1 roteiro do relatório final dos projetos experimentais da ufpb apresentação



Baixar 21.43 Kb.
Encontro20.07.2016
Tamanho21.43 Kb.


1

ROTEIRO DO RELATÓRIO FINAL DOS PROJETOS EXPERIMENTAIS DA UFPB


  1. Apresentação (deve ser redigida no final de todo o trabalho)

Texto de esclarecimento sobre o conteúdo obtido no trabalho e a significativa contribuição do projeto experimental para os membros da Consultoria, para o Curso, para o cliente, para a profissão etc.


  1. Introdução (deve ser redigida no final de todo o trabalho)

Introdução é a contextualização integral do trabalho, onde se apresenta, de forma sumária, uma síntese dos estudos realizados durante o trabalho. Apesar de ser um texto inicial, deve ser redigido no momento da finalização do projeto, com o objetivo de atingir essa visão integral.



  1. Briefing (Roteiro 2)

- Histórico;

- Estrutura organizacional;

- Princípios operacionais;

- Situação atual/mercado/concorrência;

- Relações com os públicos (comunidade);

- Sistema de comunicação e promoção institucional (Roteiro 3)

- Problemas críticos;

- Análise da situação (pontos fortes e pontos fracos).



Obs.: Para cada um dos pontos levantados no briefing cabe uma

avaliação qualitativa, identificando aspectos favoráveis,

desfavoráveis, completos, incompletos, o que já foi feito, ou o

que nunca foi tentado, etc.


  1. Pesquisa (Roteiro 4)

- Introdução/Justificativa

- Problematização

- Objetivos;

- Hipóteses

- Metodologia (métodos de coleta de dados, seleção da amostra etc.).

- Cronograma;

- Orçamento;

- Análise dos dados;

- Elaboração do Relatório.


  1. Diagnóstico (Briefing + pesquisa + Análise)

O diagnóstico consiste em realizar uma análise geral de todos os dados obtidos através do briefing e da(s) pesquisa(s). Tais dados nos permitirão obter uma visão global da organização, da sua estrutura, de seus relacionamentos internos e externos e ainda do que ela vem fazendo de positivo e negativo.

Também nos apresentará o que a organização vem obtendo ou pretende obter. Esta análise precisará ser feita de maneira global, considerando todos os problemas revelados pelo briefing e pela(s) pesquisa(s). É o momento de cruzar, comparar, e analisar todos os dados já obtidos.




  1. Fundamentação Teórica

a) Ponto de partida: a situação encontrada no diagnóstico e definida como

problema do cliente;


b) Explicar por que e como esta situação pode ser resolvida por meio da

atividade de relações públicas em termos institucionais, corporativos,

de opinião pública, de relacionamentos com os públicos, etc.
c) Dar o conceito geral de relações públicas: definir a atividade, sua

abrangência, objetivos, técnicas e aplicações, etc. Explicar por que são

estratégicas para a organização. Fundamentar essa parte em autores de

renome por meio de citações, análises, constituindo assim um referencial

teórico.
d) Afirmar como o projeto irá aplicar a teoria e as técnicas de relações

públicas em benefício da organização. Mostrar como Relações Públicas

bem planejadas e executadas dão sentido e unidade estratégica a todos

os relacionamentos das empresas com seus públicos e com o mercado,

como é uma arma de sucesso.


  1. Programa de Relações Públicas

- Justificativa;

- Objetivos (Geral e Específicos);

- Público-alvo;

- Propostas de Ação (Projetos e Campanhas);

(executar, no mínimo, uma das propostas indicadas e lembrar que os

projetos são o planejamento das “propostas de ação” ou “ações e

estratégias”);

- Orçamento de todas as ações no que diz respeito aos recursos humanos,

materiais e financeiros de cada projeto a ser desenvolvido). No caso da

UFPB, é necessário somente apresentar o orçamento de um ou mais

projetos que forem executados;

- Cronograma de todas as ações;

- Formas de Avaliação.



  1. Planejamento das Propostas de ação a serem executadas

Deve-se elaborar um projeto para a realização de cada uma das propostas de ação a serem realizadas. O projeto deve conter os seguintes itens:

- Tema;


- Justificativa;

- Público-alvo;

- Objetivos;

- Estratégias;

- Cronograma;

- Orçamento (recursos humanos, materiais e financeiros);


9 . Avaliação

- Essa etapa se destina a verificar em que medida os objetivos traçados

foram alcançados ou não;


- A avaliação pode ser feita de forma quantitativa ou qualitativa. Podemos

medir a intensidade de procura ou utilização de um serviço, o número de

visitantes à fábrica, o aumento nas vendas, o volume de matéria publicada

na mídia impressa, mas também podemos avaliar a partir de premiações,

cartas de agradecimento, pronunciamentos públicos favoráveis de

autoridades, líderes de opinião etc.


10. Conclusão

Conclusão é a parte final do texto em que avalia e reflete sobre todo o

trabalho realizado. É oportuno fazer o relato sucinto de toda a experiência

vivida desde a formação do grupo até o término do trabalho. Cabe, assim,

realizar uma reflexão sobre as dificuldades encontradas, os êxitos alcançados

e as perspectivas de melhorias e/ou soluções que poderão ser atingidas no

futuro.

É aconselhável, nesta parte, fazer recomendações ou sugestões para o

desenvolvimento de algumas propostas pendentes ou mesmo a elucidação

de outras questões e/ou necessidades que vieram à tona no decorrer da

realização do trabalho.
11. Referências

Seguir as normas da ABNT tanto para a bibliografia como para a redação

geral do relatório.
12. Anexos

Devemos inserir, como anexos, clippings, cartas de reconhecimento, fotografias, depoimentos de públicos estratégicos. Este item possui o objetivo de coletar o maior número de documentos capazes de proporcionar uma avaliação acurada e consistente do trabalho. Tais documentos não são de autoria do(s) aluno(s).


13. Apêndices

Os apêndices são informações desenvolvidas pelo autor durante o

trabalho, ou seja, neste item devem ser incluídos questionários, fotos, textos

complementares, cópias dos instrumentos de comunicação dirigida de autoria



do(s) aluno(s) que desenvolveram o projeto experimental.



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal