Agrupamento de Escolas de Esgueira Escola Aires Barbosa Tema: o estatuto do narrador Narrador



Baixar 14.32 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho14.32 Kb.
Agrupamento de Escolas de Esgueira Escola Aires Barbosa
Tema: O estatuto do narrador


Narrador

É o ser responsável pela narração. É através “do seu olhar” que uma "história" é contada.

O narrador nunca se identifica com o autor, ele é um ser de ficção, uma personagem inventada, que só existe na narrativa.

Pode ser exterior à "história" que narra ou identificar-se com uma das personagens (presença), só pode contar aquilo de que teve conhecimento (ciência). Sobre o que conta pode, ou não, dizer-nos o que pensa (posição).



Presença


Narrador participante

O narrador identifica-se com a personagem (principal ou secundária). A narração é feita na 1ª pessoa do singular ou do plural.

Narrador não participante

O narrador é totalmente alheio aos acontecimentos que narra. A narração é feita na 3ª pessoa do singular ou do plural.



Ciência (ponto de vista)


Focalização omnisciente

O narrador revela um conhecimento absoluto, quer dos acontecimentos, quer das motivações. É capaz de penetrar no íntimo das personagens, revelando os seus pensamentos e as suas emoções. Assume o papel de Deus.

Focalização externa

O narrador é um simples observador, externo aos acontecimentos. Narra aquilo que pode apreender através dos sentidos (visão, audição, tacto, paladar, olfacto): descreve os espaços, os acontecimentos, mas não conhece o interior das personagens.

Focalização interna

O narrador é também um observador: narra aquilo que vê e ouve. Este narrador adopta o ponto de vista de uma personagem, relatando os acontecimentos tal como eles são vistos por essa personagem.

Posição


Narrador objectivo

O narrador limita-se a contar a história tal como aconteceu, sem emitir opinião sobre os factos que transmite.

Narrador subjectivo

O narrador intervém na história que conta. Ele dá a sua opinião sobre os acontecimentos, sobre as personagens.


Narratário

Enquanto a existência do narrador é fácil de identificar, a do narratário é menos visível.

O narrador revela sempre a sua presença, através do discurso que elabora, enquanto que o narratário nem sempre é explicitamente identificado.

Normalmente, não encontramos ao longo do discurso do narrador nenhuma referência ao destinatário do discurso (narratário), o que faz com que seja frequentemente ignorado.



Quer dizer, quando lemos um texto descobrimos logo quem o está a narrar (narrador), mas raramente sabemos para quem o faz (narratário). No entanto é fácil de perceber que quem narra, narra para alguém.

Também será fácil entender que o narrador não se dirige ao leitor nem ao ouvinte, até porque ele não sabe – quando escreve – quem vai ler ou ouvir ler o seu texto.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal