AdministraçÃo geral sumário



Baixar 1 Mb.
Página31/34
Encontro18.07.2016
Tamanho1 Mb.
1   ...   26   27   28   29   30   31   32   33   34

12. Gabarito


01. Resp: E

Comentário às outras alternativas:


  1. Não só na urgência.

  2. Em todos os momentos.

  3. Em todas as questões.

  4. Em qualquer situação.

02.Conforme estudamos, Equipes Autodirigidas são compostas de pessoas altamente treinadas para desempenhar um conjunto de tarefas interdependentes dentro de uma unidade natural de trabalho. Os membros usam o consenso na tomada de decisão para desempenhar o trabalho, resolver problemas ou lidar com clientes internos ou externos.

Resp: C

03. As equipes interfuncionais são as chamadas funcionais cruzadas, que são compostas de pessoas vindas de diversas áreas da empresa (marketing, produtos, finanças, engenharia) e são formadas para alcançar um objetivo específico por meio de um mix de competências. Quase sempre são designadas.



Resp:D
04. Resp: D

Vivemos na era da globalização, da informação, da comunicação ultra veloz, da complexidade, instabilidade e imprevisibilidade. Assim, as empresas precisam se estruturar para aumentar a sua competitividade diante das demais empresas do país ou do exterior. Isso significa que elas devem utilizar os seus próprios recursos da maneira mais eficiente e eficaz possível, sempre lembrando que não vivem isoladamente no mercado e nem são sistemas fechados.

Para enfrentar a competição e a concorrência, a empresa precisa saber utilizar ao máximo os seus pontos fortes e desenvolver alianças com outras empresas, esquemas cooperativos com fornecedores e, sobretudo, utilizar plenamente sua força de trabalho, seja o pessoal que avalia situações e toma decisões, seja o pessoal que executa regularmente as tarefas.

Os novos tempos estão trazendo inovações sociais, culturais, econômicas, políticas e, principalmente, tecnológicas. Para adaptar-se a essa nova realidade e aproveitar suas oportunidades, a empresa deverá ser adaptativa, inovadora e totalmente aberta ao mundo exterior.



Vamos analisar as outras alternativas?



  1. O modelo centralizado e hierarquizado está em declínio. Peter Drucker afirma que nos próximos dez anos deverá ocorrer uma redução de 40% nos níveis gerenciais das empresas americanas, visando a enxugar e achatar a estrutura piramidal e hierarquizada. O caminho é reduzir a distância entre o topo e a base da estrutura organizacional e aproximar o nível decisório do nível operacional. Tirar a “gordura” intermediária entre o cérebro e os músculos da organização. As relações de poder sofrerão uma reviravolta: as relações verticais do tipo chefe versus subordinado estão cedendo lugar para as relações horizontais e laterais de interdependência entre unidades do mesmo nível.

  2. A estrutura organizacional não será mantida. A empresa voltada para o futuro deverá se basear no modelo orgânico. Sua estrutura organizacional deverá se adequar ao fluxo informacional mais intenso e dinâmico. O número de níveis hierárquicos deverá ser pequeno, restringindo-se ao indispensável. A informação passa a ser o fator de integração entre as diversas áreas e os poucos níveis hierárquicos.

  3. Eu considero que a afirmativa “c” está correta, entretanto, a alternativa “d” está mais completa, refletindo o ambiente como um todo.

e) A ênfase está na estrutura orgânica.
05. Resp: C

O estilo de abstenção ou evitação reflete uma postura nem cooperativa nem assertativa.


06. Resp: C

a) aumento da análise da informação.

b) Monitoração mais rigorosa.

d) Aumentando a captação on-line da informação.

e) Aumento dos sistemas de apoio à decisão.
07. Resp: D

São dados transformados em informação.


08. Resp: A
09. Resp: A
10. Resp: E

O estilo de evitação ou abstenção reflete uma postura não assertiva, nem cooperativa e é apropriado quando um assunto é trivial, quando não existe nenhuma possibilidade de ganhar, quando uma demora para obter maior informação se torna necessária ou quando um desentendimento pode ser muito oneroso. O negócio é se manter em copas.


11. Resp: D

8. Questões




01) (UFRJ) O benchmarking é uma técnica de aperfeiçoamento de processo organizacionais. Com relação a seus tipos, é correto afirmar que o benchmarking:


  1. Competitivo – tem como vantagens a facilidade na coleta de dados e a inexistência de questões éticas.

  2. Competitivo – tem como desvantagem o foco limitado e uma visão tendenciosa.

  3. Interno – tem como vantagem a facilidade na coleta de dados.

  4. Funcional - tem como vantagens a facilidade na transferência de práticas para diferentes ambientes.

  5. Interno - tem como vantagens o foco limitado.



02. (FCC – TJUPE – Analista Judiciário – 2007) Entre as vantagens do planejamento está a de que ele


  1. é baseado na experiência e na intuição.

  2. Maximiza a confiança do administrador

  3. Reduz riscos

  4. Possibilita aumentos orçamentários

  5. Mantém a fragmentação



03. (Upenet – Emprel/Prefeitura de Recife – Analista Organizacional – 2007) Dentre as definições abaixo, indique aquela que caracteriza adequadamente a função de planejamento.

A) Anular ameaças à organização.

B) Controlar todas as variáveis do processo produtivo.

C) Projetar um conjunto de ações, para atingir um resultado claramente definido.

D) Definir os custos das operações.

E) Antecipar o que ocorrerá no futuro.


04. (UPENET – Prefeitura do Recife – Administrador – 2006) Considerando-se a eficiência, a eficácia e a efetividade buscadas pelo planejamento, é CORRETO afirmar.

A) Reduzir os custos e obter resultados são decorrência da eficiência.

B) Fazer as coisas certas diz respeito à eficiência.

C) Salvaguardar os recursos aplicados é fruto da eficácia.

D) Manter-se no ambiente é sinal de efetividade.

E) Reduzir os custos e obter resultados são decorrência da eficácia.


05. (CETRO – INMET – Administrador – 2006) Quanto à função administrativa “Planejar”, pode-se dizer que:

(A) É apenas definir os objetivos da organização.

(B) É apenas definir as metas da organização.

(C) É definir os objetivos, temporizando e quantificando esses objetivos, transformando-os em metas, e definir também as ações que deverão ser executadas para transformar os objetivos em realidades.

(D) É definir o que cada uma das pessoas vai fazer.

(E) É conferir se os processos estão levando aos objetivos.


06. (FCC – IPEA – Assessor Especializado – 2004) O conjunto de decisões fixadas em um plano ou emergentes do processo organizacional, que integra missão, objetivos e seqüência de ações administrativas num todo interdependente chama-se

a) organização funcional

b) estratégia

c) feed-back

d) sistema

e) gerência situacional



07. (CERON – Eletrobrás – Administrador – 2006) O planejamento estratégico está voltado para o

a) curto prazo e envolve cada departamento da organização.

b) futuro e envolve cada operação da organização.

c) médio prazo e envolve cada operação da organização.

d) longo prazo e envolve a empresa como totalidade.

e) curto prazo e envolve cada operação da organização.

08. (Upenet – Emprel/Prefeitura de Recife – Analista Organizacional – 2007) Leia as afirmativas a seguir.

I. O Planejamento Estratégico volta-se para as medidas que uma empresa poderá tomar, a fim de enfrentar ameaças e aproveitar as oportunidades encontradas em seu ambiente.

II. Dentre as causas mais importantes do crescimento recente do uso do Planejamento Estratégico, pode-se citar que os ambientes de, praticamente, todas as empresas mudam com surpreendente rapidez. A empresa somente poderá crescer e progredir se conseguir ajustar-se à conjuntura, e o Planejamento Estratégico é uma técnica através da qual tais ajustes são feitos com inteligência.

III. O Planejamento Estratégico é uma metodologia gerencial que permite estabelecer uma direção a ser seguida pela Organização, visando ao maior grau de interação com o ambiente.

Assinale a opção correta.

A) Apenas as afirmativas II e III estão corretas.

B) Apenas as afirmativas I e II estão corretas.

C) Apenas as afirmativas I e III estão corretas.

D) Nenhuma das afirmativas está correta.

E) Todas as afirmativas estão corretas.



09. (FCC – Bacen – Analista – 2006) No processo de planejamento estratégico, o diagnóstico estratégico corresponde à primeira fase e procura diagnosticar acerca da real situação da empresa quanto ao seu macroambiente e microambiente. Apresenta variáveis de análise classificadas como
I. variáveis controláveis, que propiciam uma condição favorável para a empresa em relação ao seu ambiente.

II. variáveis não controláveis pela empresa, que podem criar condições desfavoráveis para a instituição.

III. variáveis controláveis, que provocam uma situação desfavorável para a empresa em relação ao seu ambiente.

IV. variáveis não controláveis pela empresa, que podem criar condições favoráveis para a empresa, desde que esta tenha condições e ou interesse de usufruí-las.


É pertinente concluir que, na análise do binômio variável x ambiente,

(A) III e IV têm relação com o microambiente.

(B) II e III têm, respectivamente, relação com o microambiente e com o macroambiente.

(C) I e III têm relação com o microambiente.

(D) I e IV têm relação com o macroambiente.

(E) I e II têm, respectivamente, relação com o macroambiente e com o microambiente.



10. (FCC – Bacen – Analista – 2006) A filosofia de planejamento que parte dos pressupostos que o principal valor do planejamento reside no processo de produzi-lo; que a maior parte da necessidade atual do planejamento decorre da falta de eficácia administrativa e de controles; e que o conhecimento futuro pode ser classificado em incerteza, certeza e ignorância, é a filosofia

(A) da minimização ou analítica.

(B) da maximização ou otimização.

(C) da satisfação ou projetiva.

(D) da otimização ou analítica.

(E) de adaptação ou homeostase.


11. (UPENET – Prefeitura do Recife – Administrador – 2006) Quanto ao Planejamento Estratégico, é CORRETO afirmar que

A) dentro da missão, deve-se estabelecer os propósitos da organização, ou seja, explicitar os setores em que ela já atua ou está se analisando a possibilidade de vir a atuar, ainda que essa possibilidade seja reduzida.

B) a Análise Externa da organização busca identificar os seus pontos fortes e fracos, diante da concorrência efetiva e potencial.

C) faz parte da Análise Interna o estudo do comportamento dos fornecedores.

D) a Missão da organização é determinar o motivo central do planejamento estratégico e deve estar estritamente relacionada com o seu estatuto social.

E) na Análise Interna, chamam-se de ponto neutro aqueles em que a concorrência ainda não se localizou.


12. (FCC – TJUPE – Analista Judiciário – 2007) O tipo de planejamento característico da alta administração é o

a) de metas

b) operacional

c) ambiental

d) estratégico

e) tático



13. (NUPPS – CEFEt/RN – Administrador – 2006) É definido pela cúpula da organização, envolve toda a empresa, abrange todos os recursos e áreas de atividades e preocupa-se em atingir os objetivos em nível organizacional. Essa conceituação refere-se ao Planejamento:

a) Tático

b) Operacional

c) Tático e Operacional

d) Estratégico
14. (Upenet – Emprel/Prefeitura de Recife – Analista Organizacional – 2007) Todas as condições abaixo facilitam a implementação do planejamento, exceto uma. Assinale-a.

A) Apoio da cúpula da empresa.

B) Objetivos claramente definidos.

C) Comunicação eficaz com todas as áreas.

D) Definição dos recursos a serem utilizados.

E) Ausência de coordenação estratégica.


15. (Cesgranrio – DNPM – Analista Administrativo – 2006) Um dos temas mais investigado pela Psicologia Social é a mudança. A esse respeito, Kurt Lewin ensinou que as mudanças bem-sucedidas devem respeitar três etapas:

(A) análise, implementação e controle.

(B) descongelamento, movimento e recongelamento.

(C) desconstrução, construção e reconstrução.

(D) diagnóstico, implementação e prognóstico.

(E) avaliação, proposição e acompanhamento.
16. (Cesgranrio – DNPM – Analista Administrativo – 2006) Existe uma grande evidência a respeito da resistência à mudança nas organizações. Em certa medida, essa reação é considerada saudável por oferecer certo grau de estabilidade e previsibilidade ao comportamento organizacional. Contudo, a resistência à mudança nem sempre aparece de maneira padronizada. Ela pode ser aberta, implícita, imediata ou protelada. Do ponto de vista do gestor, é mais fácil enfrentar a resistência quando ela é:

(A) aberta e imediata.

(B) aberta e implícita.

(C) aberta e protelada.

(D) implícita e imediata.

(E) implícita e protelada.


17. (Fundação Universa – Apex Brasil – Analista Pleno – 2006) O consultor da Silva & Silva, nos trabalhos já efetuados com a comissão de planejamento, previu uma série de mudanças para melhoria de processos, visando tornar a empresa competitiva frente aos concorrentes nacionais e internacionais. Analise as afirmativas abaixo e marque a alternativa correta.

I. A mudança nos processos tende a melhorar a eficiência da empresa.

II. A existência de cultura favorável à mudança torna a empresa mais flexível em seus processos e inovadora, garantindo-lhe vantagem competitiva ante seus concorrentes.

III. Uma das desvantagens da cultura voltada para as mudanças é a criação de alto grau de instabilidade.

IV. Certo grau de estabilidade é necessário para o êxito da empresa a longo prazo.

V. A empresas são mais propensas ao crescimento e a sobrevivência quando a estabilidade e a adaptação são altas dentro dela.



  1. (A) Nenhuma afirmativa está certa.

  2. (B) Há 1 afirmativa certa.

  3. (C) Há 2 afirmativas certas.

  4. (D) Há 3 afirmativas certas.

  5. (E) Há 4 afirmativas certas.


18. (Fundação Universa – Apex Brasil – Analista Pleno – 2006) Em reunião realizada com todos os funcionários da organização, o consultor transmitiu os trabalhos já realizados e as propostas de mudanças, principalmente para a obtenção da certificação ISO 14001. Que providências devem ser tomadas para redução das resistências às mudanças?

Analise as afirmativas e assinale a alternativa correta.

I. Informar que haverá corte nos postos de trabalho.

II. Informar aos funcionários o tipo de mudança a ser realizada, a probabilidade de que ela seja adotada e enfatizar os ganhos individuais decorrentes dela.

III. Realizar um novo desenho de cargos e demitir os ocupantes dos cargos extintos antes que eles demonstrem insatisfação com o problema, aumentando a resistência a mudanças pelo restante do grupo.

IV. Criar um ambiente propício a mudanças, por meio de atitudes positivas da gerência em relação a essa mudança, sendo abertamente demonstrada pelos níveis gerenciais baixo, médio e alto da organização.

(A) Todas afirmativas estão certas.

(B) Todas afirmativas estão erradas.

(C) Apenas 1 afirmativa está certa.

(D) Apenas 1 afirmativa está errada.

(E) Apenas 2 afirmativas estão certas.
19. (UPENET – Prefeitura de Recife – Assistente RH – 2007) O exercício de influência sobre indivíduo e grupos, com vistas à realização de objetivo organizacional, é chamado de

a) liderança

b) autocracia

c) desenho organizacional

d) liberal

e) vertical


20. (UPENET – Prefeitura de Recife – Assistente RH – 2007) O estilo gerencial, que define os papéis de cada indivíduo, determinando as providências para a execução das tarefas de cada um, sem contar com participação do grupo, caracteriza-se como

  1. democrático

  2. participativo

  3. autoritário

  4. liberal

  5. vertical


21. (FCC - TRE/Paraíba Analista Judiciário – 2007) Pela teoria de Liderança Situacional, desenvolvida por Paul Hersey e Kenneth Blanchard, existem quatro estilos que norteiam o comportamento do superior em relação a cada atividade que o colaborador realiza. Tais estilos são

A – dirigir, persuadir, compartilhar e delegar.

B – ensinar, treinar, apoiar e controlar.

C – comandar, influenciar, apoiar e acompanhar.

D – apoiar, influenciar, treinar e controlar.

E – apoiar, treinar, controlar e acionar.



22. (FCC - TRE/Paraíba Analista Judiciário – 2007) A Tela Administrativa de Blake e Mouton identifica uma faixa de comportamentos administrativos baseados nas várias formas de relação entre o estilo

A – voltado para o trabalho e o estilo voltado para o colaborador.

B – autoritário e o estilo conciliador voltado para o trabalho.

C – autoritário e o estilo democrático voltado para o trabalho.

D – moderador e o estilo democrático voltado para o colaborador.

E – voltado para as interações pessoais no ambiente de trabalho e o estilo voltado para o cumprimento das metas de trabalho.



23. (FAI - UFABC – Administrador – 2006) Em seus estudos sobre estilos gerenciais, Blake e Mouton produziram um gráfico, a “grade gerencial” que levou seus nomes, baseada na combinação de atuações do gerente em uma ou em outra direção em que se mostram cinco características gerenciais predominantes. Aponte a alternativa cujos resultados esperados não guardam correspondência potencial com o respectivo estilo.

a) Estilo 9.9: alto interesse pelas operações e pelas pessoas. O resultado é um ambiente construtivo, com discussão franca dos problemas e ampla comunicação entre todos.

b) Estilo 1.1: baixo interesse do gerente com as operações e com as pessoas. O esforço feito é o suficiente para conseguir algum resultado, apenas para manter a posição do gerente e dos membros da equipe.

c) Estilo 1.9: baixo interesse com as operações e alto interesse com as pessoas. Os erros e a ineficiência são relevados, resultando em uma produção mínima e custo/benefício desfavorável para a organização.

d) Estilo 9.1: alto interesse pelas operações e baixo interesse pelas pessoas. O resultado é a alta motivação da equipe, grande criatividade e trabalho cooperativo.

e) Estilo 5.5: Este estilo é o do meio termo. O resultado é um ambiente de ajuste, com transigência e acomodação, ainda que com vistas a conseguir resultados para a equipe e para a organização.


24. (FCC – TRT/23ª Região – Analista Judiciário – 2007) A visão bidimensional da liderança permitiu oferecer explicação para conciliar à eficácia do líder com as duas orientações. Blake e Mouton, uma dupla de pesquisadores de liderança, desenvolveram a idéia da grade gerencial. De acordo com esse modelo explicativo da liderança, o líder pode dar muita ou pouca ênfase para a tarefa e, ao mesmo tempo, muita ou pouca ênfase para

A – o resultado.

B – a produção.

C – as pessoas.

D – o clientes internos.

E – os processos de trabalho.


25. (FCC – BACEN – Analista- 2006) No processo de gestão de pessoas, fazendo relação da natureza da administração científica de Taylor com os pressupostos do grid gerencial de Blake e Mouton, é correto inferir que o ponto comum é o

(A) médio interesse por tarefas e elevado interesse por pessoas.

(B) elevado interesse por pessoas e por tarefas.

(C) elevado interesse por tarefas e baixo interesse por pessoas.

(D) baixo interesse por pessoas e por tarefas.

(E) médio interesse por pessoas e por tarefas.


26. (FCC – TRT/23ª Região – Analista Judiciário – 2007) Fred Fiedler entende que as situações que os lideres enfrentam podem ser avaliadas em termos de três características:

A – as relações entre o líder e os seguidores; o grau de estruturação da tarefa e o poder de posição.

B – o poder de autoridade; a complexidade da tarefa e o poder de persuasão manifestado pelo líder.

C – o poder de autoridade; o grau de maturidade do colaborador para realizar a tarefa e o poder de influência manifestado pelo líder.

D – o poder de autoridade; o grau de maturidade do colaborador para realizar a tarefa e o poder de persuasão manifestado pelo líder.

E – o grau de complexidade da tarefa; o nível de desenvolvimento do colaborador para realizar a tarefa e o estilo de relacionamento interpessoal adotado pelo líder para com os seus colaboradores.



27 - (NCE/UFRJ – Governo do Estado do Mato Grosso – Administrador – 2006) De acordo com Douglas Mc Gregor, as abordagens da liderança são influenciadas pelos pressupostos do líder sobre a natureza humana. Os administradores que aceitam a denominada “Teoria X” acreditam que:

(A) a pessoa média aprende, sob condições apropriadas, não apenas a aceitar, mas a buscar responsabilidade;

(B) nas condições atuais da vida industrial, o potencial intelectual da pessoa média é apenas parcialmente utilizado;

(C) as pessoas irão exercitar a autodireção e o autocontrole para atingir os objetivos com os quais estiverem comprometidas;

(D) a pessoa média não gosta do trabalho e procura evitá-lo se possível;

(E) o compromisso com os objetivos está relacionado com as recompensas associadas à sua consecução.



28. (FUMARC – Fundação João Pinheiro – Governo de MG – Gestão de Pessoas – 2007) Uma das teorias mais respeitadas sobre liderança é a teoria caminho-objetivo, desenvolvida por Robert House. A essência da teoria afirma que:


  1. é trabalho do líder ajudar seguidores a atingirem suas metas e fornecer a direção necessária e/ou apoio para assegurar que suas metas sejam compatíveis com os objetivos gerais do grupo ou organização.

  2. é trabalho do grupo assegurar que as metas sejam atingidas e fornecer a direção necessária e/ou apoio para que o líder possa se adequar, sistêmica ou mercadologicamente, aos objetivos gerais do grupo ou organização.

  3. é trabalho do grupo se ajudar e permitir ao líder e seus seguidores a atingirem suas metas assegurando apoio metodológico para que estas metas sejam compatíveis com os objetivos gerais de produção/operações do grupo ou organização.

  4. é trabalho do líder motivar seus seguidores a atingirem suas metas e apurar a direção necessária e/ou apoio para assegurar que seus funcionários produzam em compatibilidade e apurem metodologicamente os resultados de acordo com os objetivos gerais do grupo ou organização.

29. (NUPPS – CEFEt/RN – Administrador – 2006) As estratégias genéricas básicas para aumentar o poder competitivo, segundo Michael Porter são:

a) Produto, Preço, Ponto, Pagamento.

b) Mercado, Produto e Preço.

c) Liderança em custos, Diferenciação e Foco.

d) Ativos fixos, Estoque e Contas a receber.


1   ...   26   27   28   29   30   31   32   33   34


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal