A borboleta e a tartaruga



Baixar 11.14 Kb.
Encontro01.08.2016
Tamanho11.14 Kb.
ESCOLA _________________________________________________DATA:_____/_____/_____

PROF:______________________________________________________TURMA:____________

NOME:________________________________________________________________________

A borboleta e a tartaruga

Era uma manhã ensolarada e a velha tartaruga, que vivia na lagoa há mais de cem anos, saiu para tomar sol.

Procurou um cantinho na margem, se ajeitou vagarosamente e lá decidiu ficar no maior sossego.

Naquela mesma hora, uma borboleta, que tinha acabado de nascer, apareceu por lá, batendo apressadamente as asas.

Toda agitada, olhando para tudo quanto é lado, sem saber por onde começar.

— O que será aquilo? — pensou a borboleta quando viu a tartaruga.

E imediatamente pousou sobre ela.

— Pronto! Eu sabia que este meu sossego não ia durar! — reclamou a tartaruga. — Xô! Xô! Vai incomodar outra! Se você não consegue ficar um minuto parada, deixa em paz quem quer ficar tranquila no canto dela!

— Mas quem é você? — perguntou a borboleta.

Não está vendo que eu sou uma tartaruga?

— Que horror! — gritou a borboleta. — Fui pousar logo em cima do bicho mais parado que existe no mundo. Que horror!

E foi embora do jeito que tinha chegado.

— Que bicho irritante! — pensou a borboleta. — Eu não sei como alguém pode ficar a vida toda parada com tanta coisa para se ver.

— Que bicho irritante! — pensou a tartaruga. — eu não entendo como alguém pode se mexer o tempo todo, sem ter um pingo de sossego.

E enquanto a borboleta voava, a tartaruga encolheu a cabeça e ficou onde estava.

— Que linda flor! Como é bonita aquela amarela! E a vermelha também! Você é uma árvore? Bom dia, passarinho! Vou correr atrás da abelha... Olha eu no espelho da lagoa!...

— Para que sair daqui se o calor do sol está tão gostoso? — pensou a tartaruga.

E assim o dia foi passando, e a tartaruga no canto dela pensava:

— Nada melhor do que uma boa dormida depois de um dia longo como este.

— Nossa! Já está anoitecendo e eu não vi quase nada! — pensou a borboleta. — Como o dia foi curto!

Quando a noite chegou, a tartaruga decidiu ficar onde estava mesmo e só voltar para a lagoa no dia seguinte. E a borboleta, surpreendida pela escuridão, procurou um lugar para ficar.

— Vou pousar nesta pedrinha — pensou a borboleta, e pousou sobre a tartaruga.

— Que ventinho gostoso! — pensou a tartaruga quando sentiu a borboleta sobre ela. E fechou os olhos.

Que pedra quentinha! — pensou a borboleta e dormiu.



Naquela noite, a borboleta sonhou que era tartaruga e a tartaruga sonhou que era borboleta.

LACOCCA, Liliana. A borboleta e a tartaruga. são Paulo, Ática, 1999.
Compreensão de texto

  1. Qual é o título do texto?

R.: A borboleta e a tartaruga.

  1. Quem é o autor?

R.: Liliana lacocca.

  1. Quantos e quais são os personagens do texto?

R.: Os personagens da história são dois, a tartaruga e a borboleta.

  1. Onde se passa a história?

R.: A história se passa a beira de uma lagoa.

  1. Quantos parágrafos há no texto?

R.: No texto existem 24.

  1. Cite uma característica da tartaruga.

R.: Sossegada.

  1. Cite uma característica da borboleta.

R.: Agitada.

  1. Você se parece mais com a tartaruga ou com a borboleta? Explique sua resposta.

R.: Resposta pessoal.

  1. Em sua opinião dá para duas pessoas tão diferentes como a tartaruga e a borboleta, serem amigas? Justifique sua resposta.

R.: Resposta pessoal.

  1. Esta história se acontece em:

  1. Um mês

  2. Um dia

  3. Uma semana



www.acessaber.com.br


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal