Artigo 1º As pequenas propriedades rurais que desenvolvem o trabalho familiar no Estado poderão fornecer produtos de origem orgânica para os estabelecimentos públicos que servem refeições diárias. § 1º



Baixar 9.89 Kb.
Encontro23.07.2016
Tamanho9.89 Kb.
Projeto de Lei nº 1, de 2009

Partido da Agricultura


Dispõe sobre o cultivo de produtos orgânicos nas pequenas propriedades rurais que desenvolvem o trabalho familiar.
O Parlamento Jovem Paulista decreta:
Artigo 1º - As pequenas propriedades rurais que desenvolvem o trabalho familiar no Estado poderão fornecer produtos de origem orgânica para os estabelecimentos públicos que servem refeições diárias.

§ 1º - Somente as pequenas propriedades rurais poderão fornecer os produtos a que se refere o “caput”, devendo ser cadastradas pelos órgãos competentes.

§ 2º - Para a classificação do tipo de propriedade serão levados em conta os critérios do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - INCRA para o estabelecimento dos módulos rurais no Estado.
Artigo 2º - Os produtos de origem orgânica poderão ser os mais variados possíveis, como legumes, frutas, castanhas e leite, cabendo ao Estado a fiscalização e verificação da autenticidade dos mesmos.

§ 1º - O Estado disponibilizará profissionais que acompanharão e fiscalizarão o cultivo nas propriedades cadastradas.

§ 2º - Todos os produtos, após as verificações exigidas, deverão ter o selo de identificação de produto orgânico autêntico.
Artigo 3º - Os produtos serão fornecidos pelas pequenas propriedades pelo preço médio de mercado.

§ 1º - O pagamento será feito quinzenalmente pelo Estado em conta corrente nominal.

§ 2º - O titular da conta corrente deverá ser o mesmo do imóvel cadastrado nos órgãos do Estado.
Artigo 4º - O transporte dos produtos das áreas rurais para o local de consumo será de responsabilidade das prefeituras municipais.

§ 1º - Os municípios receberão, por meio de convênio, verbas do Estado para escoarem os produtos das propriedades cadastradas.

§ 2º - Caberá a cada município o planejamento do transporte a que se refere o “caput”, estipulando roteiros e horários.
Artigo 5º - As despesas decorrentes da execução desta lei correrão à conta de dotações próprias consignadas no orçamento vigente.
Artigo 6º - Esta lei entre em vigor na data de sua publicação.
Justificativa
Um dos maiores problemas enfrentados pela agricultura familiar é o escoamento e comercialização da produção. O volume produzido pelos agricultores familiares não é suficiente, na maioria das vezes, para suprir as necessidades de mercados maiores. Por outro lado, quando comercializam em pequena quantidade, o dinheiro obtido não cobre os custos de fretes e gastos com o transporte.

O projeto de lei aqui apresentado visa o desenvolvimento da agricultura familiar no Estado de São Paulo, sanando o problema do escoamento e comercialização da produção citado acima. A viabilização desse tipo de agricultura é de suma importância, pois, segundo dados do INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), é a agricultura familiar a responsável pela ocupação da maior parte da mão-de-obra nas áreas rurais brasileiras. Desenvolver esse tipo de agricultura é dar alternativas de ocupação para milhares de famílias paulistanas, evitando um inchaço ainda maior do setor urbano.

Lembramos ainda que o projeto de lei aqui proposto beneficiará estudantes, presidiários e outras pessoas que se utilizam de refeições diárias em estabelecimentos públicos. As refeições contarão com produtos de qualidade, livres de agrotóxicos e outros produtos químicos.
ALINE BATISTA CONRADO

EE BP FUNDAÇAO BRADESCO



MARILIA


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal