As coisas não mudam. Só muda a sua maneira de vê-las



Baixar 313.54 Kb.
Página1/7
Encontro28.07.2016
Tamanho313.54 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7





Análises de Obras Literárias UNIFEI -2009


Organização: Professor Gilmar Ramos de Souza

“As coisas não mudam. Só muda a sua maneira de vê-las.” (Carlos Castaneda)



Índice


  1. Introdução

..........................................................................................02

  1. Memórias Póstumas de Brás Cubas

..........................................................................................03

  1. Felicidade Clandestina

..........................................................................................09

  1. Poesia Marginal

..........................................................................................24

  1. Incidente em Antares

..........................................................................................33

  1. Bibliografia e Referências

..........................................................................................43



Introdução


Os estudos apresentados a seguir visam a dar um painel do enredo, levando em conta algumas particularidades estilísticas, de modo a permitir, àqueles que já leram, recordar passagens mais importantes; e propiciar uma visão geral das obras aos que não leram.

Importante ressaltar que das obras literárias exigidas para o vestibular da UNIFEI, possivelmente, sairão os temas das redações. Isso mostra a necessidade do aluno estar preparado para discutir e, principalmente, argumentar sobre as possibilidades de temas sugeridos pelas obras.

É relevante lembrar que na lista anterior já se encontrava a obra Felicidade Clandestina, de Clarice Lispector, embora não tenha sido utilizada na prova de redação. Não é difícil que um de seus vinte e cinco contos venha a ser pedido na prova que se aproxima. Sendo assim, procure atentar para os detalhes do enredo, das personagens e, principalmente, para técnicas de narração e resumo.

Cada aluno deve encontrar sua maneira de estudar literatura. O primeiro mandamento é não decorar. O importante é saber aplicar os conhecimentos aos textos, pois eles é que são literatura. O contato diário com a leitura facilita o processo de aprendizagem.

Os resumos a seguir não têm a intenção (ou pretensão!) de resolver todas as possíveis questões acerca dos livros. Servem apenas como ponto de referência. Cabe ao aluno a leitura integral da obra, o que facilitará sua compreensão e interpretação.

Boa prova!
Professor Gilmar Ramos de Souza






Memórias Póstumas de Brás Cubas

“Quereis ser universais? Cantai a vossa aldeia.” (Tolstoi)



      1. O Movimento Literário: Realismo


  • Há dois tipos de Realismo, e essa constitui uma das teorias do romance contemporâneo.

  • Para o primeiro tipo, um romance deve ter uma história, e só isso. Tudo que esse romance precisar deve tirar da própria narrativa.

  • Para o segundo Realismo, isso não basta: deve haver também a versão, a interpretação da narrativa, feita pelo próprio narrador.

  • È o caso do livro em questão.

  • Observemos as diferenças no quadro:




Primeiro narrador

Segundo narrador

Não fala de si

Fala de si

Fala diretamente dos outros

Fala indiretamente dos outros

Mostra a personagem

Analisa a personagem

Foco de terceira

Foco de primeira

Busca empolgar “epicamente” o leitor

Busca persuadir analiticamente o leitor

Um eu que se esconde

Um eu que se mostra

Onisciência

Observação e conjetura

Só narração

Narração e descrição

objetividade

subjetividade



      1. O Autor e suas características


  • Machado de Assis estabelece uma série de rupturas alicerçadas em alguns pontos fundamentais: ele quebra a linearidade da narrativa tradicional, desloca o interesse do enredo para a personagem e cede lugar à observação e à análise da sociedade que o rodeia: uma burguesia endinheirada, almejando a nobreza.

  • Enredo não-linear / micro-capítulos digressivos

  • Humor sutil e permanente

  • Visão metafísica relativista de todos os valores humanos.

  • As mulheres machadianas são por natureza artistas consumadas, ao passo que os homens, mesmo quando pretendem, não passam de aprendizes desajeitados e inseguros. As mulheres atuam, geralmente, com uma habilidade e classe fora do comum.
  1. A obra


  • Publicado em 1881, é o marco do Realismo no Brasil.

  • Memórias são críticas, porque analisam a vida, as relações humanas, mostrando o quanto algumas são:

  • Fingidas - busca de ascensão e poder, e em função dessas duas (=dinheiro e poder) a vida passa a valer um gozo cínico e arbitrário.

  • Verídicas – a fatalidade, o azar, a indiferença, a doença, a velhice e a morte, coisas que, enfim, a natureza, o tempo ou o acaso impõem, e que acabam ironizando todas as ânsias de ascensão, poder e gozo.

  • Observe que a palavra crítica aqui não tem o sentido de “julgamento” entre um bem e um mal.

  • A crítica de Machado é a constatação deste cenário contraditório da vida.

  • Retrato das classes altas do Rio do séc. XIX

  • Machado desmascara nossas elites que, como importadores, deixavam a vaidade predominar.

  • Estrutura Central - tempo, que envelhece as pessoas, e destrói as ilusões

  • As Memórias, afinal, são uma história de amor (adulterino) - Brás e Virgília.

  • Sem pecado (sem julgamento)
  1   2   3   4   5   6   7


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal