7096 a voz da profecia consideraçÕes sobre o casamento neumoel Stina



Baixar 14.97 Kb.
Encontro01.08.2016
Tamanho14.97 Kb.

CONSIDERAÇÕES SOBRE O CASAMENTO

Neumoel Stina

O que é o casamento? Quem estabeleceu o casamento?

Hoje faremos algumas considerações que podem contribuir para um melhor relacionamento entre os casais.

 

O Título da palestra de hoje é: CONSIDERAÇÕES SOBRE O CASAMENTO.



 

Vamos começar do princípio - da origem do casamento. Isto nos faz lembrar do primeiro casal - Adão e Eva. Eles foram os primeiros a serem unidos pelos laços do matrimonio. O relatório dessa união está em Gênesis 2.

 

Era o sexto dia daquela semana admirável da criação. A Bíblia nos diz: ‘Havendo, pois, o Senhor Deus, formado da terra todos os animais do campo, e todas as aves dos céus, trouxe-os ao homem, para ver como este lhes chamaria; e o nome que o homem desse a todos os seres viventes, esse seria o nome deles. Deu nome o homem a todos os animais domésticos, às aves dos céus, e todos os animais selváticos; para o homem, todavia, não se achava uma auxiliadora que lhe fosse idônea. Então o Senhor Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu: tomou uma das suas costelas, e fechou o lugar com carne. E a costela que o Senhor Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher a trouxe. E disse o homem: Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da mina carne; chamar-se-á mulher, porquanto do homem, foi tomada. Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se uma só carne.” Gênesis 2:19-24



 

Esta é uma história maravilhosamente simples. De onde veio o primeiro homem? Deus o fez. De onde veio a primeira mulher? Deus a fez do homem.

 

Quando Adão deu o nome aos animais, ele viu que todos os animais tinham uma companheira. Mas, não havia nenhuma companheira igual a ele. Daí as palavras de Deus: “Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea”. Gênesis 2:18



 

Não era plano de Deus que o homem fosse um ser solitário, mas um ser social. A única maneira de ter felicidade completa é partilhando a felicidade com outros. Sem companheirismo a vida perde metade de seu encanto.

 

Mesmo a comunhão com os anjos não teria satisfeito o desejo natural de simpatia e companheirismo de nosso primeiro pai. Adão necessitava de alguém do seu nível, com a mesma natureza dele, capaz de dar e receber amor. O amor é a suprema necessidade do coração humano. Sem ele não há felicidade verdadeira.



 

A Bíblia nos diz, que Deus fez uma companheira para Adão. O relatório diz que Eva foi criada de uma costela de Adão. Isto significa que ela não devia dominar o homem, tampouco ser maltratada por ele, como inferior; mas, estar ao seu lado como igual, e ser objeto do seu amor e proteção.

 

Ao ser unido à Eva, Adão declarou que ela era osso dos seus ossos e carne da sua carne. “Ela era a sua segunda pessoa”. “Ou sua outra metade”.



Este relatório da criação de Eva sugere a íntima e terna união que deve existir no casamento.

 

Em Efésios 5, nos versos 29 e 31, nos lemos: “Porque ninguém jamais odiou a sua própria carne, antes a alimenta e dela cuida. . . Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne.”



 

Deus é o Autor do casamento. Ele mesmo oficiou o primeiro casamento da história. Não admira que o apóstolo Paulo escrevesse: “Digno de honra entre todos seja o matrimônio”. Hebreus13:4. O casamento foi um dos primeiro e melhores dons de Deus ao homem.

 

Apenas as instituições sagradas que vieram do jardim do Éden; apenas duas instituições sobre as quais a bênção de Deus foi posta no princípio do mundo e sobre as quais ainda hoje repousa, a despeito dos pecados do homem. Essas instituições são o casamento e o sábado como dia de repouso.



 

Quando se reconhece no casamento, que ele é realmente uma bênção de Deus; quando se reconhecem os princípios divinos com ele relacionados, o casamento é de fato uma bênção. Ele preserva a pureza e a felicidade. Provê as necessidades sociais. Eleva a natureza física, a intelectual e a moral.

 

O casamento faz o lar. O primeiro casamento e o primeiro lar tiveram origem no Paraíso, onde o lar foi o Céu na Terra.



E isto, é o que o lar deve ser no plano de Deus: um pequeno céu na terra. Mas, frequentemente o oposto é a verdade!

 

Uma razão por que tantos casamentos modernos fracassam e trazem contendas, recriminações, amarguras, tristezas e mágoas, é o fato de que Deus não está neles. Todos aqueles que querem um casamento feliz, Deus tem que habitar entre eles.



 

Um escocês foi trabalhar numa fazenda cujo dono não cria em Deus. Embora o fazendeiro pagasse muito bem os seus empregados, o homem ficou poucos dias no trabalho.

 

Ao lhe ser perguntado, por um vizinho, por que deixara o trabalho, ele respondeu: “Não havia telhado na casa”. O sentido da estranha reposta era que na casa do fazendeiro não se orava a Deus. Portanto, pensava ele, não podia haver paz naquela casa, nem conforto , nem confiança.



 

O segredo de um casamento bem sucedido, é ter o telhado da oração em casa. Os casais que oram juntos, geralmente permanecem juntos e quando surgem desentendimentos, são removidos sem demora.

 

Aos casais que me ouvem, aos futuros casais, sigam alguns conselhos: Orem juntos, trabalhem juntos, brinquem juntos, não permitam que o sol se ponha antes que vocês peçam desculpas, depois de algum desentendimento.



 

Nunca deixem de declarar o amor que sentem um pelo outro. Este é um grande segredo para um casamento feliz.

 

Hoje, há uma grande ignorância com respeito à moralidade bíblica, principalmente entre os jovens; sim, mesmo entre os jovens cristãos. O casamento seria muito ajudado se o marido e a mulher lessem a Bíblia juntos cada dia.



 

Fazendo assim, o amor reascende diariamente a sua chama. Faz com que reine a confiança, a devoção mútua. Pela presença do amor, faz com que o lar aqui seja um pequeno céu na Terra.






www.4tons.com

Pr. Marcelo Augusto de Carvalho


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal