A verdade Sobre o islã



Baixar 88.86 Kb.
Encontro06.08.2016
Tamanho88.86 Kb.

A Verdade Sobre O Islã



1) Propósito deste documento
Devido à falta de conhecimento e compreensão do Islã pelos ocidentais e considerando a influência desta religião nos dias de hoje, achamos que seria importante abordarmos esse assunto.

Geralmente os cristãos não têm conhecimento do conteúdo do alcorão e hadith, e às vezes a mídia omite ou distorce fatos sobre o Islã, o que torna difícil a compreensão desta religião.

Procuramos informações em diversas fontes, e o resultado deste trabalho está sendo publicado aqui.

A reprodução parcial ou total do conteúdo deste trabalho, é livre, desde que não seja usado com fins lucrativos (Copyright © 2012 Finding Peace With God).

Um glossário no final deste documento explica o significado de alguns termos que não puderam ser traduzidos.
Hoje o Islã é a segunda religião em número de seguidores no mundo:

Alguns termos aqui usados são de origem árabe e estão descritos em um glossário que pode ser encontrado no final deste documento.



2) A religião

É uma religião monoteísta, que exige a completa aceitação e submissão aos ensinamentos e da doutrina islâmica. Qualquer pessoa pode se tornar um muçulmano, independentemente do sexo, raça ou nacionalidade, simplesmente por repetir uma declaração de fé e abraçando um estilo de vida de acordo com os princípios islâmicos.


Seu principal objetivo é o de estabelecer uma única religião no mundo.
Há cerca de 1,5 bilhão de muçulmanos no mundo (2012). Eles vivem em todos as regiões do mundo e pertencem a diferentes culturas e grupos étnicos. Os 10 países com maior populações muçulmanas, em ordem decrescente, são Indonésia, Paquistão, Índia, Bangladesh, Turquia, Egito, Irã, Nigéria, China e Etiópia.

A consolidação interna do Islã na Arábia era, por estranho que pareça, provocada pela sua difusão no exterior.

A guerra santa contra os países fronteiriços, iniciada por Maomé, foi o melhor meio para fazer a então nova religião popular entre os árabes, sendo também uma oportunidade para se apoderar das riquezas dos povos dominados.

Essas guerras foram organizadas pelo Islã, mas as massas foram induzidas a aderir-las por diferentes motivos, nem sempre religiosos. Não foi esta a primeira vez em que o caldeirão árabe transbordou. Antes disso, hordas de emigrantes beduínos já haviam se estabelecido no deserto.


Os deveres dos muçulmanos formam os cinco pilares do Islã, e estabelecem o que é necessário para demonstrar e reforçar a sua fé. Estes são: a recitação do shahada ("Não há Deus senão Alá, e Maomé é seu profeta"), a oração diária (salat), a esmola (zakat), jejum (sawm) e a peregrinação (hajj).
O nono mês do calendário muçulmano é o Ramadã, período de jejum obrigatório na comemoração do "recebimento por Maomé da revelação de seu deus Alá".

Todos os muçulmanos, pelo menos uma vez na vida, devem fazer o hajj a Meca para participar de ritos especiais perpetrados ali durante o décimo segundo mês do calendário lunar. Maomé instituiu esta obrigação, para enfatizar lugares associados com Deus e Abraão (Ibrahim), fundador do monoteísmo e pai dos árabes através de seu filho Ismael (Ismail).

Outro pilar da fé dos muçulmanos, é a jihad, guerra para proteger as terras islâmicas, crenças e instituições, bem como conquistar e difundir sua fé.
A principal fonte dos preceitos e comandos em que se baseiam o Islã, são o alcorão e hadith.

2.1) O alcorão

Significa "recitação", também chamado Al-Coram, Coram, Kuran, e Al-Corão, é o texto religioso central do islã, o qual os muçulmanos consideram a palavra literal de seu deus Alá.

O alcorão é composto de versos que compõem 114 capítulos de comprimento desigual, que são classificadas como de Meca ou Medina, dependendo do lugar e da época em que foram segundo eles, revelados a Maomé.

Logo após a morte de Maomé o alcorão foi compilado em um único livro, por ordem do primeiro califa Abu Bakr e por sugestão de seu futuro sucessor Omar.

A Khadija, viúva de Maomé e filha do califa Omar, foram confiados os versos que compõem o alcorão.

Ele foi compilado no ano 632 e faz referência a pedaços do Torá (Antigo Testamento) assim como do (Novo Testamento).

Muitos fatos foram completamente misturados e o resultado é algo distorcido; se ele tivesse sido realmente revelado por Gabriel conforme eles acreditam, certamente não conteria afirmações como as que encontramos no alcorão.

Parece um relato de fatos e personagens sobre os quais se ouviu falar, mas não há certeza sobre os tempos e as pessoas envolvidas.



2.2) Hadith

Na terminologia islâmica, o termo hadith se refere a relatórios de declarações ou ações de Maomé; sua aprovação tácita ou crítica de algo dito ou feito na sua presença.

Especialista clássico do hadith, Ibn Hajar al-Asqalani, diz que o hadith se propõe a completar o conteúdo do alcorão; os hadith são considerados por tradicionais escolas islâmicas como ferramentas importantes para a compreensão do alcorão e também em matérias de jurisprudência.

hadith foram avaliados e reunidos em grandes coleções durante os séculos 8 e 9. Estas obras são consultadas até os dias de hoje em assuntos cobertos pelas leis islâmicas. As duas maiores denominações do Islã, xiitas e sunitas, têm diferentes conjuntos de coleções de hadith.



3) Quem foi Maomé?

Os muçulmanos acreditam que ele foi um profeta, a quem o alcorão foi revelado verbalmente através anjo Gabriel da parte de Deus, gradualmente ao longo de um período de aproximadamente 23 anos, com início em 22 de Dezembro de 609, quando Maomé tinha 40 anos e concluido em 632, o ano de sua morte.

Maomé nasceu no ano 570, na cidade de Meca, no sudoeste da Arábia Saudita. Segundo a lenda, um exército de anjos participaram alegremente seu nascimento. Assim que ele nasceu, ele caiu no chão, tomou um punhado de pó e declarou: "Alá é grande".

Ele teria sido nascido limpo, circuncidado, e seu cordão umbilical já cortado.

A seguir um rápido resumo de sua vida:
1. Ele se casou com Khadija, uma viúva rica 15 anos mais velha que ele.

2. Torno da idade de 40, ele começou a ter visões de Gabriel na caverna de Hira. Estas visões mais tarde seriam relatadas no alcorão.

3. Ele pregou o monoteísmo (a crença em um deus), em Meca, resultando em notoriedade e perseguição.

4. Ele fugiu para Medina, em 622. Isto marca o início do calendário islâmico. Lá, ele estabeleceu a comunidade do Islã e construiu a primeira mesquita.

5. De Medina, ele partiu para a conquista da Península Arábica. Ao fazer isso, ele e seus seguidores mataram milhares de pessoas, recolhendo seus bens e concubinas. Como um historiador escreveu: "Este período foi marcado por muitos assassinatos, instigados ou sancionados por Maomé e pelo massacre de seus opositores ou daqueles cuja riqueza que ele cobiçava para si mesmo, incluindo a dos judeus.

Em retaliação aos judeus, uma tribo inteira (800 homens) foi abatida a sangue frio e suas mulheres e crianças vendidas como escravos".

De acordo com o conhecido historiador Ibn Kathir, Maomé estabeleceu a "jizya" como um meio de compensar os "convertidos" de Meca pela sua perda de receita após a proibição total de pessoas de outras religiões no interior da Kaaba: "Alá, o altíssimo, ordenou que os muçulmanos proibissem os infiéis de entrar ou chegar perto da mesquita sagrada.”

A tribo de Maomé (Quraysh) reduziu os seus lucros do comércio na Kaaba. Por isso, Alá, o altíssimo, compensou-os, ordenando que lutassem contra o povo do livro (cristãos) até que se convertessem ao Islã ou pagar a "jizya" (Ibn Katheir, as batalhas do Profeta, p. 183-184)".


Isso permitiu a Maomé e seus sucessores financiar a expansão militar islâmica e melhorar o estilo de vida da classe religiosa através da extorsão de não-crentes. Em 630, o profeta do Islã fez primeira invasão em terras cristãs no que veio a ser conhecido como a "Batalha de Tabuk." Na verdade, não houve batalha, porque não havia exército adversário. Os moradores foram pegos de surpresa.

Muitos foram mortos, e os sobreviventes foram obrigados a pagar pela proteção de Maomé.

Onze anos após a morte de Maomé, seus companheiros varreram o norte da África, passando ao fio da espada aqueles que não se submeteram à lei islâmica.

Em 643, Tripoli foi conquistada e os cristãos foram forçados a dar suas esposas e filhos para os muçulmanos como escravos para satisfazer a jizya.

Esta lucrativa extorsão foi praticada através dos séculos e fez parte da brutal ocupacão otomana, atingindo a todos os "infiéis".

4) Quem é Jesus de acordo com alcorão?

Os muçulmanos consideram Jesus um profeta, menor do que Maomé, como podemos ver em seu alcorão:


Surata 2

136 - Dizei: Cremos em Deus, no que nos tem sido revelado, no que foi revelado a Abraão, a Ismael, a Isaac, a Jacó e às tribos; no que foi concedido a Moisés e a Jesus e no que foi dado aos profetas por seu Senhor; não fazemos distinção alguma entre eles, e nos submetemos a Ele.

Surata 3

52 - E quando Jesus lhes sentiu a incredulidade, disse: Quem serão os meus colaboradores na causa de Allah? Os discípulos disseram: Nós seremos os colaboradores, porque cremos em Deus; e testemunhamos que somos muçulmanos (que nos submetemos a ele).


55 - E quando Deus disse: Ó Jesus, por certo que porei termo à tua estada na terra; ascender-te-ei até Mim e salvar-te-ei dos incrédulos, fazendo prevalecer sobre eles os teus prosélitos, até ao Dia da Ressurreição. Então, a Mim será o vosso retorno e julgarei as questões pelas quais divergis.
59 - O exemplo de Jesus, ante Deus, é idêntico ao de Adão, que Ele criou do pó, então lhe disse: Seja! e foi.

Surata 4

157 - E por dizerem: Matamos o Messias, Jesus, filho de Maria, o Mensageiro de Deus, embora não sendo, na realidade,certo que o mataram, nem o crucificaram, senão que isso lhes foi simulado. E aqueles que discordam, quanto a isso, estão na dúvida, porque não possuem conhecimento algum, abstraindo-se tão-somente em conjecturas; porém, o fato é que não o mataram.



163 - Inspiramos-te, assim como inspiramos Noé e os profetas que o sucederam; assim, também, inspiramos Abraão, Ismael,Isaac, Jacó e as tribos, Jesus, Jó, Jonas, Aarão, Salomão, e concedemos os Salmos a Davi.




171 - Ó adeptos do Livro, não exagereis em vossa religião e não digais de Deus senão a verdade. O Messias, Jesus, filho de Maria, foi tão-somente um mensageiro de Deus e Seu Verbo, com o qual Ele agraciou Maria por intermédio do Seu Espírito.Crede, pois, em Deus e em Seus mensageiros e digais: Trindade! Abstende-vos disso, que será melhor para vós; sabei que Deus é Uno. Glorificado seja! Longe está a hipótese de ter tido um filho. A Ele pertence tudo quanto há nos céus e na terra, e Deus é mais do que suficiente Guardião.




Surata 5

17 - São blasfemos aqueles que dizem: Deus é o Messias, filho de Maria. Dize-lhes: Quem possuiria o mínimo poder para impedir que Deus, assim querendo, aniquilasse o Messias, filho de Maria, sua mãe e todos os que estão na terra? Só a Deus pertence o reino dos céus e da terra, e tudo quanto há entre ambos. Ele cria o que Lhe apraz, porque é Onipotente.



110 - Então, Deus dirá: Ó Jesus, filho de Maria, recordar-te de Minhas Mercês para contigo e para com tua mãe; de quando te fortaleci com o Espírito da Santidade; de quando falavas aos homens, tanto na infância, como na maturidade; de quando te ensinei o Livro, a sabedoria, a Tora e o Evangelho; de quando, com o Meu beneplácito, plasmaste de barro algo semelhante a um pássaro e, alentando-o, eis que se transformou, com o Meu beneplácito, em um pássaro vivente; de quando, com o Meu beneplácito, curaste o cego de nascença e o leproso; de quando, com o Meu beneplácito, ressuscitaste os mortos; de quando contive os israelitas, pois quando lhes apresentaste as evidências, os incrédulos, dentre eles, disseram: Isto não é mais do que pura magia!




Surata 9

30 - Os judeus dizem: Esdras é filho de Deus; os cristãos dizem: O Messias é filho de Deus. Tais são as palavras de suas bocas; repetem, com isso, as de seus antepassados incrédulos. Que Deus os combata! Como se desviam!




Surata 19
30 - Ele (Jesus) lhes disse: Sou o servo de Deus, o qual me concedeu o Livro e me designou como profeta.

Surata 42

13 - Prescreveu-vos a mesma religião que havia instituído para Noé, a qual te revelamos, a qual havíamos recomendado a Abraão, a Moisés e a Jesus, (dizendo-lhes): Observai a religião e não discrepeis acerca disso; em verdade, os idólatras se ressentiram daquilo a que os convocaste, Deus elege quem Lhe apraz e encaminha para Si o contrito.



Surata 43


59 - Ele (Jesus) não é mais do que um servo que agraciamos, e do qual fizemos um exemplo para os israelitas.

81 - Dize-lhes (Ó Maomé): Se o Mais Misericordioso houvesse tido um filho, seria eu o primeiro entre os seus adoradores.

5) Quem é Jesus (conforme lemos na bíblia)?


Jesus nos diz na bíblia que Ele é o Filho de Deus:
Mateus 11:25-27:
25 Naquela ocasião Jesus disse: “Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos pequeninos.

26 Sim, Pai, pois assim foi do teu agrado.

27 “Todas as coisas me foram entregues por meu Pai. Ninguém conhece o Filho a não ser o Pai, e ninguém conhece o Pai a não ser o Filho e aqueles a quem o Filho o quiser revelar.
John 3:16-18:
16 “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.

17 Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dele.

18 Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, por não crer no do Filho Unigênito de Deus.
John 14:5-14:
5 Disse-lhe Tomé: “Senhor, não sabemos para onde vais; como então podemos saber o caminho?”

6 Respondeu Jesus: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim.

7 Se vocês realmente me conhecessem, conheceriam também o meu Pai. Já agora vocês o conhecem e o têm visto”.

8 Disse Filipe: “Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta”.

9 Jesus respondeu: “Você não me conhece, Filipe, mesmo depois de eu ter estado com vocês durante tanto tempo? Quem me vê, vê o Pai. Como você pode dizer: ‘Mostra-nos o Pai’?

10 Você não crê que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu lhes digo não são apenas minhas. Ao contrário, o Pai, que vive em mim, está realizando a sua obra.

11 Creiam em mim quando digo que estou no Pai e que o Pai está em mim; ou pelo menos creiam por causa das mesmas obras.

12 Digo-lhes a verdade: Aquele que crê em mim fará também as obras que tenho realizado. Fará coisas ainda maiores do que estas, porque eu estou indo para o Pai.

13 E eu farei o que vocês pedirem em meu nome, para que o Pai seja glorificado no Filho.

14 O que vocês pedirem em meu nome, eu farei.


6) O que o alcorão e hadith dizem sobre a salvação?
O alcorão diz:
Surata 5:
72 - São blasfemos aqueles que dizem: Deus é o Messias, filho de Maria, ainda quando o mesmo Messias disse: Ó israelitas,adorai a Deus, Que é meu Senhor e vosso. A quem atribuir parceiros a Deus, ser-lhe-á vedada a entrada no Paraíso e sua morada será o fogo infernal! Os iníquos jamais terão quem os socorra.

73 - São blasfemos aqueles que dizem: "Deus é um da Trindade", porquanto não existe divindade alguma além do Deus Único. Se não desistirem de tudo quanto afirmam, um doloroso castigo açoitará os incrédulos.



Surata 40

40 – Quem cometer uma iniqüidade, será pago na mesma moeda; por outra, aqueles que praticarem o bem, sendo fiéis, homens ou mulheres, entrarão no paraíso, onde serão agraciados incomensuravelmente.


O hadith diz:
De acordo com a hadith de al-Miqdaam ibn Ma'di Karb o profeta disse: "O mártir (shaheed) tem sete bênçãos de Alá: ele é perdoado a partir do momento em que seu sangue é derramado; a ele será mostrado o seu lugar no paraíso; ele será poupado do julgamento da sepultura, e ele estará seguro no dia do Maior Terror (Dia do Juízo), será colocada em sua cabeça uma coroa de dignidade, um rubi de que é melhor do que este mundo e tudo o que está nele; ele irá se casar com 72 de al-hoor al-'iyn (virgens) e terá permissão de interceder por 70 de seus parentes".

Este é o caminho "garantido" para ir para o céu: através da jihad (guerra santa, "dar a sua vida em obediência a Alá").



7) O que a bíblia diz sobre a salvação?
A bíblia diz:

Lucas 2:

25 Havia em Jerusalém um homem chamado Simeão, que era justo e piedoso, e que esperava a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele.

26 Fora-lhe revelado pelo Espírito Santo que ele não morreria antes de ver o Cristo do Senhor.

27 Movido pelo Espírito, ele foi ao templo. Quando os pais trouxeram o menino Jesus para lhe fazerem o que requeria o costume da Lei,

28 Simeão o tomou nos braços e louvou a Deus, dizendo:

29 “Ó Soberano, como prometeste, agora podes despedir em paz o teu servo.

30 Pois os meus olhos já viram a tua salvação,

31 que preparaste à vista de todos os povos:

32 luz para revelação aos gentios e para a glória de Israel, teu povo”.

Atos 4:

8 Então Pedro, cheio do Espírito Santo, disse-lhes: “Autoridades e líderes do povo!

9 Visto que hoje somos chamados para prestar contas de um ato de bondade em favor de um aleijado, sendo interrogados acerca de como ele foi curado,

10 saibam os senhores e todo o povo de Israel que por meio do nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a quem os senhores crucificaram, mas a quem Deus ressuscitou dos mortos, este homem está aí curado diante dos senhores.

11 Este Jesus é “ ‘a pedra que vocês, construtores, rejeitaram, e que se tornou a pedra angular’.

12 Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.



Atos 13:

26 “Irmãos, filhos de Abraão, e gentios que temem a Deus, a nós foi enviada esta mensagem de salvação.

27 O povo de Jerusalém e seus governantes não reconheceram Jesus, mas, ao condená-lo, cumpriram as palavras dos profetas, que são lidas todos os sábados.

28 Mesmo não achando motivo legal para uma sentença de morte, pediram a Pilatos que o mandasse executar.


1 Tessalonicenses 5

9 Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para recebermos a salvação por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.



2 Pedro 3:

14 Portanto, amados, enquanto esperam estas coisas, empenhem-se para serem encontrados por ele em paz, imaculados e inculpáveis.

15 Tenham em mente que a paciência de nosso Senhor significa salvação, como também o nosso amado irmão Paulo lhes escreveu, com a sabedoria que Deus lhe deu.

16 Ele escreve da mesma forma em todas as suas cartas, falando nelas destes assuntos. Suas cartas contêm algumas coisas difíceis de entender, as quais os ignorantes e instáveis torcem, como também o fazem com as demais Escrituras, para a sua própria destruição.



Apocalipse 12:

10 Então ouvi uma forte voz dos céus que dizia: “Agora veio a salvação, o poder e o Reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo, pois foi lançado fora o acusador dos nossos irmãos, que os acusa diante do nosso Deus, dia e noite.



8) Qual é o conceito islâmico de paraíso?
Primeiramente, gostaríamos de frisar, que apesar de termos suprimido alguns hadith devido aos termos sensuais e repugnantes usados, transcrevemos outros literalmente para que o leitor tenha a noção exata do que ensina os hadith.

As palavras não são nossas mas constam dos assim chamados “livros sagrados do Islã” e são utilizados pelos principais estudiosos islâmicos contemporâneos.
De acordo com o Islã, o céu (paraíso) é um lugar onde há um enorme jardim, um rio que corre ao lado, e há muitas árvores e frutos.
Existem diferentes níveis de paraíso no Islã: o maior Jannat e o menor Khuldi.
De acordo com o alcorão, Jannat é um paraíso sensual onde os muçulmanos são recompensados casando-se com 72 virgens com seios "grandes", "em forma de pêras".
Os principais estudiosos islâmicos contemporâneos, como Gibril Haddad, têm comentado sobre a natureza erótica do paraíso descrito no alcorão, dizendo que alguns homens podem precisar "tomar um banho" apenas por ouvir certos versos.
Teólogos muçulmanos ortodoxos como al-Ghazali (morto no ano 1111) e al-Ash'ari (morto no ano 935), discutiram os prazeres sensuais encontrados no paraíso.

Os prazeres sensuais entre muçulmanos e ninfas no paraíso também são confirmadas pelas duas coleções de hadith Sahih, ou seja, Sahih Bukhari e Sahih Muslim, onde lemos que haverão virgens que "não vão urinar, nem defecar, cuspir, ou ter qualquer secreção nasal; seu "suor irá cheirar como musk".

“Seus penteados serão de ouro, e seu suor irá cheirar como almíscar (musk). Suas esposas serão lindas companheiras. Todas são parecidas umas com as outras e lembram seu pai Adão na altura, isto é, com 60 côvados de altura”.

Sahih Bukhari

"Deus, o Exaltado e Glorioso, criou Adão à Sua própria imagem com a sua altura de 60 côvados; quem entrar no paraíso irá receber a forma de Adão, e sua altura será de 60 côvados. Os descendentes de Adão foram diminuindo de tamanho até este dia. (Sahih al-Bukhari, Volume 8, Livro 74, Número 246).
Nota: cada côvado corresponde a 45,72 centímetros.
"No Paraíso há um pavilhão feito de uma única pérola oca, com 60 milhas de largura, em cada canto há esposas que não verão as outras, e os muçulmanos as visitarão e desfrutarão delas." - Sahih Bukhari 6:60:402.
De Zayd ibn Arqam: "Quando um judeu ou cristão incrédulo perguntou ao Profeta," Você está dizendo que um homem vai comer e beber no paraíso "Ele respondeu:" Sim, por Aquele em cujas mãos está a minha alma, e cada um deles terá a força de cem homens em seu comer, beber, coito, e prazer "" -. Sifat al-Janna, al-`Uqayli no` Du afa ', e de Abu Musnad Bakr al-Bazzar.
9) Como é paraíso retratado na bíblia?
A Palavra de Deus nos ensina que o céu é um lugar sagrado, onde o próprio Deus habita, com Jesus Cristo, à Sua direita.
Apocalipse 21:
22 Não vi templo algum na cidade, pois o Senhor Deus todo-poderoso e o Cordeiro são o seu templo.

23 A cidade não precisa de sol nem de lua para brilharem sobre ela, pois a glória de Deus a ilumina, e o Cordeiro é a sua candeia.

24 As nações andarão em sua luz, e os reis da terra lhe trarão a sua glória.

25 Suas portas jamais se fecharão de dia, pois ali não haverá noite.

26 A glória e a honra das nações lhe serão trazidas.

27 Nela, jamais entrará algo impuro, nem ninguém que pratique o que é vergonhoso ou enganoso, mas unicamente aqueles cujos nomes estão escritos no livro da vida do Cordeiro.


Apocalipse 22:

1 Então o anjo me mostrou o rio da água da vida que, claro como cristal, fluía do trono de Deus e do Cordeiro,

2 no meio da rua principal da cidade. De cada lado do rio estava a árvore da vida, que frutifica doze vezes por ano, uma por mês. As folhas da árvore servem para a cura das nações.

3 Já não haverá maldição nenhuma. O trono de Deus e do Cordeiro estará na cidade, e os seus servos o servirão.

4 Eles verão a sua face, e o seu nome estará em suas testas.

5 Não haverá mais noite. Eles não precisarão de luz de candeia, nem da luz do sol, pois o Senhor Deus os iluminará; e eles reinarão para todo o sempre.


Apocalipse 22:

14 “Felizes os que lavam as suas vestes, e assim têm direito à árvore da vida e podem entrar na cidade pelas portas.

15 Fora ficam os cães, os que praticam feitiçaria, os que cometem imoralidades sexuais, os assassinos, os idólatras e todos os que amam e praticam a mentira.
O sexo foi criado por Deus para permitir que o homem e a mulher tivessem filhos, para encher a terra com sua prole.
Gênesis 1:27-28:
27 Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

28 Deus os abençoou, e lhes disse: “Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra! Dominem sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se movem pela terra”.


No céu não há procriação, porque a morte já não existe e os corpos são glorificados; não gênero masculino ou feminino.

Não há pois nenhum sentido se conceber o casamento ou sexo no céu.


Pior ainda, é imaginar que alguém que chegue ao céu, se prostitua (adultério, sexo com mais de uma mulher), com 72 pseudo-virgens (uma vez que não há mais a virgindade depois da primeira relação sexual), na presença de seres celestiais , especialmente o próprio Deus e de Jesus Cristo: isto é um absurdo completo, uma loucura, uma abominação, uma doutrina de demônios.
1 Coríntios 15:
50 Irmãos, eu lhes declaro que carne e sangue não podem herdar o Reino de Deus, nem o que é perecível pode herdar o imperecível.

51 Eis que eu lhes digo um mistério: Nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados,

52 num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta. Pois a trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis e nós seremos transformados.

53 Pois é necessário que aquilo que é corruptível se revista de incorruptibilidade, e aquilo que é mortal, se revista de imortalidade.

54 Quando, porém, o que é corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal, de imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrita: “A morte foi engolida vitória”.
Mateus 22:

23 Naquele mesmo dia, os saduceus, que dizem que não há ressurreição, aproximaram-se dele com a seguinte questão:

24 “Mestre, Moisés disse que se um homem morrer sem deixar filhos, seu irmão deverá casar-se com a viúva e dar-lhe descendência.

25 Entre nós havia sete irmãos. O primeiro casou-se e morreu. Como não teve filhos, deixou a mulher para seu irmão.

26 A mesma coisa aconteceu com o segundo, com o terceiro, até o sétimo.

27 Finalmente, depois de todos, morreu a mulher.

28 Pois bem, na ressurreição, de qual dos sete ela será esposa, visto que todos foram casados com ela?”

29 Jesus respondeu: “Vocês estão enganados porque não conhecem as Escrituras nem o poder de Deus!

30 Na ressurreição, as pessoas não se casam nem são dadas em casamento; mas são como os anjos no céu.

10) O que o alcorão e hadith dizem sobre os que não são muçulmanos?

Embora os muçulmanos neguem seu comportamento beligerante em relação a outras religiões, a verdade é que nós encontramos em muitos lugares do alcorão e hadith exortações e ensinamentos que os contradizem, como você verá em seguida:


10.1) Hadith:
Maomé disse: "Se alguém abandonar o Islã, matem-no." (Hadith Al Buhkari vol 9:57.);
Maomé disse: "Eu fui ordenado a lutar com o povo até que eles digam que ninguém tem o direito de ser adorado senão Alá" (Al Bukhari vol 4:196.);
Sem dúvida, eu ouvi o mensageiro de Deus, dizendo: "Durante os últimos dias, irão aparecer alguns jovens tolos, que dirão as melhores palavras, mas sua fé não irá além de suas gargantas (ou seja, eles vão deixar a fé) e deixarão sua religião como uma flecha. Assim, onde quer que os encontrem, matem-nos, pois quem os matar terá recompensa no Dia da Ressurreição "(Bukhari volume 9, No.64).;
A declaração do apóstolo de Alá (Maomé), "Quem se mudar da religião islâmica, matem-no." (Hadith 9:45;. 84.2.57);
Maomé disse: "Nenhum muçulmano deve ser morto por matar um infiel (não muçulmano)." (Hadith vol 9:50).

10.2) Alcorão (Sahih Internacional):

Surata 2

190 - Combatei, pela causa de Alá, aqueles que vos combatem; porém, não pratiqueis transgressão, porque Deus não estima os transgressores.

191 - Matai-os onde quer se os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a perseguição é mais grave do que o homicídio. Não os combatais nas cercanias da Mesquita Sagrada, a menos que vos ataquem. Mas, se ali vos combaterem,matai-os. Tal será o castigo dos incrédulos.
193 - E combatei-os até terminar a perseguição e prevalecer a religião de Alá. Porém, se desistirem, não haverá mais hostilidades, senão contra os iníquos.
217 - Quando te perguntarem se é lícito combater no mês sagrado, dize-lhes: a luta durante este mês é um grave pecado; porém, desviar os fiéis da senda de Alá, negá-Lo, privar os demais da Mesquita Sagrada e expulsar dela (Makka) os seus habitantes é mais grave ainda, aos olhos de Deus, porque a perseguição é pior do que o homicídio. Os incrédulos, enquanto puderem, não cessarão de vos combater, até vos fazerem renunciar à vossa religião; porém, aqueles dentre vós que renegarem a sua fé e morrerem incrédulos tornarão as suas obras sem efeito, neste mundo e no outro, e serão condenados ao inferno, onde permanecerão eternamente.
244 - Combatei pela causa de Alá e sabei que Ele é Oniouvinte, Sapientíssimo.

Surata 4

74 - Que combatam pela causa de Alá, aqueles dispostos a sacrificar a vida terrena pela futura. Quem combater pela causa de Alá e é morto ou alcance vitória, concederemos magnífica recompensa.


77 - Não reparaste naqueles, aos quais foi dito: Contenham as vossas mãos, observai a oração e pagai o zakat? Mas quando lhes foi prescrita a luta, eis que grande parte deles temeu as pessoas, tanto ou mais que a Alá, dizendo: Ó Senhor nosso, porque nos prescreves a luta? Por que não nos concedes um pouco mais de trégua? Dize-lhes: O gozo terreno é transitório; em verdade, o da outra vida é preferível para o temente; sabei que não sereis frustrados, no mínimo que seja.
89 - Eles desejam que desacrediteis, como eles, para que sejais todos iguais. Não tomeis a nenhum deles por aliado, até que tenham migrado para causa de Alá. Porém, se se rebelarem, capturai-os e então matai-os, onde quer que os acheis, e não tomeis a nenhum deles por aliado nem por auxiliador.
95 - Os fiéis, que, sem razão fundada, permanecem em suas casas, jamais se equiparam àqueles que sacrificam os seus bens e suas vidas pela causa de Alá; Ele concede maior dignidade àqueles que sacrificam os seus bens e suas vidas do que aos que permanecem (em suas casas). Embora Deus prometa a todos (os fiéis) o bem, sempre confere aos combatentes uma recompensa superior à dos que permanecem (em suas casas).

Surata 5

51 - Ó fiéis, não tenhais como aliados os judeus nem os cristãos. Eles são de fato aliados uns dos outros. E qualquer que dentre vós os tomar por aliados, certamente será como um deles. E certamente Alá não guia os iníquos.



Surata 6

157 - Se o Livro (Torá , Velho Testamento) nos tivesse sido revelado, teríamos sido melhor iluminados que eles. Porém, já vos chegou uma clara evidência, orientação e misericórdia de vosso Senhor. Então quem é mais iníquo do que quem nega os versos de Alá e se afasta deles? Nós recompensaremos aqueles que se afastam de Nosso versos com os piores castigos.



Surata 8

12 - [Lembre-se] quando o seu Senhor inspirou os anjos, "Estou convosco; firmeza, pois, aos fiéis! Logo infundirei o terror nos corações dos incrédulos; decapitai-os e decepai-lhes os dedos!"


17 - E vocês não os mataram, mas foi Alá quem os matou. E você não os lançou, [Ó Maomé], mas foi Alá para que pudesse testar os crentes com um bom teste. Na verdade, Alá é Oniouvinte, Sapientíssimo.
41 - E sabei que, de tudo quanto obtiverdes de despojos, a quinta parte pertencerá a Alá, ao Mensageiro (Maomé) e aos seus parentes, aos órfãos, aos indigentes e ao viajante; se fordes creres em Alá e no que foi revelado ao Nosso servo no Dia do Discernimento – o dia em que se enfrentaram os dois exércitos. Sabei que Deus é Onipotente.

Surata 9

5 - Mas quanto os meses sagrados houverem transcorrido, matai os idólatras, onde quer que os acheis; capturai-os,acossai-os e espreitai-os; porém, caso se arrependam, observem a oração e paguem o zakat, abram-lhes o caminho. Sabei que Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo.


14 - Combatei-os! Alá os castigará, por intermédio das vossas mãos, aviltá-los-á e vos fará prevalecer sobre eles, e curará os corações de alguns fiéis.
29 - Combatei aqueles que não crêem em Alá e/ou no Dia do Juízo Final, nem abstêm do que Alá e Seu Mensageiroproibiram, e os que não adotam a verdadeira religião; e também aqueles que receberam o Livro (Torá – Escrituras), até que, submissos, paguem o Jizya.
30 - Os judeus dizem: Ezra é filho de Alá; os cristãos dizem: O Messias é filho de Alá. Tais são as palavras de suas bocas; repetem, com isso, as de seus antepassados incrédulos. Que Alá os combata! Como estão enganados!
31 - Tomaram por senhores seus rabinos e seus monges em vez de Alá, assim como fizeram com o Messias, filho de Maria,quando não lhes foi ordenado adorar senão a um só Alá. Não há mais divindade além d'Ele! Glorificado seja acima de quaisquer outros que associem a Ele!
34 - Ó fiéis, em verdade, muitos rabinos e monges fraudam os bens dos demais e os desencaminham da senda de Alá. Quanto àqueles que entesouram o ouro e a prata, e não os empregam na causa de Alá, anuncia-lhes (ó Maomé) um doloroso castigo.
35 - No dia em que tudo for fundido no fogo infernal e com isso forem cauterizadas as suas frontes, os seus flancos e as suas costas, ser-lhes-á dito: eis o que entesourastes para vocês mesmos! Agora provai-o, pois!
36 - Em verdade, o número de meses é de doze (de acôrdo com a lua), desde o dia em que Ele criou os céus e a terra. Quatro deles são sagrados. Esta é areligião correta. Durante estes meses não vos condeneis. Combatei coletivamente os idólatras. E saibam que Alá está com os justos que o temem.
73 - Ó Profeta, combate os incrédulos e os hipócritas, e sê implacável para com eles! O inferno será sua morada. Que miserável destino!
123 - Ó fiéis, combatei os vossos vizinhos incrédulos para que sintam severidade em vós. E sabei que Alá está com os justos.

Surata 15

66 - E Nós lhe transmitimos (o decreto) sobre aquela matéria: que aqueles pecadores seriam eliminados ao amanhecer.



Surata 22

19 - Existem dois adversários que disputam sobre o seu Senhor. Quanto aos incrédulos, serão confeccionados para eles vestimentas de fogo e lhes será derramada, sobre as cabeças, água fervente,

20 - A qual derreterá tudo quanto há em suas entranhas, além de suas peles.

21 - Além disso, haverá clavas de ferro (para o castigo).

22 - Toda a vez que quiserem sair da angústia do fogo infernal, para lá retornarão e lhes será dito: “Provem o castigo do fogo ardente!

Surata 47

4 - E quando vos enfrentardes com os incrédulos, (em batalha), golpeai-lhes os pescoços, até que os tenhais dominado, e tomai (os sobreviventes) como prisioneiros. Libertai-os, então, por generosidade ou mediante resgate, quando a guerra tiver terminado. Tal é a ordem. E se Alá quisesse, Ele mesmo ter-Se-ia livrado deles; porém, (facultou-vos a guerra) para que vos provásseis mutuamente. Quanto àqueles que foram mortos pela causa de Alá, Ele jamais desmerecerá as suas obras.



Surata 59

2 - Foi Ele quem expatriou os incrédulos, dentre o Povo do Livro (Tora – Escrituras), quando do primeiro desterro. Pouco críeis (ó muçulmanos) que eles saíssem dos seus lares, porquanto supunham que as suas fortalezas os preservariam de Alá; porém, Alá veio sobre eles da maneira que não esperavam, e infundiu o terror em seus corações; destruíram as suas casas com suas próprias mãos, e com as mãos dos fiéis.



Surata 66

9 - Ó Profeta, combate com denodo os incrédulos e os hipócritas, e sê áspero para com eles, pois a sua morada será o inferno. Que miserável destino!



Surata 69

43 - (Esta) é uma revelação do Senhor do Universo.

44 - E se (Maomé, o Mensageiro) tivesse inventado alguns ditos, em Nosso nome

45 - Certamente o teríamos apanhado pela mão direita;

46 - E então, Ter-lhe-íamos cortado a aorta,

47 - E nenhum de vós teria podido impedir-Nos,

48 - E, certamente, este (Alcorão) é uma mensagem para os justos.

Surata 72

15 - Quanto aos injustos (infiéis), esses serão combustíveis do inferno.


11) O comportamento dos muçulmanos:
Considerando todo o exposto, é impossível aceitar a existência de dois grupos de muçulmanos: um fundamentalista (extremista, radical) e outro bondoso e gentil, simplesmente porque não podem negar o que está escrito e ordenado para eles em seus livros sagrados.

Eles praticam o que lhes é ensinado desde a infância.


Também devemos nos perguntar por que tantos muçulmanos dão suas próprias vidas em nome de sua religião.
Bem, de acordo com a sua fé, há duas maneiras dos muçulmanos serem salvos: primeiro através de boas ações, seguindo os chamados pilares de sua fé (ver item 2).

Alá coloca em uma balanca as boas ações e as más ações cometidas durante sua vida. Se o número de boas ações supera as más ações, então eles vão para o céu caso contrário, eles vão para o inferno.


A segunda maneira e garantida de ir para o céu é através da jihad (guerra santa, para dar a sua vida em obediência a Alá).

De acordo com a hadith de al-Miqdaam ibn Ma'di Karb o profeta disse: "O mártir (shaheed) tem sete bênçãos de Alá: ele é perdoado a partir do momento em que seu sangue é derramado; a ele será mostrado o seu lugar no paraíso; ele será poupado do julgamento da sepultura, e ele estará seguro no dia do Maior Terror (Dia do Juízo), será colocada em sua cabeça uma coroa de dignidade, um rubi de que é melhor do que este mundo e tudo o que está nele; ele irá se casar com 72 de al-hoor al-'iyn (virgens) e terá permissão de interceder por 70 de seus parentes".


12) A credibilidade do alcorão:
Quando Maomé e seus seguidores foram perseguidos, 83 deles emigraram de Meca para a Etiópia, refugiando-se na Abissínia (antigo país cristão).
Sob boicote e pressão crescentes, Maomé passou por um momento de fraqueza e se comprometeu com os pagãos de Meca, reconhecendo a existência de três deusas pagãs ao lado de Alá: Lat, Uzá, e Manat.

Essas deusas árabes são mencionadas no alcorão:


Surata an-Najm (Star) 53:
1 - Pela estrela, quando cai,

2 - Que vosso companheiro (Maomé) que jamais se extravia, nem erra,

3 – Nem fala por si próprio

4 - Isso não é senão a inspiração que lhe foi revelada,

5 - Que lhe transmitiu o fortíssimo,

6 - O sensato, o qual lhe apareceu (em sua majestosa forma).

7 - Quando estava na parte mais alta do horizonte.

8 - Então, descendo, aproximou-se dele,

9 - Até a uma distância de dois arcos (de atirar setas), ou menos ainda.

10 - E revelou ao Seu servo o que Ele havia revelado.

11 - O coração (do Mensageiro, Maomé) não mentiu, acerca do que viu.

12 - Duvidareis, acaso, sobre o que ele viu?

13 - Realmente o viu, numa Segunda descida,

14 - Junto ao limite da árvore de lótus.

15 - Junto à qual está o jardim da morada (eterna).

16 - Quando aquela coisa envolvente cobriu a árvore de lótus,

17 - A vista do profeta não se desviou, nem transgrediu seu limite.

18 - Em verdade, presenciou os maiores sinais do seu Senhor.

19 - Então você considerou Al-Lát e Al-Uzza?

20 - E a outra, a terceira (deusa), Manata?

21 - Porventura, pertence-vos o sexo masculino e a Ele o feminino?

22 - Tal, então, seria uma partilha injusta.

23 - Tais (divindades) não são mais do que nomes, com que as denominastes, vós e vossos antepassados, acerca do que Alá não vos conferiu autoridade alguma. Não seguem senão as suas próprias conjecturas e as luxúrias das suas almas, não obstante ter-lhes chegado a orientação do seu Senhor!

Quando os habitantes de Meca ouviram que Maomé confessou a importância das suas antigas deusas dentro da Kaaba, eles imediatamente revogaram a perseguição sobre ele.

Aqueles que haviam imigrado para a Abissínia (Etiópia) começaram a voltar para casa depois de ouvirem que Maomé havia aceitado a adoração de suas deusas em Meca.

Mas, quando eles chegaram, eles ficaram chocados ao ouvir que Maomé havia retirado sua confissão e que admitiu ter sido enganado pelo sussurro de Satanás.

Por esse motivo, o Islã considera a Surat Najm (Star) 53:19-23 foi escrita no tempo em que Maomé recebeu e proclamou os versos satânicos.

Na surata Hajj (peregrinação) 22:52-53, Maomé confessou seu erro, mas alegou que todos os profetas foram tentados por Satanás, que inspirou-os com versos demoníacos, como se tivessem realmente sido revelados por Deus. Porem, mais tarde Alá corrigiu os versos satânicos com novas revelações e instrui seus profetas com novos versos:


Surata Hajj (Pilgrimage) 22:
52 - Antes de ti, jamais enviamos mensageiro ou profeta algum, sem que Satanás o sugestionasse em sua predicação; porém, Alá anula o que aventa Satanás, e então prescreve as Suas leis, porque Alá é Sapiente, Prudentíssimo.

53 - Ele faz das sugestões de Satanás, uma prova para aqueles que abrigam a morbidez em seus corações e para aqueles cujos corações estão endurecidos, porque os iníquos estão em extrema dissensão!


O alcorão afirma claramente que Maomé falou em nome de Alá e que ele disse que as coisas que Alá não lhe tinha ordenado! Em seguida, ele afirma que todos os profetas de Deus fizeram declarações satânicas! Maomé falou em nome de Deus e depois admitiu que ele tinha realmente falado as palavras de Satanás.
A questão vital sobre os versos satânicos, é:
Se Maomé não foi capaz de distinguir entre a voz de Satanás e a voz de Deus, como podemos estar seguros de que os versos do alcorão foram "revelados" a Maomé por Deus e não por Satanás?
Após um árduo trabalho de tradução e compilação de dados, cremos ter conseguido juntar material informativo suficiente para que os leitores possam tirar suas conclusões sobre o Islamismo.

Gostaríamos também de pedir orações por aqueles que tem sido perseguidos no mundo inteiro pelos seguidores desta religião satânica.

Por favor, orem também por aqueles que ignoram a verdade, o evangelho de Jesus Cristo, e por isso estão em grande número, se convertendo ao Islã.
Deus abençoe,
Achando Paz Com Deus.

Glossário
Ayat = verso

Fitnah = teste.

Hajj = peregrinação;

Hégira = fuga de Maomé parágrafo Medina;

Seu Mensageiro = Maomé;

Jihad = guerra santa (que inclui atentados ou qualquer outro meio violento);

Jizya = é um imposto criado por Maomé, a ser pago por pessoas de outras religiões para os muçulmanos, como um lembrete de seu status inferior;



Kaaba ou Caaba = é uma construção forma de cubo que é reverenciada pelos muçulmanos, na mesquita sagrada de al-Haram al Masjid, em Meca, e é considerado pelos devotos do Islã como o lugar mais sagrado do mundo.

Possui 15,24 metros de altura, e é cercado por paredes de 10,67 metros e 12,19 metros de altura. A construcão está permanentemente coberta com um pano escuro, bordado a ouro, o qual é regularmente substituído. Em seu exterior, situado em uma moldura de prata, está a Hajar el Aswad ("Pedra Negra"), que é uma pedra escura, de cerca de 50 centímetros de diâmetro; ela é uma das relíquias mais sagradas do Islã, provavelmente o resto de um meteorito.


Em seu livro, "O Islã: Uma Breve História", Karen Armstrong afirma que a Caaba foi dedicada a Hubal, uma divindade Nabateana, e continha 360 ídolos que tanto representavam os dias do ano ou foram efígies do panteão árabe. Uma vez por ano, as tribos de toda a península Arábica, convergiam a Meca.

De acordo com um ditado atribuído a Maomé, a Pedra Negra "tinha descido do paraíso mais branco do que o leite, mas os pecados dos filhos de Adão tinha feito preta".




Leia Apocalipse 12 e Isaías 14 (alguma correlação, algum simbolismo ou simples coincidência?)

Apocalipse 12:

7 Houve então uma guerra nos céus. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o dragão e os seus anjos revidaram.

8 Mas estes não foram suficientemente fortes, e assim perderam o seu lugar nos céus.

9 O grande dragão foi lançado fora. Ele é a antiga serpente chamada Diabo ou Satanás, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançados à terra.

10 Então ouvi uma forte voz dos céus que dizia: “Agora veio a salvação, o poder e o Reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo, pois foi lançado fóra o acusador dos nossos irmãos, que os acusa diante do nosso Deus, dia e noite.

11 Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do testemunho que deram; diante da morte, não amaram a própria vida.

12 Portanto, celebrem-no, ó céus, e os que neles habitam! Mas, ai da terra e do mar, pois o Diabo desceu até vocês! Ele está cheio de fúria, pois sabe que lhe resta pouco tempo”.


Isaías 14:

12 Como você caiu dos céus, ó estrela da manhã, filho da alvorada! Como foi atirado à terra, você, que derrubava as nações!

13 Você, que dizia no seu coração: “Subirei aos céus; erguerei o meu trono acima das estrelas de Deus; eu me assentarei no monte da assembléia, no ponto mais elevado do monte santo.

14 Subirei mais alto que as mais altas nuvens; serei como o Altíssimo”.


Mujahideen = Os muçulmanos que acreditam lutar pela vontade de Alá (guerreiros de Alá);

Não muçulmanos = kafir = infiel, idólatra, Judeu, Cristão, descrentes, incrédulos, povo do livro (Tora – Escrituras);

Qur'an = um manual onde os muçulmanos são instruídos como proceder em diversas situações da vida, especialmente em relação aos infiéis;

Salat = oração diária;

Sawn = jejum;

Shahada = declaração de fé ("Não há Deus senão Alá, e Maomé é seu profeta)".

Shaheed = mártir;

Surata = capítulo do alcorão;

Zakah = uma taxa a ser paga por todos os muçulmanos praticantes que têm boas condições financeiras. A quantidade de Zakat a ser paga por uma pessoa depende da quantidade de riquezas que possuem.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal