Agrupamento de escolas de mértola



Baixar 18.31 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho18.31 Kb.
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MÉRTOLA

Escola EB 2,3/Secundária de S. Sebastião, Mértola

Ano Letivo 2013/2014

Disciplina de Psicologia B – 12º Ano – Turma A

Ficha Formativa de Trabalho de grupo 4 sobre o documentário A Jornada do Homem

Docente: Rui Nunes Kemp Silva 21-10-2013 (segunda-feira)

Tema 1 – Antes de Mim: 1.1. A Genética
Antes de sermos como somos, há uma história por contar. Como conseguiu a espécie humana povoar o planeta? Como é que os seres humanos conseguiram afirmar-se como uma espécie dominante e bem-sucedida em todos os ecossistemas do planeta? Um grupo de geneticistas estudou esta questão durante uma década e chegou a uma conclusão surpreendente: a «árvore genealógica» global da humanidade pode ser traçada até um homem que viveu em África há 60 mil anos atrás. O Dr. Spencer Wells é o anfitrião do documentário inovador da National Geographic e que conta também com os testemunhos de especialistas científicos, historiadores, arqueólogos e antropólogos.


O povo San – Os bosquímanos.
Acredita-se que os bosquímanos da África do Sul são os descendentes diretos do primeiro Homo sapiens evoluído há cerca de 100 mil anos. A investigação do geneticista Spencer Wells revela que os marcadores genéticos descobertos no seu ADN são diferentes de qualquer outro tipo de marcador existente fora do continente africano: haverá ainda um «Adão Genético»?

O documentário A Jornada do Homem conta-nos a história notável da odisseia humana, um percurso migratório longo e misterioso para o exterior do continente africano, e deste através do resto do mundo, escrevendo a história com as provas recolhidas do cromossoma Y do ADN do homem. Atravessando cinco continentes, o filme conduz os espetadores para uma viagem fascinante até ao mundo oculto da genealogia da humanidade, ao mesmo tempo que nos apresenta uma visão moderna das vidas dos nossos antepassados. O sangue é essa «máquina do tempo» que nos proporciona uma retrospetiva sobre as nossas origens remotas. A chave para a descoberta é fornecida pela genética e pelas variações inscritas nos chamados «marcadores», uma chave genética que é uma espécie de «a priori» do comportamento. Esta é uma investigação interdisciplinar, combinando o contributo de múltiplas ciências, como a arqueologia, a história, a climatologia, a linguística, antropologia, geografia e a própria psicologia. Esta origem comum, inscrita no sangue, prova-nos que o racismo é uma ideologia falsa e sem qualquer estatuto de ciência.
Para saber mais sobre este assunto fascinante e enriquecer o seu portefólio:
http://en.wikipedia.org/wiki/The_Journey_of_Man:_A_Genetic_Odyssey

http://www.bradshawfoundation.com/journey/
Questões orientadoras para a observação do documentário


  1. Qual a fonte de onde são extraídas as informações que permitem aos cientistas (geneticistas) reconstituir a história da migração da humanidade, essa autêntica «máquina do tempo»?

  2. Como se chama a ciência que permite reconstituir o trajeto da humanidade pelo mundo?

  3. Em que região do continente africano se situa plausivelmente a origem genética da humanidade?

  4. Como se chamam os antepassados genéticos mais remotos da humanidade que ainda existem?

  5. No documentário são identificados os três principais agentes da transmissão genética. Quais são?

  6. Que nome se dá às falhas na sequência de ADN?

  7. Como se chamam as alterações herdadas de geração em geração ao nível cromossomático e que nele ficam gravadas?

  8. Por que razão se pensa que os San são a população humana mais antiga do mundo?

  9. Qual é a característica comportamental dos San que oferece uma «janela» para a história da humanidade?

  10. Que capacidades cognitivas conseguiram desenvolver os bosquímanos e que são descritas no documentário?

  11. Por que razão os antepassados dos bosquímanos terão saído de África? Por que razão houve uma migração humana? Que hipótese plausível é avançada no documentário para explicar esse facto?

  12. Depois de terem saído de África, qual é o ponto remoto do mundo em que aparecem as ossadas dos nossos antepassados?

  13. Faz sentido supor que foram os aborígenes australianos os primeiros seres humanos e que foram estes que viajaram para África?

  14. As duas explicações apresentadas no documentário para identificar os seres humanos mais antigos (aborígenes ou africanos) são muito diferentes. Porquê? Qual delas te parece mais plausível?

  15. Por que razão é que o geneticista norte-americano Spencer Wells, na Índia, só procura extrair sangue de seres humanos do sexo masculino? E por que razão Spencer Wells opta por escolher comunidades isoladas?

  16. O que se pretende provar com a descoberta do marcador genético indiano?

  17. Houve uma segunda vaga migratória de seres humanos. Para onde se dirigiram?

  18. Houve um hominídeo que desapareceu misteriosamente na evolução da humanidade. Quando os seres humanos modernos migraram de África descobriram que a Europa já estava ocupada por «outros seres humanos». Como se chama o hominídeo que ocupou a Europa pela primeira vez na migração global da espécie?

  19. Os primeiros hominídeos europeus viveram isolados de outras populações humanas durante a época glaciar. Quais foram as mutações genéticas que sofreram durante esse período em que viveram num habitat mais frio e escuro?

  20. Qual era o marcador genético ancestral que foi descoberto na Ásia Central (na Quirguízia e no Cazaquistão) e que importância é que representa na investigação?

  21. Como se chama a tribo nómada do Árctico que possui o mesmo marcador genético da Ásia Central?

  22. Que explicação biológica é dada para os membros da tribo nómada serem tão resistentes ao meio ambiente gelado do Árctico (as condições de frio extremo podem chegar acima dos 50º negativos)?

  23. Há uma hipótese de travessia intercontinental na migração da espécie humana no percurso Ásia-América. Como se chama a passagem do Árctico, do território do Extremo Oriente Russo, para a América do Norte?

  24. Como se chama a tribo norte-americana que possui o mesmo marcador genético dos Chukchi?

  25. Durante muito tempo, o racismo foi uma ideologia que influenciou negativamente a ciência. Qual é a principal conclusão que se pode deduzir deste documentário, derivada da Genética, acerca do problema colocado pelo racismo? Elabora uma pequena pesquisa autónoma e apresenta três razões plausíveis para demonstrar que o racismo é uma ideologia falsa e pseudocientífica.


(Cotações: itens 1 a 24 x 7 pontos = 168 pontos + item 25 = 32 pontos)
BOM TRABALHO!





©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal