AdministraçÃo geral sumário



Baixar 1 Mb.
Página9/34
Encontro18.07.2016
Tamanho1 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   34

Ciclo da APO

A APO envolve um processo cíclico de tal forma que o resultado de um ciclo permite correções e ajustamentos no ciclo seguinte, por meio de retroação proporcionada pela avaliação dos resultados.


(O ciclo da APO, pág. 200 – retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração.).


Cogestão/ Gestão participativa


(O processo participativo e democrático de APO – retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração.).
CRÍTICAS
Alguns problemas com a APO:


  • Coerção sobre subordinados

  • Aprovação de objetivos incompatíveis

  • Papelório em excesso

  • Focalização sobre resultados mais facilmente mensuráveis do que sobre resultados mais importantes

  • Perseguição rígida de objetivos que poderiam ser abandonados.


RESUMO
1 – Cada autor desenvolve o seu modelo de APO. As características da APO, apesar das diferenças de enfoque dos autores, podem ser definidas genericamente: estabelecimento conjunto de objetivos entre o gerente e seu superior, estabelecimento de objetivos para cada departamento ou posição, interligação entre os vários objetivos departamentais, ênfase na mensuração e no controle de resultados, contínua avaliação, revisão e reciclagem dos planos, participação atuante das gerências e dos subordinados, apoio intensivo do staff, principalmente durante os primeiros períodos.

2 – Como a APO se assenta sobre objetivos, os critérios para fixação de objetivos são fundamentais para o sucesso do sistema.

3 – A APO é desenvolvida por meio de ciclos que variam conforme os autores.

Dica: Palavras-chaves importantes sobre a APO: Objetivos estabelecidos em conjunto entre gerente e subordinados, estabelecimento de objetivos para cada departamento e sua interligação, avaliação dos resultados, revisão e reciclagem dos planos.



4. ABORDAGEM ESTRUTURAL DA ADMINISTRAÇÃO

No início do século XX, Max Weber, um sociólogo alemão, publicou uma bibliografia a respeito das grandes organizações da sua época. Deu-lhes o nome de burocracia e passou a considerar o século XX como o século das burocracias, pois achava que essas eram as organizações características de uma nova época, plena de novos valores e de novas exigências.

As burocracias surgiram a partir da época vitoriana como decorrência da necessidade que as organizações sentiram de ordem e de exatidão e das reivindicações dos trabalhadores por um tratamento justo e imparcial. O modelo burocrático de organização serviu como uma reação contra a crueldade, o nepotismo e os julgamentos tendenciosos e os parcialistas, típicos das práticas administrativas desumanas e injustas do início da Revolução Industrial.

Rapidamente, a forma burocrática de Administração alastrou-se por todos os tipos de organização e o século XX representa o século da burocracia.



Com o aparecimento, crescimento e proliferação das burocracias, a teoria administrativa – até então introspectiva e voltada apenas para os fenômenos internos da organização – ganhou uma nova dimensão por meio da abordagem estruturalista: além do enfoque intra-organizacional, surgiu o enfoque interorganizacional. A visão estreita e limitada aos aspectos internos passou a ser ampliada e substituída por uma visão mais ampla, envolvendo a organização e suas relações com outras organizações dentro de uma sociedade maior. A partir daqui, a abordagem estruturalista se impõe definitivamente sobre a Abordagem Clássica e a Abordagem das Relações Humanas. Embora predomine a ênfase na estrutura, a visão teórica ganha novas dimensões e novas variáveis.


Dica: O Modelo Burocrático de Max Weber é um dos mais cobrados em concursos, juntamente com Abordagem Clássica de Taylor e Fayol. Assim, muita atenção ao próximo tópico que vamos começar a estudar agora.

4.1. MODELO BUROCRÁTICO DE ORGANIZAÇÃO

A Burocracia, Teoria Burocrática de Administração ou Modelo Racional-Burocrático, surge como resposta à necessidade de um modelo organizacional que considerasse todas as variáveis envolvidas (processo, comportamento humano, estrutura etc.), e que pudesse ser aplicada a todos os tipos de organização (não se restringindo à indústria). Corresponde a uma forma de organização que se baseia na racionalidade, isto é, na adequação dos meios aos fins (objetivos) pretendidos.

Para compreender a Burocracia, Max Weber estudou os tipos de sociedade e autoridade:

A – Sociedade tradicional, onde predominam as características patriarcais (a família, por exemplo);

B – Sociedade carismática, onde predominam características místicas, arbitrárias e personalísticas (grupos revolucionários), e;

CSociedade legal, racional ou burocrática, onde predominam normas impessoais e racionalidade na escolha dos meios e dos fins (grandes empresas, exércitos).

Suas principais características são:

1 – Hierarquia da autoridade, herdada das organizações militares;

2 – Caráter legal das normas e regulamentos – assim como a tradição legitima a autoridade patriarcal, a autoridade burocrática fundamenta-se em normas e regulamentos. É como se cada empresa possuísse uma constituição própria;

3 – Caráter formal das comunicações – na burocracia todas as comunicações são feitas por escrito, com vistas à comprovação e à padronização;

4 – Impessoalidade nas relações – a administração nas burocracias é efetuada sem considerar as pessoas como pessoas, mas como ocupantes de cargos e funções. A obediência é impessoal; não é prestada em consideração à pessoas do chefe, e sim do cargo que ocupa;

5 – Rotinas e procedimentos padronizados – a burocracia é uma organização que fixa regras e normas técnicas para desempenho do cargo, reeducando a conduta de seus membros;

6 – Meritocracia – a admissão, transferência e remoção dos funcionários são baseadas no mérito e na competência técnica, e não em critérios particulares e arbitrários.

7 – Especialização da administração – o que se deseja é a profissionalização de todos os membros, com distinção das atividades de gerência das de execução.





A burocracia é baseada em:

Conseqüências previstas:

Objetivo:

1. Caráter legal das normas.

2. Caráter formal das comunicações.

3. Divisão do trabalho.

4. Impessoalidade no relacionamento.

5. Hierarquização da autoridade.

6. Rotinas e procedimentos.

7. Competência técnica e mérito.

8. Especialização da administração.

9. Profissionalização.

10. Previsibilidade do funcionamento.



Previsibilidade do comportamento humano. Padronização do desempenho dos participantes.



Máxima eficiência da organização.

(As características da burocracia segundo Weber– retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração.)


Dica: Costumamos pensar em burocracia apenas como regras, formalismo e excesso de papelório, entretanto, para Weber, o termo burocracia significa a Organização por Excelência, ou seja, o melhor dos mundos! O que costumamos pensar sobre a palavra burocracia, é na verdade, o que deu errado, ou seja, suas disfunções, o que veremos logo adiante. Lembre disso!!!

1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   34


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal