A voz de Deus (14 Comum B)



Baixar 20.04 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho20.04 Kb.
A Voz de Deus - (14 Comum B)
Na realização dos seus planos, Deus sempre chamou e

enviou pessoas para serem a sua VOZ no meio do Povo.


As leituras falam de três escolhidos por Deus

para serem instrumentos de sua Palavra:

- Um Profeta desterrado...

- Um Profeta "carpinteiro", filho de Maria;

- Um Profeta que reconhece as suas fraquezas...
A 1a Leitura fala da Missão de EZEQUIEL.

Esta leitura refere que Deus enviou o profeta Ezequiel para o meio do seu povo.

A sua missão não era fácil.

Apesar da sua fragilidade, Deus escolheu-o e enviou-o para anunciar a mensagem de Deus ao povo.

Para cumprir a sua missão, o profeta,

- deve ser pessoa de oração e de escuta da Palavra de Deus;

- deve ser solidário com as pessoas.

E a sua mensagem deve ser:

- anunciador do perdão,

- proclamador da bondade de Deus,

- trabalhador da dignidade humana,

- e anunciador de Jesus Cristo.

A Missão do profeta é ser a VOZ DE DEUS no meio do povo.

Na 2a Leitura, São PAULO fala das dificuldade encontradas no seu apostolado.

Paulo assegura aos cristãos de Corinto, que Deus atua e manifesta o seu poder no mundo através de instrumentos fracos e limitados.

Deus garante a Paulo e a todos os que têm algum tipo de "espinho", isto é, de limitações:

"Basta-te a minha graça; pois é na fraqueza que a força se realiza plenamente".
No Evangelho, encontramos a experiência de CRISTO.

Jesus voltou a Nazaré e ensinava na sinagoga.

O povo admirou-se da sua sabedoria e dos seus milagres… e, perplexo, perguntou:

"Quem é este homem? Não é ele o carpinteiro, o filho de Maria?"

Este Jesus, segundo a opinião do povo, não podia ser o Messias esperado.

Eles esperavam um Messias guerreiro como David, sábio como Salomão.

Não esperavam um Messias, humilde e carpinteiro. Eles conheciam-no muito bem: o carpinteiro, filho de Maria, não poderia ser o enviado de Deus…


A Sua Palavra escandalizou, e a sua mensagem gerou oposição e a sua vida criou conflitos.

Não conseguiram reconhecer em Jesus o Messias esperado e rejeitaram-no.

Mesmo os parentes de Jesus não aderiram à sua mensagem.

JESUS, estava dececionado e concluiu, dizendo: "Ninguém é profeta na sua terra".

Mas apesar da incompreensão, continuou fiel aos planos do Pai do Céu...


Quem são os Profetas?

Os "profetas não são pessoas extintas do passado, mas são uma realidade com que Deus continua a contar ainda hoje, para intervir no mundo.

Todo o "batizado" tem a sua história de vocação profética...

O Profeta não é o encarregado de fazer milagres e prever o futuro.

Deus espera dele uma coisa: que transmita a sua palavra.

Deus não tem boca e precisa de alguém, para ser a sua "Voz".

Para isso, o profeta deve escutar a mensagem de Deus e deixar que ela penetre até o íntimo do seu coração…

E depois, deve anunciá-la com entusiasmo e fidelidade.


Como desempenhar a missão de Profeta?

Ele deve estar em comunhão com Deus e atento à realidade humana.

O profeta intervém, em nome de Deus, para denunciar, para avisar, para corrigir.

A denúncia profética implica, muitas vezes, a perseguição, o sofrimento, a marginalização e, em muitos casos, a própria morte...

Normalmente, Deus não se manifesta na força, no poder e nas qualidades que os homens admiram tanto.

Ele vem ao nosso encontro na fraqueza, na simplicidade, nas pessoas mais humildes e despretensiosas...

As nossas limitações humanas não podem servir de desculpa para não realizar a missão que Deus nos confiou. Se ele nos pede um serviço, também nos dará a força para superar os nossos limites e para cumprir o que nos pede.
Jesus não fez milagres em Nazaré, porque não acreditaram nele...

Só a fé dá condições para que os milagres aconteçam...

- Hoje, afirma-se que "Santos de casa não fazem milagres".

Por que será? A culpa será deles ou nossa?

- Conhecemos pessoas, ignoradas ou rejeitadas na própria comunidade, que fazem grande sucesso lá fora? Por que será?
A Liturgia de hoje apresenta-nos três exemplos bonitos:

Ezequiel, Paulo e Jesus.

Diante das dificuldades, nenhum desistiu. Lutaram e venceram.

Nós também nos podemos sentir na mesma situação:

O testemunho, que Deus nos chama a dar, realiza-se,

muitas vezes, no meio de incompreensões e oposições…

Frequentemente, sentimo-nos desanimados e frustrados porque não somos entendidos, nem acolhidos.

Temos a sensação de que estamos a perder o tempo…

Jesus convida-nos a nunca desanimar, nem desistir:

Ele sabe como transformar um fracasso num êxito.


Acreditemos em Deus,

mas acreditemos também nas pessoas com quem convivemos…

E veremos, que os santos de casa também farão milagres…

Adaptado de



Pe António Dalla Costa


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal