8º Entretodos Festival de Curtas de Direitos Humanos selecionados e premiados



Baixar 36.45 Kb.
Encontro27.07.2016
Tamanho36.45 Kb.


8º Entretodos - Festival de Curtas de Direitos Humanos
* selecionados e premiados *


A oitava edição do ENTRETODOS – Festival de Curtas-Metragens de Direitos Humanos ocorreu entre os dias 5 e 9 de outubro de 2015 em diversos pontos de cultura e educação da cidade de São Paulo.

Os filmes exibidos no evento concorrerão a prêmios de Melhor Curta-Metragem Estrangeiro, Melhor Curta-Metragem Nacional, Melhor Roteiro, Melhor Curta-Metragem escolhido pelo público, além dos prêmios Cidade Educadora e Educação em Direitos Humanos.

Nesta edição, o Entretodos traz o tema “Cidade Educadora”, valorizando o audiovisual como ferramenta de formação de educadores e o aproximando da população.  Todas as sessões têm entrada gratuita.

O 8º Entretodos é uma realização da  Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo (SMDHC) e conta com o apoio da Secretaria Municipal de Educação (SME) e da Secretaria Municipal de Cultura (SMC). Mais informações sobre o Festival ENTRETODOS podem ser acessadas em: http://www.entretodos.com.br/



Curtas-metragens selecionados para a programação competitiva do 8º Entretodos (2015).

Bloco 1 – ‘Diversidades’

- “SUBMARINO” – dir: Rafael Aidar – 20`– Brasil (2014)



sinopse: Dois anos após a morte de seu companheiro, Olavo vive isolado aos 85 anos. Na solidão do luto ele se aventura pelo mundo virtual. Prêmio Melhor Roteiro/Direção
- “OUCH” – dir: Fred Joyeux – 3’ – Senegal (2013)

sinopse: A identidade do homem não é mais o que costumava ser …
- “ARIANAS” – dir: Hylnara Anny  Vidal Oliveira – 15’ – Brasil (2014)

sinopse: Um crime, na vida de duas meninas mulheres, mulheres em construção, na imensidão da vida. Menção Honrosa

- “SAFE SPACE” (Espaço Seguro) – dir: Zora Rux – 13’ – Alemanha (2014)



sinopse: Patrick e Sara vivem uma história de amor. Eles também estão lutando pelos direitos dos refugiados em Berlim. Prêmio Educação em Direitos Humanos
- “THE GIRL AND HER TAIL” (A garota e sua calda) – dir: Yong Jie Yu Yong – 3’ - Singapura (2014)

sinopse: A garota gosta da sua calda ?
- “LE TEMPS D’UM TANGO” (O tempo de um tango) – dir: Frédéric Hontschoote – 5’ – França (2014)

sinopse: Um homem idoso senta-se sozinho em um baile de tango cheio de jovens bailarinos. Ele está entediado, até que chega uma mulher de sua idade.

 
Bloco 2 – ‘Distâncias”

- “DORSAL” – dir: Carlos Segundo e Cristiano Barbosa – 25’ – Brazil, United Kingdom (2015)

sinopse: Entre continentes pulsa um oceano de histórias. Memórias conservadas no sal de uma distância atlântica.
- “E O AMOR FOI SE TORNANDO CADA VEZ MAIS DISTANTE” – dir: Alexsander de Moraes – 9’ –  Brasil (2014)

sinopse: A história de Mônica, que se tornou cega aos 21 anos, e como ela percebeu que estava perdendo a visão.
- “A BONECA E O SILÊNCIO” – dir: Carol Rodrigues – 19’ – Brasil (2015)

sinopse: Marcela toma uma decisão… Prêmio Melhor Curta-Metragem Nacional e Prêmio Melhor Curta-Metragem (público)
- “MORE THAN TWO HOURS” (Mais de duas horas) – dir: Ali Asgari – 15’ – Irã (2013)

sinopse: São 03hs da manhã, um menino e uma menina estão vagando na cidade a procura de um hospital para curar a garota, mas é muito mais difícil do que eles pensavam. Prêmio Melhor Curta-Metragem Internacional

 
Bloco 3 – ‘Olhares’

- “TONY” – dir: Benoit Bouthors – 20’ – França (2015)

sinopse: Enquanto um estranho eclipse mergulha o mundo no caos, Tony tenta sobreviver.
- “BEATITUDE” – dir: Délio Freire – 15’ – Brasil (2015)

sinopse: Releitura do mito de Anastácia, a escrava divinizada pela cultura afro-brasileira.
- “DISRUPTION”  (Rompimento) –  dir: Felipe Frozza e UFlämig – 5’ – Brasil /Alemanha (2015)

sinopse: ” As dificuldades de uma dançarina em frente ao muro entre Israel e Palestina.
- “DEJÃ VU” – dir: Bruno Autran – 3’ – Brasil / Argentina (2015)

sinopse: Um poema visual e sonora sobre um homem e o tempo. Um homem no tempo. O tempo a partir do homem.
- “JOSÉ BEZERRA” – dir: Pedro Medeiros – 15’ – Brasil (2015)

sinopse: José Bezerra, é o relato poético em forma de imagem e movimento da pessoa por trás das lentes e da relação entre fotografo e o seu motivo.
- “O FIM É O COMEÇO” – dir: Agner Rebouças, Bruno Pere, Rodrigo EBA!, OTA, Thiago Vaz – 5’ – Brasil (2015)

sinopse: Em meio à luta por espaço entre diferentes tipos de arte urbana, personagem de graffiti percorre seu caminho até se ver em um museu.
- “SECTORES” (Setores) – dir: Luciana Rojo – 10’ – Argentina (2015)

sinopse: No final da tarde no campo, depois de um dia de trabalho, Juan transforma lenha.

 
Bloco 4 – ‘Dualidades’

- “PAIXÃO NACIONAL” – dir: Jandir Santin – 16’ – Brasil (2015)

sinopse: Café, 17 anos, morador da periferia de Curitiba, encontrou o celular de Lina, 17 anos, que veio da Alemanha pra ver a Copa, e agora eles irão se encontrar. Prêmio Cidade Educadora
- “MANCHA DE SANGUE NO PORCELANATO” – dir: Fernanda Sales Rocha – 16’ – Brasil (2015)

sinopse: Uma reunião de condominio discute um acidente ocorrido com o filho de uma das famílias de residentes.
- “MICROPHONE” – dir: Kareem Ghafur  – 9’ – Iraque (2015)

sinopse: Uma criança entra em uma mesquita para urinar e desaparece. A mãe quer ir para a mesquita para encontrar seu filho, mas não é permitido.
- “I STAY” (Eu fico) – dir: Oleksandr Soldatov – 11’ – Ucrânia (2014)

sinopse: Nem todo mundo é capaz de estar no lugar em que o mundo muda. Tive sorte. Eu estava lá. Mas em algum momento do tempo, percebi que eu estou tomando parte na guerra. E eu deveria estar pronto para isso.
- “UM DIA” – dir: Ângelo Defanti – 20’ – Brasil (2015)

sinopse: Marcelo vive um dia nublado no Rio de Janeiro.

 
Bloco 5 – ‘Extremos’

- “ENQUANTO O SANGUE COLORIA A NOITE, EU OLHAVA AS ESTRELAS” – dir: Felipe Arrojo Poroger – 15’ – Brasil (2015)

sinopse: Na sala, o coronel vegeta. Na escola, o seu filho mais novo é atormentado por outros alunos. Enquanto isso, o mais velho apenas observa, calado, a falência dos homens.
- “COLONIA PENAL” – dir: Marco Escrivão – 10’ – Brasil (2015)

sinopse: Livro adaptado da obra de Franz Kafka Inspirado na história recente e presente. Menção Honrosa
- “MENINO DO DENTE DE OURO” – dir: Rodrigo Sena – 15’ – Brasil (2014)

sinopse: Na ida para o colégio, Wesley, 12 anos, acaba se envolvendo em uma trama perigosa e lucrativa.

- “MC DON’T” (MC Não) – dir: Louis Mota – 5’ – Brasil (2014)



sinopse:  O cotidiano de uma rede de fast-food. Funcionários são treinados e submetidos a procedimentos, ações pseudo-motivacionais e métricas, em detrimento das relações humanas.
- “MARIUS” – dir: Pierre-Julien Fieux – 4’ – França (2014)

sinopse: Ele abafa seu dia em álcool, cai, levanta-se, desce novamente; uma luta contínua contra este companheiro que ele não pode se livrar.
- “FACING OFF” (Mudando de cara)  – dir: Maria Di Razza – 8’ – Itália (2014)

sinopse: Uma mulher decide realizar cirurgia plástica para dar a sua vida uma mudança radical. Depois que a alteração for concluída, ela é ainda mais infeliz do que antes.




MAIS SOBRE OS CURTAS PREMIADOS

Sete filmes premiados na oitava edição do Entretodos – Festival de Curtas de Direitos Humanos

O vencedor do prêmio de melhor filme brasileiro foi “A Boneca e o Silêncio”, de Carol Rodrigues, que acumulou também o prêmio do público. O iraniano “More Than Two Hours”, de Ali Asgari, foi eleito melhor filme internacional, enquanto que o prêmio de direção foi outorgado a Rafael Aidar, por “Submarino”. Já o Prêmio Cidade Educadora ficou com “Paixão Nacional”, de Jandir Santin, e Prêmio Educação em Direitos Humanos foi conquistado pelo alemão “Safe Space”, de Zora Rux. Duas menções honrosas foram para “Colônia Penal”, de Marco Escrivão, e “Arianas”, de Hylnara Anny Vidal. 

Sobre os filmes:

Prêmio Melhor Filme Nacional foi  Estrelado por Morgana Naughty, Giovanni Gallo, Naruna Costa e Eduardo Silva, “A Boneca e o Silêncio” (Brasil, 2014, 19 min) focaliza uma garota de 14 anos diante da difícil decisão de interromper uma gravidez indesejada. Os recursos expressivos e o ponto de vista que o filme assume conduzem o espectador a ser o único que verdadeiramente compartilha das angústias da protagonista. Segundo a diretora Carol Rodrigues, no Brasil “são feitos centenas de milhares de abortos todos os anos e é uma das maiores causas de morte entre as mulheres. As principais vítimas são as mulheres pobres e negras, que também são as mais vulneráveis ao indiciamento criminal. A produção nacional de filmes que traz essas histórias é ínfima e, vale dizer, que quando encontramos filmes que trazem a história de meninas ou mulheres que passam por esse processo, em geral, são personagens brancas e de classe média. É fundamental que rompamos com o silêncio generalizado que ajuda a perpetuar essa situação.“ Selecionado para o FestaFilm – Festival de Cinema Lusófono e Francófono de Montpellier, o curta foi vencedor do prêmio do público no FESTIn – Festival Itinerante de Cinema da Língua Portuguesa. 

Em “Submarino” (Brasil, 2015, 20 min), um homem idoso vive isolado, dois anos após a morte de seu companheiro. Na solidão do luto ele se aventura pelo mundo virtual, submergindo em uma grande fantasia entre os espaços públicos e privados da internet. No elenco do curta, que foi selecionado para o Festival de Palm Springs (EUA), estão Fernando Aidar, Maristela Chelala, Francisco Gaspar e Daniel Infantini.

 Exibido no Festival de Cannes, o iraniano “More Than Two Hours” (“Bishtar Az Do Saat”, 2013, 15 min), de Ali Asgari, se passa numa madrugada, quando um jovem casal percorre a cidade à procura de um hospital para tratar da moça, mas isso torna-se mais complicado do que pensavam No Irã, Melhor curta metragem estrangeira: 

Na produção paranaense “Paixão Nacional” (Brasil, 2015, 15 min), de Jandir Santin, um adolescente morador da periferia de Curitiba conhece uma turista alemã durante a Copa do Mundo FIFA de 2014 e irão experimentar todas as suas diferenças. No entanto, essa relação será determinada por algo maior que as suas vontades e paixões. Estrelado por Clarissa Nieber e Maicon Douglas, a obra foi eleita como melhor filme da competição de curtas-metragens do Latino Film Festival, na Austrália. 

Premiado no Festival de Logan (Utah, EUA) como melhor filme estudantil, “Safe Space” (“Geschützter Raum”, Alemanha, 2014, 13 min), de Zora Rux, focaliza um casal de namorados que lutam pelos direitos dos refugiados em Berlim. Quando uma investida inocente se transforma em ataque sexual, o grupo tem de repensar seus objetivos e a história do casal ganha uma dimensão pública indesejada. O curta foi ainda exibido no Montreal World Film Festival (Canadá) e recebeu premiações no Mosaic Experience Michigan (EUA), Regensburg Short Film Week (Alemanha), Luksuz Film Festival (Eslovênia) e nos eventos alemães FiSH Festival Rostock, Wendland Shorts e Shorts at Moonlight. 



Baseado em Franz Kafka, “Colônia Penal” (Brasil, 2015, 10 min), de Marco Escrivão, é uma versão para cinema do espetáculo homônimo da Cia Carne Agonizante. O curta, que teve exibição no Festival One Shot da Armênia, utiliza uma estrutura de gestos, ações e movimentos para gerar um jogo de tensões com o público e tratar do período da ditadura civil-militar brasileira (1964-1985). Estão em cena o insólito e o absurdo, seja numa detalhada descrição de métodos de tortura dos regimes antidemocráticos, seja na cruel e irônica omissão de um observador estrangeiro, ou ainda na estranha relação entre o poder oficial e o condenado.

 Já “Arianas” (Brasil, 2014, 15 min) focaliza um crime cometido contra duas duas jovens mulheres. Estrelado por Viviane Rocha e pela diretora do filme Hylnara Anny Vidal, trata-se de uma realização dos jovens alunos do Ateliê Imagem e Narrativa, resultado do trabalho dos alunos da terceira turma do Curso da Escola Pública de Audiovisual (EAV), do Ceará. O curta ganhou exibição no Festival Audiovisual Porque Te Quiero Te Apoyo (Bogotá, Colômbia) e no Festival For Rainbow (Fortaleza).  


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal