Almeida, Fernando. O bom negócio da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002



Baixar 20.41 Kb.
Encontro23.07.2016
Tamanho20.41 Kb.




ALMEIDA, Fernando. O bom negócio da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002.
ALMEIDA, Luciana. Política ambiental. Campinas – SP: Papirus, 1998.
ANDRADE, R. O . B. de; TACHIZAWA, T.; CARVALHO, A. B. de. Gestão ambiental – Enfoque estratégico aplicado ao desenvolvimento sustentável. São Paulo: Makron Books, 2000.
BACKER, Paul. Gestão ambiental: a administração verde. Rio de Janeiro: Qualitymark Ed., 1995.
BARBOSA, Maria N. Lins. Manual de ONGs. Rio de Janeiro: FGV, 2001.
BARRÈRE, Martine. Terra – Patrimônio comum. A ciência a serviço do meio ambiente e do desenvolvimento. São Paulo: Nobel, 1992.
BARTHOLO, Roberto (org) et al. Ética e sustentabilidade. Rio de Janeiro: E-papers, 2002
BOFF, L. Ecologia: grito da Terra, grito dos pobres. São Paulo: Ática, 1995.
BRUBAKER, Sterling. Viver na terra. O homem e seu ambiente em perspectiva. São Paulo: Cultrix, 1976.
CALLENBACH, E. et al. Gerenciamento ecológico. Rio de Janeiro: Cultrix, 1993.
CAMARGO, Aspásia (org) et al. Meio ambiente Brasil: avanços e obstáculos pós-Rio-92. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2002.
CARVALHO, Nanci Valadares. Autogestão: o nascimento das ONGs. São Paulo: Brasiliense, 1995.
CASTRO, E.; PINTON, F. (orgs). Faces do trópico úmido: conceitos e questões sobre desenvolvimento e meio ambiente. Belém: Cejup, 1997.
CAVALCANTI, Clovis. Meio ambiente, desenvolvimento sustentável e políticas públicas. São Paulo: Cortez Ed., 1997.
CIRNCROSS, Frances. Meio ambiente – custos e benefícios. São Paulo: Nobel, 1992.
COHN, Maria da Glória. Os sem-terra, ONGs e cidadania. São Paulo: Cortêz, 2000.
COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 1988.
CONSUMER INTERNATIONAL (1997) Consumers and the environment: meeting needs changing lifestyles (Londres: Consumers International).
CRESPO, Samira. O que o brasileiro pensa do meio ambiente e do consumo sustentável? ISER/MMA, Greenpeace, 2001.
DAJOZ, Roger. Ecologia geral. Petrópolis: Vozes, 1983.
DI BIASE, Franc. O homem holístico: a unidade mente-natureza. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.
DIEGUES, Antônio Carlos. O mito moderno da natureza intocada. São Paulo: Hucitec, USP, 2002.
DONAIRE, D. Gestão ambiental na empresa. São Paulo: Atlas, 1995.
ELKINGTON, J. et al. The green consumer. Nova York: Penguin, 1990.

FERREIRA, Leila. A questão ambiental. São Paulo: Boitempo, 1998.

_______________; VIOLA, Eduardo (org). Incerteza de sustentabilidade na globalização. Campinas, S.P.: Ed. Unicamp, 1996.
FERRY, L. Le nouvel ordre écologique. Paris: Ed. Grasset, 1996.
FONSECA, G. A . B. & PINTO, L. P. S. “O papel das ONGs”. In: LOPES, I. V.; BASTOS FILHO, G. S.; BILLER, D.; BALE, M. (orgs). Gestão ambiental no Brasil: experiência e sucesso. Rio de Janeiro: FGV, 1996.
FORTES, Marcio (org). Desenvolvimento sustentável: portas abertas para a América latina. Rio de Janeiro: Texto e Arte Consultoria Editorial, 1992.
FUSSLER, Claude; JAMES, Peter. Driving eco-innovation. London: Pitman, 1996.
GONÇALVES, Carlos Walter Porto. Os (des)caminhos do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2001.
GRAY, Irene & DIAS, Br;aulio (org). Conservação da biodiversidade em ecossistemas tropicais. São Paulo: Vozes, 2001.
HAWKEN, Paul et al. Capitalismo natural. Criando a próxima revolução industrial. São Paulo: Cultrix, 2000.
HOLLIDAY, Charles. Cumprindo o prometido: casos de sucesso do desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Campus, 2002.
INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Parques nacionais do Brasil. (s.l.), 1997.
IOSCHPE, E. B. (org) Terceiro setor: desenvolvimento social sustentado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.
IRVING, Marta de Azevedo. Desenvolvimento, conservação ambiental e qualidade de vida. Potencialidades, conflitos e desafios da realidade brasileira. Rio de Janeiro, (s/d).
JÖHR, H. O verde é negócio. São Paulo: Saraiva, 1994.
KINLAW, D. C. Empresa competitiva e ecológica – Estratégias e ferramentas para uma administração consciente, responsável e lucrativa. São Paulo: Makron Books, 1997.
KISIL, Marcos. Organização social e desenvolvimento sustentável: projeto de base comunitária. (s/d)
LEONARD, Jeffrey. Meio ambiente e pobreza. Estratégias de desenvolvimento para uma agenda comum. Rio de Janeiro: Zahar, 1992.
LOUREIRO, Carlos Frederico B. O movimento ambientalista e o pensamento crítico: uma abordagem política. Rio de Janeiro: Quartet, 2003.
LUCA, M. M. M. de. Demonstração do valor adicionado: do cálculo da riqueza criada pela empresa ao valor do PIB. São Paulo: Atlas, 1998.
MACHADO, Paulo de Almeida. Ecologia humana. São Paulo: Cortez, 1985.
MAIMON, D. Passaporte verde – Gestão ambiental e competitividade. São Paulo: Qualitymark, 1995.
MARTINELLI, A . C. Desenvolvimento social sustentado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.
MARTINS, P. R. et al. O desafio da sustentabilidade. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2001.

MAY, Peter; MOTTA, Ronaldo (org). Valorando a natureza: análise econômica para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Campus, 1994.


McKINSEY & Co. Empreendimentos sociais sustentáveis. Como elaborar planos de negócio para organizações sociais. São Paulo: Ashoka Empreendimentos Sociais e McKinsey & Co, 2001.
MONTENEGRO, Tereza. O que é ONG. São Paulo: Brasiliense, 1994.
ODUN, Eugene. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.
OTTMAN, J. A . Marketing verde: desafios e oportunidades para a nova era do marketing. São Paulo: Makron Books, 1993.
PONTING, Clive. A green history of the world. London: Penguin Books, 1992.
RATTNER, H. Liderança para uma sociedade sustentável. São Paulo: Nobel, 1999.

____________. Contabilização econômica do meio ambiente. São Paulo: Governo do Estado de São Paulo, 1992.


REIS, Maurício J. L. ISO 14000: gerenciamento ambiental: um novo desafio para a sua competitividade. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1996.
RIBEMBOIN, J. Mudando os padrões de produção e consumo. Brasília: MMA, 1997.
RIFKIN, J. Identidade e natureza do terceiro setor. In: IOSCHPE, E. B. Terceiro setor: Desenvolvimento social sustentado. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

­­­­­­­­­­­­­­­

ROCHE, Chris. Avaliação do impacto do trabalho de ONGs. São Paulo: Cortêz, 2000.
RUCHMANN, D. V. de M. Turismo e planejamento sustentável: a proteção do meio ambiente. s. l.; Papirus, 1999.
SACHS, Ignacy. Social sustainability and whole development: exploring the dimensions of sustainable development, in BECKER, Egon; John Thomas (orgs). Sustainability and the social sciences. New York: Zed Press, 1999.
SCHMIDHEINY, Stephan. Mudando o rumo – uma perspectiva empresarial global sobre o desenvolvimento e o meio ambiente. Rio de Janeiro: FGV, 1992.
TENORIO, Fernando Guilherme. Gestão de ONGs: principais funções gerenciais. Rio de Janeiro: FGV, 1994.

__________________________. Um espectro ronda o terceiro setor: o espectro do mercado. Revista de Administração Pública, v. 33, no 35, 1999.


TIBOR, T. & FELDMAN, I. ISO 14000: um guia para as novas normas de gestão ambiental. São Paulo: Futura, 1996.
URBAN, Teresa. Missão (quase) impossível: aventuras e desventuras do movimento ambientalista no Brasil. São Paulo: Peirópolis, 2001.
VITERBO, Ê. J. Sistema integrado de gestão ambiental. s. l., Aquariana, 1998.
WORLD BUSINESS COUNCIL FOR SUSTAINABLE DEVELOPMENT. Eco-efficiency: creating more value with less impact. (s.l.), 2000.

_____________________________________________________________. How companies measure and report their eco-efficiency: a survey on corporate environmental reports. (s.l., s.d.).


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal