2013 Revista Internacional de Educacão Missionária



Baixar 0.69 Mb.
Página1/14
Encontro01.08.2016
Tamanho0.69 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14



2013
Revista Internacional de

Educacão Missionária
Volume XXVII

Missões Nazarenas Internacionais

www.nazarenemissions.org
Revista Internacional de

Educação Missionária
Volume XXVII • 2013


Daniel Ketchum

Director Global MNI

Lorie Beckum

Editor

Gail Sawrie

Director Assistente

Se traduzir a Revista Internacional de Educação Missionária para algum idioma que ainda não faça parte da página das MNI (www.nazarenemissions.org), envie, por favor, uma cópia para o Escritório das MNI (nmi@nazarene.org) com “IMEJ” na linha do assunto. Outros ao redor do mundo poderão beneficiar dos seus esforços.



Crédito de Educação Missionária
O uso da Revista Internacional de Educação Missionária conta anualmente na categoria de publicações e comunicações dos requisitos de educação missionária para Missões Prioridade Um (MPO). Se utilizar a secção das crianças e adaptar as lições de adultos para os jovens ou se incluir as liçoes de crianças e/ou jovens, pode contar isso como requisitos para o MPO para crianças e jovens.
As Escrituras citadas são da Bíblia Sagrada, traduzida em português por João Ferreira de Almeida, edição revista e corrigida, pelas Sociedades Bíblicas Unidas, Lisboa, 1974.
Missões Nazarenas Internacionais

Igreja do Nazareno

Centro de Ministério Global

17001 Prairie Star Parkway • Lenexa, KS 66220 • Estados Unidos da América



CONTEÚDO
CURRICULUM PARA ADULTOS
Missão Viva – Amar a Misericórdia
Introdução Resumos das Lições/Causas: Amar a Misericódia 4

Lição 1 Ministério nas Prisões 7

Lição 2 Radicalismo 13

Lição 3 Missões Relacionais 19

Lição 4 Epidemias 24

Lição 5 Perspectivas Culturais 30

Lição 6 O Custo de Seguir a Cristo 34

Resumo das Causas 39

Causa 1 Epidemias 40

Causa 2 O Evangelho Falado 63

CURRICULUM PARA CRIANÇAS
Região da Asia-Pacifico
Lição 1 Asia Pacifico — Um Resumo 85

Lição 2 Coreia do Sul 89

Lição 3 Japão 92

Lição 4 China 94

Lição 5 Fiji 96

Lição 6 Samoa 100

Lição 7 Nova Zelândia 103

Lição 8 Austrália 106

Lição 9 Tailândia 108

Lição 10 Filipinas 111

Lição 11 Indonésia 114

Lição 12 Papua Nova Guiné 116




Revista Engage Disponível em Idiomas Múltiplos
A revista Engage é um local de reunião na internet para os nazarenos no terreno, globalmente, celebrarem e partilharem uns com os outros como Deus os está a envolver na Sua missão para o mundo. A equipa editorial agradece aos leitores que se registem como contribuintes e enviem histórias, composições missionárias escritas e fotos, e outros conteúdos relacionados com a sua participação em missão. Os leitores podem partilhar estas histórias, referindo a revista Engage como a fonte. Há uma opção para traduzir qualquer página com o Tradutor Google, por isso se os leitores precisarem de artigos em idiomas nos quais eles não foram escritos, poderão ser imediatamente traduzidos.
Visite www.engagemagazine.com para ver este valioso recurso.



CURRICULUM PARA JOVENS/ADULTOS
Missão Viva—Amar a Misericórdia

Resumos das Lições/Causas
Jesus chamou-nos para seguir o Seu exemplo. Através do Seu ensino Ele modelou um estilo de vida de cuidado para com todas as pessoas e chamou-nos a fazer o mesmo. Missão Viva informa, inspira e envolve-te e aos outros na tua igreja para a missão global de Deus.
Lição 1: Ministério nas Prisões

Como cristãos, muitas vezes ficamos maravilhados com o número grupos de pessoas não alcançados que existem no mundo. Mas será que já parámos para considerar quantas dessas pessoas estão escondidas em prisões? Como cumprir o mandato de Cristo para “Ir e fazer discípulos das nações,” a menos que alcancemos as celas das prisões?


Lição 2: Radicalismo

Vivemos num mundo obcecado com aquilo que é radical e extremo. Jesus também. Os líderes religiosos do Seu tempo tinham perspectivas radicais do que o Messias deveria ser. Seria muito fácil Jesus cumprir a Sua missão se simplesmente alinhasse com tais ideias. Mas Ele não fez isso. Ao contrário, foi ao encontro das suas expectativas com o Seu amor radical. Ele usou coisas comuns como lama, pescadores sujos e uma cruz romana para trazer cura a um mundo doente.


Lição 3: Missões Relacionais

Deus é tudo acerca de relacionamentos. Os que de nós têm um relacionamento com Cristo sabem que isto é verdade. Então porque muitas vezes estamos desligados dos que nos rodeiam? A menos que nos mantenhamos num relacionamento com Deus, os nossos outros relacionamentos são reduzidos. Da mesma forma, a não ser que construamos intencionalmente relacionamentos com os outros, o nosso relacionamento com Deus terá falta de substância.


Lição 4: Epidemias

As epidemias têm-se espalhado através da história; e apesar de termos percorrido um longo caminho no nosso conhecimento das formas como a doença se propaga, irónicamente até mesmo “novos” influxos de tecnologia e modernismo contribuem para a sua dissiminação. Pode parecer estranho e injusto. Como podem algumas doenças espalhar-se de forma tão descontrolada por entre populações, algumas vezes destruindo completamente uma geração inteira ou grupo de pessoas? A Igreja do Nazareno e cristãos em todo o mundo estão profundamente envolvidos na tentativa de parar as epidemias antes de serem perdidas mais vidas.


Lição 5: Perspectivas Culturais

Jesus não ministrou às pessoas falando-lhes acima das suas cabeças; Ele contou-lhes histórias que as ajudassem a compreender. Da mesma forma, nós também temos sempre de compreender as perspectivas culturais dos grupos de pessoas que encontrarmos quando partilhamos o Evangelho com elas.


Lição 6: Custo de Seguir a Cristo

Os seres humanos muitas vezes constroem muros entre nós e o propósito de Deus para nós. Para cumprir a missão de Deus na Sua vida, Jesus tinha de considerar o custo diariamente e assim também nós devemos fazer. Pode até ser diferente de uma pessoa para outra, de uma área do mundo para outra e até mesmo de uma época para outra; mas todos enfrentamos o facto que seguir a Cristo custar-nos-á alguma coisa. Aliás, custar-nos-á tudo.


Causas
Causa 1: Epidemias

A resposta da Igreja do Nazareno às pessoas sofrendo de epidemias globais é um resultado directo do mandato de Jesus, “E indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, limpai os leprosos, expulsai os demónios; de graça recebestes, de graça dai.” (Mateus 10:7-8). Ele não nos disse para ir quando nos sentíssemos confortáveis em fazê-lo quando achassemos que fosse o tempo certo ou quando tivéssemos considerado o custo. Ele disse-nos para “curar” e que o fizessemos “de graça.”


Causa Semana 1: Ministério SIDA (AIDS)

Causa Semana 2: HIV/SIDA na Europa Oriental e Ásia Central

Causa Semana 3: Cólera

Causa Semana 4: Cólera no Haiti

Causa Semana 5: Dr. Becky Morsch e o Cuidado de Saúde Comunitário

Causa Semana 6: Cuidado de Saúde Comunitário na África

Causa Semana 7: Mortalidade Maternal

Causa Semana 8: Malária

Causa Semana 9: Fundo Global de Saúde

Causa 2: O Evangelho Falado

Quatro dos sete biliões de pessoas no mundo são comunicadores orais: pessoas que não podem, ou não conseguem absorver informação escrita de forma que seja significativa para elas. Muitas vezes o Evangelho é-lhes comunicado em forma escrita, mas muitas destas pessoas não conseguem ouvir ou percebê-lo. Quanto mais compreendemos das oportunidades para fazer discípulos entre estas culturas orais, mais os nossos corações são atraídos para elas. A Igreja do Nazareno tem oferecido muitas oportunidades, incluíndo a Difusão de Missão Mundial e os Parceiros da Colheita do Filme JESUS. Outras são novas e algumas ainda estão por desenvolver, tal como o contar de histórias bíblicas.


Causa Semana 1: Fazer Discípulos dos Quatro Biliões de Comunicadores Orais

Causa Semana 2: Aprendizagem Oral em Papua Nova Guiné

Causa Semana 3: Jesus—O Mestre Contador de Histórias

Causa Semana 4: Compreender o Pensamento da “História”

Causa Semana 5: Examplos do Mundo Inteiro

Causa Semana 6: Escola para Contar Histórias Bíblicas de Belize

Causa Semana 7: Preferência de Aprendedores Orais em Sociedades Letradas

Causa Semana 8: Contar Histórias funciona para todos!

Causa Semana 9: Celebração
Amar a Misericórdia
Ele te mostrou, ó homem, o que é bom e o que o Senhor exige:

pratique a justiça, ame a fidelidade e ande humildemente com o seu Deus.”

Miquéias 6:8, nvi


Alguma vez já parou para pensar o que Deus quer exatamente em Miquéias 6:8? Como agir com justiça, amar a misericórdia e andar humildemente? No ano passado a Revista Internacional de Educação Missionária (IMEJ) abordou as questões da justiça e retidão e como, em missão, cada um de nós acaba por compreender o que significa agir justamente. Este ano consideraremos o mandamento de amar a misericórdia.

Através das seis lições incluídas, será desafiado a compreender o que significa “amar a misericórdia” e como vivê-la na sua comunidade, igreja e ao redor do mundo.

O grupo Missão Viva do Facebook (https://www.facebook.com/groups/104428492923551/) é um lugar onde muitos líderes missionários se reunem para debater como usam Missão Viva, para fazer perguntas e colocar resultados encorajoradores. É um ótimo lugar para ir buscar – ou colocar – ideis adicionais para apresentação das lições que usa da IMEJ. Infelizmente, a página ainda está só em inglês.

Estas lições são elaboradas para informar, inspirar e envolver pessoas no viver a chamada de Deus para cada um de nós no “agir com justiça, amar a misericórdia e andar humildemente.”

Na parábola do Bom Samaritano (Lucas 10), lemos sobre o tipo de misericórdia que Deus nos chama a compartilhar. Um sacerdote desvia-se dum homem espancado e deitado à beira da estrada. Um levita que passava também virou o rosto, enquanto o homem continuava a sofrer. Mas um samaritano interrompe a sua jornada e suja as suas mãos com o sangue dum estranho, pondo em risco a sua própria segurança por causa de alguém de uma outra raça e classe social. O que Jesus nos diz a seguir? “Vai e faz da mesma forma.”

Por isso vamos, como cristãos que amam a Deus e já experimentaram a Sua graça e misericórdia. Vamos às prisões, às culturas onde as pessoas não podem – ou não querem – aprender a ler, às pessoas cujos corpos estão marcados pela SIDA. Vamos para construir relacionamentos com aqueles que vivem nas margens da sociedade e aos que estão precisamente no meio. Nós até vamos aos rotulados como “extremistas” ou “radicais,” tudo com a missão de dar a mesma misericórdia que recebemos tão abundantemente de um Deus amoroso.

Uma das razões porque missionários respondem à chamada de Deus para servir é porque experimentaram a misericórdia de Deus nas suas próprias vidas e querem compartilhá-la com as pessoas em todo o lugar. Diariamente têm oportunidades de mostrar misericórdia a pessoas – tal como tu e eu temos às nossas famílias e igrejas, nossos locais de trabalho e escolas, e nas nossas comunidades.

Acreditamos que será inspirado a mostrar a misericórdia de Deus às pessoas ao seu redor ao preparar e apresentar as lições no IMEJ. E, em retorno, oramos para que aqueles que forem infromados descubram múltiplas formas de “ir e fazer da mesma forma” ao distribuirem a misericórdia de Deus a um mundo necessitado.


LIÇÃO 1: Ministério nas Prisões
PROPÓSITO


  1. Criar consciência sobre o ministério nas prisões e os que estão presos e esquecidos.

  2. Assistir a missão de Deus levando a misericórdia de Deus a pessoas que estão escondidas por detrás das grades das prisões tanto perto como longe.

  3. Quebrar as barreiras impostas pelo mundo e reconhecer que Cristo é O único que nos pode libertar.


Preparação

  • Coloque uma fita adesiva larga no meio da sala de um a outro lado. (Tenha cuidado em usar uma fita que não deixe adesivo no chão.)

  • Converse com o seu pastor e outros líderes de missão sobre a resposta que esperam do grupo. Quando pessoas são confrontadas com o que consideram ser uma verdadeira necessidade, muitas vezes querem responder. Podem até querer traçar elas mesmas os planos. Tenha algumas ideias preparadas, mas esteja aberto à criatividade do grupo.


Leitura da Escritura: Actos 16:16-34
Apresentação
Atividade

Fique de pé sobre a linha da fita e peça ao grupo para ficar na mesma posição de cara voltada para si. Diga-lhes que fará uma série de perguntas do tipo “sim” e “não”. Se a resposta for “sim,” deverão passar para o lado direito da linha. Se for “não,” ficarão do lado esquerdo. Não devem pensar muito sobre a pergunta, mas sim responder ao primeiro impulso.


Perguntas “Sim” e “Não”

  • Descobriu que um político no qual tencionava votar esteve numa instituição correctional depois do secundário. Ainda votaria nele?

  • Uma amiga pediu-lhe para ir com ela visitar o pai à prisão. Vai com ela?

  • Uma amiga cristã começou a namorar um jovem que está em liberdade condicional. Tenta desencoraja-la?

  • É um empregador a entrevistar pessoas para uma função, e descobre que uma das candidatas já esteve presa por um crime. Considera contratá-la?


Debate sobre a Actividade

  • Como se sentiu em deixar todos saber as suas respostas às perguntas? O element físico influenciou qualquer das suas respostas? Como?

  • Ficou surpreendido com alguma das suas reacções?

  • Quais são alguns dos esteriotipos comuns aos presidiários?

  • Como é que tais esteriotipos nos impedem de construir relacionamentos e ministrar aos que estão por detrás das grades?


Oração de Abertura

Criador do céu e da terra, lamentamo por estarmos sempre a tentar controlar o mundo ao nosso redor. Esquecemo-nos que És o Autor, o Artista e nós somos os sujeios. Perdoa-nos quando fazemos papel de Deus. Dá-nos olhos para ver a forma como criaste o mundo. Dá-nos uma visão para os Teus filhos: jovens e velhos, machos e fêmeas, prisioneiros do pecado e prisioneisos do sistema penal. Liberta-nos da nossa visão tacanha do mundo ao vermos o panorama maior que pintaste. Amen.



Debate

  • Quais as suas primeiras reacções ou sentimentos sobre prisões e as pessoas nelas?

  • Jesus manda-nos visitar os encarcerados. Ele pede-nos para atravessarmos uma linha desconfortável para a maioria das pessoas. A ideia de entrar numa prisão traz-lhe desconforto? Porquê ou porque não?

  • Como ministrar aos encarcerados pode mudar o mundo tal como o ministério de Paulo e Silas?

  • Quando visitamos prisioneiros, estamos a reconhecer que a liberdade em Cristo é real. Como é que é fácil acreditar que a liberdade em Cristo significa mais do que qualquer outro tipo de liberdade?

Como cristãos, muitas vemes ficamos espantados com o número de grupos não alcançados que existem no mundo. Mas será que já considerámos que muitas destas pessoas estão escondidas nas prisões? Como cumprir o mandato de Cristo de “Ir e fazer discípulos das nações,” a menos que alcancemos as celas das prisões?

Considere as seguintes informações:
[Distribua estes factos a três participantes pedindo que leiam dois cada, em voz alta.]


  • Há mais de 9.8 milhões de pessoas presas ao redor do mundo. O número sobe para 10.6 milhões se forem incluídas as “detenções administrativas” na China.

  • Quase metade dos prisioneiros do mundo está nos Estados Unidos (2.29 milhões), China (1.57 milhões de prisioneiros sentenciados) e Rússia (0.89 miliões), países que combinados chegam a um pouco mais de um quarto da população mundial.

  • A taxa da população prisional mundial (baseada em 9.8 milhões de presos e uma população mundial de 6.75 bilhões) é de 145 por 100.000. A totalidade das prisões nos Estados Unidos tem uma taxa de 756 por 1000.000 da população nacional, fazendo do país provavelmente o maior utilitário de prisões do mundo.

  • A população prisional está em crescimento em 71% dos países estudados.

  • Aumentos consideráveis aconteceram recentemente em Europa – na Turquia e na República da Geórgia (ambos mais de 50% desde a metade de 2006). O maior decréscimo recente na população prisional na Europa ocorreu na Roménia (menos 2% desde Setembro de 2006) e Holanda (menos 22% desde a metade de 2006).

  • Outros aumentos notáveis desde meados de 2006 aconteceram no Chile (até 28%), Brasil (até18%) e Indonésia (até 17%).


Fonte: R. Walmsley. World’s Prison Population List (8th edition). London: King’s College London, International Center for Prisions Studies (ICPS), 2008.
História Missionoária: Nada nos Impede
Leia esta história em voz alta ao grupo, ou peça a um dos membros (ou alguns) do grupo para a ler.
Buenos Aires, Argentina, é onde fica a prisão mais invulgar. Uma igreja do nazareno, Iglesia Rey de Reyes, decidiu fazer da prisão o seu campo missionário. Alguns anos atrás, o missionário Brian Utter e a equipa da América do Sul da Difusão de Missão Mundial foram convidados a participar num grande evento na prisão.

Os directores levaram Brian e a equipa ao Bloco C, onde todos os prisioneiros tinham entregue as suas vidas a Cristo. O ambiente estava limpo, as paredes decoradas com lindos versículos bíblicos e praticamente todos os reclusos se qualificavam para visitas de bom comportamento.

No bloco seguinte de celas, poucos reclusos se qualificavam para visitas de bom comportamento, as celas estavam cheias de lixo e os presos vociferavam obescenidades uns aos outros. Aqui Brian conheceu Gaby, um homem duro coberto de cicatrizes e feridas de facas e balas. Brian e os pastores de Rey de Reyes compartilharam as boas novas de Jesus Cristo com Gaby e tal como 60% dos outros prisioneiros, Gaby aceitou a Cristo e ainda hoje continua a ser discipulado através do ministério prisional.

Rey de Reyes vê a prisão como uma parte importante da sua paróquia. Quando descobriu que o orçamento da

prisão não era suficiente para prover comida de qualidade para os presos, a igreja comprou alguma terra dentro dos limites da prisão e começou uma quinta comunitária.

Quando iniciaram o projecto, especialistas em agricultura disseram que o solo não era próprio para plantas, mas da mesma forma como as paredes da prisão não foram capazes de impedir Deus de colher “vidas” dos presos, também o solo não foi capaz de parar o corpo de Cristo no seu esforço em ajudar o seu campo missionário. Os pastores mostraram a Brian uma horta viçosa, completamente cheia e disseram, “Veja o que Deus fez.”


Fonte: Utter, Brian. “Nothing Stands in God’s Way”. Nothing Stands in Our Way. Kansas City, MO: Nazarene Publishing House, 2011.
Debate

  • Como é que a história da prisão em Buenos Aires o fez reconsiderar as possibilidades do ministério nas prisões?

  • O ministério que Rey de Reys edificou na prisao tornou-se uma parte da identidade da igreja. Que actividade a define a comunidade da sua igreja na missão de Deus?

  • A igreja respondeu a uma necesidade comunitária escondida atrás das grades duma prisão e Deus transformou toda a prisão. Quais cantos escondidos da sua comunidade podem estar prontos para este tipo de transformação e que passos o seu grupo pode dar para ajudar?


História Missionária 2: Vivendo o Sonho
Leia a história em voz alta ou peça a um membro (ou a vários) para a lerem para o grupo.
Durante anos Howard Tripp fugiu de Deus, correndo atrás de coisas materiais e dinheiro. Em Tampa Bay, Flórida, EUA, Howard recebeu louvores pelo seu trabalho como DJ e também teve sucesso como instrutor de dança.

O seu estilo de vida levou-o a encontrar-se face-a-face com a cultura da droga, e pouco depois já era um grande consumidor. Sendo um dos grandes vendedores de droga grangeou muits “amigos” e muito dinheiro. Nas suas próprias palavras, “Estava a viver o sonho americano. Parecia que todos os dias era Natal. Tinha um Cadillac e um Jaguar, construí uma grande casa de três pisos, comprei um iate, tinha uma cabine particular no Estádio Tampa, fui ao Super Bowls e viajava sempre que desejava.”

A boa nova é que, no meio do pecado de Howard, ele não conseguia escapar à memóaria do seu pai a lembrá-lo que havia pessoas a orar pela sua salvação. De facto, no leito de morte do seu pai, Howard prometeu que veria o seu pai no céu. Mais tarde, contudo, ele admitiu que fez a promessa sem intenção alguma de a cumprir num futuro próximo. Ele estava a viver a vida que sempre desejou e não tencionava deixar Deus interferir.

Entretanto, o estilo de vida de Howard estava prestes a mudar. “Sr. Tripp, se aparecer na minha sala de audiências mais uma vez, farei tudo para que seja condenado a 30 anos.” Tais palavras foram proferidas pelo juiz presidente que sentenciou Howard pelo tráfico de pó de cocaína.

Numa fria cela de prisão, despojado de todo o conforto que lhe era famíliar, Howard ajoelhou, falou com Deus e lembrou-se dos muitos anos de fervente oração intercessória a seu favor. Rendendo-se à obra de Cristo na cruz, Howard experimentou a graça salvadora de Deus. Foi na prisão que ele verdadeiramente foi libertado!

Durante o seu tempo de prisão, ele tomou parte no Treinamento Contínuo de Leigos, um programa para prisioneiros e concluiu os estudos bíblicos do Velho e do Novo Testamentos. Este programa dos Ministérios Internacionais da Escola Dominical & Discipulado treina leigos para o ministério numa Igreja do Nazareno local. Howard disse, “Foram esses estudos bíblicos que me fizeram cumprir o meu tempo na prisão.”

Howard abriu uma casa baseda na fé que ajuda antigos presos a se estabelecerem na vida. Ele continua activamente envolvido no ministério da sua igreja local e gostaria de frequentar o Colégio Bíblico Nazareno. A sua vida é um testemunho de como Deus pode transformar qualquer um que livremente aceitar a Sua graça transformadora.
História Missionária 3: Eles Eram a Presença de Cristo
Leia a história em voz alta ou peça a um membro (ou vários) do grupo para a ler.
Anos atrás, o missionário David Wesley acabou numa prisão Equatoriana depois de uma série de eventos trágicos e não intencionais. David era um cidadão americano, onde o sistema judicial presume inocência até que a pessoa seja provada culpada. Só que este não é o caso no Equador.

A prisão não era um lugar seguro para David, especialmente durante as longas horas noturnas. David estava sozinho e com medo. Ele disse parecer-lhe como se tudo estivesse fora de controlo, o seu mundo inteiro estava num caos e não sabia se alguma vez voltaria a algum lugar onde as coisas fizessem sentido outra vez.

Mas dois homens – Mario, um pastor local e Luis, um missionário do Peru – revezaram-se ficando com David durante as noites do seu encarceramento. Na verdade não lhes era permitido estar na prisão, e, como peruano, Luis colocava em risco a sua própria segurança cada vez que visitava David. Contudo tais obstáculos não impediram Mário e Luis. Mario sempre conseguia com algum charme entrar e Luis teve de subornar os guardas com peças de galinha assada. E desta forma passavam as caóticas horas da noite com David orando, lendo as Escrituras ou simplesmente estando lá com ele.

David disse que no meio do caos, Mario e Luis eram a única coisa estável. Eram a presença física de Cristo com ele na prisão. Os dois homes cruzaram a linha que mantinha David cativo e trouxeram com eles a liberdade de Cristo.

  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal