A maçonaria



Baixar 72.86 Kb.
Encontro07.08.2016
Tamanho72.86 Kb.


A MAÇONARIA


E O CRISTÃO




Definição:
Sociedade secreta de fins filantrópicos e de assistência e defesa mútua aos seus membros, admitidos dentro de certos requisitos morais e após rito iniciático. É um sistema de moral velado por alegorias e ilustrado por símbolos. Não é religião, Embora alguns a considerem como tal, nem é seu substituto. Admitem em seu meio pessoas de todas as religiões, mas não são permitidos ateus ou agnósticos, e seus rituais refletem simbolicamente conceitos de idealismo, humanidade, caridade e fraternidade.
Princípios fundamentais e origens:
É muito discutida a origem da Maçonaria, alguns autores situam-na nos primórdios da Antigüidade oriental, outros admitem como fundador, Hiram-Abif, arquiteto do templo de Salomão; para outros deriva dos mistérios do Egito ou da Grécia ou ainda das corporações operárias criadas por Numa, em 715 a.C. Considera-se entretanto mais provável que seja ela um desenvolvimento das confrarias medievais de Pedreiros-livres, especialmente da Inglaterra. No século 15 apareceu o termo Maçonaria para designar obra de talha, mas somente no século 19 a palavra foi emprestada do francês maçonnerie para designar a associação secreta dos Franco-Maçons; o termo sempre é empregado no sentido de fazer. O adjetivo franco (Franco- Maçom), com o significado de livre, tem sua origem nos pedreiros medievais : livres para fazer o serviço. A maçonaria é uma sociedade que possui objetivos filantrópicos e humanitários; para aceitar novos membros, faz determinadas exigências morais e fá-los passar por um rito de iniciação. Aspira ao desenvolvimento do espírito, para elevar o homem e a humanidade a um grau moral superior. Trabalha através de símbolos e rituais. É uma sociedade secreta que procura a união de seus membros, acima da união profissional, patriótica, ou religiosa.

Finalidade:
A principal finalidade é o aperfeiçoamento ético do homem e da humanidade, combater o fanatismo e promover a união dos homens, desfazer os preconceitos, as distinções de raça, origem, opinião e nacionalidade.

Deseja uma justiça universal, através da qual cada um desenvolva suas faculdades livremente e a humanidade se torne uma grande família unida pelo trabalho, afeto e cultura.

Trabalha pelo melhoramento intelectual, moral e social dos homens, dirigidos pelo lema: ciência, justiça e trabalho.

Quer aperfeiçoar o homem moralmente e seus princípios básicos são: liberdade, tolerância e fraternidade. Apesar destas finalidades tão nobres, os maçons infelizmente fazem acepção de pessoas, não permitindo o aperfeiçoamento das mulheres e admitindo somente membros de boa posição social (para segundo eles, ajudarem aos necessitados). Querem unir a humanidade, mas são uma sociedade fechada.


Aspectos históricos:
Fantoni afirma que a Maçonaria nasceu do Rosa-crucianismo, quando em 1645 alguns rosa-cruzes ingleses resolveram fundar uma organização semelhante em seu país.

Mas inicialmente a Maçonaria derivou-se das associações de profissionais. No local onde houvesse uma grande construção, aí surgia uma loja maçônica (oficina de pedreiros). Para que o trabalhador fizesse parte da loja precisava dar prova de habilidade e responder às questões veladas que lhe eram perguntadas.

Esses maçons operários foram gradativamente transformando-se em maçons especulativos ou ideológicos. Então a partir de 1641, as associações começaram a receber em seu meio, membros distintos vindos de outros grupos sociais e profissionais, inclusive da própria nobreza, pensadores e até filósofos.
Princípios Maçônicos:
Existência de uma força superior, O grande arquiteto do universo; O livre pensamento - É sagrado e inviolável, cada um pode pensar como deseja e expor o seu pensamento; A tolerância mútua - Tolera-se qualquer pessoa dentro da fraternidade, contanto que seja honrado, tenha boa posição social, não possua vícios ou desvios morais; A autonomia da Razão - O homem deve dirigir seus atos e sua vida exclusivamente de acordo com a razão; A liberdade de culto - A Maçonaria não é contra religião alguma, respeita a todas, mas ao mesmo tempo incute em seus membros uma indiferença religiosa; A liberdade de consciência - Qualquer influência externa para influenciar o pensamento é considerada violência; O indiferentismo religioso - O ambiente das reuniões deve ser neutro, sem favorecer nem hostilizar nenhuma religião; O Estado neutro - A sociedade e o Estado devem permanecer neutros em relação a religião; O ensino leigo - O ensino público deve ser neutro em assuntos religiosos; A moral independente - Não deve estar ligada a crenças religiosas ou a revelações divinas; A religião natural - A sociedade deve ser norteada pelas verdades básicas comuns a todas as religiões.
Símbolos:
Os símbolos são tomados das profissões dos pedreiros e dos arquitetos, que representam a arte de construir. Os atos, sinais e ritos são todos simbólicos. A Bíblia é um símbolo que pode ser substituído pelo Alcorão ou por um livro com as páginas em branco, dependendo da loja onde é utilizado.

Outros símbolos : Esquadro, compasso, martelo, colher de pedreiro, mesa de trabalho, prumo e nível. Os que dirigem os trabalhos, vestem-se em geral com avental e luvas brancas. O simbolismo é a alma e a vida da Maçonaria. Sua interpretação nem sempre é lógica e os significados são inesgotáveis.
Ritos Maçônicos:
Os maçons não possuem uma base doutrinária. Alcançam seus objetivos através de graus, ritos e símbolos. Em geral a Maçonaria representa a arte de construir o homem. Há diferenças entre grandes lojas maçônicas de diferentes países, com relação aos ritos.

O rito escocês antigo e aceito (como é chamado) domina as maçonarias inglesas, francesas e latino-americanas e possui 33 graus de iniciação.

Os outros ritos são menos complicados e têm menos graus, mas as formas de organização das lojas são idênticas. A loja compõe-se de pelo menos sete membros: o venerável mestre, dois vigilantes, o orador, o secretário, o companheiro e o aprendiz.

Para tornar-se um aprendiz (primeiro grau) o candidato deve submeter-se a certas provas e meditações, responder a algumas perguntas e redigir um testamento; com os olhos vendados é admitido no templo, presta juramento e recebe um avental e um par de luvas e só depois de um ano poderá subir na escala de graus.


Rito de Iniciação:
Antes de um homem entrar na Maçonaria, é feita uma sindicância sobre sua vida pessoal, familiar e pública, para verificar se é de boa moral e bons costumes. Após a sindicância os membros da loja dão o seu voto.

Se aprovado o candidato é preparado do lado de fora do "templo", tira o paletó e gravata e tira o dinheiro, simbolizando que a loja o aceitará mesmo na pobreza e ele aceitará os outros na mesma situação. É levado à sala de olhos vendados e no decorrer da cerimônia faz o voto de não revelar os segredos da maçonaria e recebe uma série de informações sobre os sinais, símbolos e apertos de mão característicos.



Um Cristão pode ser maçom?
A palavra hebraica "messias" e a grega "cristo" significam ungido: quase sempre uma pessoa consagrada. Quando aplicada a Jesus significa "O Ungido de Deus". A Bíblia claramente ensina em muitos lugares que Jesus é o Cristo, mas as afirmativas mais claras estão em Mateus 16:15-17: Marcos 14:61,62 e João 4:25,26.

Negar que Jesus é o Cristo é condenar-se à perdição eterna. 1 João 2:22,23 diz: "Quem é mentiroso senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse que nega o Pai e o Filho. Qualquer que nega o Filho também não tem o Pai; e aquele que confessa o Filho, tem. Também o Pai". Apocalipse 21:8 diz que os incrédulos e mentirosos serão lançados no lago de fogo e enxofre.

A tradição maçônica ensina a adoração do Deus supremo, o Grande Arquiteto do Universo. Quem é esse Deus? Vejamos as palavras de Albert Pike, 33 grau da ordem maçônica e autor de "Morals and Dogma", pág.226: "A Maçonaria, em cujos altares onde cristãos, hebreus, muçulmanos, confuncionistas, hindus e zoroastristas podem se reunir como irmãos e unidos em oração ao mesmo Deus que está acima de quaisquer outros deuses, permite que cada um de seus iniciados busquem os fundamentos de sua fé nas escrituras de sua própria religião".Deus ensina em Êxodo 20:3-S: "Não terás outros deuses diante de mim, não farás ídolos... não os adorarás, nem os servirás...

Em Juizes 1 e 2 os israelitas não expulsaram os seguidores dos falsos deuses e o veredicto divino foi "estarão quais espinhos nas vossas ilhargas e os seus deuses vos serão como laços" (Jz 2:3). A ordem de Deus para nós, cristãos, não é apenas que não devêssemos nos associar aos incrédulos (2 Co 6:14-17),mas que deveríamos buscar fazer discípulos de todas as nações (Mt 28:19-20) pregando o evangelho salvador de Jesus Cristo.

A maçonaria está em conflito direto com a Bíblia quando ela mesma incentiva a adoração da divindade genérica: "Respeitar todas as formas de adoração, tolerar todas as opiniões políticas e religiosas; não censurar e muito menos condenar a religião do outro, não buscar fazer convertidos; mas dar-se por satisfeito se tem a religião de Sócrates: a veneração pelo Criador, a religião das boas obras e um reconhecimento gracioso das bênçãos de Deus". (Morals and Dogma, pág.333).

Para que a maçonaria seja aceitável a todos os credos, é necessário relegar a Bíblia a uma posição de igualdade entre todos os livros de outras religiões: "O Livro da Lei deve ser indispensável na Loja. No entanto, este livro não deve ser necessariamente a Bíblia Sagrada; mas de acordo com a religião dos membros da Loja . Pode ser o Corão, Zend Avesta, ou os Vedas, ou Shasters" (The Freemansons Pocket Companion, pág 44-54). Esta afirmação torna JEOVÁ Deus como igual a qualquer outro deus; uma situação interessante para os crentes maçons cujo Deus que tudo conhece, não conhece outro deus (Is.44:8).

Fica mais do que claro que o golpe final está nas palavras de Albert Pike quando ele nega a divindade de Jesus. Ele afirma o seguinte no livro Morals and Dogma, pág.524: "Não subestimamos a importância de qualquer verdade. Não consideramos qualquer palavra irreverente por qualquer pessoa ou credo". Jesus em João 14:6 declara-se como a verdade, exclusivamente. No mesmo parágrafo, Pike blasfema: "E ainda ousamos afirmar aos Sinceros cristãos que Jesus de Nazaré, não foi nada mais que um homem como nós, ou sua história a falsa personificação de uma lenda".

O evangelho da Bíblia é um presente de Deus para nós e está disponível para todos que simplesmente crêem que Jesus é o Cristo, o Redentor, o único que morreu por nossos pecados e ressurgiu dentre os mortos. O Cristianismo não requer lugares especiais para a realização de rituais secretos que são selados com juramentos de sangue (Mt S:34-37; Lc 12: l-3). Na sua próxima reunião na Loja, pergunte a si mesmo se você está adorando ao Grande Arquiteto do Universo, o deus de todas as religiões, ou se está verdadeiramente adorando a JEOVÁ Deus, o único Deus verdadeiro da Bíblia. Se a sua resposta é a última, então questione se a sua presença na Loja está verdadeiramente honrando e glorificando a Deus.

Em resposta a pergunta Quem Disse Que Um Cristão Não Pode Ser Maçom. "Uma moderna paráfrase poderia ser feita das palavras do Profeta Elias: "Quanto tempo vocês vacilarão entre duas opiniões diferentes.? Se o Senhor é Deus, siga-o, mas se o Grande Arquiteto do Universo é Deus, então siga-o" (I Reis 18:21).

"Estendi as minhas mãos todo o dia a um povo rebelde, que caminha por caminho que não é bom, após os seus pensamentos, povo Que me irrita... passando as noites junto aos lugares secretos..." (Is 6S:2-4).

"E não há salvação em nenhum outro, pois não há outro nome (além de Jesus), debaixo do céu, dado entre os homens, pelo qual possamos ser salvos" (At 4:12). "Aquele que tem ouvido para ouvir, ouça" (Mc 4:9).
O que fazer diante da Maçonaria?
Escrevo este artigo como pastor e ex-maçom. Servi como líder de uma loja maçônica na Cidade de Amsterdam, Nova Iorque, EUA, em 1980. E como grão-mestre da GRANDE LOJA dos Maçons Livres e Aceitos em 1983. Então o testemunho de um irmão me fez abandonar e começar a estudar as origens da maçonaria. Quanto mais estudo, desde 25.11.84, quando deixei a maçonaria, mais envergonhado tenho ficado por ter sido membro daquela organização; quanto mais como orientador espiritua1 de 150 mil maçons do estado de Nova Iorque. Os pastores precisam considerar a influência da maçonaria na sua igreja, no seu rebanho e em seu próprio ministério. Os maçons estão nos púlpitos, nos bancos e nos cargos de liderança de muitas igrejas, Ou todos eles estão grandemente enganados, como eu fiquei por 11 anos, ou então não são verdadeiros crentes.

A opinião de Charles Finney:

O grande evangelista do século 19, Charles Finney, deixou a maçonaria quando aceitou a Cristo como Senhor e Salvador, e declarou o seguinte no livro "O Anticristo da Sociedade Maçônica": "Enquanto a maçonaria era secreta, a Igreja não tinha luz e nenhuma responsabilidade. Assim, Deus não exigia qualquer posição da Igreja quanto à maçonaria. Agora ela foi revelada.

Já não é mais um segredo para aqueles que quiserem conhecê-la". "Desde que os rituais têm sido revelados e, tanto a Igreja quanto o mundo pode saber o que realmente é a maçonaria, Deus exige e o mundo espera que a Igreja entre em ação e se pronuncie a respeito dessa instituição. Ela não pode agora descansar em paz, pois a luz já chegou. A fidelidade a Deus e às almas humanas requer que a Igreja, como luz do mundo, se pronuncie e fale abertamente sobre sua compatibilidade ou incompatibilidade com a doutrina cristã".

"Como podemos falhar em dizer que a maçonaria é uma instituição anticristã ? Sua moralidade não é cristã... seus juramentos secretos não são cristãos,... seus ritos não são cristãos... Os juramentos maçônicos pedem que se cometam atos ilegais e não cristãos: ajudar uns aos outros nas dificuldades se estiverem certos ou errados; favorecer a maçonaria na política ou nas transações comerciais; jurar, retaliar, e perseguir até a morte os violadores do juramento maçônico;... seus juramentos são profanos e tomam o nome de Deus em vão;... as penas para estes juramentos são bárbaras e em certos casos mesmo selvagens;... seus ensinos são falsos e profanos;... seus desígnios parciais e egoísticos;... são extremamente falsos".

"Cada agência da Igreja é chamada a examinar o assunto e a pronunciar-se acerca dele de acordo com o conhecimento que tiverem. Deus não permite que homens, ou igrejas, ou pastores, fiquem inertes e, em expressando suas conclusões, ajudarem outras igrejas a se esclarecerem.

"Se as igrejas que já conhecem o assunto não derem seu testemunho, se continuarem a receber livremente os maçons, se permitirem ao povo concluir que não há nada de errado entre a maçonaria e o cristianismo, certamente estas conclusões influenciarão outras igrejas que acharão não haver nada de tão grave, perigoso e pagão que mereça sua consideração, ação e testemunho".

"Já é quase universalmente aceito que maçons atuantes não deveriam ser aceitos nas igrejas cristãs."

O que os Pastores deveriam fazer?

O que nós, pastores, diremos aos membros maçons de nossas igrejas? Vejamos novamente o que Finney escreveu: "Faça-os perceber que há uma grande diferença entre a maçonaria e o cristianismo. Argumente e esforce-se para fazê-los abandonar".

A estas palavras do irmão Finney só podemos dizer AMÉM! Que podem fazer os pastores? Podem receber este artigo, talvez de algum membro da igreja e considerá-lo em oração. Podem estudar mais sobre o assunto. Podem contatar-me ou a este ministério para maiores informações.

Você encontrará uma excelente fonte numa fita de vídeo que foi lançada nos Estados Unidos em abril e maio de 1986 "The Masonic Lodge Behind the Closed Doors" (A Loja Maçônica: Atrás das Portas Fechadas), de The John Ankerberg Show. NOTA: Esta fita foi dublada para o português em Julho/96 pelo CPR.



O que os pastores não deveriam fazer?

O pastor é responsável diante de Deus pelo seu rebanho. Eu jamais teria me envolvido com a maçonaria se um pastor tivesse pregado o mais fraco dos sermões contra a maçonaria em minha juventude. Passei 11 anos na maçonaria. Eu a justificava à minha família, igreja e colegas. Deus me perdoe!

Agradeço a Deus pelos filhos que não seguiram meu exemplo. Um deles conheceu as coisas, aprendeu e ambos oraram; um por 2 anos e o outro por 4 anos para que eu pudesse me libertar da abominação do culto maçom. Chegou o dia em que um irmão, também maçom, correu o risco de perder a minha amizade.

Ele abriu a sua Bíblia e mostrou a luz e como havia encontrado esta luz em Jesus, a luz do mundo. Aquela luz mostrou a escuridão e decepção da luz maçônica. Cada verso que me mostrou identificava o entulho que havia sido colocado em minha vida como "salvação pelas obras". A sala de estar da minha vida agora estava cheia das falsas doutrinas maçônicas, e eu as renunciei naquele mesmo dia. Nunca esquecerei a alegria de meus filhos naquele dia ao telefone, quando 1hes dei a notícia. Nunca me esquecerei das lágrimas no rosto de minha mãe, quando ela disse: "Outra oração respondida. Mais uma antes da minha partida". E o caloroso abraço de minha esposa fiel.



Precisamos renunciar a ela

Logo após minha saída de lá, sentei-me com cada membro maçom de minha igreja e compartilhei meu testemunho. Muitos defenderam a fraternidade. Outros até começaram uma campanha contra o seu pastor. Assim seja! "Maior é Aquele que está em mim, do que aquele que está no mundo". Alguns deixaram seus cargos na igreja sem mesmo serem solicitados. No dia 13/10/1985 preguei um sermão chamado: "Misturando a água e o óleo - Cristianismo e Maçonaria". Aquela luz expôs a escuridão da maçonaria e os maçons ainda ativos na igreja fugiram envergonhados. Em seu lugar Deus enviou outras famílias para suprir a falta. As finanças que foram ameaçadas por estas famílias maçônicas subiram 40%. O comprometimento dos membros aumentou em 25%! Pastor, fique firme com Deus e ele o abençoará!

Agradeço a Deus pelos pastores bíblicos. Se você é um deles saiba o que digo com amor: Pastor, pregue a Palavra comigo! Sim, haverá oposição. "No mundo tereis aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo". Pregue ousadamente como vemos nos seguintes textos: - Atos 18:9: "Teve Paulo durante a noite uma visão em que o Senhor lhe disse: Não temas; pelo contrário, fala e não te cales". - Colossenses 1:28: "o qual nós anunciamos, admoestando a todo homem, e ensinando a todo homem em toda a sabedoria, para que apresentemos todo homem perfeito em Cristo;" - 2 Timóteo 4: 2-5: "Prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda a longanimidade e ensino. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas." - Hebreus 2:1 1: "Pois tanto o que santifica, como os que são santificados, vêm todos de um só: por esta causa ele não se envergonha de lhes chamar irmãos." E saiba que haverá recompensas pelas perseguições sofridas, pois Tiago 1:3,12 diz: "Bem-aventurado o homem que suporta a provação; porque, depois de aprovado, receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu aos que o amam."

Jesus na Maçonaria

Pastor, você sabia que o nome de Jesus na maçonaria não seria permitido ser usado numa Loja regular e bem governada? Você sabia que quando usam passagens como I Pedro 2:5 e 2 Ts 3:6 (citadas abaixo), eles tiram a frase que cita o nome de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo? Não é apenas uma revisão como pode parecer (ligeiras modificações, porém necessárias, têm sido feitas). Você chamaria o corte do nome de Jesus de uma ligeira modificação? Não! Nenhum cristão o faria! Na primeira carta de João 2:22 diz: "Quem é mentiroso senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Esse é o anticristo, o que nega o Pai e o Fi1ho. Aquele que nega o Filho também nega o Pai, mas aquele que reconhece o Filho também reconhece o Pai". Leia 1 João 4:2 que traduz o mesmo pensamento. - 1 Pedro 2:5: "Vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo. - 2 Ts 3:6: "Mandamos-vos, irmãos, em nome do nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebestes".

Pastor, Oséias 4:6 declara: "O meu povo está sendo destruído, porque 1he falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim: visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos".

Não permita que os seus se percam

Como pastores concordamos em não deixarmos que nenhum de nós se perca. Muito mais as ovelhas que estão no nosso próprio aprisco! Trabalhem comigo. Enquanto lhes escrevo, 433 homens já deixaram a maçonaria e vivem uma vida cristã mais produtiva. Eles descobriram que as amizades da Loja estavam baseadas nos laços maçônicos e não numa genuína amizade. Sem exceção confessaram que seus atuais amigos são mais genuínos do que aqueles que tinham na fraternidade.

Se você tem membros maçons em sua igreja, você, como pastor, precisa estudar mais sobre o assunto e confrontá-los em amor. Eu deixei a maçonaria com um profundo amor pelos maçons. Oro diariamente para que eles deixem o culto maçônico. Com oração, preparação e testemunho eles sairão, ou da maçonaria ou da igreja.

A firmeza de D. L. Moody

Moody disse: "Não sei como um crente pode ir às Lojas secretas reunir-se com incrédulos. Alegam que podem ser mais influentes lá. Mas afirmo que sua influência será mais positiva se ficarem longe delas e reprovarem seus atos indignos; pois Abraão teve mais influência positiva em Sodoma do que Ló".

Por causa disso Moody foi desafiado: "Falando desse jeito perderemos todos os membros de nossas igrejas que pertencem às sociedades secretas".

Então, o ousado pastor replicou: "E daí? Gente melhor tomará seu lugar. Dê-1hes a verdade e, se ainda assim preferirem deixar sua igreja à Loja, quanto mais cedo deixarem a igreja, melhor. Prefiro ter 10 membros separados do mundo, do que 1.000 membros assim. Melhor um homem com Deus do que mil sem Ele".


DEMOLAY

Introdução

A Maçonaria é talvez um dos maiores alvos da curiosidade de várias pessoas há tempos. Sendo uma sociedade fechada, ela se auto define como segmento filantrópico, filosófico, educativo progressista. O interesse pelo que está oculto tem atraído muitos a ela como insetos em plantas carnívoras.

Esta sedução não se limita apenas a homens não evangélicos, mas infelizmente é algo que está alastrando a anos em alguns segmentos da nossa Igreja. Tamanha é a inocência de alguns líderes, que muitos não somente fecham os olhos para a coisa, como também participam como "bons maçons". "Meu povo está sendo destruído porque lhe falta conhecimento". (Os. 4:6)

É preciso uma análise minuciosa acerca dessa entidade, para que se saiba com que ou que se está lidando. Um posicionamento contrário em meio a Ignorância não é o bastante. É necessário conhecimento de causa.

Portanto este é o intuito deste trabalho, onde analisaremos a Franco Maçonaria para que possamos rechaçá-la. É preciso tirar a pele da suposta ovelha para que vejamos o lobo.

Origens e Fundadores

Pouco se sabe a respeito da origem e fundadores da Maçonaria. Porém, o que não faltam são "contos de fadas" acerca desse assunto. São personagens da antigüidade que são destacado como verdadeiros heróis neste meio.

Tubalcaim é citado como o primeiro maçom. Descendente de Caim, filho de Lamec com Seba, este homem que é dito pai dos que trabalham com cobre e ferro, viu em seu pai o exemplo de um homem homicida e polígamo (Gn. 4:22-24).

A lista segue com Ninrode, grande caçador diante do Senhor, esta figura é considerada fundador da Babilônia e arquiteto da Torre de Babel (Gn. 10:8,9; 11:1-9). Isso com certeza aproxima os ideais da Torre de Babel a Maçonaria.

Entretanto, o mais reverenciado de todos os "patriarcas" é Hiram Abif. Conta a Maçonaria que durante a construção do templo, Salomão contava com a ajuda do rei de Tiro Hiram, e contratou o filho de uma viúva chamado Hiram. Diga-se se passagem que este aparece nos relatos bíblicos apenas como bronzenista, mas aos olhos da Maçonaria, é visto como o arquiteto. É acrescentado a história o relato de sua morte. Hiram é tido como Mestre (3º grau maçom), e seus três ajudantes como companheiros (2º grau), os quais o assassinaram em busca do Segredo da Palavra. Os dois reis são informados da morte, e que o corpo fora enterrado. Após uma conturbada estória de ressurreição, entende-se que os segredos do Mestre são guardados até o seu descobrimento na Idade Média.

Os Maçons (pedreiro em francês) são quase que um sindicato em seus primórdios. Chamada Maçonaria Operativa nesta época desenvolveu-se com o passar dos séculos, não se restringindo mais apenas a artesãos, mas tornando-se aberto a outros grupos da sociedade. Nasce assim a Maçonaria Especulativa.

Em 1717, quatro lojas na Inglaterra se uniram, formando a Grande Loja, da qual se originaram todas as lojas restantes no mundo.

 

Desenvolvimento Histórico

Ao passar de Operativa para Especulativa, a Maçonaria não mais se restringiu a artesãos, mas dispôs a estar aberta a outros membros (cléricos, políticos, cientistas, etc.). Todos estes tiveram papel importante na formação de doutrinas, rituais e graus de progressão. O que não isenta o fato de que muito do que há na Maçonaria foi herdado do paganismo antigo e religiões ocultistas.

Logo a Maçonaria moderna é fruto dessas infusões ocultistas. Não anulando também os aspectos próprios do sindicato que ressaltam através de símbolos fustões morais (agora revestidos de aspectos espirituais).



Doutrina e Refutações Bíblicas

"Dizer que uma árvore não é árvore não anula a verdade". Ainda que declaradamente a Franco Maçonaria não assuma ela é uma religião. Dotada de uma visão politeísta, ela é sincretista e monísta.Tem como base a Loja Azul, que podemos chamar de a "capa do livro". Dividida em três hierarquias (Aprendiz, Companheiro e Mestre), são rasos conhecedores da verdadeira doutrina. Saindo da loja, passamos a divisão em dois ritos, o de Iorque e Escocês. O grau mais elevado é o 33º, que no Brasil é chamado Grande Inspetor Geral. As doutrinas são chamadas Landmarks, e de forma geral resumem-se a três pontos: Paternidade de Deus, Fraternidade Universal e Imortalidade da alma.


PATERNIDADE DE DEUS:
Com base na visão deísta, Deus é o Pai de toda humanidade, independente de crença religiosa. A estes não se revela de forma específica, mas tão somente através da natureza e da consciência do homem. Ele é inatingível, incognitível e distante. Tendo pouco a se dizer sobre Ele, pouco também haverá para se discordar a seu respeito.

Assim não depende em que você crê, pois em nada alterará sua posição para com o Pai (o grito é nosso). Está aberto um leque de escolhas onde você pode chegar-se a Ele através de Buda, Maomé, etc. (O grito é deles).

Desta forma a Maçonaria transforma Deus em algo genérico, que atende a todos os gostos. Como os bonés americanos, cujo tamanho é "One size fits all" (tamanho único, mas que serve a todos). Para isso dão o nome de Deus de Jabulon, Jeovah, Bel ou Ball e Om formam a "Trindade Maçônica".

Mas, o que é que a Bíblia diz?

A expressão "Filhos de Deus" não é encontrada no Antigo Testamento com referência a homens, mas a anjos. Quando observamos no Novo Testamento encontramos a relação desta identidade a homens regenerados em Cristo Jesus (Jo. 1:12; Rm. 8:14).

Com certeza Deus se revela através da natureza (Rm. 1:19-20; Sl.19:1) e da consciência humana (Rm. 2:15; Pv.20:27), porém não se limita a isso, mas se revela por meio das escrituras (Rm.15:4; II Tm.3:16), bem como ainda por seu Filho Unigênito (Jo.1:14; Hb. 1:2).

A consciência do homem está corrompida (Tt. 1:15) o que torna difícil o entendimento. Seus olhos foram cegados pelo Deus deste século (II Co. 4:4), fazendo que desta forma se multipliquem as religiões pagãs por sobre a terra, das quais a Maçonaria recebe em seu seio.

A associação do nome de Deus com outros deuses fere a integridade daquele que é o Altíssimo, ao qual ninguém se equivale e subsiste por si só (Ex.3:14;Jo.2:3;Is.40:18). Ele é zeloso e sempre se mostrou presente com seu povo (Ex.20:4; 33:14), o que desmente a teoria deísta.

Realmente o homem não pode chegar a Deus por si só, porém recebeu a revelação maior, através do qual pode chegar-se a Ele: Jesus Cristo, o filho do Deus Vivo, o único caminho (Jo. 14:6).


FRATERNIDADE UNIVERSAL:
A conseqüência natural da paternidade de Deus, é a idéia de que todos os homens são irmãos espirituais (o grito é nosso). Encontramos neste ensino a natureza humanista da Maçonaria. Através desta afirmação, os maçons fazem do homem um ser divino, que através do auto conhecimento pode chegar ao conhecimento de Deus. Com isso incentivam a fé no próprio homem, elevando-o ao nível de Deus, tornando-o passível de adoração. Será Jovem?

Ao entrarmos na vida através do sangue de Jesus, passamos das trevas para a luz. Sabemos que não pode haver por isso jugo desigual, comunhão entre santos e os profanos (o grito é deles).

No Éden encontramos o autor da idéia de que o homem pode ser divino. A serpente trouxe essa proposta a Eva através do incentivo a desobediência. Sabemos muito bem a conseqüência (Gn. 3). Nem os anjos (Ap.22:9), nem os apóstolos (At. 10:25-26; 14:11-15), os finais convivem e conviveram tão perto de Deus, aceitaram adoração.

A fé depositada em si mesmo, traz ao homem apenas destruição (Is.2:22; Jr. 17:5-6).



IMORTALIDADE DA ALMA

Concluindo que Deus é o Pai de todos, e que assim somos todos irmãos, nada resta senão a salvação de toda a humanidade, rumo ao Oriente Eterno. Ser maçom leva o homem tão somente ao auto conhecimento, o qual como já foi dito, ao conhecimento de Deus. Isso os tornam detentores de segredos maiores, os quais os profanos não têm acesso. Trata-se de uma auto justificação também, pois os mesmo se enxergam como puros. Para isso, o símbolo dos velos e aventais. Eu acho que não...

A bíblia deixa bastante claro a condenação dos que não aceitam a Jesus como único redentor (Jo. 3:18). Afirmar que o auto conhecimento oferecido pela Maçonaria é a luz, também não funciona (Jo. 3:19-21).

Ao se auto intitularem como puros de mente e coração, justos e íntegros, contradizem a Palavra de Deus (Gn. 8:21; Is. 64:6; Rm. 3:10).



Estratégia de Crescimento

A Maçonaria tem em mãos um grande trunfo para crescimento numérico: os segredos. A maioria dos adeptos adentram a Maçonaria por curiosidade. A promessa de revelação de grandes segredos atraem muitos como açúcar atrai formiga. Quando alguém detém mais conhecimento que outros, tem sobre este, certo poder. Não é por menos que a maioria dos maçons são homens de destaque social, o que constitui também um atrativo. A coisa toda funciona como uma teia de aranha, onde as moscas cada vez mais se prendem. (grito deles). Para que haja um alcance maior na sociedade criou-se segmentos entre as mulheres, moços e moças. São eles:




  • Estrela do Oriente – parentes de maçons.

  • Filhos de Jó – Maçonaria juvenil para moças.

  • Demolay – Maçonaria juvenil para rapazes.

Observação: Segundo afirmações encontradas no site da uol, cujo endereço encontra-se a seguir: http://sites.uol.com.br/rayden_mk/curiosidades.html, um dos possíveis significados do nome do fundador deste movimento, Jacobus Burgundis De Molay, é: “Substituto de Jesus”.


Acrescento à seguir, o ritual secreto da ordem juvenil Demolay (retirado de um site oficial da ordem, cujo endereço se encontra no final da página seguinte), isto é, o que dele se pode saber; deixando claro que o Demolay segue os mesmos padrões da maçonaria. Sendo portanto ocultista (adota várias práticas derivadas de religiões ocultas do oriente), sincretista (para eles Jesus Cristo, Maomé, Buda e Alan Kardec estão no mesmo pé de igualdade, sendo igualmente aceitos) e secreta (somente iniciados, e aqueles que galgam seus graus é que são informados de seus segredos).

Preste especial atenção em cada uma das palavras em negrito, e na simbologia idólatra e ocultista do Painel de Iniciação Demolay.



O RITUAL SECRETO DA

ORDEM JUVENIL “DEMOLAY”




O Ritual DeMolay foi escrito pelo maçom Frank Marshall, grau 33 da Maçonaria americana, na primavera de 1919, permanecendo o mesmo, sem nenhuma alteração, utilizado em todos os países onde funciona a Ordem DeMolay. Ele é secreto e pode ser testemunhado apenas por membros da Ordem DeMolay ou Maçons. Trata-se de uma Disciplina, e de um Método de Prática Iniciática e/ou Ocultista, que tem por finalidade o aprimoramento da personalidade do Jovem e do seu "Eu Interior", que exige o empenho de todas faculdades do estudante na grande obra do aperfeiçoamento humano. Como em qualquer Ritual bem executado, este torna-se o desdobramento da percepção, com o intuito de aperfeiçoar nossas qualidades humanas em geral e nossa compreensão do Universo e, a partir disso, agir como intermediários conscientes para a Obra de Deus em sua Criação. A primeira parte do trabalho ritualístico consiste em transformar nossa própria pessoa num instrumento digno para ser utilizado pelas "Forças da Luz"; e, a segunda parte, como consequência direta, é a dedicação ao serviço de Deus e em prol da Humanidade. O simbolismo tem importância fundamental para o Ritual, como aliás para a grande parte das demais "Ciências Ocultas". Entretanto, ao invés de contemplarmos um símbolo de forma subjetiva, como poderíamos fazer na meditação, no Ritual nos tornamos uma parte do símbolo (ou do sistema simbólico), representando-o no sentido físico e apresentando-o aos nossos sentidos de todas as maneiras possíveis, seja visualização, som, tato, odor, e até mantendo-o diante de nossos sentidos interiores. Os sentidos interiores não são apenas as faculdades da imaginação, mas também a compreensão mental, e a vontade ou intenção espiritual. O objetivo é focalizar a atenção temporariamente sobre um determinado ponto, eliminando tudo o mais além do símbolo. Esta pode parecer uma operação efetivamente "restrita", quando, na realidade é exatamente o oposto, porque não existe qualquer símbolo totalmente independente e auto-suficiente, e a "restrição" da meditação e da atenção resultam, de fato, no crescimento e desenvolvimento numa outra dimensão. As velas e os sete candelabros, na Ordem DeMolay, integram um conjunto de símbolos, sagrados, para a prática do ritual DeMolay. Quase desapercebidas no Mundo de Hoje, as velas constituem o instrumento mais simples dos rituais mágicos. Elas concentram a consciência e a vontade do invocador num objetivo preciso, funcionando como um emissor-receptor das vibrações mentais ali centradas por ocasião de seu acendimento.
www.demolaybh.com.br/ordemdemolay/ritualsecreto.htm

Pontos Fracos e Pontos Fortes

Considero difícil frisar pontos fracos em grupos como a Maçonaria. Apesar de se mostrar por vezes contraditória, ela encontra na adversidade um forte poder de enlace aos demais grupos religiosos.

É óbvio que se trata de um risco, porém muito bem calculado. Expor-se a outros credos, trazendo-os para dentro, subjugando-os a sua cosmo visão, faz da Maçonaria a "perfeita massinha de modelar religiosa". Seu detentor molda-a como quer, mas não altera sua substância. Atendendo vários "gostos", alcança seu objetivo. Mal sabe seus usuários que, enquanto a consomem, são na verdade consumidos.
Liturgia (Ritual)
O ritual maçônico é a vestimenta de sua doutrina. Ele não é fácil de se definir, pois varia de jurisdição e rito. Passando por uma evolução constante, não se prendeu mas a um, mas a muitos rituais.

As reuniões, ou capítulos, constituem-se em ima abertura com cânticos. Declara-se então postos e funções dos oficiais, os quais são honrosamente apresentados. São lidas as minutas, membros doentes são mencionados e se há algum a ser iniciado, assim se faz. Isso leva em média duas horas, sendo seguida de uma hora social. Estes rituais tem um claro intuito de aliciar mais membros. O que passar disso é secundário.



Metodologia para alcance

A Maçonaria é com certeza um ‘’osso duro de roer". O simples fato de haver cristãos ali envolvidos nos mostra o quão perigosa esta religião é. Creio no entanto, que alguns crentes que adentram nesta religião, o fizeram por ignorância. Muitos conhecem apenas a "capa do livro". Com amor e oração, mostrando-lhes a verdade acerca da Maçonaria, pode ser que, sendo realmente novas criaturas, deixarão este caminho.

A partir do testemunho dos que já foram maçons, outros poderão enxergar a verdade. Afinal, ao abandonarem os pactos de sangue, feitos dentro da Maçonaria, para realmente viverem sob o sangue do Cordeiro, será provado que Jesus é maior que qualquer aliança. A prova concreta disso são ex- maçons e seus livros de alerta as Igrejas.

Fatos Curiosos

A participação histórica da Maçonaria no cenário dos últimos séculos é um fator muito interessante. De maneira bastante discreta, esta sociedade exerceu grande influência em vários acontecimentos. A presença maçônica é vista na Revolução Francesa. Os ‘’ideais" da Maçonaria foram lema adotados neste episódio, mostrando que haviam interesses ocultos por detrás da revolução.

"Liberdade, Igualdade e Fraternidade" estiveram em foco no processo de Independência dos Estados Unidos da América. Ali pelo menos quatorze presidentes maçons governaram. Outras sociedades fechadas tiveram seu berço na Maçonaria. O fundador da Máfia, Giuseppi Mazzini (1805-1872), foi uma grande figura entre os maçons do século 19. Da sociedade formada na Silícia , cujo nome era Oblonica (que quer dizer: "Conto com um punhal"), surge um grupo de elite: A Máfia. Este nome é um acrônimo para Mazzinni autorizza turti, incendi, avvelenamenti - Mazzinni autoriza roubo, incêndio e envenenamento.

Do outro lado do oceano, na mesma época, o chamado "Irmão Gêmeo" do italiano, Albert Pike (1809-1891), dirigia o espetáculo nos Estados Unidos. Militar como Mazzinni, Pike era general do lado dos confederados, apesar de ser "Ianque", nascido em Boston. Foi um dos idealizadores que ajudou a criar a KU KLUX KLAN (Fraternidade racista americana responsável pela chacina de milhares de negros e demais membros de raças impuras em seus rituais de magia).

Na história brasileira, a Maçonaria também deixou sua marca. Na Inconfidência Mineira, temos o jovem Tiradentes, maçom iniciado na casa de Silva Alvarenga. Observamos as marcas na própria bandeira do estado, que estampa um triângulo com dizeres "Libertas quae seras tamem". Apesar de frustrada essa tentativa, a Maçonaria esteve no encalço da Independência do Brasil. José Bonifácio e D. Pedro I eram maçons. Sua colaboração também se esteve até a República, pois Marechal Deodoro também fazia parte da organização.

Conclusão

A partir deste resumo podemos concluir que a Maçonaria, e por conseqüência a Ordem Juvenil Demolay, não são grupos interessados no bem estar do homem, voltada para ideais filosóficos, filantrópicos, educativos e progressistas. É uma sombra que, ao meu parecer, constitui uma das mais fortes religiões do globo, pois em si compreende membros de todas as outras (inclusive evangélicos). É abrangente em suas idéias como a Nova Era, mas também tão concreta quanto a Igreja Católica Romana. Não é uma simples corrente filosófica, mas uma instituição, não se identifica como religião, mas como braço da mesma. Com essa camuflagem, têm a vantagem de crescer em qualquer campo, até mesmo em nossas Igrejas.



Sua ação discreta nos lembra Al Paccino, na auto descrição de seu personagem Milton em "O advogado do Diabo", o qual era o próprio Lúcifer : "Minha maior habilidade é entrar nos lugares sem ser notado". A Maçonaria está no mundo a alguns séculos, e sem que nós saibamos, tem sido o "Ventríloquo" de muitos personagens históricos. É preciso um posicionamento firme e declarado contra este "tumor maligno" dentro da Igreja Evangélica. Pois de pouco valerá lutar contra seitas e mais seitas, sendo que a "Nave mãe" de todas elas – será que você já compreende do que estou falando - está aterrizada em nossos próprios templos.
www.sepoangol.org/mason.htm



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal