Antropologia VI: antropologia brasileira



Baixar 17.13 Kb.
Encontro22.07.2016
Tamanho17.13 Kb.

Instituto de Ciências Humanas

Departamento de Ciências Sociais

ANTROPOLOGIA VI: ANTROPOLOGIA BRASILEIRA


CÓDIGO: CSO048

CARGA HORÁRIA: 60



Ementa

Introdução ao estudo das chamadas “sociedades complexas” e suas tradições culturais. As condições sociais de produção cultural e as interpretações sobre a sociedade e a cultura brasileira. Raça, etnia e classe. Modelos teóricos da formação da identidade nacional. A diversidade cultural contemporânea da sociedade brasileira. Crítica às noções de folclore, cultura popular e cultura de massa.



Bibliografia

ARAÚJO, Ricardo B., 1994. Guerra e Paz: Casa Grande & Senzala e a obra de Gilberto Freyre nos anos 30. Rio de Janeiro, Editora 34.

BARBOSA, Lívia, 1992. O jeitinho brasileiro. Rio de Janeiro, Editora Campus.

BASTIDE, Roger, 1960. As religiões africanas no Brasil. São Paulo: Pioneira; Edusp.

BOSI, Alfredo, 1987. Cultura brasileira: temas e situações. São Paulo: Ática.

BUARQUE DE HOLANDA, Sérgio, 1986. Raízes do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio.

CANDIDO, Antonio, 1982. Os parceiros do Rio Bonito. São Paulo: Duas Cidades.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto, 1964. O índio e o mundo dos brancos. São Paulo: Difusão Européia do Livro.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto, 1972. A sociologia do Brasil indígena. Rio de Janeiro: Edusp; Tempo Brasileiro.

CARDOSO, Ruth, org., 1986. A aventura antropológica. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

CARNEIRO DA CUNHA, M. & VIVEIROS DE CASTRO, E., 1985. "Vingança e temporalidade: os tupinambá". Journal de la Société des Américanistes, 71: 129-208.

CARNEIRO DA CUNHA, Manuela, 1986. Antropologia do Brasil. São Paulo: Brasiliense.

CARNEIRO DA CUNHA, Manuela, org., 1992. História dos índios no Brasil. São Paulo, NHII-USP/FAPESP/MEC/Cia. das Letras

CHAUÍ, Marilena, 1987. Conformismo e resistência: aspectos da cultura popular no Brasil. São Paulo: Brasiliense.

DA MATTA, R. & LARAIA, Roque, 1967. Índios e castanheiros. São Paulo: Difel.

DA MATTA, Roberto & SOARES, Elena, 1999. Águias, burros e borboletas. Um estudo antropológico do jogo do bicho. Rio de Janeiro, Rocco,.

DA MATTA, Roberto, 1978. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro: Zahar.

DA MATTA, Roberto, 1981. “Digressão: A Fábula das Três Raças, ou o Problema do Racismo à Brasileira”, in Relativizando. Petrópolis: Vozes.

DA MATTA, Roberto, 1987. A casa e a rua. Rio de Janeiro: Guanabara.

DA MATTA, Roberto, 1993. Conta de mentiroso: sete ensaios de antropologia brasileira. Rio de Janeiro, Rocco.

DURHAM, Eunice, 1980. “A pesquisa antropológica com populações urbanas: problemas e perspectivas”, in R. Cardoso, org., A aventura antropológica. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

EWBANK, Thomas, 1976. A vida no Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp.

FERNANDES, Florestan, 1963. Organização social dos Tupinambá. 2a. edição. São Paulo: Difel.

FERNANDES, Florestan, 1970. A função social da guerra na sociedade Tupinambá. São Paulo, Pioneira/Edusp.

FERNANDES, Florestan, 1972. O negro no mundo dos brancos. São Paulo: Difusão Européia do Livro.

FERNANDES, Florestan, 1975. A investigação etnológica no Brasil e outros ensaios. Petrópolis: Vozes.

FREITAG-ROUANET, Bárbara, 2000. A cidade brasileira como espaço cultural, in Tempo social, 12 (1).

FREYRE, Gilberto, 1959. Ordem & Progresso. Rio de Janeiro: José Olympio.

FREYRE, Gilberto, 1973. Casa-grande e senzala (1933). Rio de Janeiro: José Olympio.

FRY, Peter, 1982. Para inglês ver. Rio de Janeiro: Zahar.

GOMES, L. & BARBOSA, L. & DRUMOND, J., 2000. O Brasil não é para principiantes. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas,.

GUEDES, Simoni L., 1998. O Brasil no campo de futebol: estudos antropológicos sobre o significado do futebol brasileiro. Niterói, Ed. Universidade Federal Fluminense.

MAGNANI, J. G. C., 1984. Festa no pedaço: cultura e lazer na cidade. São Paulo, Brasiliense.

MAGNANI, J. Guilherme & TORRES, Lilian, 1996. Na metrópole: textos de antropologia urbana. São Paulo: EDUSP/FAPESP.

MELATTI, Julio Cezar, 1984. “A Antropologia no Brasil: um roteiro”. BIB - Revista Brasileira de Informação Biobliográfica em Ciências Sociais, 17: 3-52.

NIMUENDAJU, Curt, 1956. “Os Apinayé”. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, XII, Belém do Pará.

NINA RODRIGUES, R., 1977. Os africanos no Brasil. São Paulo: Nacional.

ORTIZ, Renato, 1985. Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasiliense.

RAMOS, Arthur, 1937. As culturas negras no Novo Mundo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

RIBEIRO, Darcy, 1970. Os índios e a civilização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

RIBEIRO, Darcy, 1978. O processo civilizatório: estudos de antropologia da civilização. Petrópolis, Vozes,.

RIBEIRO, Darcy, 1995. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras.

SCHADEN, Egon (org.), 1976. Leituras de etnologia brasileira. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

SEEGER, A. DA MATTA, R. & VIVEIROS DE CASTRO, E. B., 1987. “A construção da pessoa nas sociedades indígenas brasileiras”, in Oliveira Filho, J. P., org., Sociedades indígenas & indigenismo no Brasil. Rio de Janeiro: Ufrj/Marco Zero.

VELHO, G. & VIVEIROS DE CASTRO, E., 1978. “O conceito de cultura e o estudo de sociedades complexas: uma perspectiva antropológica”. Artefato - Jornal da Cultura. Rio de Janeiro: Conselho Estadual de Cultura.

VELHO, Gilberto & ALVITO, M., 1996. Cidadania e violência. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas,.

VELHO, Gilberto, 1981. Individualismo e cultura. Rio de Janeiro: Zahar.

VELHO, Gilberto, org., 1999. Antropologia urbana. Rio de Janeiro, Jorge Zahar.

VELHO, Otávio, org., 1987. O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Guanabara.

VIVEIROS DE CASTO, Eduardo, 1999. “Etnologia brasileira”, in S. Miceli (org.), O que ler na ciência social brasileira. São Paulo: Sumaré; Brasília: Anpocs.



VIVEIROS DE CASTRO, E & CUNHA, M. C., 1993. Amazônia: etnologia e história indígena. São Paulo: NHII, USP, Fapesp.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo., 1986. Araweté: os deuses canibais. Rio de Janeiro: Jorge Zahar; Anpocs.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal