A história da educaçÃo brasileira no pensamento educacional de fernando de azevedo



Baixar 12.98 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho12.98 Kb.
A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA NO PENSAMENTO EDUCACIONAL DE FERNANDO DE AZEVEDO

 

Mari Lucia do Amaral



e-mail: marimalu1@yahoo.com.br

 

Palavras-chave: História da Educação, Brasil, Fernando de Azevedo.



 

Resumo:

            O presente trabalho visa resgatar no pensamento educacional de Fernando de Azevedo, a forma como ele analisa as diferentes configurações históricas da educação no Brasil. Para isso, leva-se em conta o contexto histórico educacional brasileiro e a reflexão de Azevedo acerca das transformações sociais na década de 1930, momento em que as reflexões de Azevedo sobre a educação culminaram na redação do Manifesto de 1932. Como conclusão, observa-se que a forma como Azevedo analisa a história da educação no Manifesto determinou boa parte das leituras históricas que foram feitas.

 

Introdução:

            Na caminhada acerca do pensamento educacional de Fernando de Azevedo, apresenta-se o contexto histórico educacional do Brasil. Descrevem-se as dificuldades do modelo econômico vivenciado no Brasil no início do século XX, e a urgência de modernização bem como a necessidade de uma educação nova. O contexto histórico de 1930 é priorizado  dado à movimentação que culminaram no Manifesto de 1932 explicitando-se a importância do mesmo para a História da Educação no Brasil. Para uma melhor compreensão da forma como, a partir desse contexto, Fernando de Azevedo analisa a história da educação brasileira, subdivide-se o texto em três partes, que correspondem à análise azevediana: Educação no Período Imperial, Educação na Primeira República e Educação na Segunda República. Enfatiza-se a correlação existente entre educação e as transformações sociais ocorridas no Brasil, além de ser abordada a luta de Azevedo e dos intelectuais ligados a ABE (Associação Brasileira de Educação) contra a escola tradicional e toda a mobilização dos mesmos em favor da escola nova.

 

Educação no Período Imperial

            Para Fernando de Azevedo (1976) durante o Império ocorre rompimento completo com o período Colonial, sendo um dos períodos importantes da evolução cultural de nosso país. Afirma o autor que com a instrução pública, apresentando-se uma política educacional nova. Contudo o governo se mostrou incapaz de organizar a educação do país.

 

Educação na Primeira República

            Segundo Fernando de Azevedo (1976), a educação na Primeira República é caracterizada pela multiplicidade de orientações ideológicas e marcada pela inquietação social, período de reformismo da instrução pública, que abre caminho para o modelo escolanovista. Além disso, ela é vista como uma “revolução que abortou” (p.134), pois não teve o pensamento e a decisão de realizar transformações no sistema de ensino.

 

Educação na Segunda República

 

            Na visão de Fernando de Azevedo (1976), a reforma do Distrito Federal em 1928 foi importantíssima no movimento de renovação educacional, pois a partir dela entra-se numa nova fase da educação nacional. Segundo o autor a reforma de 1928 atribuiu “novos fins, nacionais, sociais e  democráticos, ao sistema de educação” (p.164) e na concepção de Azevedo essa reforma foi uma reação contra os fins eminentemente individualistas da escola, inaugurando “uma nova política de educação para o Brasil” (p.165). A década de 1930 representa para o autor um processo de legitimação da educação que, depois de tantos problemas, teria assumido um rumo mais condizente com as necessidades do país.          



 

Conclusão:

            Para Fernando de Azevedo, é só a partir da reforma de 1928 e do Manifesto de 1932, que a educação brasileira teria ganho um novo perfil, alterando profundamente a educação no país. O movimento educacional promovido pela ABE e o Manifesto de 1932 possuem grande importância no que diz respeito à História da Educação no Brasil, pois reivindicaram mudanças significativas para a educação brasileira na década de 30. Foi justamente a participação nas lutas pela modernização da sociedade e da educação que forjou a análise da história da educação elaborada por Fernando de Azevedo, e que acabou guiando boa parte do entendimento histórico que se tem, na atualidade, das estruturas educativas.


 

Referências:

ARANHA. M. L. A. A História da Educação e da Pedagogia. Geral e Brasil. 3ª ed. São Paulo. Ed. Moderna. 2006.


AZEVEDO, Fernando de. Educação entre dois mundos: problemas, perspectivas e orientações. São Paulo: Melhoramentos, 19-- .

 

AZEVEDO, Fernando de. A Transmissão da Cultura. (Parte terceira da 5ª edição da obra A cultura Brasileira), São Paulo. Melhoramentos. 1976.



 

AZEVEDO, Fernando de. O Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova (1932) http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/heb07a.htm. Acesso em 05/2007



 

FERREIRA Lenira Weil. Fernando de Azevedo e os momentos constitutivos da História da Educação brasileira.Campinas: s.n., 1994. 203p. Tese (Doutorado) Universidade Estadual de Campinas.



 


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal