A liga Extraordinária de São Caetano do Sul (*) Carlos Aparecido dos Santos



Baixar 9.56 Kb.
Encontro30.07.2016
Tamanho9.56 Kb.
A Liga Extraordinária de São Caetano do Sul
(*) Carlos Aparecido dos Santos

A arte cinematográfica, muitas vezes, recebe inspirações da literatura e dos quadrinhos. E no caso do gênero fantástico, muitos filmes surgiram com seus argumentos baseados em personagens idealizados primeiramente pela arte escrita. "A Liga Extraordinária" (The League of Extraordinary Gentlemen), que entrou em cartaz nos cinemas brasileiros em 12/09/2003, é um exemplo claro dessa combinação de mídias, onde uma série de personagens clássicos da literatura de horror, ficção científica, fantasia e aventura se juntaram numa mesma história desenvolvida pelo genial quadrinista Alan Moore resultando na famosa graphic novel "A Liga dos Cavalheiros Extraordinários", que por sua vez, com as devidas liberdades de adaptação, transformou-se num filme dirigido por Stephen Norrington e estrelado pelo experiente Sean Connery.




Na politica, isso também ocorre e, muitas vezes recebe inspirações da literatura maquiavélica e das artes cinematográficas, para conquistar ou manter o poder do Estado. É o caso da "Coligação Cidade Unida" ou "A Liga Extraordinária de São Caetano do Sul", que entrou em cartaz para a história da política em 29/06/2008, reunindo 19 partidos da cidade de São Caetano Sul, é um exemplo claro do filme "A Liga Extraordinária", onde uma série de candidatos, de partidos diferentes, se juntam numa mesma odisséia, rumo à democracia, união e responsabilidade.



A "Coligação Cidade Unida" (Liga Extraordinária de São Caetano do Sul) é liderada pelo prefeito Dr. José Auricchio Júnior (Allan Quatermain, personagem criado pelo escritor Henry Rider Haggard em "As Minas do Rei Salomão", sendo uma espécie de precursor do arqueólogo "Indiana Jones", de Steven Spielberg), o vice-prefeito Prof. Walter Figueira Júnior (Capitão Nemo, um brilhante cientista criador do submarino "Nautilus" no livro "Vinte Mil Léguas Submarinas", de Júlio Verne) e o presidente do PTB de São Caetano do Sul, Altevir Anhê (Rodney Skinner, cientista transparente, cujo nome, foi alterado por problemas de direitos autorais, substituindo o original da literatura Dr. Hawley Griffin, da obra "O Homem Invisível", de H. G. Wells).



O prefeito, candidato à reeleição e líder da "Liga", Dr. José Auricchio Júnior, lançou 127 candidatos a vereador nesta eleição e todos escolhidos a dedo para representarem todos os setores da população de São Caetano do Sul, é formada por seis coligações, das quais, são: "Compromisso com o Futuro", "Compromisso com Você", "Semeando o Novo Futuro", "Cidade Muito Mais Feliz", "Novos Tempos" e a "Democracia Liberal".

A coligação, para quem não sabe ou ainda tem dúvidas, é um método usado pelos partidos políticos para aumentar suas forças eleitorais, e também, é uma maneira de fazer com que os partidos que têm fraca expressão eleitoral não fiquem alijados da representação. Numa eleição majoritária, apenas um candidato de um dos partidos concorre e os outros partidos que estão na coligação apóiam o candidato em questão, em troca de favores políticos – geralmente concessão de cargos – se o candidato for eleito. Na propaganda desse tipo de eleição, a coligação usa, obrigatoriamente, sob sua denominação, as legendas de todos os partidos que a integram. Na propaganda, em eleições proporcionais, cada partido usa apenas sua legenda sob o nome da coligação.

Será que todos os candidatos da "Liga", à vereança, estão cientes das suas responsabilidades sociais e representativas com a população sulsancaetanense? Será que todos estão preparados para debater ações para que o município fique cada vez melhor e com mais justiça social?



Enfim, antes de escolher um representante, pesquisem sua trajetória política e suas obras, e acima de tudo, discuta pessoalmente com o seu candidato, o plano de metas, pois, só assim, a política brasileira estará no caminho certo para a democracia, caso ao contrário, terminará como uma verdadeira tragédia grega.
(*) Carlos Aparecido dos Santos é bacharel e licenciado em História pela Fundação Santo André - SP e professor de História na Rede Estadual de Ensino de São Paulo.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal