A letra Escarlate



Baixar 7 Kb.
Encontro02.08.2016
Tamanho7 Kb.
A letra Escarlate
Imagine-se na Nova Inglaterra (Estados Unidos da América) do século XVII, dominada por puritanos. Este é o cenário de A Letra Escarlate, escrita por Nathaniel Hawthorne publicado em 1850. 

             Vamos acompanhando a história de Hester Prynne, uma mulher casada que vai para a cidade de Salém sem seu marido, pois ele iria depois enquanto ela arrumaria a casa para sua vinda. O dito marido demora anos para voltar e de repente Hester aparece grávida! Oras, como pode uma mulher casada, mas que o marido não está presente, engravidar? Logo, a sociedade puritana chega à conclusão: Adultério! Sendo assim, Hester é presa e passa sua gravidez atrás das grades. Ela se recusa a dizer quem é o pai da criança e como foi seduzida. Sendo assim, todos afirmam que está gravida do demônio. Ela dá a luz a uma linda menina e a nomeia de Pearl. Logo após o nascimento, Hester e Pearl são levadas a um cadafalso onde toda a multidão assiste sua sentença: Levar para sempre a letra A em cor escarlate em sua roupa até morrer, como símbolo de seu pecado e após a morte, será lapidada a letra em sua tumba. 

             É, não vou dizer que é um livro feliz, pelo contrário. Hester é humilhada e ignorada por todos e sua filha Pearl vai crescendo sozinha, pois ninguém quer brincar com a filha do demônio. Acontece que o espetacular desse livro é a ironia. Em certo momento a peste negra (você sabem, a doença das pulgas dos ratos) chega à cidade, Hester não é atingida e acreditem, ela cuidou de todos, foi enfermeira daqueles que a ignoravam e imaginem, na enfermidade até clamavam por ela, mas aqueles que se curaram não tiveram piedade e não agradeceram, continuando a ignorá-la como se nunca tivesse precisado dela.

             Pearl, apesar de ser criança é a personagem mais adulta e perspicaz que você consiga imaginar. Com três anos de idade ela tem vontade própria e tem resposta pra tudo. Não aceita ambiguidade no que dizem pra ela e busca resposta sozinha se você não as falar. A igreja tenta tirar a criança de Hester, mas depois de uma entrevista, a mãe consegue manter Pearl junto de si, pois é a única pessoa que tem em sua vida. 

             Há mais dois personagens importantes na história, o doutor Roger Chillingworth e o padre Artur Dimmesdale. Esses dois são a chave para o segredo de Hester Prynne. 

             E não, não vou contar pra vocês quem é o pai da Pearl ou o que acontece com Hester Prynne. Paro aqui minha resenha deste livro tão intenso, pesado, de história poderosa que mexe com nossos sentimentos e muitos leitores já me afirmaram que ficaram com olhos marejados no final da narrativa. Nathaniel Hawthorne fez este livro para demonstrar sua repulsa pelos puritanos, que se diziam santos, mas que era uma sociedade podre, vivendo de aparência e julgando as pessoas (principalmente mulheres, acusadas de bruxaria) sem ao menos ouvir-lhes a sua versão da história, sendo que muitos que julgavam, cometiam os piores pecados impostos por eles mesmos. É um ótimo e autêntico clássico.


Beatriz Almeida, resenha criada para o blog Querida Prateleira. Confira em: http://www.queridaprateleira.com.br/2014/06/resenha-letra-escarlate-nathaniel.html


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal