Abordagem contingencial da administraçÃO



Baixar 63.07 Kb.
Encontro18.07.2016
Tamanho63.07 Kb.

UNIC - Universidade de Cuiabá - Teoria Geral da Administração - Abordagem Contingencial .


ABORDAGEM CONTINGENCIAL DA ADMINISTRAÇÃO

A palavra Contingência significa algo incerto ou eventual, que pode suceder ou não. Dentro de um aspecto mais amplo, a Abordagem Contingencial salienta que não se atinge a eficácia organizacional seguindo um único e exclusivo modelo organizacional, ou seja, não existe uma forma única que seja melhor para organizar no sentido de alcançar os objetivos altamente variados das organizações dentro de um ambiente também altamente variado. Os estudos atuais sobre as organizações complexas levaram a uma nova perspectiva teórica: a estrutura de uma organização e seu funcionamento são dependentes da interface com o ambiente externo.

A mais notável contribuição dos autores da abordagem contingencial está na identificação das variáveis que produzem maior impacto sobre a organização, como ambiente e tecnologia, para então predizer as diferenças na estrutura e no funcionamento das organizações devidas às diferenças nestas variáveis.

A Abordagem Contigencial marca uma nova etapa no estudo da Teoria Geral da Administração, assumindo uma abordagem eclética, comparando as demais teorias administrativas existentes à luz dessas variáveis, aplicando seus diversos princípios em cada situação distinta de cada organização.

A Teoria da Contingência é um passo além da Teoria de Sistemas em Administração. A visão contingencial da organização e de sua administração sugere que uma organização é um sistema composto de subsistemas e delineado por limites identificáveis em relação ao seu supra-sistema ambiental.

TEORIA DA CONTINGÊNCIA

A Teoria da Contingência nasceu a partir de uma série de pesquisas feitas para verificar os modelos de estruturas organizacionais mais eficazes em determinados tipos de indústrias. Os pesquisadores, cada qual isoladamente, procuraram confirmar se as organizações eficazes de determinados tipos de indústrias seguiam os pressupostos da Teoria Clássica, como a divisão do trabalho, a amplitude de controle, a hierarquia de autoridade etc. Os resultados surpreendentemente conduziram a uma nova concepção de organização: a estrutura de uma organização e o seu funcionamento são dependentes da interface com o ambiente externo. Em outros termos, não há uma única e melhor forma de organizar (the best way).

São apresentados, pelos autores da escola contingencial, duas variáveis principais que determinam toda a organização da empresa e os relacionamentos entre suas partes: o ambiente e a tecnologia.

Figura 6 - A Contribuição das Diversas Teorias Administrativas à Teoria da Contingência




Fig. 7 - O Ambiente Geral e o Ambiente de Tarefa




Ambiente

Ambiente é tudo aquilo que envolve externamente uma organização (ou um sistema). É o contexto dentro do qual uma organização está inserida. Como a organização é um sistema aberto, ela mantém transações e intercâmbio com seu ambiente. Isto faz com que tudo o que ocorre externamente no ambiente passe a influenciar internamente o que ocorre na organização.

Como o ambiente é vasto, complexo, envolvendo tudo o mais ao redor da organização, ele pode ser analisado em dois segmentos:


  1. Ambiente Geral: é o macroambiente, ou seja o ambiente genérico e comum a todas as organizações. O ambiente geral é constituído de um conjunto de condições semelhantes para todas as organizações. As principais dessas condições são:

  • condições tecnológicas

  • condições econômicas

  • condições políticas

  • condições legais

  • condições demográficas

  • condições ecológicas

  • condições culturais

  1. Ambiente de Tarefa: é o ambiente mais próximo e imediato de cada organização. É o segmento do ambiente geral do qual uma determinada organização extrai as suas entradas e deposita suas saídas. O ambiente tarefa é constituído por:

  • fornecedores de entradas

  • clientes ou usuários

  • concorrentes

  • entidades reguladoras

O grande problema com que as organizações de hoje se defrontam é a incerteza. Aliás, a incerteza é o grande desafio atual da Administração. Contudo, a incerteza não está no ambiente. A incerteza está na percepção e na interpretação das organizações e não na realidade ambiental percebida. Parece mais adequado falar-se em incerteza na organização, pois o mesmo ambiente pode ser percebido de maneiras diferentes por duas organizações.


Tecnologia
Sob um ponto de vista administrativo, consideraremos a tecnologia como algo que se desenvolve predominantemente nas organizações, em geral, e nas empresas, em particular, através de conhecimentos acumulados e desenvolvidos sobre o significado e execução de tarefas - know-how - e pelas suas manifestações físicas decorrentes - máquinas, equipamentos, instalações - constituindo um enorme complexo de técnicas usadas na transformação dos insumos recebidos pela empresa em resultados, isto é, em produtos e serviços. A tecnologia pode estar ou não incorporada a bens físicos. A tecnologia incorporada está contida em bens de capital, matérias-primas intermediárias e componentes etc. (hardware). A tecnologia não incorporada encontra-se nas pessoas - como técnicos, peritos, especialistas, engenheiros, pesquisadores - sob formas de conhecimentos intelectuais ou operacionais, facilidade mental ou manual para executar as operações, ou em documentos que a registram e visam assegurar sua conservação e transmissão - como mapas, plantas, desenhos, projetos, patentes, relatórios (software).

Em suma, tecnologia é o conhecimento que pode ser utilizado para transformar elementos materiais em bens ou serviços, modificando sua natureza ou suas características.

A tecnologia tem a propriedade de determinar a natureza da estrutura e do comportamento organizacional. Existe um forte impacto da tecnologia sobre a vida, natureza e funcionamento das organizações.

A tecnologia, em nome do progresso, cria incentivos em todos os tipos de empresas, para levar os administradores a melhorarem cada vez mais a eficácia, mas sempre dentro do critério normativo de produzir eficiência.



  • A Abordagem Contingencial é eminentemente eclética e integrativa, manifestando uma tendência a absorver os conceitos das diversas teorias administrativas - cada qual criticando as demais - no sentido de alargar os horizontes e mostrar que nada é absoluto. A tese central da abordagem contingencial é de que não há um método ou técnica geralmente válidos, ótimos ou ideais para todas as situações: o que existe é uma variedade de alternativas de métodos ou técnicas proporcionados pelas diversas teorias administrativas, um dos quais poderá ser apropriado para uma situação determinada. A abordagem contingencial está sendo aplicada em quase todos os campos da teoria administrativa com resultados animadores.






ABORDAGENS PRESCRITIVAS E NORMATIVAS

ABORDAGENS EXPLICATIVAS E DESCRITIVAS

ASPECTOS PRINCIPAIS

TEORIA CLÁSSICA

TEORIA DAS RELAÇÕES HUMANAS

TEORIA NEOCLÁSSICA

TEORIA DA BUROCRACIA

TEORIA ESTRUTURA-LISTA

TEORIA COMPORTA-MENTAL

TEORIA DOS SISTEMAS

TEORIA DA CONTINGÊN-CIA

Ênfase:

Nas tarefas e na estrutura organizacional

Nas pessoas

No ecletismo: tarefas, pessoas e estruturas

Na estrutura organizacional

Na estrutura e no ambiente

Nas pessoas e no ambiente

No ambiente

No ambiente e na tecnologia, sem desprezar as tarefas, as pessoas e a estrutura

Abordagem da Organização:

Organização formal

Organização informal

Organização formal e informal

Organização formal

Organização formal e informal

Organização formal e informal

Organização como sistema

Variável dependente do ambiente e da tecnologia

Conceito de Organização:

Estrutura formal como conjunto de órgãos, cargos e tarefas

Sistema social como conjunto de papéis

Sistema social com objetivos a alcançar

Sistema social como conjunto de funções oficializadas

Sistema social intencionalmen-te construído e reconstruído

Sistema social cooperativo e racional

Sistema aberto

Sistema aberto e sistema fechado

Características Básicas da Administração:

Engenharia humana / engenharia da produção

Ciência social aplicada

Técnica social básica e administração por objetivos

Sociologia da burocracia

Sociedade de organizações e abordagem múltipla

Ciência Comportamen-tal aplicada

Abordagem sistêmica: a administração de sistemas

Abordagem contingencial: Administração contingencial

Tabela 7 - Esquema Comparativo das teorias da Administração




ABORDAGENS PRESCRITIVAS E NORMATIVAS

ABORDAGENS EXPLICATIVAS E DESCRITIVAS

ASPECTOS PRINCIPAIS

TEORIA CLÁSSICA

TEORIA DAS RELAÇÕES HUMANAS

TEORIA NEOCLÁSSICA

TEORIA DA BUROCRACIA

TEORIA ESTRUTURA-LISTA

TEORIA COMPORTA-MENTAL

TEORIA DOS SISTEMAS

TEORIA DA CONTINGÊN-CIA

Concepção de Homem:

Homo Economicus

Homo Social

Homem Organizacional e Administrativo

Homem Organizacional

Homem Organizacional

Homem Administrativo

Homem Funcional

Homem Complexo

Comportamento Organizacional do Indivíduo:

Ser isolado que reage como indivíduo (atomismo tayloriano)

Ser social que reage como membro de grupo social

Ser racional e social voltado para o alcance de objetivos individuais e organizacionais

Ser isolado que reage como ocupante de cargo e de posição

Ser social que vive dentro de organizações

Ser racional tomador de decisões quanto à participação nas organizações

Desempenho de papéis

Desempenho de papéis

Sistema de Incentivos:

Incentivos materiais e salariais

Incentivos sociais e simbólicos

Incentivos mistos, tanto materiais como sociais

Incentivos materiais e salariais

Incentivos mistos, tanto materiais como sociais

Incentivos mistos

Incentivos mistos

Incentivos mistos

Relação entre objetivos organizacionais e objetivos individuais:

Identidade de interesses. Não há conflito perceptível

Identidade de interesses. Todo conflito é indesejável e deve ser evitado

Integração entre objetivos organizacionais e objetivos individuais

Não há conflito perceptível. Prevalência dos objetivos da organização

Conflitos inevitáveis e mesmo desejáveis que levam à inovação

Conflitos possíveis e negociáveis. Relação e equilíbrio entre eficácia e eficiência

Conflitos de papéis

Conflitos de papéis

Resultados almejáveis:

Máxima eficiência

Satisfação do operário

Eficiência e eficácia

Máxima eficiência

Máxima eficiência

Eficiência satisfatória

Máxima eficiência

Eficiência e eficácia

Tabela 7 - Esquema Comparativo das teorias da Administração (Continuação)


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal