Aristeu Borges de Aguiar



Baixar 7.13 Kb.
Encontro26.07.2016
Tamanho7.13 Kb.
Aristeu Borges de Aguiar

Atualizado em 04/02/2013.

Nasceu em Vitória (ES), no dia 23 de maio de 1892. Filho de Augusto Manoel de Aguiar e Luiza da Silva Borges de Aguiar. Na Capital, iniciou os seus estudos com o professor Amancio Pereira. No Colégio Aristides Freire, começou o curso secundário, concluído no ano de 1910, no Colégio São Vicente de Paulo, em Petrópolis (RJ). Bacharelou-se na Faculdade de Livre Direito do Rio de Janeiro (atual UFRJ), em 1915.

No Ministério Público Estadual, foi nomeado para o cargo de promotor da Capital, em 19 de dezembro de 1916. Três anos depois, ingressou como professor de História Geral e do Brasil no Colégio Estadual, onde também foi diretor. De 19 de dezembro de 1919 a 1º de agosto de 1920, exerceu o cargo de procurador-geral do Estado, o mais importante do Ministério Público na época.

Chegou a ocupar a Secretaria de Estado da Presidência e foi secretário interino de Estado de Instrução (Educação), antes de ser eleito governador do Espírito Santo em 1928. Por causa da Revolução de 1930, não pôde concluir o mandato e foi com a família para o Rio de Janeiro, onde priorizou a advocacia, em seu lugar assumiu o governo o Cap. João Purano Bley.

Destacou-se como membro do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), diretor do Contencioso da Companhia General Elétrica e presidente da Financiadora Sociedade Anônima.

Além de ter sido membro do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo (IHGES), Aristeu Borges de Aguiar possuía um carinho especial pela literatura, tanto que foi componente da Academia de Letras e Artes da Serra (Aleas) e da Academia Espírito-Santense de Letras (AESL), participando da sua fundação em 04 de setembro de 1921.

Publicou diversas obras: "De correção impecável e de absoluta sinceridade são as tradições do Brasil nas relações internacionais", tese, 1919; "O Espírito Santo e suas possibilidades", conferência, 1927; "Programa de Governo", 1928; "O meu governo e a defesa de meus atos", 1932. Morreu, aos 59 anos, no dia 1º de setembro de 1951, no Rio de Janeiro.



Referências:
Diário da Manhã. Vitória-ES. 06/09/1927; 20/12/1919; 21/12/1916; 22/12/1919 e 24/04/1929.
FERRAZ, Manoel Pedro. Alegre, a terra e o povo: resenha histórica do município de Alegre. Vitória: Jornal Mensagem Editora, 1986.

Governo do Estado do Espírito Santo. Secretaria de Estado da Fazenda. PROMAF/ES. Disponível em: acesso em 07/08/2006.


Ribeiro, Francisco Aurélio. Coord., Patronos & Acadêmicos – Antologia. AEL. Vitória/ES. 2002. p. 51.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal