Amor caridade sinceridade



Baixar 16.83 Kb.
Encontro07.08.2016
Tamanho16.83 Kb.
LAR DE IRMÃ ZARABATANA

AMOR - CARIDADE - SINCERIDADE



DIRETORIA DE DIFUSÃO DA DOUTRINA ESPÍRITA

RUA CONDE DE BONFIM, 525 – TIJUCA – RIO DE JANEIRO





Evangelização Mediúnica


"Nada verdadeiramente importante se adquire sem trabalho. Uma lenta e laboriosa iniciação se impõe aos que buscam os bens superiores. Como todas as coisas, a formação e o exercício da mediunidade, encontram dificuldades bastante vezes já assinaladas. Convém insistir nisso, a fim de prevenir os médiuns contra as falsas interpretações, contra as causas de erro e de desânimo."


Como todas as aptidões do homem, também a mediunidade deverá ser trabalhada e educada com a finalidade de se buscar o aprimoramento e a sua preparação indispensável.

Educação mediúnica pressupõe exercício constante, disciplina, método, estudo, aliados ao bom senso, equilíbrio e devotamento ao bem. Desta forma, torna-se necessário, além da compreensão do fenômeno mediúnico, esclarecer o médium quanto aos seus deveres de estudar e vivenciar os princípios libertadores da Doutrina Espírita.


"A educação das forças medianímicas é de demorado curso, porquanto, à medida que a sensibilidade se apura, mais se amplia a capacidade de registro e de percepção extra-física."

FASES DA EDUCAÇÃO MEDIÚNICA



Inúmeros fatores influenciam o médium no exercício da faculdade mediúnica.
Destacamos os seguintes:


* A personalidade do médium;
* As características do Espírito comunicante;
* Os participantes da reunião mediúnica;
* As leis que regem os fenômenos espirituais;
* As condições de moralidade do médium e do Espírito que se manifesta.

Contudo, mesmo sofrendo todas as influências acima citadas, somente o médium será capaz de educar e controlar sua mediunidade, usando dos recursos que a Doutrina Espírita lhe oferece.


Analisemos as fases em que se processa, normalmente, a educação mediúnica:
FASE - AUTO-CONHECIMENTO

De início, procurando entender o que se passa em seu íntimo, em seu mundo mental, apurando a sintonia, aguçando a percepção. Assim irá constatar e diferenciar o que provém de seu Espírito e o que lhe é transmitido pelo Espírito que se comunica.


2ª FASE - PREPARAÇÃO ATRAVÉS DO ESTUDO

Nesta fase o médium irá receber informações, conhecimento doutrinário e instruções em torno das Leis que regem as comunicações mediúnicas e assim adestrar, desenvolver sua faculdade. É a preparação do estudo em Grupos bem orientados. É a teoria antes da prática, como recomenda Allan Kaderc.


3ª FASE - PARTICIPAÇÃO EM UM GRUPO MEDIÚNICO

Nesta fase, o médium inicia o exercício metódico, regular e constante de sua faculdade.


"(...) A mediunidade a serviço de Jesus, deve ser adaptada ao programa que se origina no mundo espiritual, tornando o medianeiro dócil e submisso ao trabalho superior, evitando impor-se, exigir condições especiais e resultados rápidos que parecem levar à promoção pessoal, ao sucesso, ao relevo e ao aplauso. Tenha-se em mente que o trabalho na mediunidade espírita, ainda é sacrificial, de renúncia e evolução. (...)"

Paralelamente às tarefas enunciadas, o médium estará continuamente aperfeiçoando-se e buscando a reforma íntima. A prática da caridade é de suma importância neste processo educativo. É a defesa imprescindível ao exercício equilibrado da mediunidade, que só se adquire através da vivência dos ensinamentos de Jesus, numa atividade assistencial e de amor ao próximo.


"(...) Mediunidade não é disposição da carne transitória e sim expressão do Espírito imortal (...). Se aspirais ao desenvolvimento superior, abandonai os planos inferiores. Se pretendeis o intercâmbio com os sábios, crescei no conhecimento (...). Se desejais a presença dos bons, tornai-vos bondosos por vossa vez! Sem afabilidade e doçura, sem compreensão fraternal e sem atitudes edificantes, não podereis entender os Espíritos afáveis e amigos, elevados e construtivos. Na educação mediúnica, encontramos na evangelização do médium, uma das condições básicas para sua formação moral e crescente melhora da adaptação psíquica aos objetivos nobres da mediunidade segundo os princípios da Doutrina Espírita.


"A primeira condição para se granjear a benevolência dos bons Espíritos é a humildade, o devotamento, a abnegação, o mais absoluto desinteresse moral e material (...)"

Há necessidade do médium evangelizar-se não só pelas virtudes que irá adquirir levando-o ao progresso moral, como também pelos inúmeros benefícios que poderá prestar aos outros, na intermediação com o plano espiritual superior.

"Para que uma comunicação seja boa, é preciso que ela proceda de um Espírito bom; para que este Espírito bom possa transmiti-la, necessita de um bom instrumento; para que ele queira transmiti-la, é preciso que o fim lhe convenha. (...)".
Através das instruções dos Benfeitores Espirituais e de Allan Kardec no Livro dos Médiuns, observamos a importância da educação e orientação da mediunidade pelo estudo e pela prática da caridade. Por ser o médium o intermediário, o aparelho receptor que possibilita o intercâmbio com o plano espiritual, é importante que se eduque no sentido de aprimorar sua sensibilidade, aumentando o poder de percepção e sintonia com os Espíritos Superiores. Podemos sintetizar os fatores necessários à formação e ao desenvolvimento mediúnico, observando os objetivos da mediunidade e as funções do médium.
1- Objetivos da Mediunidade:

a) Dar ao homem o conhecimento da verdade;

b) Prática da caridade;

c)Procurar a melhora espiritual do médium;



2- Funções do Médium:

a) Intermediação com o plano espiritual;

b) Participação no trabalho de propagação da verdade, sob a inspiração dos Espíritos Superiores;

c) Praticar a enfermagem espiritual libertadora.

No cumprimento das funções acima, o desenvolvimento dos valores morais adquiridos através da evangelização irão colocar o médium em condições reais de equilíbrio e discernimento.

Emmanuel, em resposta à questão 411, no livro "O Consolador", falando sobe a luz definitiva para a vitória do apostolado mediúnico, nos diz que:


"Essa claridade divina está no Evangelho de Jesus, com o qual o missionário deve estar plenamente identificado para a realização da sua tarefa. O médium sem Evangelho pode fornecer as mais elevadas informações ao quadro das filosofias e ciências fragmentárias da Terra (...), um agente de experiências do invisível, mas não poderá ser um apóstolo pelo coração (...). Porque o médium evangelizado sabe cultivar a humildade no amor ao trabalho de cada dia, na tolerância esclarecida, no esforço educativo de si mesmo, na significação da vida, sabendo, igualmente, levantar-se da sua tarefa de amor, defendendo a verdade sem transigir com os princípios no momento oportuno."
"Mediunidade, portanto, sem Evangelho é pura manifestação fenomênica, destituída da luz do amor e da caridade que caracterizam o trabalho mediúnico Espírita."



Central Espírita Brasileira


Educação e Evangelização Mediúnica - AME / PROGEM

Extraída da Web e Reproduzida para distribuição interna – Fev/Mar – 2.000 - Roberto Nunes (reedição em 2007)


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal