A história das instituiçÕes escolares na revista on line do histedbr



Baixar 191.99 Kb.
Encontro28.07.2016
Tamanho191.99 Kb.


A HISTÓRIA DAS INSTITUIÇÕES ESCOLARES NA REVISTA ON LINE DO HISTEDBR
Autor principal: Kleber Trevisam;

Programa de Pós- Graduação em Educação da Universidade de Sorocaba – Uniso;

Co-autores: Ednilson Celestino Ferreira; Flora Cardoso da Silva; Márcia Maria Fogaça de Oliveira; Renato Moreira Cavalcante; Marco Aurélio Bugni; Leia de Cássia Langnor E. Sousa;

Programa de Pós- Graduação em Educação da Universidade de Sorocaba – Uniso;

José Luis Sanfelice, Unicamp.

e-mail: mestrado@uniso.br

Histedbr GT Universidade de Sorocaba - Uniso

APRESENTAÇÃO:

Este texto apresenta, de forma sucinta, o histórico do HISTEDBR - grupo de estudos e pesquisas “História, Sociedade e Educação no Brasil” - e sua configuração atual, bem como apresenta a sua Revista On-Line.

HISTEDBR é a denominação dada ao grupo de estudos e pesquisas sediado na Faculdade de Educação da UNICAMP, cuja criação se deu em 1986, inicialmente compondo-se de doutorandos em filosofia e história da educação da própria UNICAMP, então orientados pelo Prof. Dermeval Saviani.

Tendo como perspectiva teórica que a educação, enquanto fenômeno social se desenvolve historicamente, o grupo adotou uma proposta coletiva e permanente de trabalho de pesquisa e foi incorporando à sua formação inicial professores da Faculdade de Educação da UNICAMP e seus respectivos mestrandos e doutorandos.

Em 1991, o grupo foi institucionalizado e em 1994 adotou a sigla HISTEDBR, que permanece até os dias atuais. Esta sigla foi assim composta: HIST (história da) + ED (educação) + BR (brasileira).

Inicialmente o grupo se estruturou em um “Núcleo Permanente de Pesquisas”, que em 1991 organizou o I Seminário Nacional. A partir disto o grupo optou por realizar um programa de pesquisas no âmbito da História da Educação brasileira, priorizando a realização de um amplo levantamento, organização e catalogação de fontes para a pesquisa histórica educacional.

Em 1992, o HISTEDBR organizou o II Seminário Nacional e entre os anos de 1992 e 1995, o grupo realizou encontros anuais com os coordenadores dos Grupos de Trabalho Estaduais (GTs). Em 1995 foi realizado o III Seminário Nacional, em que foi apresentada à comunidade acadêmica a produção acumulada do grupo. A partir deste ponto, optou-se por estudos de caráter temático e perspectivas teóricas, com base nas informações levantadas.

Em 1997 o grupo organizou o IV Seminário Nacional com o objetivo de retomar a discussão teórico-metodológica para garantir a consistência e a consolidação das pesquisas.

Em 2001, o HISTEDBR organizou o V Seminário Nacional e foi tomada a decisão de reconstruir a história da escola pública no Brasil e, em vista da experiência bem sucedida de vários colóquios do HISTEDBR da Região Nordeste, de realizar Jornadas Regionais e/ou Temáticas.

Foram realizadas desde 1991 até 2007 sete Jornadas (duas em 2002, 2003, 2004, 2005, 2006 e 2007) e sete Seminários (91, 92, 95, 97, 2001, 2003 e 2006), oito Colóquios, o HISTEBR também se mantém ativo pela articulação dos grupos de pesquisa e intercâmbios.

Quanto às publicações, destacam-se os anais dos Seminários em forma de CD-ROM e volumes correspondentes; livros publicados em co-edição; catálogos de fontes locais e regionais; disponibilização de informações relevantes para os pesquisadores, pelo boletim eletrônico, home-page (http://www.histedbr.fae.unicamp.br).

Em fevereiro de 2007, a “Revista HISTEDBR On-line”, que na data da realização deste trabalho contava com 25 números, sendo 24 regulares e 1 edição especial, passou a ser alvo de pesquisa dos alunos da disciplina “História das Instituições Escolares” do curso de Mestrado em Educação da Universidade de Sorocaba, objetivando fazer levantamento de artigos, resenhas, resumos, dissertações, teses, fontes iconográficas veiculados na revista, focando o tema da história das instituições escolares.

Na pesquisa dos 25 edições foram encontrados 44 artigos, 14 resumos de dissertações ou teses, 11 resenhas, 8 documentos de fontes escritas e 32 fontes iconográficas o que corresponde, em média a: artigo 1,76%, resumo 0,56%, resenha 0,44% por número publicado.

Com base na produção encontrada, buscou-se identificar os espaços regionais que foram alvos dos trabalhos dos pesquisadores, a temporalidade em que se detiveram e a incidência dos recursos bibliográficos utilizados.
Quadro 1- Artigos

1 – EVANGELISTA, Olinda. O Instituto de Educação da USP: o encerramento de uma experiência de formação docente nos anos 30

nº 2

abril/2001



2 - SANFELICE, José Luis. História das Instituições Escolares

nº 8

out/2002


3 – BONATO, Nailda M. da Costa. Imagens da Escola Profissional Feminina no Distrito Federal

nº 9

março/2003



4- FRANÇA, Maria do Perpétuo Socorro Gomes de Souza. José Veríssimo e o Colégio Americano (1884-1890)

nº9

março/2003



5- GATTI Jr., Décio e OLIVEIRA, Lucia Helena M. de M. Colégio Santa Teresa: Um Projeto Scalambrianiano (1939-1942)

nº 9

março/2003



6 – SCHAFFRATH, Marlete dos Anjos Silva. Apontamentos sobre a Escola Normal em Maringá

n° 10

jun/2003


7 – SANTOS, Manoel Isaú P. dos. Cinqüenta anos de uma experiência de educação para o trabalho com menores com dificuldades especiais – Escola Salesiana S.José

n° 11

jun/2003



8 – JACOBUSSI, Ary Meirelles. - Revolucionou e acabou ? Breve etnografia do Ginásio Estadual Vocacional de Americana – Geva

nº11 setembro/2003

9 – NASCIMENTO, Isabel Moura. O advento da República e os Grupos Escolares no Paraná – (1900-1920)

n°12

dez/2003


10 – SOUZA, Ana Aparecida Arguelho de. - Apontamentos sobre a educação confessional na fronteira de Bela Vista/MS com o Paraguai: O Ginásio Comercial Santo Afonso

n°13 março/2004

11- MEDEIROS, Ruy Hermann Araújo. Arquivos Escolares – Breve Introdução ao seu Conhecimento.

nº 14

jun/2004


12- SILVA, Washington Abdio da e GATTI Jr., Décio. A formação de “bons cristãos e virtuosos cidadãos na princesa do sertão”: O Colégio Marista Diocesano de Uberaba 1903-1916

nº15 setembro/2004

13- RIBEIRO, Viviane e INÁCIO FILHO, Geraldo. Escolas Presbiterianas Rurais na Região do Alto Paraíba/MG

nº15 setembro/2004

14- SILVA, Melina Brasil e INÁCIO FILHO, Geraldo. Curso Normal do Colégio Sagrado Coração de Jesus ( 1931-1947) Processo Pedagógico

nº15 setembro/2004

15- SOUZA, Mariana Pecoraro de e GATTI Jr., Décio. História da Educação e Instituições Escolares- Aspectos Teórico-Metodológicos

nº15

set/2004


16 – GATTI, Giseli Cristina do Vale e INÁCIO FILHO, Geraldo. História e Representações Sociais na Escola Estadual de Uberlândia 1929-1950

nº15

set /2004



17 – MELLO, Geovana Ferreira e INÁCIO FILHO, Geraldo. Colégio Nossa Senhora das Dores – Uberaba/MG (1940-1966) – Educação Feminina

nº15 setembro/2004


18 – GONZALES, Jorge Luiz Cammarano e SANDANO, Wilson. A Formação da Escola Pública em Sorocaba (1850-1880)

nº16

dez/2004


19- ROSSI, Edinéia Regina. Identidades Étnicas e as Escolas Primárias na Primeira República.

nº17

março/2005



20 – ZOTTI, Solange Aparecida. O ensino secundário no Império Brasileiro : considerações sobre a função social e o currículo do Colégio Pedro II

nº18 junho/2005

21- CASEMIRO, Ana Palmira B.S e MAGALHÃES, Lívia D.R. O Surgimento da Escola Pública no Planaldo da Conquista

nº18 junho/2005

22- GONÇALVES, Aracely Mehl e RODRIGUES, Cleide Aparecida Faria. Gênese de uma escola : O caso do colégio SEPAM em Ponta Grossa

nº18

junho/2005



23- CORDEIRO, Sonia Valdete , CORDEIRO, Aparecida Lima e NASCIMENTO, Maria Isabel Moura. Escola Evangélica: a Primeira Instituição Educacional de Inspiração Holandesa Na Região dos Campos Gerais do Paraná

nº18

junho/2005



24- GONZALES, Jorge Luiz Cammarano e SANDANO, Wilson. Supostos para a pesquisa de instituições escolares

nº19 setembro/2005

25- MORILA, Ailton Pereira. Um monumento na avenida: A Escola Normal de São Carlos

nº19 setembro/2005

26 – SILVA, Romeu Adriano. Escola Profissional Mista Cel. Francisco Garcia de Mococa-SP Trabalho e Educação na periferia do capitalismo

nº19 setembro/2005

27- SERRA, Áurea Esteves. O Instituto de Educação Prof.Stélio Machado Lourenço e a formação do professor alfabetizador

nº19 setembro/2005

28- REIS, Rosinete Maria dos. A Implementação dos Grupos Escolares de Mato Grosso

nº21 março/2006

29- MENEZES, Dinara Occhiena. Os “gritos do silêncio” – 10 anos de luta pela conquista do espaço físico para o CEFAM em Sorocaba – E agora, o que farão?

nº 21

março/2006




30 – BOSCHETTI, Vânia Regina, MACEDO, Sâmara E. e AMARO, Vaneli P. Fundindo , Tecendo, Trilhando... aspectos da educação profissional em Sorocaba

nº21 março/2006

31 – MEIRA, Regina de Fátima. Memórias e Histórias de Ex-Professoras Primárias do Grupo Escolar Antonio Padilha (1952-1990)

nº21 março/2006

32- SOARES, Maria Lúcia de Amorim. De História e Práticas : o Projeto Convulsivo-Sinódico do “Carlos Augusto”- Piedade

nº21 março/2006

33- LINS, Leonice de Lima Mançur. Um olhar sobre o Colégio Santíssimo Sacramento ( 1940- 1960): Alguns Aspectos Sobre a Educação Feminina em Alagoinha.BA

nº 21

março/2006



34- CARVALHO, Rosana Areal de ; MARQUES, Elisangela F. e FARIA, Vinícius L. Grupo Escolar de Mariana: Ed.Pública em Mariana no Início do Século XX

nº21 março/2006

35- ISAÚ, Manoel. A instrução pública e as instituições escolares da Província de S.Paulo segundo os relatórios dos Presidentes da Província de S.Paulo (1835-1889): Considerações Pontuais

nº 22

jun/2006


36 – MIGUEL, Elisabeth Blanck e SAIZ, Paula Geron. A organização da escola pública primária no Paraná – Período Provincial

nº22

junho/2006



37- ARRUDA, Odinea de Oliveira e BRITO, Silvia Helena A. A Educação Salesiana na Escola Dom Bosco de Corumbá/MT (1956-1970)

nº22

junho/2006



38- LIMA, Ana Paula dos Santos. A Primeira Instituição Municipal de Educação Infantil em Aracaju – José Garcez Vieira (1944-1970)

nº22

junho/2006



39 – SAVIANI, Dermeval. Breves Considerações sobre Fontes para a História da Educação

nº especial agosto/2006

40- SANFELICE, José Luis. História , instituições escolares e gestores educacionais

nº especial agosto/2006

41 – LIMA, Geraldo Gonçalves de. A Institucionalização do Ensino Público em Patrocínio – MG ( 1912-1930) : O Grupo Escolar Honorato Borges

nº 23

set/2006



42- SILVA, Leandro Nunes da. O Grupo Escolar Antonio Padilha : Sua historiografia através de seus arquivos

nº 23

set/2006


43- GONZALES, Jorge Luiz Cammarano e SANDANO, Wilson. A escola em Sorocaba no Século XIX

nº23

set/2006


44- BARROS, Fernanda. Lyceu de Goyaz : Equiparação ao Colégio de Dom Pedro II e inclusão no universo do ensino secundário brasileiro

nº 24

dez/2006



Quadro2 - Resenhas

1- GONÇALVES, Julio C. República, Trabalho e Educação : A experiência do Instituto João Pinheiro (1909/1934)

nº 8

out/2002


2 -MILAN, Zeneide Gimenez. Recortes da História de Uma Universidade Pública : O caso da Universidade Estadual de Maringá

nº 8

out/2002


3- MARTINI, Lúcio. Memórias : a luta pelo ensino público e gratuito numa universidade particular: A PUC/SP

nº8

out/2002


4- FURUKAWA, Marilda Marconi. Universidade de São Paulo – Escola de Engenharia de S.Carlos : os primeiros tempos (1948-1971)

nº8

out/2002


5- FUNES, Antonio Jorge. A educação e os imigrantes italianos : Da Escola das Primeiras letras ao Grupo Escolar

nº 8

out/2002


6 - NASCIMENTO, Maria Isabel M. Primeira História da Educação Escolar na Região do Contestado. Da Instrução das Primeiras Letras no Tempo do Império à Conquista do Ensino Superior nos Anos Dourados de Nilson Thomé.

n° 9


março/2003

7- BONFANTI, Maria Celina Barros Mercúrio. Arquitetura e Educação : organização do especo e propostas pedagógicas dos Grupos Escolares Paulistas (1893/1971)

n°21

mar/2006


8-ANDRADE, Maíra Leão de Campos. Palimpsestos : Fotografias da Escola Normal da Praça (1889-1910)

nº21 março/2006

9- TRAVASSOS, Maria Lúcia Galvão L. Vieram e Ensinaram : Colégio Piracicabano , 120 anos

n°21 março/2006

10- SILVA, Ageu Peres da. Vida Cultural em Santa Maria: o caso da Escola de Teatro Leopoldo Fróes (1943-1983)

nº21 março/2006

11- GATTI, Jr., Contribuições para um rico e importante debate teórico metodológico sobre a história das instituições escolares

nº24 dezembro/2006


Quadro 3 – Resumos, Dissertações e Teses

1- ANANIAS, Mauricéia. As escolas para o povo em Campinas: origem, ideário, contexto

nº 1

set/2000


2 – G.T. das Faculdades Integradas Católicas de Palmas. Faculdades Integradas de Palmas : a memória da educação superior na região sudoeste do Paraná

n°9 março/2003

3- SOUZA, Célia R. e VECHIA, Ariclê 12- Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ponta Grossa – Universidade Estadual de Ponta Grossa : 50 anos do Curso de História

nº9

março/2003



4 - MURASSE, Celina Midori. A Educação Para a Ordem e o Progresso do Brasil – O Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro (1856-1888)

nº10 junho/2003

5- ISAÚ, Manoel. Com Dom Bosco e com os tempos: pesquisa histórico-bibliográfica contemplando os 50 anos da Escola Salesiana S.José, a serviço da educação, à luz da preventividade, do trabalho e da busca do conhecimento como princípios pedgógicos: memória e profecia

nº12

dez/2003


6- MARTONIAK, Vera Lúcia. A Escola Normal dos Campos Gerais : A Atuação do Diretor Segundo Diretrizes do Estado

nº18 junho/2005

7-VAZ, Fabiana Andréia B. Formação de Professores no Paraná – A Escola Normal Primária de Ponta Grossa (1924-1940)

nº18 junho/2005

8- AMORIM, Mário Lopes, Da escola técnica de Curitiba à Escola Técnica Federal do Paraná: Projeto de Formação de uma aristocracia do trabalho ( 1942-1963) Mario Lopes Amorim

nº19 setembro/2005


9 – OTRANTO, Célia Regina. A Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e a construção de sua autonomia

nº19 setembro/2005

10- FERRAZ, Elen Cristina de Oliveira Ferreira Ferraz. Escola Municipal de Primeiro Grau e Ensino Supletivo Matheus Maylasky : A municipalização desejada

nº21 março/2006

11- SCHIMIDT, Maria Amélia dos Reis. O Centro de Estudos de Línguas de Sorocaba: 1989 a 2003

n°21 março/2006

12- CAMPOS, José Wilson Sanches. A gestão da Escola Municipal “Dr. Achilles de Almeida” de 1951 a 1991

nº21 março/2006

13-SILVA, Rozenilda MARIA DE Castro. Companhia de Aprendizes Marinheiros do Piauí ( 1874 a 1915): história de uma instituição educativa

nº21 março/2006

14- CORDEIRO, Sonia Valdete Aparecida Lima. A Constituição da Escola Evangélica de Carambeí: Uma Instituição Educacional da Imigração Holandesa na Região dos Campos Gerais PR

nº 24

dez/2006



Quadro 4 - Documentos

1- O regulamento da Casa de Educandas do Grão-Pará(Séc.XIX) – Anselmo Alencar Colares

nº1 set/2000

2– Orientação de Monografias em História da Educação Regional – Sandra A. Riscal

nº 1

set/2000


3- Relatório Encaminhado ao Presidente da Província , por Diogo de Mendonça Pinto em 24/11/1856 – (História da Educação Escolar em Sorocaba )

n º 8

out/2002


4- Relatório da Escola Americana, SP 1887 produzido por Horace M. Lane

nº17 março/2005

5- Apresentação ao Relatório da Escola Americana SP(1887)

nº17 março/2005

6- Projeto Instituições Escolares nos Campos Gerais – PR final do século XIX início do XX

- foto de alunos do Liceu dos Campos

- foto de alunos do Grupo Escolar Senador Correia

- foto da escola e de alunos da Escola Evangélica Luterana

- foto de alunos e profa.do Grupo Escolar Senador Correia

- foto de alunos e profa. Becker e Silva

- foto do interior da sala de aula da Escola Regente Feijó

- fotos de objetos da época (porta tinteiro,mata-borrão de ferro,máquina de datilografia, porta cartão, canetas de pena, porta papel, carta de mesa, e mata-borrão.

- foto de diploma entregue a aluno da Escola normal em 1959

nº 18


jun/2005


7- Documentos da Constituição e Instalação da Colônia Alemã Terra Nova

- Lista de chamada de 1938

- Relatório do lançamento da pedra fundamental da Igreja de Terra Nova

- Relação dos Imigrantes , suas ocupações e locais de origem

- Relato da Vida do Sr. Walter Stegniam

nº 18


jun/2005


8- Documento da Primeira Escola da Colônia de Terra Nova –

- Mapa da viagem dos imigrantes alemães para o Brasil – ponto de partida e ponto de chegada.

- Mapa político da Alemanha do Pós-Guerra

- Cartão postal exaltando as realizações do Governo Vargas

- Folheto de Propaganda para o carro nacional

- Telegrama de 16/02/1942 – do Ministério da Justiça e Negócios Interiores nº 434 para o Ministro da Educação e Saúde

- Foto de vista da sede da Fazenda Garcês

- Foto da Escola para Alguns Terrenos

- Foto da Administração da Colônia Terra Nova

- Fotos da viagem para o Brasil ( brincadeiras,primeiros colonos)

- Foto da Escola da Colônia Terra Nova e mais tarde sede do Clube 25 de Julho.

nº18


jun/2005

9- Ata da Primeira Reunião Pedagógica do Grupo Escolar Mecânico Ferroviário Sorocaba /sp realizada em 15/7/1937

nº21 março/2006

10- Termo de Visita ao Grupo Escolar Mecânico Ferroviário 1937

nº21 março/2006

11- Academia Universal Arte e Profissão: 52 anos de ensino profissionalizante em Ponta Grossa

- Licença de Funcionamento da Escola

- 14 fotos do cotidiano da Escola , abrangendo formaturas,exposição de trabalhos,folhetos de propaganda, palestras,aulas de modelagem,pintura,artesanato, corte e costura e desfile em Ponta Grossa.


nº 22


jun/2006

Quadro 5 - Bibliografia Resenhada

1 - FARIA FILHO, Luciano Mendes de. República, trabalho e educação: a experiência do Instituto João Pinheiro 1909/1934. Bragança Paulista: Editora da Universidade São Francisco, 2001.

Por: Júlio C. Gonçalves


nº 8


out/2002

2 - NOSELLA, Paolo e BUFFA, Esther.Universidade de São Paulo – Escola de Engenharia de São Carlos – Os primeiros tempos: 1948-1971. São Carlos: UFSCar – FAPESP, 2000.

Por: Marilda Marconi Furukawa


nº8


out/2002


3 - SHEEN, Maria Rosemary C. C.. Recortes da história de uma universidade pública. O caso da Universidade Estadual de Maringá. Maringá: EDUEM, 2001.

Por: Zeneide Gimenez Milan


nº8


out/2002


4 - MIMESSE, Eliane. A educação e os imigrantes italianos: da escola das primeiras letras ao grupo escolar. São Caetano do Sul: Fundação Pró-Memória, 2001.

Por: Antonio Jorge Funes


nº8


out/2002


5 - RIBEIRO, Maria Luiza S.. Memórias. A luta pelo ensino público e gratuito numa universidade particular – a PUC/SP. Campinas: Autores Associados, 2001.

Por: Lúcio Martini


nº8


out/2002


6 - THOMÉ, Nilson. Primeira História da Educação Escolar na Região do Contestado. Da instrução das primeiras letras no tempo do Império à conquista do ensino superior nos anos dourados. Caçador: UnC, 2002.

Por: Maria Isabel M. Nascimento


nº9


mar/2003


7 - BUFFA, Esther e ALMEIDA PINTO,Gelson. Arquitetura e Educação: Organização do Espaço e Propostas Pedagógicas dos Grupos Escolares Paulistas, 1893/1971. São Carlos: EDUFSCar/ INEP,2002.

Por: Maria Celina Barros Mercúrio Bonfanti


n° 21


mar/2006


8 - CORRÊA, Roselânine Casanova. Vida Cultural em Santa Maria: O caso da Escola de Teatro Leopoldo Fróes (1943-1983). Dissertação (Mestrado) . PUC Rio Grande do Sul. Porto Alegre RS,2003.

Por: Ageu Pereira da Silva


nº 21


mar/2006


9 - ELIAS,Beatriz Vicentini. ...Vieram e Ensinaram. Colégio Piracicabano, 120 anos. Piracicaba: Editora UNIMEP, 2001, 416 p.

Por:Maria Lúcia Galvão L.Travassos


nº 21


mar/2006

10 - OLIVEIRA, Mirtes Cristina Martins de. Palimpsestos: fotografias da Escola Normal da Praça( 1889-1910) Tese de Doutorado. Pontifícia Universidade Católica (PUC) São Paulo. São Paulo. 2002. 145p.

Por: Maíra Leão de Campos Andrade


nº21


mar/2006


11 – MAGALHÃES, Justino Pereira de (2004). Tecendo Nexos: história das instituições educativas. Bragança Paulista/SP. Editora Universitária São Francisco

Por: Décio Gatti Júnior


nº24


dez/2006



Quadro 6 – Espaço, Tempo e Instituições

Artigo nº

Espaço-nacional

Espaço –regional –local

tempo

Instituição estudada

1




São Paulo – SP

1930

Instituto de Educação da USP- S.Paulo

2- teoria*













3




Distrito Federal – RJ

1889-1930

Esc.Profissional Feminina do Distrito Federal

4




PA

1884-1890

Colégio Americano-Pará

5




Ituiutaba – MG

1939-1942

Colégio Santa Teresa-Ituiutaba- mg

6




Maringá – PR

1856-1958

Escola Normal de Maringá

7




Campinas – SP

1953-2003

Escola Salesiana S.José- Campinas

8




Americana – SP

1962

Ginásio Estadual Vocacional de Americana – GEVA

9




Região de Campos Gerais PR

1900 -1920

Escolas públicas

10




Bela Vista – MS

1966 - 1975

O Ginásio Comercial Santo Afonso

11– teoria*













12




Uberaba –MG

1903 -1916

Col. Marista Diocesano

13




Região do Alto do Paraíba – MG

Séc. XIX e Séc. XX

Instituições Confessionais

14




Araguari – MG

1931 - 1947

Colégio Sagrado Coração de Jesus

15– teoria*













16




Uberlândia – MG

1929 -1950

Escola Estadual de Uberlândia

17




Uberaba – MG

1940 - 1966

Colégio Nossa Senhora das Dores

18




Sorocaba – SP

1850 - 1880

Escolas públicas

19

X




Primeira República




20

X- Rio de Janeiro - RJ




Império brasileiro

Colégio Pedro II

21




Planalto da Conquista




Escola Pública

22




Ponta Grossa –PR




Colégio SEPAM

23




Campos Gerais – PR







24




Sorocaba – SP

1850 - 1930

Escola pública

25




São Carlos

Séc. XVIII e início do Séc. XIX

Escola Normal de São Carlos

26




Mococa – SP

1931 - 1936

Cel. Francisco Garcia de Mococa

27




Birigui - SP

1961 - 1976

I. E. Prof. Stélio Machado Loureiro

28




MT

1910 -1927

Grupos escolares no MT

29




Sorocaba –SP

1980 -1998

CEFAM – Sorocaba

30




Sorocaba – SP

1701 -1840

Curso de Ferroviários da Estrada de Ferro Sorocabana

31




Sorocaba

1952 - 1990

Grupo Escolar

Antonio Padilha.



32




Piedade- SP

1995

Carlos AugustoE.E.P.S.G Prof. Carlos Augusto de Camargo


33




Alagoinhas – BA

1940 - 1960

Col. Santíssimo Sacramento

34




Mariana – MG

1909 -1926

Grupo Escolar de Mariana

35




Província de São Paulo

1835 - 1889

Instituições escolares

36




Província do Paraná

1854 -1889

Escolas primárias públicas

37




Corumbá – MT

1956 - 1970

Escola Dom Bosco

38




Aracajú – SE

1944 - 1970

Instituição Municipal de Educação Infantil : José Garcez Vieira

39– teoria*













40- teoria*













41




Patrocínio – MG

1912-1930

Grupo Escolar Honorato Borges

42




Sorocaba – SP

1896-2006

Grupo Escolar Antonio Padilha

43




Sorocaba – SP

1850-1920

Escolas Públicas

44




Goiás – GO

1846-1976

Lyceu de Goyaz

Obs.: Os artigos que se referem a teorias não foram classificados nesse item porque não se reportam a tempo, espaço ou local definidos.

Quadro 7 – Referências Bibliográficas utilizadas*

Autor

Obra

nº de citações

BUFFA, E.

História e filosofia das instituições escolares. In: ARAÚJO, J. C. S. &; GATTI JÚNlOR, D.(orgs.). Novos temas em História da Educação Brasileira: instituições escolares e educação na imprensa. Campinas-Uberlândia: Autores Associados-EDUFU, 2002, p.25-38.

11

SAVIANE, D. (Org.).

História e História da Educação: o debate teórico-metodológico atual. Campinas: Autores Associados/ HISTEDBR, 1998.

10

ALMEIDA, Aluísio de

História da instrução em Sorocaba. Piracicaba, SP: Shekinah.(1989)

9

GATTI JR, D.

Reflexões Teóricas sobre a História das Instituições Educacionais. Ícone-v. 6 n°. 2 Jul./Dez. 2000

9

CARVALHO, M. M. C. de.

A escola e a República. São Paulo: Brasiliense, 1988.

8

ARAÚJO, J. C. S. &; GATTI JÚNIOR, D.(orgs.).

Novos temas em História da Educação Brasileira: instituições escolares e educação na imprensa. Campinas-Uberlandia: Autores Associados-EDUFU, 2002, p. 39-64.

7

LOMBARDI, J. C. (org.).

Pesquisa em educação. História, Filosofia e Temas transversais. Campinas, SP: Autores Associados: HISTEDBR; Caçador, SC: UnC, 2000.

7

MAGALHÃES, J. P.

Breve apontamento para a História das Instituições Educativas. In: SANFELICE, J. L. e outros (orgs.). História da Educação. Perspectivas para um intercâmbio internacional. Campinas: HISTEDBR/Autores Associados, 1999, pp. 67-72.

7

HOBSBAWM, E.

História. São Paulo, Companhia das Letras, 1998.

6

MARX, Karl & ENGELS, Friedrich.

A ideologia Alemã. (Feuerbach) 2ª tiragem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

6

MOACYR, Primitivo

A Instrução e a República: Código Epitácio Pessoa – 1911-1924. v. 3. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1941.

6

NUNES, C.

História da Educação Brasileira: novas abordagens de velhos objetivos. Teoria & Educação, Porto Alegre, n. 6, p. 151-182, 1992.

6

TEIXEIRA, Anísio Spinola.

Educação é um direito. São Paulo: Ed. Nacional, 1967.

6

ALVES, G. L.

A produção da escola pública contemporânea. Campo Grande/Campinas: UFMS/Autores Associados, 2001.

5

BENJAMIN, W.

Escavar e lembrar; o narrador; Teses sobre a filosofia da história. In: Magia e Técnica, arte e política: ensaios sobre a literatura e história da cultura, obras escolhidas. São Paulo: Brasiliense, 1986.

5

MORTATTI, Maria do Rosário Longo.

Entre o ideal e o usual: a didática mínima, de Rafael Grisi. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 82, n. 200/202, p. 15-25, set. 2003b.

5

RIBEIRO, M. L. S.

História da Educação Brasileira: a organização escolar. São Paulo: Cortez e Moraes, 1978.

5

SANFELICE, José Luis

História de instituições escolares: apontamentos preliminares. QUAESTIO: Revista de estudos de educação. V. 1 (Maio 1999) – Sorocaba, SP: Uniso.(1999)

5

AZEVEDO, F.

Os sistemas escolares. In: PEREIRA, Luiz & FORACCHI, Marialice M. (orgs.). Educação e sociedade (leituras de sociologia da educação). 9ed São Paulo: Nacional, 1978. pp. 138-149.

4

AZZI, Riolando.

A vida religiosa no Brasil. Edições Paulinas: São Pulo: 1983.

4

CARDOSO, C.F

. História e Paradigmas Rivais. In: Domínios da História: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997. pp. 1-23

4

DEWEY, John.

Democracia e educação. São Paulo: Editora Nacional, 1959.

4

FOUCAULT, M.

A ordem do discurso. Trad. Laura Fraga Almeida Sampaio. São Paulo: Loyola.1996.

4

FRIGOTTO, G. A

A produtividade da escola improdutiva. São Paulo: Cortez, 1993.

4

LOPES, E. M. T e GALVÂO, A. M. O.

História da Educação. In: [O que você precisa saber sobre...]. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

4

LOURENÇO FILHO, M. B.

Introdução ao estudo da escola nova. São Paulo: Melhoramentos, 1978.

4

LOURO, Guacira Lopes.

Gênero, sexualidade e educação. Uma perspectiva pós-estruturalista. 2a. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997. (Em co-edição com a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação).

4

MANOEL I. A

Igreja e Educação Feminina (1859 - 1919): uma face do conservadorismo. São Paulo: UNESP.1996.

4

NEILL, A. S .

Liberdade sem medo. São Paulo: Ibrasa, 1973.

4

ROMANELLI, O. O.

História da Educação no Brasil: 1930-1973. Petrópolis: Editora Vozes, 1978.

4

STEPHANOU, M.; BASTOS, M. H. C. (orgs.).

Histórias e memórias da educação no Brasil. Século XIX. Petrópolis, RJ:Vozes, 2005.

4

VERÍSSIMO, J.

A educação da mulher brasileira. In: A educação Nacional. 3ed Porto Alegre: Mercado Aberto.1985.

4

C.SS.R

Cinqüentenário da Vice-Província de Campo Grande – 1930-1980 – o livro comemorativo do ano jubilar.

3

CARONE, Edgar.

O Movimento operário no Brasil (1877-1944). São Paulo: Difel, 1979.

3

CHARTIER, Roger.

A história cultural entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1990.

3

DURKHEIM, Émile.

As regras do método sociológico. 2.ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983. (Os Pensadores).

3

FREIRE, Paulo.

Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

3

GRAMSCI, Antonio.

Os intelectuais e a organização da cultura. 5. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1985.

3

HILSDORF, M. L. S.

Francisco Rangel Pestana: jornalista, político, educador. Tese de doutorado. São Paulo, FEUSP, 1987.

3

JULIA, D.

A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, n º 1. Campinas: Autores Associados, 2001, pp. 09-43.

3

LEAL, Rita de Cássia Dias.

O primeiro jardim de infância de Sergipe: contribuição ao estudo da educação infantil (1932-1942). São Cristóvão (SE), 2004. (Dissertação de Mestrado).

3

MACHADO, Lucila Regina de Souza, Magda de Almeida Soares, Gaudêncio Frigotto e outros.

Trabalho e educação. Campinas: Papirus:Cedes; São Paulo: Ande: Anped, 1992.

3

MEDEIROS, Ruy H.

(apresent. e notas) Tranquilino Torres: O Município da Vitória. Vitória da Conquista: Museu Regional; UESB, 1996 (Col. Memória Conquistense);

3

MORAES, Carmen Sylvia V. e ALVES, Júlia F. (organizadoras).

Contribuição à pesquisa do ensino técnico no Estado de São Paulo: inventário de fontes documentais. Centro Paula Souza / SP: Imprensa Oficial, 2002.

3

MOURA, G. F. M.

Por trás dos muros escolares: luzes e sombras na educação feminina (Colégio N. SRA. das Dores - Uberaba, 1940-1966). Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Uberlândia. 2002.

3

PIAGET, Jean.

A epistemologia genética. Petrópolis: Vozes, 1973.

3

ROGERS, Carl & STEVENS, B.

Liberdade para aprender. Belo Horizonte: Interlivros, 1973.

3

SILVA, M. A.

Intervenção e consentimento. A política educacional do Banco Mundial. Campinas/São Paulo: Autores Associados/FAPESP, 2002.

3

SOUZA, Rosa Fátima de.

Templos de civilização: a implantação da escola primária graduada no estado de São Paulo (1890-1910). São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998.

3

VIDAL, Diana Gonçalves

“Fim do mundo do fim: avaliação, preservação e descarte documental”. In: FARIA FILHO, Luciano Mendes (Org.), (2000), Arquivos, fontes e novas tecnologias: questões para a história da educação. Campinas, Autores Associados, p.31-43.

3

* Foram encontradas 614 referências, mas foram arroladas apenas as citadas mais de três vezes. No trabalho original encontram-se todas as referências.
Conclusão:

Com base na produção encontrada, identificaram-se os espaços regionais que foram alvos dos trabalhos dos pesquisadores, sendo estes distribuídos da seguinte forma: 01 instituição região Norte, 03 região Nordeste, 05 região Sul, 28 região Sudeste, 02 região Centro-oeste. Com relação à temporalidade o período em que houve o maior número de pesquisas corresponde aos anos compreendidos entre 1901 e 2006 com 25 trabalhos, 12 trabalhos referentes ao período de 1801 a 1900 e 02 trabalhos situados no período de 1701 a 1800.

Confirma-se que a temática que passou a receber a atenção da área história da educação a partir dos anos 1990, vem se consolidando. Para os mestrandos, autores da pesquisa, foi exercitada a prática historiográfica com o auxílio de bibliografia específica.

Conclui-se que o tema de pesquisa história de instituições escolares, tem sido objeto de atenção dos pesquisadores de diferentes regiões do país, que se voltam para os mais diversos tipos de instituições escolares, recorrendo a fontes de naturezas múltiplas e com referenciais teóricos variados.

Este levantamento preliminar necessita ainda de um aprofundamento, em especial no que diz respeito a uma maior clareza quanto aos referenciais teóricos que os pesquisadores estão utilizando em suas pesquisas. Se foi possível percebê-los como distintos entre si, ainda não se explicitou, de forma acentuada, seus pressupostos e categorias de análise. A pesquisa, portanto, poderá ter continuidade nesta direção.

Referências bibliográficas


MAGALHÃES, Justino Pereira de. Tecendo nexos. História das instituições educativas. Bragança Paulista, EDUSF, 2004.

NOSELLA, Paolo; BUFFA, Ester. As pesquisas sobre instituições escolares: balanço crítico. Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/artigos_frames/artigo_088.html. Acesso em: mar. 2006.

SANFELICE, José Luis. História, instituições escolares e gestores educacionais. Revista Histedbr On-line, Campinas, n. especial, p. 20-27, ago 2006.

SAVIANI, Demerval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, v 12, n 34, p 152 a 165, jan./abr. 2007.

SAVIANI, Demerval. Breves considerações sobre fontes para a história da educação.Revista Histedbr On-line, Campinas, n. especial, p 28 a 35, ago 2006.

SAVIANI, Demerval. Instituições escolares: conceito, história, historiografia e práticas.Cadernos de História da Educação, n. 4, p. 27 a 33, jan./dez. 2005.





©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal