Amor caridade sinceridade



Baixar 16.21 Kb.
Encontro01.08.2016
Tamanho16.21 Kb.
LAR IRMÃ ZARABATANA

AMOR - CARIDADE - SINCERIDADE



DIRETORIA DE DIFUSÃO DA DOUTRINA ESPÍRITA

RUA CONDE DE BONFIM, 525 – TIJUCA – RIO DE JANEIRO

Material de Pesquisa Extraído da Home Page da C.E.B. - CENTRAL ESPÍRITA BRASILEIRA



Mediunidade & Evolução



Para melhor acompanharmos o processo evolutivo da Mediunidade, faremos um retrospecto do mediunismo desde o homem primitivo. Iremos observar que na medida em que o homem evoluía nos seus aspectos culturais e espirituais, o mediunismo acompanhava seu crescimento e, de certa forma, o intercâmbio com o plano espiritual impulsionava este desenvolvimento.

Herculano Pires, em seu livro "O espírito e o Tempo", faz uma abordagem deste processo evolutivo e nos diz que as ciências sociais têm uma grande contribuição a dar ao estudo do Espiritismo. Kardec já havia esclarecido que os fatos espíritas são de todos os tempos. Ernesto Bozzano foi o primeiro espiritualista a fazer um estudo antropológico e sociológico do homem primitivo apresentando as fases pré-históricas do fenômeno mediúnico.

FASES PRÉ-HISTÓRICAS DO FENÔMENO MEDIÚNICO


Herculano Pires, serve do esquema chamado "Método Cultural" aplicado pelo antropólogo inglês Jhon Murphy, em seus estudos sobre as origens e a história das religiões, para desenvolver a evolução do fenômeno mediúnico através dos tempos.

"Os horizontes culturais são os meios em que se desenvolvem as diferentes fases da Evolução Humana"

Este método propõe analisar o homem dentro dos limites do meio físico e cultural em que vive para melhor entendê-lo. São as seguintes fases pré-históricas do fenômeno mediúnico :

- Horizonte tribal ;


- Horizonte agrícola;
- Horizonte civilizado;
- Horizonte profético;
- Horizonte espiritual.

Nestas diferentes fases, toda a potencialidade espiritual do homem se encontra em desenvolvimento. A magia, a feitiçaria, os mitos agrários, a mitologia civilizada e as religiões organizadas são fases desse período.


No Horizonte tribal primitivo, as práticas do mediunismo são empíricas. Adoram a natureza, o fogo, a pedra, enfim o que eles temem e respeitam. O fenômeno é tribal, coletivo.

No Horizonte agrícola, inicia-se o desenvolvimento para o plano da razão. É a "Terra-Mãe" e o "Céu-Pai" dos chineses primitivos que trabalhavam a terra. No Egito eram o inverso : O céu é mãe e a terra é pai. Porque nas inundações do Nilo este fecundava a terra, cabendo ao céu o papel materno de proteger as plantações.

No Horizonte civilizado surgem os oráculos, com as Pitonisas e na Mitologia Grega, os deuses em suas diversas categorias.

No Horizonte profético, aparece o monoteísmo do povo Judeu, as profecias tão fartamente narradas na Bíblia.

O Horizonte espiritual tem como figura principal, Jesus, que ensina o amor como base de crescimento e evolução espiritual. Fala do "Reino dos Céus" e no intercâmbio desses dois mundos - o espiritual e o material.

No século XIX, com o advento da era do Espírito, surge a demarcação entre :

- Fatos espíritas que são fenômenos e manifestações dos Espíritos;

- Doutrina Espírita, que é a interpretação racional das manifestações dos Espíritos.


Com a introdução acima, fizemos um sintético histórico do fenômeno mediúnico acompanhando a evolução do ser humano. Baseamo-nos nas informações do grande escritor e pensador espírita Herculano Pires no livro citado anteriormente.

Analisaremos agora a mediunidade após o advento da Doutrina Espírita e sua influência na Evolução Espiritual do homem.

MEDIUNIDADE E EVOLUÇÀO


Sabemos, pelas informações dos Espíritos Superiores a Allan Kardec, que o Espiritismo atribui à mediunidade duas finalidades fundamentais :

1. Dar aos homens o conhecimento da verdade ;

2. Promover a melhora espiritual do médium.
A primeira finalidade é de caráter geral, visa progresso da humanidade em seu sentido moral ("Conhecereis a Verdade e a Verdade vos tornará livres" - Jesus).

A segunda promovendo a melhora espiritual do médium, torna-se um fator básico em sua Evolução Espiritual. É um ensejo de trabalho no bem e aprimoramento dos valores morais.

"Efeito do estudo cuidadoso do Espiritismo, o intercâmbio mediúnico salutar é estímulo e convite ao aprimoramento interior de quem se candidata à edificação de um futuro melhor caracterizado por uma sociedade mais feliz."

O conhecimento da verdade, das leis superiores da vida, que normalmente vêm aos homens através das revelações, como ocorreu no tempo de Moisés, depois com Jesus e mais modernamente com o Espiritismo, através da mediunidade, exige do homem, para que este a entenda, uma receptividade de ordem espiritual mais relacionada com as qualidades morais já conquistadas. É o desenvolvimento do senso moral a que Allan Kardec se referiu em várias colocações acerca das questões do comportamento humano e sua percepção das leis naturais ou divinas.

A mediunidade tem contribuído para esta evolução, possibilitando ao homem o intercâmbio com o Mundo dos Espíritos, através das instruções advindas das comunicações mediúnicas ricas em ensinamentos enobrecedores.

O processo de desenvolvimento moral da criatura humana é mais amplo porque, além do estudo e do aprendizado, requer a prática da caridade e do amor ao próximo.

Allan Kardec, no Livro dos Médiuns, traça o roteiro seguro para a prática da faculdade mediúnica "recorrendo a uma linguagem acessível, demitizou a mediunidade e os fenômenos paranormais que adquiriram cidadania cultural, longe das superstições e fórmulas, ritos e privilégios, numa análise lógica e veraz das potencialidades humanas colocadas a serviço da vida e da evolução do próprio ser."


No esforço contínuo de auto-aperfeiçoamento, o médium aprimora suas qualidades morais, aguça sua percepção medianímica e o intercâmbio com o Plano Espiritual se torna mais produtivo e seguro.

Como vimos, nos períodos mais primitivos da Humanidade o fenômeno exerceu poderosa influência porquanto, “verificado através dos sensitivos, nominados como feiticeiros, magos, adivinhos e mais tarde oráculos, pítons, taumaturgos, todos médiuns, contribuíram decisivamente na formação do clã, da tribo ou da comunidade em desenvolvimento, revelando preciosas lições que fomentam o crescimento do grupo social, impulsionando-o na direção do progresso."

A mediunidade, sempre que colocada a serviço do bem, ajuda no processo de evolução da criatura humana e de toda a humanidade.

"Apoiados, então, na certeza de que a doação de nós mesmos, efetuada através da mediunidade caritativa e instrutora, nos vai impulsionando para os altos cimos, avancemos sem cessar, sem temores e sem cansaços, contribuindo para a renovação da Terra e para a evolução de toda a humanidade."


Com a Codificação Espírita, a mediunidade objetiva, realmente a evolução humana e este crescimento não se define tão somente nos aspectos cultural, científico e social, mas principalmente no espiritual, porque se alicerça no Cristianismo.
E "toda passagem do Mestre inesquecível entre os homens, é um cântico de luz e amor, externando-lhe a condição de Medianeiro da Sabedoria Divina." (Emmanuel)
" (...) A mediunidade, à luz da Doutrina Espírita, que revive a Doutrina de Jesus, no reconhecimento de que não basta a observação dos fatos em si, mas também que se fazem indispensáveis a disciplina e a iluminação dos ingredientes morais que o constituem, a fim de que se tornem fatores de aprimoramento e felicidade, a benefício da criatura em trânsito para a realidade maior."

A mediunidade como fator de evolução nos foi revelada pelos Espíritos Superiores e a Codificação Espírita em seu tríplice aspecto tem incentivado o homem ao respeito às leis humanas "para que estas se purifiquem e engrandeçam, se santifiquem e se elevem para a integração com as Leis de Deus."




Central Espírita Brasileira


Mediunidade & Evolução


AME / PROGEM - Organizada para distribuição interna, em apoio ao Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita.

Roberto Nunes.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal