A federação, jornal do Partido Republicano Rio-grandense, surgiu em primeiro de janeiro de 1884 e sua primeira sede estava localizada a Rua dos Andradas, 291



Baixar 4.71 Kb.
Encontro02.08.2016
Tamanho4.71 Kb.
História -  A Federação, jornal do Partido Republicano Rio-grandense, surgiu em primeiro de janeiro de 1884 e sua primeira sede estava localizada a Rua dos Andradas, 291. O periódico teve vários endereços quando, em 1922, ocupou um espaço construído especialmente para sediar este veículo. A edificação foi inaugurada em sessão solene em 6 de setembro daquele ano, durante os festejos do Centenário da Independência, no governo de Borges de Medeiros. Contudo, por imposição do Estado Novo, instituído pelo presidente Getúlio Vargas, em 17 de novembro de 1937 o jornal encerrou as atividades.

Em 1938, o jornal do Estado - misto de Diário Oficial e órgão noticioso - ficou sediado no local. Em 1942, o jornal do Estado transforma-se no atual Diário Oficial, sendo mais tarde incorporado à Companhia Rio-grandense de Artes Gráficas (CORAG), que ocupou o prédio até sua transferência definitiva para a sede atual: localizada na Rua Coronel Aparício Borges.

O responsável pela construção do prédio foi do engenheiro civil Teófilo Borges de Barros, gaúcho graduado na Escola de Engenharia de Porto Alegre, em 1909, que planejou outras edificações na Capital e realizou a reforma da Biblioteca Pública do Estado. O prédio apresenta o estilo eclético, próprio da arquitetura positivista, no qual se expressam  várias tendências artísticas. Em 1947, a edificação foi destruída parcialmente por um incêndio. Foi reconstruída e ampliada pelos fundos na Rua Caldas Junior.

Ao alto da construção se destaca a escultura alegórica, representando a imprensa, de autoria do veneziano Luiz Sanguin. Em 1995, a obra foi restaurada pelo escultor João Carlos Ferreira, da equipe da Brigada Militar, acompanhada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado, pois estava danificada há mais de 40 anos, perdendo a mão e a respectiva tocha.



Atualmente, o prédio é tombado pelo Patrimônio Histórico do Estado, pela Portaria de nº 06/82, de 23 de julho de 1982. Abriga o Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa desde setembro de 1974. O nome do museu presta homenagem ao fundador da imprensa brasileira que, em 1º de julho de 1808, iniciou a publicação do Correio Braziliense, em Londres.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal