10ª Cineop – Mostra de Cinema de Ouro Preto



Baixar 53.26 Kb.
Encontro21.07.2016
Tamanho53.26 Kb.



10ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto

17 a 22 de junho de 2015



CINEOP CHEGA AOS 10 ANOS, COLOCA EM DEBATE O ACESSO E A ACESSIBILIDADE NA PRESERVAÇÃO, PESQUISA HISTÓRICA E EDUCAÇÃO, REFLETE O NEGRO NAS TELAS E HOMENAGEIA O ATOR MILTON GONÇALVES
Mostra de Cinema de Ouro Preto acontece de 17 a 22 de junho na cidade histórica mineira, apresenta 105 filmes em pré-estreias e retrospectivas, promove 15 debates e presta homenagens ao ator Milton Gonçalves, à conservadora audiovisual Fernanda Coelho e ao Cineduc. A entrada é franca.

Em 2015, a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto, que acontece de 17 a 22 de junho, comemora 10 anos de realização maior e mais convicta do seu papel - ser instrumento de reflexão e luta pela salvaguarda do patrimônio audiovisual brasileiro em diálogo com a educação e em intercâmbio com o mundo. Pioneira desde sua criação, em 2006, ao agregar valor de patrimônio à sétima arte, a CineOP tornou-se palco de encontros, discussões e decisões do setor de preservação, que clama por atenção e políticas públicas em um mundo hiperacelerado e tecnológico, que muitas vezes se esquece ou negligencia sua própria história.


Em sua 10ª edição, a CineOP tem como eixo temático a discussão em torno do acesso e da acessibilidade nos contextos da preservação audiovisual, pesquisa histórica e educação, já que um dos maiores problemas da sociedade brasileira é o acesso aos bens culturais por ela mesma produzidos. O patrimônio audiovisual, uma expressão em si mesmo, é um instrumento privilegiado de difusão dos conteúdos mais variados, não fossem os entraves ainda encontrados quanto à sua preservação física, inventário, estudo e qualificação histórica, conversão de formatos, suportes e padrões de novas tecnologias e inserção das obras audiovisuais junto aos mais diferentes públicos, incluindo pessoas com necessidades especiais de deslocamento e cognição e espaços educativos para além do mercado.
“O patrimônio cultural das imagens é um dos eixos mais importantes da memória e identidade sociocultural de um País. A CineOP representa uma frente única e singular no Brasil, que tem como bandeira histórica de suas edições pensar e refletir a preservação audiovisual numa ação conjunta e ampla com a sociedade, os profissionais do setor, acadêmicos e público com o propósito de elaborar diretrizes e estratégias necessárias para a guarda e acesso ao nosso patrimônio cinematográfico”, afirma a coordenadora geral do evento e diretora da Universo Produção, Raquel Hallak.
FILMES
A programação é estruturada em três temáticas de atuação: preservação, história e educação, com a oferta de uma programação abrangente e gratuita que inclui homenagens, exibições de 105 filmes (15 longas, 6 médias e 84 curtas, 41 deles realizados em contexto escolar) em pré-estreias e retrospectivas divididos em várias mostras temáticas: Contemporânea, Preservação, Histórica e Educação em 33 sessões de cinema. A edição deste ano conta, ainda, com oficinas, debates, Seminário, exposições, lançamento de livros e atrações artísticas em três espaços em Ouro Preto: Cine Vila Rica (plateia de 500 lugares), Centro de Artes e Convenções - sede do evento, que abrigará diversas atividades, além de receber a instalação do Cine-Teatro (plateia 510 lugares) e a Praça Tiradentes, que recebe a instalação do Cine BNDES na Praça (1000 lugares).
Entre os títulos selecionados, o destaque é para as produções históricas, com um recorte que enfoca a temática desta edição: O Negro em Movimento. O mote estará representando na abertura do evento, com a exibição do longa A Rainha Diaba (Antônio Carlos da Fontoura, 1974). Também fazem parte da programação o curta-metragem Alma no Olho (Zózimo Bulbul, 1973) e os longas Também Somos Irmãos (José Carlos Burle, 1949), Ganga Zumba (Cacá Diegues, 1964), A Negação do Brasil (Joel Zito Araújo, 2000), Ôrí (Raquel Gerber, 1989) e Branco Sai, Preto Fica (Adirley Queirós, 2014).
Outros filmes confirmados na programação são os longas "My Name Is Now, Elza Soares" (MG), de Elizabete Martins Campos; “A Paixão de JL” (SP), de Carlos Nader; e "Retratos de Identificação" (RJ), de Anita Leandro; todos na Mostra Contemporânea. Também integram esta seleção os médias "O Diplomata" (MG), de Fábio Carvalho e Flávia Barbal; "Joel e Gianni" (RJ), de Maria Rita Nepomuceno; e "Vitória F.C" (ES), de Vitor Graize e Igor Pontini; entre outros. Na Mostra Preservação, serão apresentados dois títulos míticos no imaginário cinematográfico brasileiro: "Limite" (1931), clássico de Mário Peixoto, em inédita versão restaurada pela Cinemateca de Bolonha; e "Antes o Verão" (1968), raridade de Gerson Tavares, também em cópia renovada, que terá a primeira exibição na 10ª CineOP.
HOMENAGENS
A abertura da 10ª CineOP acontece no dia 18 de junho (sexta), às 20h30, no Cine Vila-Rica, com a exibição de A Rainha Diaba (1974), de Antônio Carlos da Fontoura. Na ocasião, também serão prestadas homenagens nos três diferentes eixos trabalhados pelo evento: ao ator Milton Gonçalves, na temática Histórica, à conservadora audiovisual Fernanda Coelho, na temática Preservação, e ao CINEDUC – Cinema e Educação, entidade sem fins lucrativos fundada no Rio de Janeiro, em 1970, na temática Educação.

TEMÁTICA PRESERVAÇÃO
Na Temática Preservação, a CineOP faz um balanço do evento como fórum privilegiado do setor, examinando suas contribuições e lacunas, através do Encontro Nacional de Arquivos e Acervos Audiovisuais Brasileiros, das mesas de debates e do lançamento de um livro reflexivo sobre essa trajetória nos últimos 10 anos.
Nesta década dedicada à preservação, a CineOP tem sido testemunha das mudanças, avanços, entraves e desafios do setor da preservação. Hernani Heffner, curador da área, celebra a primeira década da Mostra enxergando sucesso nas discussões em torno do eixo central do evento. “Há muito o que comemorar, como a mobilização da área, a fundação ABPA (Associação Brasileira de Produção Audiovisual), a aproximação com o Estado, a criação de editais, um grande conjunto de restaurações, a criação ou melhoria das reservas técnicas, a realização de trabalhos de pós-graduação, a introdução de uma formação voltada para este campo do conhecimento, a troca de informações, publicações, conhecimentos e a apresentação de um conjunto de reivindicações que constitui amadurecimento formidável quanto aos objetivos, rumos e conquistas à frente. Criou-se também um grande grupo, de notável camaradagem e grande afinação quanto à importância da luta por uma melhor preservação audiovisual no Brasil, na qual a CineOP desempenha o papel de espaço privilegiado e símbolo.”
Esta edição do evento presta homenagens à conservadora audiovisual Fernanda Coelho, que dedicou 36 anos da sua vida ao trabalho de preservação. Profissional de destaque na Cinemateca Brasileira, em cursos e consultorias, Fernanda Coelho deu uma contribuição imensa para os estudos e a prática da conservação audiovisual no Brasil. Na programação que apresenta projeto de restauro, a obra de Gerson Tavares ganha destaque nas telas e debates. Um dos nomes menos lembrados da produção brasileira, Gerson teve seus filmes restaurados num longo e dedicado processo capitaneado pelo professor e pesquisador Rafael de Luna Freire, através do projeto Resgate da Obra Cinematográfica de Gerson Tavares, financiado pela Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro.
O projeto consistiu na restauração do segundo longa-metragem do diretor, “Antes, o Verão” (1968), com a feitura de uma nova matriz de preservação (contratipo 35mm) e uma nova cópia de difusão em 35mm e em digital (Full HD). Além disso, o projeto vai lançar Antes, o Verão em DVD, incluindo no disco duplo o primeiro longa-metragem de Gerson Tavares, “Amor e Desamor” (1966) e sete curtas-metragens realizados por ele entre as décadas de 1950 e 1970: “A Petrobrás prepara seu pessoal técnico” (1958); “O Grande Rio” (1959); “Brasília, capital do século” (1960); “Arte no Brasil hoje” (1960); “Gafieira” (1972); “Ensino artístico” (1973); e “Saveiros” (1975), todos telecinados em Full HD e também disponíveis para projeção digital em DCP. No dia 21 de junho, uma mesa vai discutir a obra de Gerson e o caso de restauro de sua filmografia.

TEMÁTICA HISTÓRIA
Na Temática Histórica, a CineOP vai prestar tributo à representação do negro no cinema brasileiro. Intitulado O Negro em Movimento, o tema deste ano vai lidar com as formas de inserção do negro nas telas a partir da homenagem ao ator Milton Gonçalves, da exibição de um curta e seis longas- metragens e de debates sobre a questão, sempre urgente e braço de uma problemática social e histórica bem mais ampla, aquém e além do cinema. A representação dos personagens negros nas telas brasileiras refletiu, em cada filme e período, as visões dos segmentos sociais sobre as heranças da escravidão, com variações de enfoque de acordo com os olhares de produtores, roteiristas e diretores.
Mineiro de Monte Santo, o ator Milton Gonçalves, com 81 anos é um dos talentos mais importantes da televisão e do cinema brasileiros. “O tributo se relaciona à longevidade de Milton e à quantidade de filmes em sua carreira, com a vasta expressividade de seus raros personagens centrais e de alguns coadjuvantes”, destaca Cléber Eduardo, curador da Mostra Histórica.

TEMÁTICA EDUCAÇÃO
Na Temática Educação, a CineOP promove o Encontro da Educação: VII Fórum da Rede Kino: Rede Latino-Americana de Educação, Cinema e Audiovisual. O foco vai ser a reflexão sobre a proposta e perspectivas da lei 13.006, sancionada em 26 de junho de 2014, que estabelece a exibição obrigatória de filmes brasileiros nas escolas de educação básica. "Teremos um espaço único e privilegiado para problematizar possibilidades e limites da lei, concentrando-nos no acesso e acessibilidade da nossa produção, tendo a escola como grande porta de entrada do cinema brasileiro às famílias", diz a curadora da Temática Educação, Adriana Fresquet.
Integra a programação da Educação a apresentação de 20 trabalhos acadêmicos selecionados pelo comitê científico da Rede Kino, oriundos de universidades de vários Estados do Brasil, na tentativa de responder perguntas como, por exemplo, acessibilidade e inclusão para cegos e surdos, acesso em escolas fora dos grandes centros, o tipo de conteúdo que será veiculado nas escolas, a tecnologia empregada nas exibições, como se dará a formação dos professores para mediar as sessões de cinema, que recursos e condições de exibição têm hoje as escolas e como atualizá-las para que a lei seja exequível, entre outros enigmas que precisam ser resolvidos para que a lei entre em vigor de maneira efetiva.
Uma das novidades desta edição é a Mostra Educação que reúne 41 curtas produzidos pelos alunos no contexto escolar que será exibida em duas sessões durante a 10ª CineOP. “Foram trabalhos inscritos e orientados para serem realizados pelo gesto de criação de algum cineasta, especialmente brasileiro. Criamos, assim, categorias nomeadas com a expressão KINO e o nome do cineasta - desde Lumière até os mais cineastas mais jovens. Limitamos o tempo e apostamos que deste modo estaremos colocando em diálogo linguagem e história numa proposta lúdica e possível de produzir na escola. Convidamos ainda, um grupo de trabalhos audiovisuais específicos pela questão da acessibilidade: isto é, trabalhos produzidos por estudantes cegos, surdos ou hospitalizados, privados de liberdade, que serão projetados na praça, para melhor aproveitamento de todos”, explica a curadora da Temática Educação.

Dentro deste eixo haverá ainda uma homenagem especial ao CINEDUC - instituição pioneira da América Latina no ensino do audiovisual para crianças e adolescentes, que completa 45 anos. Uma instituição que se antecipou no tempo ao pensar, problematizar e realizar ações com e de cinema nas escolas e para além delas. Marca presença também na 10ª CineOP a Escola Internacional de Cinema e Televisão de Santo Antonio de Los Baños, de Cuba, que completa 30 anos de ensino superior de cinema e a Universidade do Chile, que lidera um projeto de iniciação de cinema nas escolas de educação básica naquele país, em que dialogam o Ministério da Educação, da Cultura e os cursos de Comunicação e Educação da universidade. São instituições experientes que conseguiram gerar metodologias de aproximação e inserção do universo audiovisual junto aos públicos escolares mais variados.


ENCERRAMENTO
As três áreas da CineOP convergem nesta edição em suas preocupações conjuntas para o aprofundamento da inserção do negro, do saber audiovisual e da preservação junto à sociedade brasileira. A 10ª CineOP se encerra no dia 22, com a apresentação, no Cine Vila-Rica, do Cine-Concerto Sons & Imagens, no qual o coletivo francês Double Cadence vai executar a trilha sonora ao vivo de filmes dos Irmãos Lumiére (1895), de filmagens amadoras do Rio de Janeiro (várias famílias cariocas dos anos 1920 até os anos 80) e do curta "Douro, Faina Fluvial" (1931), do cineasta português Manoel de Oliveira, falecido em 2015 aos 106 anos de idade, num espetáculo inédito concebido especialmente para o evento.
CONFIRA A RELAÇÃO COMPLETA DE FILMES DA 10ª CINEOP
LONGAS
MOSTRA CONTEMPORÂNEA

My Name Is Now, Elza Soares, de Elizabete Martins Campos – MG

A Paixão de JL, de Carlos Nader – SP

Retratos de Identificação, de Anita Leandro – RJ
MOSTRA HISTÓRICA

A Negação do Brasil, de Joel Zito Araújo – SP

A Rainha Diaba, de Antônio Carlos Fontoura – RJ

Branco sai, Preto fica, de Adirley Queirós – DF

Ganga Zumba, de Carlos Diegues – RJ

ÔRÍ, de Raquel Gerber – SP

Também Somos Irmãos, de José Carlos Burle – RJ

MOSTRA PRESERVAÇÃO

Antes, o Verão, de Gerson Tavares – RJ

Limite, de Mário Peixoto – RJ
MOSTRINHA

Amazônia, de Thierry Ragobert – Brasil/França
CINE-ESCOLA

Amazônia, de Thierry Ragobert – Brasil/França

O Menino no Espelho, de Guilherme Fiúza – MG

O Segredo dos Diamantes, de Helvécio Ratton – MG

Era uma vez dois Verões, de Jorge Furtado – RS
MÉDIAS
MOSTRA CONTEMPORÂNEA

Joel e Gianni, de Maria Rita Nepomuceno – RJ

O Diplomata, de Fábio Carvalho, Flávia Barbal – MG

Soul King Nino Brown, de Leopapel, Guilherme Racy – SP

Verão da Lata, de Tocha Alves, Haná Vaisman – SP

Vitória F.C, de Vitor Graize, Igor Pontini – ES
MOSTRA PRESERVAÇÃO

Reencontro com o Cinema, de Rafael de Luna Freire – RJ
CURTAS
MOSTRA HORIZONTES

A + B = C, de Steffi Braucks – SP

Achados e Perdidos, de Luisa Mello, Camila Lahma, Guilherme Ferraz – RJ

Diário de exus, de Gilberto Alexandre Sobrinho – SP

Guida, de Rosana Urbes – SP

Judas, de Joel Caetano – SP

Lua Nova, de Andréa Prado – RJ

O nome do dia, de Marcello Quintella e Boynard – RJ

Sociedade do cloro, de Ana Bárbara Ramos – PB

Verão Polonês, de André Mielnik – RJ
MOSTRA VENTURAS

A Festa e os Cães, de Leonardo Mouramateus – CE

João Batista, de Rodrigo Meireles – MG

Macapá, de Marcos Ponts – MA

Noites Traiçoeiras, de João Lucas – PE

Ocaso, de Bruno Roger – RJ

Onde vivem os monstros?, de Ythallo Rodrigues – CE

Vistas e Visões, de André Francioli da Conceição – SP
MOSTRA PRAÇA

A Praça, de Lucas Santos Lima – MG

Dia da Mentira, de Thiago B. Mendonça, Marco – SP

Dilma, de Glenda Nicacio – BA

Fragmentos, de Adriana Vasconcelos – DF

Memórias do Cine Argus, de Edivaldo Moura – PA

Meu Canto é Saudade a poesia de Seu Juc, de Diógenes S. Miranda – SP

Nos Passos de Aleijadinho, de Fred Tonucci, Leonardo Good God – MG

Um Filme Para Gerson, de Melise Fremiot, Getulio Ribeiro – MG
MOSTRA HISTÓRICA

Alma no Olho, de Zózimo Bulbul – RJ
MOSTRA PRESERVAÇÃO

A Petrobrás prepara seu pessoal técnico, de Gerson Tavares – RJ

Arte no Brasil hoje, de Gerson Tavares – RJ

Brasília, Capital do Século, de Gerson Tavares – RJ

Ensino Artístico, de Gerson Tavares – RJ

Gafieira, de Gerson Tavares – RJ

O Grande Rio, de Gerson Tavares – RJ

Saveiros, de Gerson Tavares – RJ
MOSTRINHA

A Baleia e o Tesouro, de Alunos da Escola Municipal Dr. Tuffy Nader – ES

Ana e a Borboleta, de Isabela Veiga – GO

Assalto ao Banco, de Wlisses – MG

Bravura, de Giovanni Scoz Girardi – SC

Doce de Goiabada, de Fernanda Rocha – DF

Oxalá e a criação do mundo, de Denis Leroy – MG

Procura-se, de Jéssica Lopes – SP

Toque da Alvorada, de Edgard Paiva, Filipe C. Storck – MG
SESSÃO DE ENCERRAMENTO – CINE CONCERTO

Curtas amadores sobre o Rio de Janeiro – França

Curtas Irmãos Lumière – França

Douro Faina Fluvial, de Manoel de Oliveira – Portugal
MOSTRA EDUCAÇÃO

41 curtas brasileiros realizados em contexto escolar

Confira detalhes, horários e programação completa no site www.cineop.com.br .



link para as fotos dos filmes - 10ª CineOP:

https://www.flickr.com/photos/universoproducao/collections/72157652468678461/
***

Acompanhe a 10ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto e o programa Cinema Sem Fronteiras 2015

Participe da Campanha #eufaçoaMOSTRA

Twitter: universoprod 

Facebook: universoproducao / cineop

Instagram: universoproducao

Web: cineop.com.br 

Informações pelo telefone: (31) 3282.2366
***

Serviço:

10ª CINEOP - MOSTRA DE CINEMA OURO PRETO

17 a 22 de junho de 2015


Idealização e realização: UNIVERSO PRODUÇÃO

Patrocínio Máster: BNDES

Patrocínio: Oi, SOUZA CRUZ, ITAÚ, CEMIG

Incentivo: LEI FEDERAL DE INCENTIVO A CULTURA E LEI ESTADUAL DE INCENTIVO A CULTURA

Apoio: Oi Futuro, Instituto Universo Cultural, Rede Globo Minas, Canal Brasil, Prefeitura Municipal de Ouro Preto, Café 3 Corações, Coca Cola | Heineken, Localiza, Universidade Federal de Ouro Preto | UFOP

Realização: UNIVERSO PRODUÇÃO



GOVERNO FEDERAL|PÁTRIA EDUCADORA
LOCAIS DE REALIZAÇÃO DO EVENTO
Cine Vila Rica - (plateia 500 lugares)

Centro de Artes e Convenções |Cine-Teatro (plateia 510 lugares)

Praça Tiradentes – Cine BNDES na Praça (plateia 1000 lugares)
ASSESSORIA DE IMPRENSA
Universo Produção  -  (31) 3282.2366 - Luisa Moraes – (31) 9188.5040   imprensa@universoproducaocom.br
Atendimento Regional |Minas - ETC Comunicação – Núdia Fusco - (31)  2535.5257 |9120.5295  - nudia@etccomunicacao.com.br | Luciana D’Anunciação – assessoria@etccomunicacao.com.br

Atendimento nacional - Ana d’Angelo  -  (21) 99463.7000    dangelo.ana@gmail.com 

Produção de textos: Marcelo Miranda

Redes Sociais: Lívia Tostes

 CREDENCIAMENTO IMPRENSA



O credenciamento para a cobertura de imprensa da 10ª CineOP- Mostra de Cinema de Ouro Preto deverá ser solicitado no período de 08 de maio até o dia 03 de junho pelo site www.cineop.com.br. As informações sobre a retirada da credencial e o funcionamento da sala de imprensa serão enviadas após a confirmação do credenciamento pela organização do evento até o dia 05 de junho.

Rua Pirapetinga, 567  Serra  Belo Horizonte  MG  30220-150  (31) 3282 2366  www.cineop.com.br


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal