lado foi dizendo assim:


3º ENCONTRO

IGREJA E MISERICÓRDIA

COMENTÁRIO INICIAL

COMENTARISTA – A Igreja é enviada por Jesus Cristo para ser a continuadora da sua missão misericordiosa. Por isso, a misericórdia faz parte da missão de todos nós. Este é o nosso assunto de hoje.

CANTO INICIAL

1 – Daqui do meu lugar, eu olho teu altar,/ e fico a imaginar aquele pão, aquela refeição./ Partiste aquele pão e o deste aos teus irmãos,/ criaste a religião do pão do céu, o pão que vem do céu.



Ref. – Somos a Igreja do pão,/ do pão repartido e do abraço e da paz. (bis)

2 – Daqui do meu lugar, eu olho o teu altar,/ E fico a imaginar aquela paz, aquela comunhão./ Viveste aquela paz, e a deste aos teus irmãos;/ criaste a religião do pão da paz, da paz que vem do céu.



Ref. – Somos a Igreja da paz, da paz partilhada e do abraço e do pão. (bis)

ORAÇÃO INICIAL

ANIMADOR (A) – Em nome do Pai...

TODOS – Amém.

ANIMADOR – O Deus misericordioso que faz da Igreja missionaria da misericórdia esteja no coração e na vida de cada um de nós.

TODOS – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

CONVERSANDO SOBRE O ASSUNTO

ANIMADOR (A) – O Papa Francisco, na bula Misericordiae Vultus nº 12, nos diz o seguinte:

LEITOR (A) – A Igreja tem a missão de anunciar a misericórdia de Deus, coração pulsante do Evangelho, que por meio dela deve chegar ao coração e à mente de cada pessoa. A Esposa de Cristo assume o comportamento do Filho de Deus, que vai ao encontro de todos sem excluir ninguém. No nosso tempo, em que a Igreja está comprometida na nova evangelização, o tema da misericórdia exige ser reproposto com novo entusiasmo e uma ação pastoral renovada. É determinante para a Igreja e para a credibilidade do seu anúncio que viva e testemunhe, ela mesma, a misericórdia. A sua linguagem e os seus gestos, para penetrarem no coração das pessoas e desafiá-las a encontrar novamente a estrada para regressar ao Pai, devem irradiar misericórdia.

ANIMADOR (A) – O que podemos dizer sobre este assunto?

Colocações espontâneas

PALAVRA DE DEUS

COMENTARISTA – A misericórdia só é possível quando nos abrimos à graça de Deus e agimos a partir da sabedoria que nos é dada. Cantemos aclamando a Palavra de Deus.

CANTO DE ACLAMAÇÃO

Ref. – A vossa Palavra, Senhor é sinal de interesse por nós. (bis)

1 – Como um pai ao redor de sua mesa, revelando seus planos de amor.

2 – É feliz quem escuta a Palavra e a guarda no seu coração.

3 – Neste encontro da Eucaristia aprendemos a grande lição.



LEITURA BÍBLICA (Tg 3, 13-18)

REFLEXÃO

ANIMADOR (A) – Vamos refletir sobre a Palavra que acabamos de ouvir respondendo às seguintes perguntas:

1 – Por que o nosso coração deve ter motivações corretas?

2 – Como podemos viver a sabedoria hoje?

3 – Por que a missão misericordiosa da Igreja depende de nós?



Respostas espontâneas

PRECES COMUNITÁRIAS

ANIMADOR (A) – Considerando as nossas reflexões e iluminados pela Palavra que acabamos de ouvir, vamos apresentar nossas orações comunitárias.

Preces espontâneas

ANIMADOR (A) – Agora, rezemos todos juntos a oração que Jesus rezou e nos ensinou a rezar.

TODOS – PAI NOSSO...

CANTO

1 – Seu nome é Jesus Cristo e passa fome,/ e grita pela boca dos famintos./ E a gente quando vê passa adiante,/ às vezes pra chegar depressa a igreja./ Seu nome é Jesus Cristo e está sem casa,/ e dorme pelas beiras das calçadas./ E a gente quando vê aperta o passo / e diz que ele dormiu embriagado.



Ref. – Entre nós está e não O conhecemos./ Entre nós está e nós O desprezamos. (Bis)

2 – Seu nome é Jesus Cristo e é analfabeto / e vive mendigando um subemprego./ E a gente quando vê, diz: "é um à toa./ Melhor que trabalhasse e não pedisse"./ Seu nome é Jesus Cristo e está banido / das rodas sociais e das igrejas./ Porque d'Ele fizeram um Rei potente / enquanto Ele vive como um pobre.

3 – Seu nome é Jesus Cristo e está doente / e vive atrás das grades da cadeia./ E nós tão raramente vamos vê-lo,/ dizemos que ele é um marginal./ Seu nome é Jesus Cristo e anda sedento / por um mundo de Amor e de Justiça./ Mas logo que contesta pela Paz,/ a ordem o obriga a ser de guerra.

4 – Seu nome é Jesus Cristo e é difamado / e vive nos imundos meretrícios./ Mas muitos o expulsam da cidade / com medo de estender a mão a ele./ Seu nome é Jesus Cristo e é todo homem / e vive neste mundo ou quer viver./ Pois pra Ele não existem mais fronteiras,/ só quer fazer de todos nós irmãos.



GESTO CONCRETO

ANIMADOR - Na nossa última reunião, decidimos que ação iremos realizar e marcamos a data, o horário e o local do nosso evento. Agora, precisamos convidar outras pessoas para participar da nossa ação. Vamos fazer uma lista de convidados e distribuir esta lista entre nós para divulgar.

ORAÇÃO FINAL

ANIMADOR (A) – Deus de bondade, concedei à vossa Igreja a graça de sempre manifestar ao mundo o vosso amor e a vossa misericórdia. Por Cristo, nosso Senhor.

TODOS – Amém.

ANIMADOR (A) – O Senhor nos abençoe e nos guarde. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

TODOS – Amém.

CANTO FINAL

Ref. 1 – Foi Deus que me criou, me quis me consagrou / para anunciar o seu amor. (bis)

1 - Eu sou como chuva em terra seca. (Bis) pra saciar, Fazer brotar./ Eu vivo pra amar e pra servir! (bis)



Ref. 2 – É missão de todos nós Deus chama, eu quero ouvir a sua voz! (bis)

2 – Eu sou como a flor por sobre o muro (Bis).) Eu tenho mel, sabor do céu./ Eu vivo pra amar e pra servir. (Bis)

3 – Eu sou como estrela em noite escura. (Bis)./ Eu levo a luz sigo a Jesus./ Eu vivo pra amar e pra servir! (Bis)

4 – Eu sou, sou profeta da verdade. (Bis)/ Canto a justiça e a liberdade./ Eu vivo para amar e pra servir! (bis)



4º ENCONTRO

MISERICÓRDIA E CONVERSÃO

COMENTÁRIO INICIAL

COMENTARISTA – Precisamos aprender, com a inteligência, com o coração e com as mãos, a sermos misericordiosos, ou seja, conhecer, amar e servir a partir da misericórdia. Vamos refletir sobre isso na nossa reunião de hoje.

CANTO INICIAL

1 – Converte meu coração: eu quero recomeçar!/ Ensina-me a ser irmão dos pobres e oprimidos./ Confesso meu egoísmo: eu penso demais em mim,/ teu sim para mim é não, e se dizes que não eu insisto que sim.



Ref. – Converte o meu coração aos pobres a quem tanto amas./ A ser também pobre me chamas, converte meu coração.

2 – Converte o meu coração: eu quero reaprender!/ Ensina-me a ser irmão daqueles que não têm nada./ Confesso meu egoísmo: é muito mais fácil dar / do que se comprometer e de novo aprender e, de fato, mudar.



ORAÇÃO INICIAL

ANIMADOR (A) – Em nome do Pai...

TODOS – Amém.

ANIMADOR – O Deus que nos chama para amar e servir esteja no coração e na vida de cada um de nós.

TODOS – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

CONVERSANDO SOBRE O ASSUNTO

ANIMADOR (A) – O Papa Francisco, na bula Misericordiae Vultus nº 19, nos diz o seguinte:

LEITOR (A) – Este é o momento favorável para mudar de vida! Este é o tempo de se deixar tocar o coração. Diante do mal cometido, mesmo crimes graves, é o momento de ouvir o pranto das pessoas inocentes espoliadas dos bens, da dignidade, dos afetos, da própria vida. Permanecer no caminho do mal é fonte apenas de ilusão e tristeza. A verdadeira vida é outra coisa. Deus não se cansa de estender a mão. Está sempre disposto a ouvir, e eu também estou, tal como os meus irmãos bispos e sacerdotes. Basta acolher o convite à conversão e submeter-se à justiça, enquanto a Igreja oferece a misericórdia.

ANIMADOR (A) – O que podemos dizer sobre este assunto?

Colocações espontâneas

PALAVRA DE DEUS

COMENTARISTA – Precisamos aprender a viver concretamente segundo a misericórdia de Deus. Precisamos de conversão. Cantemos aclamando a Palavra de Deus.

CANTO DE ACLAMAÇÃO

1 – Buscai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça./ E tudo mais vos será acrescentado.


Aleluia! Aleluia!

2 – Não só de pão o homem viverá, mas de toda palavra / que procede da boca de Deus. Aleluia! Aleluia!

3 – Se vos perseguem por causa de mim, não esqueçais o porquê:/ não é o servo maior que o Senhor. Aleluia! Aleluia!

LEITURA BÍBLICA (Mt 18, 21-35)

REFLEXÃO

ANIMADOR (A) – Vamos refletir sobre a Palavra que acabamos de ouvir respondendo às seguintes perguntas:

1 – Como o perdão manifesta a misericórdia?

2 – Por que temos dificuldades em perdoar?

3 – Quais as consequências da negação da misericórdia por parte dos cristãos?



Respostas espontâneas

PRECES COMUNITÁRIAS

ANIMADOR (A) – Considerando as nossas reflexões e iluminados pela Palavra que acabamos de ouvir, vamos apresentar nossas orações comunitárias.

Preces espontâneas

ANIMADOR (A) – Agora, rezemos todos juntos a oração que Jesus rezou e nos ensinou a rezar.

TODOS – PAI NOSSO...

CANTO

1 – Eu te peço que tu me convertas o coração. Que eu decida mudar de uma vez a direção. Desta vez é pra valer, desta vez é pra valer. Quero ser como fui batizado,  Não quero voltar ao pecado. Converte meu coração, Senhor, converte o meu coração.

2 – Sou projeto de paz que nasceu do teu amor, Mas esqueço demais que também sou pecador. Desta vez é pra valer, desta vez é pra valer, Viverei como alguém confirmado, Eleito,  provado e chamado, Converte meu coração, Senhor, converte o meu coração.

GESTO CONCRETO

ANIMADOR (A) – Agora que já sabemos o que vamos fazer, marcamos a data, o horário e o local e já convidamos as pessoas para participarem do nosso evento, precisamos organizar tudo direitinho pra que o trabalho seja o melhor possível. Por isso, vamos ver tudo o que precisa ser providenciado e distribuir as tarefas entre os membros do nosso grupo.

ORAÇÃO FINAL

ANIMADOR (A) – Senhor, precisamos aprender a amar mais para que possamos de fato nos converter e ter vida nova. Para isso, a vossa graça é necessária. Abençoai-nos. Por Cristo, nosso Senhor.

TODOS – Amém.

ANIMADOR (A) – O Senhor nos abençoe e nos guarde. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

TODOS – Amém.

CANTO FINAL

1 – Me chamaste para caminhar na vida contigo,/ decidi para sempre seguir-te, não voltar atrás./ Me puseste um brasa no peito e uma flecha na alma,/ é difícil agora viver sem lembrar-me de ti.



Ref. – Te amarei Senhor, Te amarei Senhor,/ eu só encontro a paz e a alegria bem perto de ti (Bis)

2 – Eu pensei muitas vezes calar e não dá nem resposta,/ eu pensei na fuga esconder-me, ir longe de ti./ Mas tua força venceu e ao final e eu fiquei seduzido. É difícil agora viver sem saudades de ti.

3 – Ó Jesus não me deixe jamais caminhar solitário / pois conheces a minha fraqueza e o meu coração./ Vem ensina-me a viver a vida na tua presença,/ no amor dos irmãos, na alegria, na paz, na união.

LEITURAS BÍBLICAS

PRIMEIRO ENCONTRO (Lc 1, 67-79)

Zacarias, seu pai, ficou cheio do Espírito Santo e profetizou, nestes termos: Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e resgatou o seu povo, e suscitou-nos um poderoso Salvador, na casa de Davi, seu servo (como havia anunciado, desde os primeiros tempos, mediante os seus santos profetas), para nos livrar dos nossos inimigos e das mãos de todos os que nos odeiam. Assim exerce a sua misericórdia com nossos pais, e se recorda de sua santa aliança, segundo o juramento que fez a nosso pai Abraão: de nos conceder que, sem temor, libertados de mãos inimigas, possamos servi-lo em santidade e justiça, em sua presença, todos os dias da nossa vida. E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor e lhe prepararás o caminho, para dar ao seu povo conhecer a salvação, pelo perdão dos pecados. Graças à ternura e misericórdia de nosso Deus, que nos vai trazer do alto a visita do Sol nascente, que há de iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte e dirigir os nossos passos no caminho da paz.



SEGUNDO ENCONTRO (Mt 9, 9-13)

Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, que estava sentado no posto do pagamento das taxas. Disse-lhe: Segue-me. O homem levantou-se e o seguiu. Como Jesus estivesse à mesa na casa desse homem, numerosos publicanos e pecadores vieram e sentaram-se com ele e seus discípulos. Vendo isto, os fariseus disseram aos discípulos: "Por que come vosso mestre com os publicanos e com os pecadores?" Jesus, ouvindo isto, respondeu-lhes: "Não são os que estão bem que precisam de médico, mas sim os doentes. Ide e aprendei o que significam estas palavras: Eu quero a misericórdia e não o sacrifício (Os 6,6). Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores."



TERCEIRO ENCONTRO (Tg 3, 13-18)

Quem dentre vós é sábio e inteligente? Mostre com um bom proceder as suas obras repassadas de doçura e de sabedoria. Mas, se tendes no coração um ciúme amargo e gosto pelas contendas, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. Esta não é a sabedoria que vem do alto, mas é uma sabedoria terrena, humana, diabólica. Onde houver ciúme e contenda, ali há também perturbação e toda espécie de vícios. A sabedoria, porém, que vem de cima, é primeiramente pura, depois pacífica, condescendente, conciliadora, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, nem fingimento. O fruto da justiça semeia-se na paz para aqueles que praticam a paz.



QUARTO ENCONTRO (Mt 18, 21-35)

Então Pedro se aproximou dele e disse: Senhor, quantas vezes devo perdoar a meu irmão, quando ele pecar contra mim? Até sete vezes? Respondeu Jesus: Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. Por isso, o Reino dos céus é comparado a um rei que quis ajustar contas com seus servos. Quando começou a ajustá-las, trouxeram-lhe um que lhe devia dez mil talentos. Como ele não tinha com que pagar, seu senhor ordenou que fosse vendido, ele, sua mulher, seus filhos e todos os seus bens para pagar a dívida. Este servo, então, prostrou-se por terra diante dele e suplicava-lhe: Dá-me um prazo, e eu te pagarei tudo! Cheio de compaixão, o senhor o deixou ir embora e perdoou-lhe a dívida. Apenas saiu dali, encontrou um de seus companheiros de serviço que lhe devia cem denários. Agarrou-o na garganta e quase o estrangulou, dizendo: Paga o que me deves! O outro caiu-lhe aos pés e pediu-lhe: Dá-me um prazo e eu te pagarei! Mas, sem nada querer ouvir, este homem o fez lançar na prisão, até que tivesse pago sua dívida. Vendo isto, os outros servos, profundamente tristes, vieram contar a seu senhor o que se tinha passado. Então o senhor o chamou e lhe disse: Servo mau, eu te perdoei toda a dívida porque me suplicaste. Não devias também tu compadecer-te de teu companheiro de serviço, como eu tive piedade de ti? E o senhor, encolerizado, entregou-o aos algozes, até que pagasse toda a sua dívida. Assim vos tratará meu Pai celeste, se cada um de vós não perdoar a seu irmão, de todo seu coração.






©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal