7537 c onferências públicas o cigarro e a saúDE



Baixar 37.67 Kb.
Encontro30.07.2016
Tamanho37.67 Kb.


7537
C ONFERÊNCIAS PÚBLICAS


O CIGARRO E A SAÚDE

(Recompilação de um Manual por J.O. Braña, União Colombo-Venezuelana, 1975.)



Daniel Belvedere

INTRODUCÃO:


1. Uma breve história do tabaco.

  1. Um dos sentimentos naturais do homem é o intenso apego à vida e à liberdade.

  1. Uma das mais negras instituições criadas para satisfazer o luxo e o afã de domínio, é a escravidão. Abolida por B. Juárez e Lincoln.

NINGUÉM PERMITIRÁ, HOJE, SER ESCRAVIZADO.

  1. Em nossos esforços para conservar a vida, ninguém permitiria que nos obrigassem a tomar uma dose mortal de veneno com o pretexto de tomá-la em pequenas doses.

  2. Finalmente, ninguém permitiria que se nos tirasse a vida vários anos antes de nossa morte natural.

  1. Embora pareça incrível, o homem ingere voluntariamente um produto que tem precisamente esses efeitos.

- Torna-o um verdadeiro escravo com as cadeias opressoras do hábito.

- Ingere um veneno mortífero, porém em doses.

- Tem compostos cancerígenos.

- Encurta a vida.

- É O VÍCIO DO CIGARRO.

c) História do tabaco.



  1. De certas plantas americanas chamadas solanáceas virosas, provêm da batata, do tomate e do tabaco.

  2. O uso do tabaco nos EE.UU. é remoto, pois em um baixo relevo Maia do século VI ou VII aparece um sacerdote fumando.

  3. No dia seguinte do descobrimento da América, Colombo faz referência a folhas secas provavelmente de Tabaco.

  4. Três semanas mais tarde em Cuba, Rodrigo Jérez e Luis de Torres, enviados para explorar uma parte dessa ilha, observaram homens e mulheres de certa região que fumavam.

  5. Rodrigo Jérez e Luis de Torres adquiriram o hábito e ao chegarem a Espanha, foram encarcerados pela Inquisição.

  6. Na França o propagador foi Juan Nicot.

(Através de Juan Nicot, é que o veneno principal do tabaco se chama Nicotina).

  1. Sir Walter Raleigh foi propagador na Inglaterra.

  2. Até antes da primeira guerra mundial fumava-se em cachimbos ou charutos.

  3. Após a guerra começou o uso do cigarro e a grande indústria começou em 1920.

d) Consumo tremendo e sua incidência na economia.

  1. O consumo nos EE.UU. aumenta à razão de 12 bilhões de cigarros por ano. Atualmente conservem-se 542 bilhões.

  2. Na Argentina 24.800.000.000 de cigarros.

A cada minuto acendem-se 23.800 cigarros.

  1. Anualmente gastam-se nos EE.UU. 3.000.000.000 de dólares, tanto como o orçamento para a educação.

I. OS PERIGOS DO TABACO


1. Os venenos do tabaco – 21 venenos no total.

  1. Nicotina É um alcalóide líquido, incolor, muito solúvel na água.

- Sua ação principal no sistema nervoso neuro-vegetativo.

- Excita e depois o deprime.

- A nicotina é uma das substâncias mais tóxicas que se conhecem, sendo 60 miligramas a dose mortal. Tal dose encontra-se em 3 cigarros.

- É absorvida através da mucosa da boca, nariz, tubo digestivo, pulmões e mesmo a pele.

- A maior parte é transformada pelo fígado, também é eliminada pelos pulmões, saliva e o leite materno das mães que fumam.


  1. Alcatrão

- 1 quilo tabaco = 120 grs. alcatrão.

- *Fumador standard – 12 quilos por ano = 1 quilo de alcatrão.

- O mais comum é o benzopireno, que produz irritação dos tecidos formando um terreno propícia para o câncer.

c) Monóxido de Carbono.

- É o gás causador das asfixias.

d) Anidrido de Carbono.

- * Fumante Médio

- Produz enjôos e dores de cabeça.

e) Outros venenos.

- Furfurol: 50 vezes mais venenoso que o Álcool.

- Colidina: Alcalóide tão venenoso como a nicotina.

- Acroleína: Veneno produzida por combustível de papel.

- Piridina.

- Ácido Prússico: Um dos tóxicos mais violentos que se conhecem.

2. Por que as pessoas fumam?


  1. Porque desconhecem em toda sua pavorosa magnitude os funestos efeitos do tabaco. Sabem em geral que é mau. Mas ignoram todo o mal que ingerem.

  2. As crianças e os adolescentes o fazem para sentir-se homens. Estimulados pelo mau exemplo dos pais ou iniciados no vício pelas más companhias.

  3. A mulher que antes não fumava, agora o faz mais que o homem em seu afã de imitar ao homem e demonstrar sua emancipação.

  4. Como recurso para tratar de mitigar o nervosismo e angústia criados pelos problemas no lar, os conflitos emocionais, concorrência, etc.

  5. Simples ato de imitação, porque todos o fazem.

  6. Como sinal de pretendida distinção social.

- Pensam que é um gesto de cortesia convidar para fumar.

g) Para combater a solidão e o aborrecimento.

- O homem teme encontrar-se a si mesmo.


  1. Para acalmar os nervos. Muitos iniciam com a hábito nos momentos de angústia, fracasso ou ansiedade.

  2. O prazer bucal adquirido pelo ato de fumar.

  3. A principal causa é o hábito formado. A nicotina como alcalóide produz o hábito.

É tão forte o hábito que milhares, embora desejem, sentem a vontade, absolutamente impotente para deixá-lo.

3. Testemunho importante.



  1. Ao falar em nome da religião, começa dizendo o professor Bonjour: "Não desejo fazê-lo desde o ponto de vista sectário. Desejo incluir todas as religiões e aos que as professam. Acaba de demonstrar-se pelas declarações feitas anteriormente por autoridades na matéria que o hábito de fumar é prejudicial. É um vício perigoso para a integridade física e intelectual do indivíduo. Prepara o terreno para a proliferação de enfermidades graves e incuráveis. Tira a capacidade para o cumprimento fiel dos deveres naturais da vida. Agrava a economia em milhares de lares. Também é culpado de mortes prematuras, que significam orfandade e viuvez com suas gravíssimas conseqüências para os seres inocentes. Diante de tais resultados indiscutíveis e demonstrados, poderia a religião – qualquer que seja – admitir o tabagismo em seus adeptos? A resposta é óbvia.

"Se quem professa esta religião a cumpre tal como ensina nas Sagradas Escrituras, terá uma sadia filosofia da vida. Saberá para que vivemos, e este fato dar-lhe-á uma firme força de vontade para renunciar a tudo o que seja maligno para seu corpo e seu espírito.

"Além disso – acrescenta nosso teólogo – o cristianismo nos ensina o valor indiscutível da fé e da prece. Jesus declarou: "Pedi e dar-se-vos-á", a condição de que exercêssemos fé e fizéssemos também nossa parte.

"Milhares de pessoas vivem hoje livres do tabagismo, graças por terem utilizado estas duas alavancas maravilhosas: a fé e a oração. Estas pessoas agora sabem que o Deus que criou o homem também procura o bem-estar de todos os filhos de Adão, e por isso livra-os de toda coisa má para sua vida."

E assim resumimos o conteúdo desta mesa redonda, que sempre contou com o interesse e a entusiasta participação dos distintos públicos.


II. O QUE HÁ POR TRÁS DA FUMAÇA DO CIGARRO?
l. Seus efeitos sobre o organismo.

a) Efeito sobre o coração e artérias.



  1. Redução do calibre das artérias e veias.

  2. Enfermidade de Leo Buerger, obstrução progressiva dos vasos sangüíneas nas pernas.

  3. Aumento da pressão arterial.

  4. Nos diabéticos, o fumar dobra a possibilidade de arteriosclerose.

  5. Aumenta o número de batidas (10 a 30 por minuto).

  6. Num terço dos fumantes afeta as coronárias.

  7. Nos enfermos como angina de peito ou enfarte do miocárdio, o uso do cigarro provoca ou piora os sintomas.

b) Ação sobre o aparelho digestivo.

  1. A princípio o fumante tem acessos de vômitos e diarréia.

  2. Aumento das contrações do cólon.

  3. Diminuem as contrações indicadoras do apetite produzindo perda do mesmo.

  4. Favorece a úlcera de estômago e do duodeno.

c) Ação sabre o aparelho circulatório.

  1. Irrita as mucosas do nariz, faringe, laringe, traquéia e dos brônquios.

  2. Efeito funesto sobre a voz, produzindo: "A tosse do fumante".

  3. Afeta a capacidade pulmonar e do desenvolvimento do tórax.

d) Órgãos dos sentidos.

  1. Diminuição franca da delicadeza do sentido do gosto e do olfato.

  2. Na vista irrita a conjuntiva pelo fumo.

  3. Agravam-se as infecções da retina.

  4. É causador da ambiopia nicotínica que pode terminar na cegueira.

e) Na gravidez e na amamentação.

  1. Aumenta as pulsações do bebê em 5 - 10 por minuto.

  2. Transmite a nicotina pelo leite entre 0,14 e 0,47 mg por litro.

f) O cigarro e o câncer.

  1. Conceitos do famoso homem da ciência, o argentino Dr. Angel Roffo: "O conceito de que o cigarro é um produtor de câncer, tem deixada na atualidade o campo das suposições e hipóteses, para adquirir o valor de fatos verificados pela experiência. Estamos atualmente em condições de produzir nos animais um câncer com a fumaça do cigarro ou com produtos extraídos da mesmo."

  2. Ainda não se conhece o mecanismo de produção do câncer.

  3. Mas há uma clara relação de causa a efeito entre o hábito de fumar e o câncer.

  4. Todos os órgãos que entram em contato com a fumaça do cigarro estão expostos a contrair câncer.

  5. Câncer no pulmão.

- 800% mais nos fumantes do que nos não fumantes.

- Na Inglaterra, o câncer pulmonar é 20 vezes mais freqüente nos fumantes.

- O aumento de câncer do pulmão tem seguido uma linha paralela ao aumento do consumo de cigarros.

g) Encurta a vida



  1. Primeiro na Inglaterra, depois nos EE.UU., fizeram estudos definitivos sobre a incidência deste vício na saúde.

  2. As conclusões foram terminantes e as companhias de cigarras sofreram um golpe tremendo.

  3. Darei somente uma síntese da primeira conclusão desta comissão: "O número de mortes prematuras ocorridas entre os fumantes supera notoriamente ao das que se registram entre os que não fumam. Estudos científicos, baseados em 1.123.000 pessoas, demonstraram que, tomando em conta todas as causas de morte, a mortalidade entre os fumantes é superior a 70% a média de falecimentos que ocorrem entre os que não fumam."

2. Portanto, fumar é atentar diretamente contra nossa própria vida.



  1. Incluir aqui uma ilustração acerca dos terríveis efeitos do cigarro sobre a saúde.

III. COMO VENCER O HÁBITO


1. Como deixar o hábito de fumar?

a) ILUSTRAÇÃO: "A verdade os libertará". Um estudante viu no microscópio e sentiu os terríveis danos causados pelo cigarro e convencido da pernicioso que era, deixou-o.



  1. Convém conhecer todo o mal e prejuízo que ocasiona.

  2. Lembremo-nos que há duas grandes causas de morte: a) Afecções cardíacas. b) Câncer. Nas duas o hábito de fumar exerce tremenda influência.

  1. O melhor método é abandoná-lo brusca e completamente. A maior parte dos que desejam fazê-lo em forma gradual, fracassam.

  1. Devem ter em conta que nos primeiros dias pode se sentir um mal-estar, mas os benefícios posteriores o compensarão amplamente.

c) Um regime alimentar simples e saudável.

  1. Sem substâncias irritantes.

  2. Ao sentir muito desejo de fumar, pode-se comer uma fruta ou pastilhas de frutas.

d) Para fazer oposição ao enraizado hábito de fumar.

  1. Encontrar e anotar um bom número de razões.

  2. Renovar diariamente a resolução de deixá-lo.

  3. Bochechos: 1 grama de nitrato de prata em 400 gramas de égua destilada. NÃO ENGOLIR A SOLUCÃO.

  1. Uma boa ocasião para deixar o hábito, é um forte resfriado quando naturalmente o hábito é incômodo.

  2. A indispensável ajuda da parte espiritual.

  1. Fumar é atentar contra nosso corpo que Deus nos deu para cuidá-lo.

  2. Para vencer o terrível vício há que pedir ajuda ao Altíssimo, FÉ-ORAÇÃO. Entrega total a DEUS.

2. Comentar o plano como Deixar de Fumar em Cinco Dias.

  1. Fazer alusão a este plano eficaz da Igreja Adventista que está dando volta ao mundo com maravilhosos resultados.

CONCLUSÃO:


O hábito de fumar é um inimigo traiçoeiro e terrível da saúde. Muitas pessoas iniciaram este vício maligno por mera imitação dos grandes amigos. Depois o alcalóide que contém, cria a hábito e a vontade é anulada e impotente para abandonar o vício.

A ciência tem-se pronunciado indicando claramente suas conseqüências fatais, tal como já dissemos no decorrer desta conferência. O pior é que o cigarro está enganando a muitas pessoas jovens e amadurecidas no sentido de que não produz efeitos imediatos mas cumulativos. Quer dizer que fumar é hipotecar o futuro.


Não se torture mais com o vício. Termine de uma vez por todas esta situação. Decida agora mesmo deixar a cigarro e não voltar mais a fumá-lo. Repita consigo mesmo a partir deste momento: "Estou decidido, não fumarei mais." Tenha em mente esta decisão quando alguém lhe oferecer um cigarro ou se lhe sobrevier a tentação de pegá-la. Mantenha-se lutando uns dias que a vitória será sua. Repita sua decisão durante o dia, desde o despertar da manhã até ao entregar pelo sono, à noite.

Lembre-se que nesta luta você não está sozinho. Pode confiar no poder divino que está à nossa disposição. A vontade de Deus é que todos sejamos livres, que tenhamos saúde e felicidade.






www.4tons.com

Pr. Marcelo Augusto de Carvalho


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal