Antoine Laurent Lavoisier Realizado por



Baixar 26.09 Kb.
Encontro30.07.2016
Tamanho26.09 Kb.


Antoine Laurent Lavoisier





Realizado por:

Ana Sofia de Jesus Paiva (8º A)

Índice:


Uma breve apresentação de Antoine Lavoisier………… 1
E ainda (continuação da apresentação) …………………3
A Lei de Lavoisier…………………………………………...5
Bibliografia………………………………………………….6

Uma breve apresentação!



Antoine Laurent Lavoisier

Em 26 de Agosto de 1743 nasceu o químico francês Antoine Laurent de Lavoisier. Filho de uma família que pertencia à nobreza francesa, Lavoisier, apesar de cedo ter ficado órfão de mãe, teve uma excelente educação, estudando nas melhores escolas francesas. Em 1764 graduou-se em direito, por vontade do pai e da tia, mas nunca exerceu a profissão, pois o seu interesse pela ciência prevaleceu.
Lavoisier tinha um grande interesse pelas ciências, o que o estimulou durante o seu curso universitário a assistir aos cursos de professores conceituados ligados à área de ciências - talvez o direito tenha perdido um bom advogado, mas a química ganhou um de seus mais célebres cientistas da historia.
Lavoisier dedicou-se a uma variedade de serviços sociais e científicos. Associou-se à “Ferme Générale”, uma organização de homens das finanças que, através de um consenso com o governo, estabeleceu o direito de colectar impostos sobre um grande número de produtos comerciais. A cobrança de impostos era altamente repressiva, pois a nobreza e o clero estavam isentos de impostos. Estes eram pagos por aqueles que não eram nem da nobreza nem do clero, ou seja, os que pertenciam às classes sociais inferiores. Esse sistema não era só opressivo, era também corrupto.

Como membro da Comissão de Agricultura, de 1785 a 1787, dedicou-se ao estudo dos problemas de Economia e de Química agrícolas, e em 1789 foi eleito deputado suplente aos Estados Gerais, integrando no ano seguinte um comissão que pretendia criar um novo sistema de medidas.

E ainda…

Antoine-Laurent de Lavoisier, foi um químico francês, considerado por muitos o criador da Química Moderna pelos estudos que realizou sobre a oxidação dos corpos, o fenómeno da respiração animal, análises à constituição do ar, conservação da massa (com o enunciado de uma famosa lei), calorimetria, etc.… Foi ele quem descobriu o papel do oxigénio na respiração e nas oxidações, sendo também ele quem propôs para esta substância o nome “oxigénio”, que ainda hoje é por todos aceite.

Estátua de Lavoisier no “Hôtel de Ville” de Paris

Os trabalhos desenvolvidos por Lavoisier, no final do século XVIII, determinaram o início de uma nova no campo da experimentação, daí ser considerado o “pai da Química Moderna”.

Escreveu um grande tratado sobre esta área da ciência (Tratado Elementar de Química), assumiu papel de destaque na inspecção nacional das companhias que produziam pólvora e foi cobrador de impostos (ao mesmo tempo que se dedicava a algumas das suas experiências mais famosas), cargo pelo qual foi guilhotinado, tal era o regime do terror que se vivia durante a Revolução Francesa.

Além de químico, Lavoisier desenvolveu também estudos nas áreas da Matemática, Astronomia e da Física experimental. A esses estudos acrescentaram-se estudos de Geologia e Botânica que viria a concluir em 1764. É pois compreensível que, ainda hoje, Lavoisier seja considerado um versátial génio.


4


Lei de Lavoisier


A Lei de Lavoisier foi elaborada, pelo químico francês Antoine Lavoisier. Os estudos experimentais realizados por Lavoisier levaram-no a concluir que “numa reacção química, que se processa em sistema fechado, a soma das massas dos reagentes é igual à soma das massas dos produtos de reacção formados”:

m (reagentes) = m (produtos)

Assim:

Exemplo 1 quando 2 gramas de hidrogénio reagem com 16 gramas de oxigénio verifica-se a formação de 18 gramas de água;

hidrogénio + oxigénio  água

2 g + 16 g = 18 g

Exemplo 1 quando12 gramas de carbono reagem com 32 gramas de oxigénio ocorre a formação de 44 gramas de dióxido de carbono;

carbono + oxigénio  dióxido de carbono

12 g + 32 g = 44 g
Justificação: Numa reacção química a massa conserva-se porque não ocorre criação nem destruição de átomos. Os átomos conservam-se, pois apenas chocam entre si, originando estruturas diferentes, ou seja, os agregados atómicos dos reagentes são desfeitos e novos agregados atómicos são formados.

Bibliografia
» “Wikipedia” a enciclopédia livre.




Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal