Artigo I nome e localizaçÃO



Baixar 87 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho87 Kb.


CONSTITUIÇÃO E ESTATUTO DA YFCI
Emendados em 22 de setembro de 2014



ARTIGO I


NOME E LOCALIZAÇÃO
1. NOME

O nome da organização deverá ser “Youth for Christ International”, ou “YFCI” ou outros derivados ou traduções desse nome..


LOCALIZAÇÃO E ESCRITÓRIOS

    1. YFCI deverá ser legalmente estabelecida e mantida na Suissa como uma organização caritativa sob as leis suíças.

    2. Em adição a isso, YFCI pode ser legalmente estabelecida em qualquer outra nação, estado ou local, seja como uma associação, uma sucursal, uma agencia, um escritório representativo, uma sociedade, uma corporação ou, de outra maneira, conforme o Conselho de Diretor ( ou de Diretores) possa considerar apropriado

    3. Os Escritórios da YFCI podem estar localizados em qualquer nação ou local conforme possa ser determinado pelo Conselho de Diretor. Sempre quando as circunstancias permitam, o Conselho de Diretor consultará às nações membros antes de efetuar qualquer mudança principal do escritório .



ARTIGO II


PROPÓSITO E MISSÃO



  1. PROPÓSITO DA YFCI

O Propósito da YFCI deverá ser:

(1) Estimular, encorajar e ajudar os programas nacionais da YFC l;

(2) Introduzir e desenvolver o ministério da YFC nas novas nações;

(3) Iniciar e coordenar as atividades internacionais da YFC;

(4) Encarregar-se das pesquisas e desenvolvimentos nas áreas de métodos, treinamentos, ministérios criativos e outros aspectos relacionados com o evangelismo da juventude;


  1. Recrutar e mobilizar o potencial humano, para ser envolvido em programas nacionais e internacionais onde tal assistência é requerida.

  2. Promover e comunicar o ministério da YFC, dentro e fora da Organização;

  3. Ajudar as nações que são membros da organização, no cumprimento de seus objetivos, e, em particular, em suas metas:

    1. Alcançar os jovens de sua nação com o Evangelho de Jesus Cristo,

    2. Estimular os jovens a viver uma vida cristã equilibrada, com responsabilidade para com a Igreja, a família e a comunidade, e

    3. Desafiar os jovens a envolver-se no evangelismo de juventude a

Juventude, tanto em sua nação como no mundo inteiro;

  1. Levantar fundos para alcançar os objetivos da YFCI e para áreas, nações e projetos que necessitem suporte; e

  2. Comprometer-se com qualquer outra atividade caritativa, educativa, filantrópica

ou outra, com uma ênfase cristã.


  1. MISSÃO DA YFCI

A Missão da YFCI deverá ser conforme é expressada na declaração abaixo:
“Atuar no corpo de Cristo, dedicados e comprometidos com a evangelização de jovens, apresentado-lhes a pessoa, a obra e os ensinamentos de Jesus Cristo, e discipulando-os a tornarem-se membros ativos da igreja.”

ARTIGO III


POLÍTICAS GERAIS

As Políticas Gerais de YFCI deverão ser:



  1. Trabalhar em uma base global, entre igrejas, entre denominações diferentes, sem fins lucrativos, sem bases políticas nem sectárias;

  2. Complementar o ministério da Igreja para alcançar os jovens com o Evangelho, para cooperar com a Igreja local e para conduzir os novos crentes dentro das crenças Bíblicas às Igrejas que exaltam a Cristo. Onde não existam essas igrejas locais, ajudar no estabelecimento dessas igrejas;

  3. Adotar um espírito familiar dentro das nações membros da YFC a nível Mundial;

  4. Coordenar o envio de pessoal e outros recursos por nações membros que necessitem ajuda em programas planejados para fortalecer a liderança nacional;

  5. Organizar e apoiar atividades de acordo com o Propósito da YFCI, tais como clubes, passeios, reuniões, congressos, treinamentos de liderança, acampamentos e conferencias, meios de comunicação, trabalhos de conselheiros, acompanhamento, guia da juventude, grupos musicais, casas de café e outras atividades;

  6. Estimular mediante todos os meios legais o crescimento e desenvolvimento de programas Nacionais; e

  7. Encarregar-se de todas as outras atividades e projetos que tenham por objetivo promover o Propósito da YFCI.

ARTIGO IV


AFILIAÇÃO ( MEMBRESIA) E CONCESSĂO DE PERMISSÕES ESCRITAS

  1. MEMBRESÍA

Os membros da YFCI deverão estar em programas da Mocidade para Cristo , mutuamente dependentes, que recebam permissão por escrito, para formar filiais da organização os quais deverão ser referidos como membros de nações que tenham recebido permissão por escrito ou mediante outros termos que reflitam sua membresia à YFCI.

  1. CONCESSÃO DE AUTORIZAÇÕES POR ESCRITO

Este tipo de concessão de permissões por escrito e o processo de formação das nações Membros mediante permissões por escrito, assim como a relação de seus poderes, privilégios e obrigações, deverá ser estabelecido nos Estatutos da YFCI.

ARTIGO V


GOVERNO E REPRESENTAÇÃO

  1. YFCI deverá ser governada pela Assembléia Geral da YFCI, o Conselho de Curadores, o Comitê Executivo do Conselho e o Presidente/CEO; a composição e/ou os membros de cada um dos quais, ou a pessoa da qual (conforme possa ser o caso), e os poderes respectivos dos quais, serão determinados por e eleitos ou nomeados na maneira formulada nos Estatutos da YFCI.




  1. YFCI será legalmente representada pelo Presidente do Conselho ( ou o Assistente do Presidente, ou um Vice-Presidente, ou um membro do Conselho Diretor, que possa ser autorizado pelo Presidente da mesma) e o Secretário (ou outro membro do Conselho Diretor como possa ser autorizado pelo Presidente), ou de outro modo como possa ser determinado pelo Conselho de Curadores.

Em todos os aspectos operacionais , pode ser representada pelo Presidente/CEO


3. O Conselho Diretor pode autorizar qualquer outra pessoa ou organização para representar a YFCI

ARTIGO VI


MEIOS / RECURSOS YFCI pode receber, comprar ou de outra maneira adquirir qualquer propriedade, presente, donativo ou ingressos, para o apoio ao Propósito da YFCI. Essas propriedades ou fundos deverão ser mantidas em forma tal como possam ser determinados pelo Conselho de Curadores.

ARTIGO VII


PROIBIÇÕES

  1. YFCI não pode ocupar-se de nenhuma empresa ou atividade comercial, cujo único ou principal objetivo seja a criação de lucros.

  2. YFCI não pode ocupar-se de nenhuma atividade política.



ARTIGO VIII


  1. DECLARAÇÃO DE FÉTodas as nações membros que tenham recebido permissão por escrito, todos os membros do Conselho de Curadores e do Comitê Executivo, o Presidente/CEO e todo pessoal da YFCI, deverãosubscreverem-se e aderir, por conduta e convicção pessoal e corporativa, à seguinte Declaração de Fé e base doutrinaria da YFCI .

DECLARAÇÃO DE FÉ DA YFCI



  1. Cremos que há um Deus, eternamente existente em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo.

  2. Cremos que a Bíblia é inspirada, a única infalível e autorizada Palavra de Deus.

  3. Cremos na Divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo, em seu nascimento virginal, em sua vida sem pecado, em Seus milagres, em Sua morte vicária e expiatória, em sua Ressurreição corporal, em Sua ascensão à mão direita do Pai, e em Seu regresso Pessoal em poder e glória.

(4) Cremos que a salvação dos perdidos e pecadores é pela graça de Deus, através do Sangue derramado do Senhor Jesus Cristo e que a regeneração pelo Espírito Santo é absolutamente essencial.

(5) Cremos no presente ministério do Espírito Santo por meio de cuja morada o cristão é capacitado para viver uma vida piedosa.

(6) Cremos na ressurreição tanto dos salvos como dos perdidos: aqueles que são salvos para a ressurreição da vida e aqueles que são perdidos até a ressurreição da condenação.

(7) Cremos na unidade espiritual dos crentes em Cristo.




  1. Qualquer nação membro que tenha recebido permissão por escrito, ou membro do Conselho de Curadores e do Comitê Executivo, o Presidente/CEO, ou todo pessoal da YFCI, o qual ou quem na opinião do Conselho de Curadores, depois da devida averiguação falhou ou desistiu de subscrever à Declaração de Fé acima indicada, ou alguma parte dela, deverá por ordem do Conselho de Curadores, deixar de ser um membro ou funcionário (conforme seja o caso), e qualquer escritório ocupado por tal pessoa comprometida deverá ser desocupado.

.



ARTIGO IX


EMENDAS

Dependendo das disposições ou cláusulas do Artigo XIII-5 dos Estatutos da YFCI, a Constituição e Estatuto podem ser emendados pelo voto de 2/3 (dois terços) dos membros da Assembléia Geral da YFCI presentes (seja por pessoa ou por procuração), tendo em conta que as mencionadas emendas tenham sido aprovadas pelo Conselho de Curadores e enviadas por correio, fax, e/ou por meios de comunicação eletrônica a todas as nações membro que tenham recebido permissão por escrito, e aos membros das Assembléia Geral da YFCI, três meses antes de qualquer reunião da Assembléia Geral YFCI.




ARTIGO X


DISSOLUÇÃO

  1. Esta organização só pode ser dissolvida pelo voto de dois terços dos membros da Assembléia Geral da YFCI presentes (seja em pessoa ou por procuração) tendo em conta que a dissolução tenha sido aprovada pelo Conselho de Curadores e enviada por correio, fax, e/ou meios de comunicação eletrônica a todas as nações membros que tenham recebido permissão por escrito e aos membros da Assembléia Geral da YFCI, três meses antes de qualquer reunião da Assembléia Geral da YFCI.




  1. No caso dessa organização ser dissolvida, o Conselho de Curadores deverá distribuir todos os bens restantes, se existirem, depois que todos os gastos e dividas tenham sido pagas, a uma ou mais organizações cristãs caritativas existentes, para um ou mais propósitos delineados no Propósito da YFCI, conforme seja determinado pelo Conselho de Curadores .

ESTATUTO DA


YOUTH FOR CHRIST INTERNATIONAL
CONTEÚDO
ARTIGO I ASSEMBLÉIA GERAL

  1. Representação

  2. Poderes e Responsabilidades

ARTIGO II CONSELHO DE CURADORES



  1. Corpo Governante

  2. Poderes e Responsabilidades

  3. Composição

  4. Eleição de Curadores

  5. Funcionários do Conselho e seus deveres

  6. Disposições Gerais

ARTIGO III COMITÊ EXECUTIVO


ARTIGO IV O ESCRITÓRIO INTERNACIONAL
ARTIGO V PRESIDENTE/CEO
ARTIGO VI TÍTULOS E DESIGNAÇÕES
ARTIGO VII COMITÊS
ARTIGO VIII CONSELHO CONSULTIVO
ARTIGO IX VOTAÇÃO / QUORUM
ARTIGO X AUTORIDADE ESTRUTURAL
ARTIGO XI FORMAÇÃO DE FILIAIS
ARTIGO XII ÁREAS DO MUNDO
ARTIGO XIII REUNIÕES
ARTIGO XIV ANO FISCAL


ARTIGO I


ASSEMBLÉIA GERAL

  1. REPRESENTAÇÃO

A Assembléia Geral da YFCI deverá estar composta por:

    1. O Diretor Nacional de cada nação membro que tenha recebido permissão por escrito;

    2. O Presidente do Conselho Diretor Nacional de cada nação membro que tenha recebido permissão por escrito, ou uma pessoa suplente o substituta, que deverá ser um membro devidamente designado pelo Conselho de Curadores, e que não deverá ser um membro da equipe da YFC;

    3. Os membros do Conselho de Curadores da YFCI; e

    4. O Presidente/CEO, os Diretores de Áreas de YFCI, mais um membro de sua Equipe de Área, e qualquer outro membro da equipe de YFCI designado pelo Presidente/CEO para a Equipe de Liderança Mundial.

    5. Os Diretores Regionais (com voz mas sem voto)




  1. PODERES E RESPONSABILIDADES

A Assembléia Geral da YFCI é a autoridade final dentro da Youth for Christ International no que diz respeito à Constituição e os Estatuto, e deverá ter os seguintes poderes e responsabilidades:

    1. Sustentar a Declaração de Fé da YFCI e estabelecer pautas para o bem estar espiritual e o ministério da YFCI e as nações membros que receberam permissão por escrito no mundo;

    2. Eleger o Presidente/CEO;

    3. Eleger e ratificar os membros do Conselho de Curadores sujeito ao artigo II-3 (1-4) abaixo;

    4. Receber e atuar com respeito às propostas do Conselho, os comunicados do Comitê e em outros assuntos que possam apropriadamente ser levados a alguma reunião da Assembléia Geral ou qualquer adiamento disto;

    5. Redigir ou variar os termos da recepção de autorizações por escrito para cada nação membro;

    6. Ratificar tais autorizações por escrito para cada nação membro mediante dois terços (2/3) dos votos; e

    7. Revogar a autorização por escrito de uma nação membro mediante dois terços (2/3) dos votos, para a saída da Declaração de Fé ou outras estipulações da Constituição ou dos Estatutos da MPCI onde sejam aplicáveis

ARTIGO II


CONSELHO DE CURADORES

  1. CORPO GOVERNANTE

Sujeito à Constituição e Estatuto da YFCI, o Conselho de Curadores deverá ser o corpo governante da YFCI e deverá representar o interesse da YFCI como um todo.


  1. PODERES E RESPONSABILIDADES

Sujeito às estipulações formuladas no Artigo I acima e o Artigo IV abaixo, o Conselho de Curadores deverá ter os seguintes poderes e responsabilidades:

    1. Assegurar que a visão da organização seja clara;

    2. Zelar a missão da organização;

    3. Assegurar que todos os requerimentos legais sejam cumpridos;

    4. Designar aoEleger o Presidente/CEO, estabelecer as pautas de avaliação do Presidente/CEO, e avaliar o Presidente/CEO;

    5. Requisitar prestação de contas do Presidente/CEO

    6. Revisar e aprovar resultados planejados e as estratégias para alcançá-los;

    7. Monitorar o cumprimento dos resultados planejados;

    8. Auxiliar e monitorar a aquisição e distribuição dos recursos necessários para alcançar os objetivos e resultados planejados;

    9. Revisar e aprovar os orçamentos da YFCI;

    10. Representar os interesses do ministério na sua totalidade:

    11. Zelar pela imagem pública da organização:

    12. Assegurar que haja um plano adequado de sucessão de liderança;

    13. Assegurar que haja comunicação adequada com o campo missionário; e

    14. Medir e atualizar a performance do Conselho.

    15. Estabelecer e manter uma política de Limitações Executivas (quer dizer, até que ponto chega a função Executiva)




  1. COMPOSIÇÃO

O Conselho de Curadores  deverá ser, na medida do possível, diversa quanto à cultura, sexo e idade e deverá consistir de não mais de quinze (15) membros. Tais membros serão compostos da maneira abaixo estipulada:

    1. Que haja um (1) representante de cada Área, eleito pela Área para representar o campo missionário/ministerial no Conselho. Cada representante servirá por un período de 4 anos, ao término do qual a Área respectiva poderá reeleger a tal representante ou eleger um representante novo. Os representantes do campo missionário/ministerial não poderão servir por mais de cinco períodos de 4 anos.

      Para serem elegíveis, primeiramente, estes Representantes do Campo deverão ser obreiros sobressalentes da YFCI que evidenciam maturidade espiritual  e sensibilidade, possuindo notáveis qualidades de liderança  e capazes de efetuar significativas contribuições ao nível de Conselho, para ajudar  que a YFCI alcance seus objetivos; em segundo lugar, seus programas nacionais devem ter filiais de  nações membros da YFCI, tendo um forte ministério da YFC (em termos da envergadura de ministérios – tais como campo geográfico de ação, número de pessoas de sua equipe e de jovens envolvidos, a variedade de enfoques do ministério; e a profundidade de ministérios – tais como vidas mudadas e impacto sobre a comunidade); e, terceiro, que bem eles ou seus programas nacionais hajam demonstrando um forte compromisso e contribuição de recursos para YFCI e / ou outras nações membros por autorizações escritas ou para novos programas da YFC.






    1. Que um membro leigo de cada Área, nomeado pela Área em consulta com o Conselho, será eleito pelo Conselho, mas será sujeito à ratificação pela Assembléia Geral.




    1. Haverão 2 votos por nação para o processo de nomear representantes obreiros em cada Área.




    1. Referente ao  número de leigos adicionais, um mínimo de quatro (4) e um máximo de seis (6), leigos nomeados pelo Conselho e eleitos pela Assembléia Geral (não por meio da Área).

      Para serem elegíveis, estes membros leigos devem estar servindo ou haver servido em programas nacionais ou Conselhos Diretores locais e ter conhecimento a fundo da YFC, desde tantas nações diferentes do mundo conforme seja praticável, os quais não podem ser da equipe da YFC ou da YFCI, e os quais devam ser leigos cristãos sobressalentes, conhecidos e respeitados em suas próprias nações, compartilhando a visão e filosofia da YFCI, e capazes de efetuar uma contribuição significativa para ajudar que a YFCI alcance seus objetivos..






    1. O Presidente/CEO será um membro do Conselho de Curadores com completo direito a voto



  1. ELEIÇÃO DE CURADORES

    1. (a)  Os Curadores, sob o Artigo II 3(2) e (4) acima, (isto é, os Diretores Leigos e o número limitado de Diretores, respectivamente), deverão ser eleitos pelo Conselho de Curadores (Artigo II 3(2) e servir por um termo de 3 anos, sujeito a modificação pela Assembléia Geral  ou nomeado pelo Conselho (Artigo II 3(4), e servir por um termo de 3 anos, sujeito à eleição pela Assembléia Geral. Um Curador pode ser reeleito para termos adicionais.

(b) Os Curadores assim eleitos deverão ser autorizados para servir com voz e voto, imediatamente depois da designação, mas se sua designação não for ratificada pela seguinte Assembléia Geral ou se a Assembléia Geral não os eleja depois da sua designação, estes Curadores deverão ser considerados a terem desocupadas suas posições e qualquer escritório que eles possam estar trabalhando no Conselho de Curadores na conclusão dessa reunião da Assembléia Geral.

c) Cada Curadores deve ser colocado em uma das três classes anuais depois da sua  eleição,  o qual  estipula  que,  aproximadamente um terço dos  termos dos Curadores leigos expirem anualmente




  1. FUNCIONÁRIOS DO CONSELHO E SEUS DEVERES




    1. Os funcionários do Conselho deverão ser o Presidente do Conselho, o Presidente/CEO, o auxiliar do Presidente do Conselho, o Secretário e os Presidentes dos Comitês estabelecidos do Conselho Diretor. A designação de um membro como Presidente de um comitê estabelecido (segundo o Artigo VII) não exclui de ser designado como Auxiliar do Presidente do conselho Diretor ou como Secretário do Conselho Diretor..

    2. O Presidente do Conselho Diretor e os demais funcionários, com a exceção do Presidente/CEO, devem ser eleitos pelo Conselho de Curadores e entre seus membros.

    3. O Conselho pode designar a outros tais funcionários entre seus membros conforme considere necessário.

    4. Os deveres dos funcionários deve ser como segue:

    1. O Presidente do Conselho deve presidir todas as reuniões da Assembléia Geral da YFCI, do Conselho de Curadores e do Comitê Executivo. Ele (ou ela) deve encarregar-se de tais responsabilidades adicionais, conforme pode ser acordado entre ele(ou ela) e o Presidente/CEO. Pode trabalhar tempo completo ou parcial e os termos de seu serviço devem ser conforme possam ser determinados pelo Conselho Diretor.

    2. O Auxiliar do Presidente do Conselho Diretor deve presidir na ausência do Presidente do Conselho e ajudar ao Presidente do Conselho no exercício de suas funções.

    3. O Secretário ou a pessoa designada, deverá manter os registros oficiais da Assembléia Geral da YFCI, do Conselho de Curadores e do Comitê Executivo do Conselho, ou assegurar-se que os ditos registros oficiais são apropriadamente mantidos, e realizar tais deveres que comumente correspondem a este escritório, como pode ser determinado pelo Conselho Ede Curadores.

    4. O Presidente do Comitê de Auditoria deverá assegurar-se que as auditorias anuais das contas financeiras de YFCI sejam feitas ao Conselho de Curadores, fornecendo um relatório anexo a qualquer Relatório Anual e fornecendo consultoria financeira ao Presidente/CEO e sua equipe.




  1. DISPOSIÇÕES GERAIS

    1. As vagas que ocorram no Conselho de Curadores podem ser preenchidas pelo Presidente do Conselho, em consulta e acordo com o Presidente/CEO e sujeitas a ratificação seja pelo Conselho de Curadores ou pelo Comitê Executivo para cumprir o prazo remanescente não expirado.

    2. O Conselho de Curadores pode cooptar (admitir um membro novo numa assembléia ou num corpo constituído, decidido pelos membros antigos) por outros indivíduos dentro do Conselho de Curadores, e designar conselheiros, ou consultores ou outros para ajudar ao Conselho, os quais terão voz,mas não terão voto no Conselho.

    3. Qualquer Curador pode notificar por escrito ao Conselho de Curadores, a renúncia de seu cargo.

    4. Em adição às estipulações do Artigo VIII da Constituição, qualquer membro que persistentemente se ausente das reuniões do Conselho, ou deixe de assistir a três ou mais reuniões do conselho, pode ser suspendido ou removido do Conselho, por meio de pelo menos dois terços dos votos presentes na reunião. O Conselho deverá ser autorizado para readmitir o mesmo Curador pela mesma maioria de dois terços de votos, se estiver convencida das razões de tais ausências

    5. O Conselho de Curadores pode em qualquer momento suspender ou destituir, com ou sem justa causa, qualquer membro do Conselho, o qual em sua opinião seja incapaz de permanecer no Conselho. Isto pode ser feito a qualquer momento por meio de votação de não menos de dois terços (2/3) dos Curadores presentes e votantes. O Conselho também tem em seu poder a possibilidade de readmitir o dito Curador por meio do mesmo processo de nada menos que dois terços dos membros presentes e votantes.e

ARTIGO III


COMITÊ EXECUTIVO

  1. COMPOSIÇÃO

    1. O Comitê Executivo deverá ser formado por todos os funcionários do Conselho de Curadores, por ao menos um do Conselho de Curadores de campo e por todos os demais membros do Conselho, que o Conselho de Curadores determine como necessários.

    2. O Comitê Executivo pode cooptar (admitir um membro novo numa assembléia ou num corpo constituído, decidido pelos membros antigos) dentro do Comitê e designar assessores ou consultores, ou outros, para ajudar ao comitê, e eles terão voz ,mas não terão voto no Comitê.




  1. PODERES E RESPONSABILIDADES.

Sujeito às estipulações assinaladas no artigo IV abaixo, o Comitê Executivo deverá ter os seguintes poderes e responsabilidades:

    1. Atuar como um braço executivo do Conselho de Curadores e conduzir os assuntos do Conselhoem suas reuniões.

    2. Elaborar e revisar as descrições de trabalho e avaliar o rendimento do Presidente/CEO., aprovar as descrições de cargo para os Diretores de Áreas e todos os principais membros da equipe, de uma divisão de nível superior ou equivalente; e

    3. Atender e conduzir qualquer atividade que possa ser dirigida pelo Conselho, em casos de urgência ou emergência.

ARTIGO IV


O ESCRITÓRIO INTERNACIONAL

O Escritório Internacional deverá:



  1. Ajudar às nações membros e ministérios pioneiros a alcançar seus resultados planejados fornecendo pesquisa, capacitação, treinamento e treinamento em desenvolvimento de fundos, modelos de ministério, padrões de medição e facilitação para mobilização de pessoal;

  2. Introdução ou promoção de novas nações;

  3. Coordenar as atividades Internacionais;

  4. Promover os ministérios tanto dentro como fora da YFC;

  5. Facilitar a comunicação entre a família YFC; e

  6. Ser responsável pelo desenvolvimento de fundos.

ARTIGO V


PRESIDENTE/CEO

1. ELEIÇÃO



  1. O Presidente /CEO de YFCI deverá ser eleito pelo Conselho de Curadores, e ratificado pela Assembléia Geral de YFCI. Depois da eleição, ele será um membro votante do Conselho.

  2. O período do Presidente/CEO será determinado pelo Conselho. O Presidente/CEO terá uma avaliação formal a cada dois anos com a oportunidade de que os países membros de YFCI também contribuam com este processo.

  3. Seu escritório deverá ser estabelecida em um país designado pelo Conselho de Curadores e na ausência de tal designação, no escritório central de operações de YFCI.

2. TÍTULO

O CEO (Diretor Presidente) terá como titulo Presidente de todas as Áreas e das Nações constitucionalmente, mas o CEO tem a liberdade de usar o termo Diretor Internacional se for necessário por questões culturais.
3. PODERES e RESPONSABILIDADES do CEO


  1. Articula e une a visão, missão, valores essenciais e princípios orientadores da YFC a todas as circunscrições.

  2. Alinha os resultados esperadas com a visão e missão.

  3. Desenvolve e proporciona liderança a organização para produzir os resultados esperados.

  4. Gerencia a relação entre o Conselho Diretor, os obreiros do escritório Internacional e o campo missionário, assegurando que haja comunicação aberta, confiança e colaboração total..

  5. Assegura a aquisição e alocação dos recursos necessários para realizar as metas pautadas.

  6. Adquire e distribui os recursos necessários para alcançar os resultados planejados, de maneira que as oportunidades e a capacidade organizacional sejam incrementadas. Assegurar que a aquisição de recursos seja coordenada.

4. RESPONSABILIDADES do CEO.



  1. Atuar como o Funcionário Executivo Principal da YFCI e proporcionar liderança geral para os ministérios e programas da YFCI e desempenhar todos os outros deveres atribuídos ao Presidente/CEO da YFCI, ou como possa ser determinado pelo Conselho de Curadores.

  2. Reportar ao Conselho de Curadores e assistir a todas as reuniões da Assembléia Geral de YFCI, do Conselho de Curadores e do Comitê Executivo.

  3. Gerenciar a relação entre o Conselho de Curadores, os obreiros do escritório internacional e o campo missionário, assegurando que haja comunicação aberta, confiança e colaboração total.

  4. Articular ou unir a visão, missão, valores essenciais e princípios de pautas da YFC a todas as constituintes.

  5. Desenvolver e proporcionar liderança à organização para produzir os resultados esperados alinhados com a visão e missão.

  6. Adquirir e distribuir os recursos necessários para alcançar os resultados planejados, de maneira que as oportunidades e a capacidade organizacional sejam incrementadas. Assegurar que a aquisição de recursos seja coordenada.

  7. Representar a YFCI em matérias operacionais e ser responsável por suas relações públicas.

  8. Ser responsável por todas as operações de YFCI e seu escritório principal e operacional, e outros escritórios, incluindo todas as questões financeiras.

  9. Selecionar, em consulta com o Presidente do Conselho DiretorConselho de Curadores e liderar uma equipe de liderança a qual deverá operar em um espírito de companheirismo, com uma composição que claramente reflita atribuições bem definidas , o envolvimento de alguns líderes mais jovens e um caráter ou modo de ser multinacional, para a máxima extensão possível;

(a) Nomear os Diretores de Áreas em consulta com o Presidente do Conselho DiretorConselho de Curadores, sujeito a ratificação pela maioria dos dois terços dos Diretores Nacionais que sejam completamente qualificados dentro do programa da YFC da Área.

(b) Nomear toda a equipe de uma divisão de nível superior ou equivalente servindo no ministério ou equipe do Presidente/CEO, em consulta com o Presidente do Conselho Diretor; e

Aprovar a designação de todos os demais membros do staff Internacional da YFCI.

(10) Redigir descrições de trabalho para os Diretores de Áreas em consulta com o Conselho de Curadores e todos os outros membros de uma divisão superior ou equivalente, servindo no ministério ou na equipe do Presidente/CEO.



  1. Designar e constituir tais comitês de equipes para o ministério, planejamento, investigação, desenvolvimento e para qualquer outro propósito servindo aos objetivos de YFCI, como o Presidente/CEO possa considerar adequado.

  2. Fortalecer a vitalidade e a saúde espiritual da organização.

  3. Estabelecer áreas do mundo ou mudar suas fronteiras, sujeito às determinações da Constituição.

  4. Gerenciar, manter e salvaguardar todas as entidades legais, ativos financeiros, interesses de patentes, propriedades intelectuais e todos os outros interesses legais e propriedades de YFCI, em consulta com o Conselho de Curadores.

  5. Cumprir com as Políticas de Limitações Executivas segundo o estabelecido pelo Conselho da YFCI em todas as operações da organização.

ARTIGO VI


TÍTULOS E DESIGNAÇÕES

O Conselho de Curadorees pode designar e conferir tais títulos e designações a tais pessoas como possa determinar, incluindo o Presidente/CEO.


ARTIGO VII


COMITÊS

  1. Os comitês ad-hoc (estabelecidos temporariamente) podem ser designados pelo Presidente do Conselho de Curadores, em consulta com o Presidente/CEO e o Conselho de Curadores.

  2. O Presidente do Conselho de Curadores deve especificar os termos de referencia e/ou as ordens estabelecidas para cada comitê designado ou pode facultar ao que exerce a função de Principal Executivo do Comitê para estabelecer seus próprios termos de referência.

ARTIGO VIII


CONSELHO CONSULTIVO

O Conselho de Curadores pode designar um Conselho Consultivo, composto por pessoas comprometidas com Deus. Qualquer Conselho assim designado assumirá em uma função consultiva.


ARTIGO IX


VOTAÇÃO E QUORUM

  1. Em todas as reuniões da Assembléia Geral, ou do Conselho de Curadores ou do Comitê Executivo da YFCI, cada um dos membros destes corpos pode ser autorizado a dar um voto, ( com exceção dos Diretores Regionais).

  2. Os membros da Assembléia Geral da YFCI podem votar seja pessoalmente ou por procuração, quando não estejam em capacidade de estar presentes pessoalmente. A forma de procuração será determinada pelo Presidente ou pelo Secretário do Conselho e um procurador deve ser um membro da Assembléia Geral da YFCI.

  3. A votação nas reuniões de cada um destes corpos pode ser mediante um sinal com as mãos, mas deverá ser por votação, se uma votação necessita que seja pessoal, por ao menos 2 membros daquele corpo devem estar presentes.

  4. Uma maioria dos membros deve constituir um quorum de cada um destes corpos.

  5. Todas as moções, com exceção daquelas que requerem dois terços de votos, deverão ser aprovadas pelo voto de uma maioria simples.

Em caso de um empate, o Presidente do Conselhoterá o voto decisivo.


ARTIGO X


AUTORIDADE ESTRUTURAL

Haverá duas entidades:

1. O Conselho–governando; e

2. A Equipe de Liderança Mundial - gerenciando


ARTIGO XI


FORMAÇÃO DE FILIAIS

  1. Os programas nacionais podem solicitar a formação de filiais da YFCI, mediante o envio de uma solicitação ao respectivo Diretor de Área.

  2. Por recomendação do Diretor de Área ao Presidente/CEO, o Conselho de Curadores pode outorgar a formação de filiais temporariamente, por recomendação do Presidente/CEO.

  3. A filial será ratificada por dois terços do voto da Assembléia Geral da YFCI.

  4. A renovação das filiais será feita em cada reunião da Assembléia Geral de YFCI, ou a tais intervalos como possa ser determinado pelo Conselho de Curadores, sujeito aos termos de filiais redigidos pela Assembléia Geral de YFCI.

  5. Uma filial pode ser revogada pelo Conselho Diretor por meio da recomendação da Equipe de liderança Mundial..

ARTIGO XII


ÁREAS DO MUNDO

  1. O Presidente/CEO da YFCI Internacional está autorizado a estabelecer áreas do mundo, ou mudar fronteiras depois de consultar o Diretor de Área respectivo e o Diretor Nacional afetado pela mudança proposta e depois da aprovação do Conselho de Curadores ou pelo Comitê Executivo.

  2. Os Diretores de Área devem reportar-se ao Presidente/CEO ou designados

  3. Equipe de Liderança Mundial

COMPOSIÇÃO

Composto por,mas não limitado a:


1. Presidente/CEO

2. Diretores de Área

3. Diretor de Operações

ATRIBUIÇÕES


  1. Gerenciar os Ministerios

  2. Desenvolvimento e implementação de planos estratégicos.

  3. Apoiar as nações membros e países em etapa pioneira para alcançar seus objetivos pautados assegurando que haja:

    1. Treinamento a respeito de Investigação e desenvolvimento.

    2. Treinamento sobre o levantamento de Fundos.

    3. Exemplos ministeriais.

    4. Padrões de Medição.

    5. Facilitação para mobilização de obreiros.

    6. Assegurar que os elementos essenciais unificantes sejam respeitados.

    7. Iniciar obras em novas nações.

    8. Coordenar atividades Internacionais.

    9. Promover ministérios seja dentro ou fora da YFC.

    10. Facilitar a comunicação entre a família da YFCI.

    11. Desenvolver o programa de Recursos e Levantamento de Fundos da YFCI.

    12. Preparar um orçamento Anual para o Conselho de Curadores.

    13. Apoiar o Presidente/CEO para assegurar de que haja um bom relacionamento na família global da YFC.

    14. Revisar a avaliar o processo de Associação.



ARTIGO XIII


REUNIÕES

  1. A Assembléia Geral da YFCI deve, até onde seja possível, reunir-se uma vez a cada três anos, em um local e data designados pela Assembléia Geral, ou pelo Conselho Diretor, se tal decisão não for feita, ela tem de ser modificada.

  2. O Conselho de Curadores deve reunir-se pelo menos uma vez a cada ano em local e data, escolhido pelo Presidente do Conselho.

  3. O Comitê Executivo deve reunir-se pelo menos uma vez a cada ano em lugar e data escolhido pelo Presidente do Conselho.

  4. Uma reunião dos Diretores de Áreas será realizada pelo menos uma vez ao ano em local e data a ser escolhido pelo Presidente/CEO.

  5. Uma monção ou resolução por escrito, assinada ou aprovada mediante carta, fax ou por qualquer outros meios escritos de comunicação, pela requerida maioria dos membros da Assembléia Geral da YFCI, ou pelo Conselho Diretor e Fideicomissários ou pelo Comitê Executivo, deve ser tão válida e eficaz como se tivesse sido aprovada durante uma reunião devidamente constituída deste corpo.



ARTIGO XIV


ANO FISCAL

O ano fiscal da YFCI deve ser desde 1 de janeiro a 31 de dezembro.





©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal