Aliviando a Bagagem Max Lucado



Baixar 296.85 Kb.
Página9/18
Encontro29.07.2016
Tamanho296.85 Kb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   18

9 - Suplante a si Mesmo

O Fardo da Arrogância


Por amor do seu nome...

Salmos 23.3

A humildade é de certo modo uma virtude enganosa. Às vezes você pensa que a possui, e não possui, ou acha que não a tem, e tem. Já ouviu a história do menino que recebeu o distintivo de "O Mais Humilde", e este lhe foi tirado porque ele o usou?

Algo semelhante aconteceu-me outro dia mesmo. Eu me retirara para uma cidade próxima a fim de trabalhar neste livro. O povoado era um perfeito refúgio: singular, sossegado, e tinha excelente comida.

Eu tinha ido a um bar para tomar o café da manhã, quando percebi que as pessoas estavam me fitando.

Enquanto estacionava, dois camaradas se voltaram e olharam em minha direção. Uma mulher fez uma tomada dupla quando entrei, e vários clientes levantaram a cabeça à minha passagem. Quando tomei assento, a garçonete entregou-me um menu, mas não sem antes estudar-me demoradamente.

Por que a atenção? Após algumas cogitações, tomei uma posição madura e admiti que eles me haviam reconhecido das capas de meus livros. Ora, esta deve ser uma cidade de leitores. E, dei de ombros, eles conhecem um bom autor quando vêem um. Minha apreciação pelo local apenas aumentou.

Dando um sorriso para as pessoas das outras mesas, preparei-me para tomar minha refeição. Quando me encaminhei para o caixa, as cabeças se voltaram novamente. Estou certo de que Steinbeck tinha o mesmo problema. A mulher que recebeu o meu dinheiro começou a dizer algo, mas então parou. Encabulada, conjeturei.

Foi apenas quando parei no banheiro que vi o real motivo de tanta atenção - a risca de sangue seco em meu queixo. Meu curativo para corte de barbeador não funcionara, e eu saíra com a minha barbela de peru. Tanto mais por me sentir famoso.

Eles provavelmente acharam que eu era um foragido de uma prisão do Texas.

Oh, as coisas que Deus faz para manter-nos humildes...

Ele o faz para o nosso bem, você sabe. Você poria uma sela nas costas de seu filho de cinco anos? Iria Deus sobrecarregar você com arrogância? De jeito nenhum.

Esta é uma peça da bagagem que Deus odeia. Ele não antipatiza com a arrogância. Ele não desaprova a arrogância. Ele não é desfavorável à arrogância. Deus odeia a arrogância. O que uma refeição de larvas causa ao nosso estômago, o orgulho humano causa ao de Deus.

"A soberba e a arrogância aborreço" (Pv 8.13).

"Abominação é para o Senhor todo altivo de coração" (Pv 16.5).

Deus ordena: "Nada façais por vanglória" (Fp 2.3).

E, "Não multipliqueis palavras de altíssima altivez" (1 Sm 2.3). E do mesmo modo que concede graça ao humilde, "Deus resiste aos soberbos" (1 Pe 5.5). Enquanto a humildade vai adiante da honra,"a soberba precede a ruína" (Pv 16.18).

Indagamo-nos todos por que as igrejas são cheias de poder em uma geração, e vazias na outra. Talvez a resposta se encontre em Provérbios 15.25: "O Senhor arrancará a casa dos soberbos".

Deus odeia a arrogância. Ele odeia a arrogância porque não temos feito coisa alguma pela qual sermos arrogantes.

O crítico de artes confere prêmios à tela? Há um Pulitzer para a tinta? Você pode imaginar um bisturi se tornando presunçoso após um bem sucedido transplante de coração? Claro que não. Eles são apenas ferramentas, por isso não recebem crédito pelas realizações.

E a mensagem do Salmo 23 é que também não temos nada pelo que nos orgulhar. Temos descanso, salvação, bênçãos, e um lar no céu - e não fizemos nada para merecer qualquer uma destas coisas. Quem fez? Quem fez o trabalho? A resposta enfileira-se pelo Salmo 23 como um fio de seda através das pérolas.

"Ele me faz..."

"Ele me guia..."

"Ele refrigera a minha alma..."

"Tu estás comigo..."

"A tua vara e o teu cajado me consolam..."

"Preparas uma mesa..."

"Unges a minha cabeça..."

Podemos ser a tela, o papel, ou o bisturi, mas não somos quem merece os aplausos. E, apenas para certificar de que entendemos o ponto, bem no meio do poema, Davi declara quem os merece. O pastor guia suas ovelhas, não por amor de nossos nomes, mas "por amor do seu nome".

Por que Deus tem algo a fazer conosco? Por amor do seu nome. Nenhum outro nome em cartaz. Nenhum outro nome em destaque. Nenhum outro nome na primeira página.Tudo é feito para a glória de Deus.

Por que? Qual é a grande jogada? Deus tem um problema de ego?

Não, mas nós, sim. Somos quase tão responsáveis com os aplausos quanto eu fui com o bolo que ganhei no primeiro grau. No grande final da competição musical, advinha quem se sentou? E advinha o que o menininho ruivo de rosto sardento ganhou? Um fofo e úmido bolo de coco. E advinha o que o menino queria fazer naquela noite? Comer o bolo todo. Não apenas metade dele.

Não um pedaço dele. Todo ele! Afinal, eu o tinha ganhado.

Mas você sabe o que os meus pais fizeram? Racionaram o bolo. Deram-me apenas o que eu podia segurar. Sabendo que a forra de hoje é a dor de barriga de amanhã, eles asseguraram que eu não adoecesse em meu sucesso.

Deus faz o mesmo. Ele pega o bolo. Ele pega o crédito, não porque precise dele, mas porque sabe que não podemos lidar com ele. Não nos contentamos com um pouco de adulação; nossa tendência é engolir toda ela. A exaltação aumenta a nossa cabeça e encolhe o nosso cérebro, e logo começamos a pensar que temos algo a ver com a nossa sobrevivência. Bem rápido nos esquecemos de que fomos feitos do pó, e resgatados do pecado.

Logo começamos a orar como o companheiro na reunião do partido político religioso: "Deus, obrigado porque no mundo há pessoas como eu. O homem da esquina carece de assistência social - eu não. A prostituta da rua tem AIDS - eu não. O bêbado no bar necessita de álcool - eu não. A convenção dos gays precisa de moralidade - eu não. Te agradeço porque no mundo há pessoas como eu".

Afortunadamente, havia um homem na mesma reunião que desviara todo o aplauso. Contrito demais até para levantar os olhos ao céu, ele curvou-se e orou:

"Deus, tenha misericórdia de mim, pecador. Como o meu irmão depende da previdência social, eu dependo da tua graça.

Como a minha irmã com AIDS, estou infectado com enganos.

Como o meu irmão que bebe, preciso de algo que me alivie a dor.

E assim como Tu amas e dás direção ao gay, concede-me o mesmo.

Tenha misericórdia de mim, pecador".

Após contar uma história semelhante a esta, Jesus declarou: "Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado" (Lc 18.14).

Com a mesma intensidade com que odeia a arrogância, Deus ama a humildade. O mesmo Jesus que disse: "Sou manso e humilde de coração" (Mt 11.29), ama aqueles que são mansos e humildes de coração. "Ainda que o Senhor é excelso, atenta para o humilde" (Sl 138.6). Deus afirmou: "Habito com o contrito e abatido" (Is 57.15). Ele também disse: "Eis para quem olharei: para o pobre e abatido de espírito" (Is 66.2). E aos humildes, Deus dá grandes tesouros:

Ele dá honra: "Diante da honra vai a humildade".

Ele dá sabedoria:"Com os humildes está a sabedoria" (Pv 11.2)

Ele dá direção: "Aos mansos ensinará o seu caminho" (Sl 25.9).

E o mais importante, Ele dá graça: "Deus dá graça ao humilde" (1 Pe 5.5).

E esta segurança: "Ele adornará os mansos com a salvação" (Sl 149.4).

O apóstolo Paulo foi salvo através de uma visita pessoal de Jesus. Ele foi levado até o céu e tinha poder para ressuscitar mortos, mas quando se apresentava a si mesmo, não mencionava nada disso. Ele simplesmente dizia: "Paulo, servo de Deus" (Tt 1.1).

João batista era parente sanguíneo de Jesus e foi o primeiro evangelista da história. Contudo, ele é lembrado nas Escrituras como aquele que decidiu: "E necessário que ele cresça e que eu diminua" (Jo 3.30).

Deus ama a humildade. Seria esta a razão de Ele oferecer tantas dicas para cultivá-la? Posso... hãhã... humildemente, falar um pouco?

1. Avalie-se a si mesmo honestamente. Humildade não é o mesmo que baixa auto-estima. Ser humilde não significa você achar que não tem nada a oferecer; significa que você sabe exatamente o que tem a oferecer, e não mais. "... que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um" (Rm 12.3).

2. Não leve o sucesso tão a sério. A Escritura faz esta advertência: "E se acrescentar a prata e ouro, e se multiplicar tudo quanto tens, não se eleve o teu coração e te esqueças do teu Deus" (Dt 8.13,14).

Neutralize este orgulho com a lembrança da brevidade da vida e da fragilidade da riqueza.

Considere o seu sucesso e conte o seu dinheiro num cemitério, e lembre-se que nenhum dos dois será enterrado com você. "Como saiu do ventre de sua mãe, assim nu voltará, indo-se como veio; e nada tomará do seu trabalho que possa levar na sua mão" (Ec 5.15). Vi um lembrete desses num cemitério.

Estacionado perto da entrada estava um belo barco de recreação com a placa "Vende-se". Você ficaria admirado se o pescador compreendesse que não poderia levá-lo com ele.

3. Celebre a importância dos outros."Cada um considere os outros superiores a si mesmo" (Fp 2.3). O colunista Rick Reilly deu aos atletas profissionais novatos o seguinte conselho: "Pare de bater no peito. Na linha bloqueada, o zagueiro lança você numa perfeita espiral enquanto a cabeça dele pára, e o bom receptor bate a dupla cobertura. Suplante a si mesmo".

A verdade é que cada aterrissagem na vida é uma conquista da equipe. Aplauda seus companheiros de equipe.

Um aluno da escola primária chegou do teste que fizera para a peça da escola, anunciando: "Mamãe, mamãe, ganhei um papel. Fui escolhido para sentar na audiência, e aplaudir e dar vivas!" Quando você tem a chance de aplaudir e ovacionar, você o faz? Se o faz, a sua cabeça está começando a se ajustar ao tamanho do seu chapéu.

4. Não demande o seu próprio lugar. Esta foi a instrução de Jesus aos discípulos: "Assenta-te no derradeiro lugar, para que quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, assenta-te mais para cima. Então terás honra diante dos que estiverem contigo à mesa" (Lc 14.10).

Exigir deferência é como caçar uma borboleta. Persiga-a, e nunca a alcançará. Sente-se quieto, e ela poderá pousar em seu ombro. O filósofo francês Blaise Pascal indagou: "Você quer que as pessoas falem bem de você? Então nunca fale bem de si mesmo". Talvez seja o que a Bíblia diz: "Louve-te o estranho, e não a tua boca" (Pv 27.2).

5. Nunca anuncie o seu sucesso antes que ele aconteça.

Ou, como disse um dos reis de Israel, "Não se gabe quem se cinge como aquele que se descinge" (1 Rs 20.11).

Charles Spurgeon treinou muitos jovens ministros. Numa ocasião, um aluno subiu para pregar, cheio de confiança, mas falhou miseravelmente. Ele desceu manso e humilde. Spurgeon asseverou-lhe: "Se você tivesse subido como desceu, teria descido como subiu".' Se a humildade precede um evento, então a confiança poderá segui-lo.

6. Fale humildemente. "Não multipliqueis palavras de altíssima altivez" (1 Sm 2.3). Não seja emproado. As pessoas não estão impressionadas com as suas opiniões.

Aprenda com Benjamin Franklin.

Desenvolvi o hábito de expressar-me em termos de modesta falta de confiança, nunca usando, quando antecipo que alguma coisa pode ser disputada, as palavras certamente, indubitavelmente, ou outras que dão o ar de positividade a uma opinião; antes, digo: eu imagino, eu sinto que determinada coisa pode ser assim e assim... Acredito que este hábito me tem sido muito vantajoso.

E pode ser muito vantajoso para nós também.

Um último pensamento para promover a humildade.

Viva ao pé da cruz. Paulo afirmou: "Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo".

Você sente necessidade de afirmação? Sua auto-estima carece de atenção? Você não precisa apresentar nomes ou exibir-se. Você necessita apenas de uma pausa ao pé da cruz, e de ser lembrado disso: O criador das estrelas preferiu morrer por você, a sem você. E isto é fato. Então, se você precisa gabar-se, gabe-se disso.

E, de vez em quando, examine o seu queixo.


1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   18


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal