A1941 04. doc As duas últimas festas da Monarquia



Baixar 191.97 Kb.
Página2/2
Encontro29.07.2016
Tamanho191.97 Kb.
1   2
001 A convite do visconde de São Francisco, reuniram-se, a 15 de agosto, em uma das salas do Banco do Brasil, os srs. marquês de Paranaguá, visconde de Muritiba, conselheiro de Estado José da Silva Costa, barões do Catete, Paraná, Lagoa, Alto-Mearim, Ipanema, Andaraí e Quartim, conselheiro Francisco de Paula Mayrink, comendador Malvino da Silva Reis, Agostinho Maria Correia de Sá, Antônio Ferreira da Silva, João da Silva Monteiro, Hermano Joppert, Tobias Lauriano Ferreira de Melo, José Pinto de Oliveira, José Luís Fernandes Vilela, Antônio Ferreira da Silva, João da Silva Monteiro, Antônio Teixeira, Antônio José Gomes Brandão, Antônio Pinto de Miranda, Henrique Leuba, Alberto Tootal, Antônio Gomes Vieira de Castro Sobrinho, Francisco Joaquim de Castro, Alberto da Fonseca Guimarães, e José Mendes de Oliveira Castro.

O visconde de São Francisco, presidindo a reunião, declarou que convidara os presentes para consultá-los se concordavam com uma manifestação ao conde d’Eu no seu regresso das províncias do Norte, acrescentando que os importantes serviços prestados por Sua Alteza ao país justificavam plenamente essa manifestação.

Concordaram todos que se fizesse a manifestação, deliberando que um vapor fosse esperar Sua Alteza fora da barra, e que se lhe oferecesse, a seguir, um grande baile no Cassino Fluminense.

O comendador José Mendes de Oliveira Castro propôs a seguinte comissão para organizar os festejos: visconde de São Francisco, barões do Catete, Andaraí, Javari, Quartim, Rio Apa, Paraná e Alto-Mearim e os senhores Henrique Leuba, Alberto Tootal, Oto Warstoff, Joaquim Rodrigues Ferreira, conselheiro Carneiro da Rocha, comendadores Correia de Sá e Malvino Reis.

Os senhores Teodoro Duvivier e barão do Rio Apa desculparam-se em cartas, por não terem comparecido, aderindo, porém, às resoluções que fossem tomadas. O conde de Carapebus, do mesmo modo, justificou o seu não comparecimento.

Cf. o Jornal do Comércio de 15 de agosto de 1889.
002 Bufê: Orgeat, Orangeade, Grenadine, Punch au Rhum, Boi au champagne, Vins fins, Bières assorties, Eau de Seltz, Liqueur, Cognacs, Biscuits fins, Gateau Victoria, Petits fours, Assiettes montées, Gâteau manioca, Sandwichs variés, Petits pains à la parisienne.

Service du salon: Thé vert et noir au lait, Pain grillé, Venise et Petropolis, Pain de la Mecque, Gâteau de Savoie, Petits fours secs, Glaces moulés crême et fruits, Matonelles à la napolitaine, Gaufres à la vanille, Punch à la Russe et à la Romaine, Biscuits au champagne.

Souper Volant: Sandwichs variés, Horlys de filets de merlan à l'italienne, Huîtres à la Villeroy, Petits patés aux anchois, Cramesquis de crevettes, Rissoles à la Pompadour, Maravilhas de saumon, Bouchées à la Reine, Croquettes de lapereau, Escalopes de perdreaux, Attereaux de foie de canard, Canetons de volailles truffées, Petits aspic de foie gras, Chaufroix de gibier, Petits vertes de gelée aux fruits, Bavaroise au marasquin.

Sur les Buffets: Canja à la brésilienne et consomné, Filets de poissons à la Tartare, Langue à la bohêmienne, Salade de saumon à la russe, Galantine de macuco, Langue écarlate à la gelée, Jambon d’York, Dindons truffés et à la brésilienne. Chocolat à la crême, Biscuits à la culiére, Pain d'araruta, Cosaques assortis.

Vins: Madère, Xérès, Sauteine; Rhin, Bodeaux, Chamberlain, Porto Champagne frappé.

Souper: Canja à la brésilienne e consommé, Escalopes de merlan sauce Tartare, Cramesquis de crevettes, Maravilhas de saumon, Attereaux de foie de canard, Canettons de volailles truffées, Petits aspic de foie gras, Chauffroix de gibier, Salade de saumon à la russe, Galantine de macuco à la Périgord, Langue écarlate à la gélée, Jambon d'York, Dindon truffé et à la brésilienne, Petits vertes de gelée aux fruits, Bavaroise au marasquin.

Dessert: Thé vert et chocolat à la crême.

Vins: Xérès, Madère, Porto, Bordeaux, Bourgogne, Rhum, Champagne.


003 Ensaiava-se este novo tipo de chic nacional, que veio dar em definitivo a sua nota entre 1890 e 1910 e por aí andava perambulando em quanta festa havia e aceitava dos alfaiates o ecletismo das toilettes que a civilização européia destinava a apresentações diferentes, consoante à natureza de cada uma delas. O apuro dessa elegância era o veston preto de gola inteira de seda: os felizes possuidores dessa jóia vestiam-na desde a manhã; faziam assim o passeio a cavalo, almoçavam, vinham à cidade em bonde ou em tílburi, iam aos jantares de cerimônia e aos bailes, mudando por especial favor durante o dia o colarinho e o punho que vestiam ao sair de casa. Não faziam questão da cor da camisa, pois a importação tinha inundado o mercado com os peitos e colarinhos com largos pingos vermelhos ou azuis e essa nova elegância atirava-se avidamente a eles. Nas soirées apareciam entre as abas negras da casa o peito de cor de uma camisa, envergonhada com o papel que estava fazendo, com o grande brilhante ou com as safiras ou esmeraldas enormes, circundadas de brilhantes, que ora serviam de botão para a camisa, ora para anel do dedo de um amigo, ou para formosa bicha de uma parenta rica.
004 A iluminação foi confiada à direção do senhor Léon Rodde, empregando o material pertencente à extinta Empresa Força e Luz que conseguiu produzir força para 700 lâmpadas elétricas, alimentadas por três motores.

Um quarto motor, trabalhando independentemente dos três, produzia um foco de 60.000 velas, isto é, mais da metade da força projetada pelo motor da Torre Eiffel.

Projetava-se a luz sobre todas as direções, iluminando até grande distância, ora a baía, ora a cidade.

No interior do edifício era deslumbrante o efeito das pequenas lâmpadas colocadas em meio das flores que pendiam em festões.

Do mesmo senhor foi a iluminação a giorno, a cuja colocação presidiu arte e bom gosto.

Realizou-se a experiência da iluminação elétrica no edifício da ilha Fiscal e das construções acessórias na noite de 15 de outubro. Ela foi inteiramente satisfatória e durante mais de duas horas não diminuiu um só instante. Estiveram presentes, então, os ministros da Fazenda e do Império, e entre outras pessoas os senhores Afonso Celso Júnior, conselheiro Sabóia, doutor Parreiras Horta, barão de Sampaio Viana, comendadores Hasselmann e Ferreira Sampaio, engenheiro Del Vecchio e dr. Miranda Carvalho.

Fontes consultadas: O País e Gazeta de Notícias, de 17/10/1889.
005 O serviço, fornecido pela Confeitaria Pascoal, foi dirigido pelos srs. Manoel Fernandes da Silva, Marcelino Fernandes Teixeira, Manoel Lopes de Carvalho e Bernardino Ferreira Cardoso, empregados e interessados daquela confeitaria.

Foi chefe dos copeiros, cujo número era de 150, o sr. Vicente Espaim. Serviram, além desses, durante a ceia, 60 trinchadores. Passaram pela copa 12.000 garrafas de vinho, licores, champanhe, cerveja, águas gasosas e minerais e outras bebidas; 12.000 sorvetes, 12.000 taças de ponche, 20 peças de açúcar para centro de mesa e 500 pratos de doces variados. Dirigiram todo o serviço da cozinha, onde trabalharam 40 cozinheiros e 50 ajudantes os srs. João Torres e José Pequeno. Serviram-se 18 pavões, 80 perus, 300 galinhas, 350 frangos, 30 fiambres, 10.000 sanduíches, 18.000 frituras, 1.000 peças de caça, 50 peixes, 100 línguas, 50 maioneses e 25 cabeças de porco recheadas.


006 A Fotografia Saturno, à Rua 1o de Março, expusera, no dia 13 de novembro, no salão de O País, um quadro com alguns aspectos fotográficos, entre os quais os dos salões do baile, das mesas do banquete e da sala destinada à refeição de Suas Majestades Imperiais, além de outros da exposição feita pelo Instituto Histórico por ocasião da visita feita àquele estabelecimento.

No referido salão de exposições artísticas de O País, via-se um belo desenho a pastel, do professor Honório Esteves do Sacramento, representando a ilha Fiscal, na noite de 9 de novembro, com todos os efeitos de luz, não só no edifício, mas em toda a baía e vasos de guerra fundeados no poço. Era de bonito efeito, dizia O País de 13 de novembro.


Compartilhe com seus amigos:
1   2


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal