As ervas liturgicas na umbanda com conceitos herméticos



Baixar 120.86 Kb.
Encontro06.08.2016
Tamanho120.86 Kb.
AS ERVAS LITURGICAS NA UMBANDA COM CONCEITOS HERMÉTICOS
Antes de iniciar os conceitos litúrgicos e medicinais das ervas, se faz interessante entender alguns conceitos sobre Hermetismo e sobre os quatro Elementos: Fogo, Água, Ar e Terra.

Existem sete princípios Herméticos que nos dão a chave para refletirmos sobre diversos aspectos da criação, porem venho destacar alguns que em meu ponto de vista vem de encontro ao tema em questão.


“ Os princípios da verdade são sete;

aquele que os conhece perfeitamente ,

possui a chave Mágica com a qual

todas as portas do templo podem ser

abertas completamente.” – O Caibalion
III - O Principio da vibração:
“Nada esta parado; tudo se move; tudo vibra.”
IV – O Princípio da polaridade:

“Tudo é Duplo; tudo tem pólos; tudo tem seu oposto; o igual e o desigual são a mesma coisa; os opostos são idênticos em natureza, mas diferentes em grau; os extremos se tocam; todos os paradoxos podem ser reconciliados.”


V – O Princípio de ritmo:
“Tudo tem fluxo e refluxo; tudo tem suas marés ; tudo sobe e desce; tudo se manifesta por oscilações compensadas; a medida do movimento à direita é a medida do movimento à esquerda; o ritmo é a compensação.”

Com esses três princípios em mente podemos começar a introdução em nosso estudo, pois essas são algumas das chaves para entendermos o mecanismo da utilização das ervas, de forma litúrgica e medicinal em nossa sagrada Umbanda e em todas as outras religiões que cultuam a natureza.


A utilização das ervas na Umbanda tanto litúrgica quanto medicinal, existem preceitos a serem seguidos e respeitados.

Existem processos que vão desde a colheita até a utilização propriamente dita a ser seguida que consistem em, horário de colheita, fase da lua, forma de extrair o principio vital, tipo de banho, etc...

Vamos descrever cada etapa deste processo de forma racional e dentro dos princípios Herméticos.



1° ETAPA – COLHEITA

A colheita da erva deverá ser de acordo com a fase da Lua como sendo Positiva, Negativa ou Neutra.
Lua Nova ( Neutra) - É o inicio do ciclo Lunar, a seiva se concentra no caule e nas raízes.
Lua Crescente (Positiva) – A luminosidade Lunar aumenta e sua face torna-se mais visível, a seiva flui em direção as Folhas.
Lua Cheia (Positiva) - Sua face torna-se totalmente visível, a seiva tem maior penetração nas folhas.
Lua Minguante (negativa) - A cada dia a Lua fica menos visível, a seiva Flui novamente em direção ao caule e as raízes.
Devemos entender a seiva como semelhante ao Prana, pois ambos estão relacionados já que sofrem a mesma influência Lunar.

Vemos os princípios Herméticos nos dando as chaves para entendermos melhor este processo.

Devemos colher as folhas preferencialmente nas fases positivas, porem temos que refletir sobre a colheita utilizando as chaves Herméticas.

O que se entende por fase positiva nas folhas é na verdade negativa nas raízes, e por sua vez ,quando é negativa nas folhas é positiva nas raízes.

Vemos o IV e o V princípios atuando neste esquema, logo se entendermos desta forma poderemos colher nossas ervas de acordo com nossas necessidades.

Podemos utilizar as ervas para positivar, neutralizar ou negativar nossas energias de acordo com as fases da Lua.


A utilização pode ser de duas formas:
Homeopatia (do grego homoios, semelhante + pathos, doença)

Método terapêutico cujo princípio está baseado na similia similibus curantur ("os semelhantes curam-se pelos semelhantes"). Christian Friedrich Samuel Hahnemann


Contraria contraris curantur. Contrários são curados por contrários. Princípio seguido por Galeno que estabeleceu as bases da alopatia.

Existem outros métodos que falaremos nos tópicos correspondentes.

Com isso vemos que podemos utilizar as duas possibilidades, semelhante com semelhante ou contrários, porem não podemos esquecer de respeitar os fundamentos litúrgicos que nos indicam quais e como utilizar determinadas ervas para banhos.

Então vemos que para colher as folhas temos que levar em consideração o principio de vibração para saber qual energia será utilizada, o principio de polaridade para saber qual fase da

Lua será colhida e por fim, o princípio de ritmo para saber em qual posição o Prana se encontra na planta.
Liturgia:
Antes de colher, saudar Oxosse e Ossae, as folhas deverão ser colhidas em números ímpares e sempre as folhas que estão mais para o topo do ramo pois já estão com um tamanho ideal, ”folhas adultas.”

O horário deve ser de 06:00 às 18:00, nunca antes nem depois, pois as ervas devem ser colhidas sobre a irradiação solar.



2° ETAPA – EXTRAÇÃO DO ELIXIR


Existem varias formas de se utilizar as ervas dependendo do fim a que se destina, podemos utilizar as ervas tanto interna quanto externamente, podemos utilizar como banhos, chás, defumadores, extraindo óleos essenciais, etc.

Porem a utilização deve ser sempre com muita responsabilidade e conhecimento, pois existem tipos de plantas que possuem componentes tóxicos e que podem levar a complicações orgânicas e até mesmo a morte.

Seu poder não tem limites na Terra. Separarás a terra do fogo, o sutil do grosseiro. Docemente e com grande perícia...” - Tabua de esmeralda.

Com isso temos que ter muito cuidado quando a utilização for interna, principalmente quando for em gestante, pois existem infinidades de ervas que são abortivas (emenagogas).

Cuidados que se deve ter na hora de preparar medicamentos com plantas medicinais:


  • preparar o medicamento, preferencialmente, com plantas colhidas a pouco tempo;

  • usar apenas plantas que sejam do seu conhecimento; na dúvida consulte alguém mais experiente;

  • não pegar plantas perto de fossas, lixos, esgotos, locais tratados com agrotóxicos e na beira de estradas (porque a fumaça dos veículos pode conter substâncias tóxicas que ficam na planta);

  • não utilizar plantas que estejam mofadas, velhas e com bichos;

  • ter o cuidado de lavar bem a parte da planta a ser usada;

  • no caso de preparar o chá com folhas secas, secá-las à sombra e em locais arejados, pois os raios solares podem eliminar parte das substâncias curativas;

  • quando for utilizar raízes secas, picar em pequenos pedaços antes de secar; após a secagem, guardar em vidro escuros ou caixas bem fechadas, com o nome da planta;

  • não guardar as plantas medicinais por muito tempo, porque elas podem perder a ação medicinal.

  • evite tomar chá feito de um dia para outro; renove sempre a cada 24 horas.

Tomando esses cuidados poderemos utilizar de forma responsável as ervas sem termos efeitos indesejáveis.


Tipos de extração:
Infusão – Em um recipiente com água aquecida, coloque as ervas picadas e tampe o recipiente deixando em repouso por um período que pode variar de 10 a 15 minutos.

Esse tempo varia de acordo com a erva a ser utilizada, esse método é geralmente utilizado com folhas e flores já que são partes mais sensíveis.


Decocção - Esse método é o mais adequado para cascas, caules, frutos secos, raízes e sementes. Neste caso, as plantas picadas são colocadas em uma chaleira com água fria. Leve ao fogão, espere ferver e aguarde de 5 a 10 minutos antes de tirá-la do fogo. Para fins medicinais, o chá por decocção deve ser tomado quente.
Cataplasma de erva fresca – coloca-se macerada diretamente sobre a pele.
Cataplasma de erva seca – colocadas no interior de um saquinho aplicadas na pele quentes ou frias de acordo com o caso.
Maceração – Esse processo é feito pegando partes da erva a ser utilizada, coloque em um pilão e macere até que seja extraído todo o sumo da erva. Esse método é mais utilizado pela culinária como temperos.

Outra forma de macerar é com as mãos, esse método é mais utilizado de forma litúrgica, com uma bacia de ágata com água a pessoa macera com as mãos até retirar todo o sumo da planta.


Tinturas – As tinturas são soluções hidroalcoólicas preparadas com álcool de cereais, as tinturas feitas com ervas secas são geralmente de proporções de 1:4 uma parte do soluto para 4 partes do solvente.

Para tinturas caseiras são geralmente usadas 1:1 pois o tempo de vida dessa tintura é mais prolongado podendo se estender por varios anos.

Geralmente são utilizadas 2 partes de água, 2 partes de álcool e 1 parte da erva, coloque em uma garrafa estéril e deixe por 2 semanas agitando de tempo em tempo, passe para um frasco âmbar coando e identifique.
Compressa – Ferver as ervas até se obter uma solução bem forte, mergulhar um pano limpo e colocar sobre a pele.
Óleos essenciais – São óleos essenciais obtidos de ervas aromáticas através de destilação.

Através desses processos podemos extrair energias de vegetais para curas físicas e espirituais, dependendo do fim a que se destina. No tópico sobre as ervas iremos descrever de forma clara as ervas e suas utilizações, nome cientifico, Orixá correspondente, ação no organismo, etc.

Segundo o Hermetismo temos uma idéia quanto a extração e separação das matérias, assim como no ser Humano existem três tipos de matéria: Corpo, Alma e Espírito.

Essas três etapas do processo podemos entender da seguinte forma:


Corpo – Matéria Prima, ou seja, a primeira matéria, matéria bruta ou no caso a planta.

Alma – A primeira separação, que no caso é obtida na maceração, infusão, decocção etc.

Pois essa extração ainda não é pura, pois alem do principio ativo da planta existem outros componentes dispersos na solução.

Espírito – É o principio ativo propriamente dito, é a essência pura obtida através de vários processos de purificação, seja por destilação simples ou por processos industriais.


Ou seja, o que nós usamos é na verdade a alma da matéria, uma energia que está contida em seu interior, separamos o sutil do grosseiro porem ainda não é a substancia pura, a essência.

O Principio da vibração:

“Nada esta parado; tudo se move; tudo vibra.”

3° ETAPA – UTILIZAÇÃO


Existem varias correntes filosóficas que nos dão conceitos sobre o desequilíbrio da matéria, o que perdurou por um longo período de tempo e que vem sendo resgatado através de correntes Religiosas e Esotéricas, são os 4 elementos, Fogo, Água, Ar e Terra.
Desde a Antigüidade e em várias civilizações, o número quatro tem um simbolismo especial: o da plenitude, da totalidade, da abrangência, da universalidade. Expressa, ao mesmo tempo, o concreto, o visível, o aparente, o criado, ao contrário do número 3, que espelha o transcendental, o espiritual, o abstrato, o divino. Nas palavras de Platão: "O ternário é o número das idéias; o quaternário, o da realização das idéias". – Dos quatro Humores as quatro bases.

Hipócrates - (Cós, 460Tessália, 377 a.C.) é considerado por muitos uma das figuras mais importantes da história da saúde, freqüentemente considerado "pai da medicina". Hipócrates era um asclepíade, isto é, membro de uma família que durante várias gerações praticara os cuidados em saúde.

Hipocrates criou a teoria dos humores que são: Sangue, fleuma, Bile negra e bile amarela, acreditava-se que o corpo humano era constituído desses 4 humores e qualquer anomalia patológica (discrasia), era tratada reajustando esses humores (eucrasia).

Segundo a doutrina dos quatro humores, o sangue é armazenado no fígado e levado ao coração, onde se aquece, sendo considerado quente e úmido; a fleuma, que compreende todas as secreções mucosas, provém do cérebro e é fria e úmida por natureza; a bile amarela é secretada pelo fígado e é quente e seca, enquanto a bile negra é produzida no baço e no estômago e é de natureza fria e seca.

A doutrina dos quatro humores encaixava-se perfeitamente na concepção filosófica da estrutura do universo. Estabeleceu-se uma correspondência entre os quatro humores com os quatro elementos (terra, ar, fogo e água), com as quatro qualidades (frio, quente, seco e úmido) e com as quatro estações do ano (inverno, primavera, verão e outono). O estado de saúde dependeria da exata proporção e da perfeita mistura dos quatro humores, que poderiam alterar-se por ação de causas externas ou internas. O excesso ou deficiência de qualquer dos humores, assim como o seu isolamento ou miscigenação inadequada, causariam as doenças com o seu cortejo sintomático.

Galeno, no século ( II DC ), com o prestígio de sua autoridade, revitalizou a doutrina dos quatro Humores e ressaltou a importância dos quatro temperamentos, conforme o predomínio de um dos quatro humores: sangüíneo, fleumático, colérico (de cholé, bile) melancólico (de melános, negro + cholé, bile). Colérico, portanto, é aquele que tem mais bile amarela, e melancólico, o que tem mais bile negra. Transfere-se, desse modo, para os comportamentos das pessoas, a noção de equilíbrio e harmonia dos humores.


As expressões "bom humor", "mau humor", "bem humorado", "mal humorado" são reminiscências dos conceitos de eucrasia e discrasia
Esse conceito foi derrubado a partir do conhecimento da estrutura celular através da microscopia, as doenças começaram a ser tratadas de forma mais cientifica utilizando os conhecimentos celulares.

Porem uma curiosidade surgiu quanto ao número quatro ou o quaternário, é que com o estudo do micro chegamos as estruturas intracelulares que são substâncias fundamentais para todos os seres vivos, que é o DNA.

Vemos o número 4 nas quatro bases do DNA, adenina, timina, guanina e citosina. Todos os seres vivos - animais, plantas, bactérias e muitos vírus - são o resultado de diferentes seqüenciamentos e combinações dessas quatro bases na dupla hélice do DNA. E as quatro bases, por sua vez, são formadas de quatro elementos químicos: carbono, oxigênio, hidrogênio e nitrogênio.

Com isso vemos que a teoria dos 4 elementos formando todas as estruturas da matéria tanto no macro quanto no micro, por mais que a tecnologia avance, nós evoluímos em espirais retornando sempre ao ponto inicial porem mais evoluídos, mais acima.


De acordo com o Segundo principio Hermético:

O que está em cima é como o que está em baixo, e o que está em baixo é como o que está em cima.” Isto é, análogo e correspondente, mas não igual, nem semelhante.


Com esses princípios em mente fica mais fácil entender a ação das energias das plantas de acordo com os elementos, já que cada erva está relacionada com certos Orixás e os Orixás estão relacionados com os elementos e os elementos com os Planetas e os Planetas com ...

Segue abaixo o esquema dos Humores:


Colérico

BILE AMARELA

Fogo
quente verão seco

Sanguinio Melancólico

SANGUE primavera outono BILE NEGRA

Ar terra


úmido inverno frio

Fleumático

LINFATICO

Água

Com a ajuda desse esquema poderemos entender melhor a relação dos elementos com os Orixás e com o corpo humano já que Cabeça é fogo, Pulmão é Ar, Água é ventre e Terra todo o corpo.

Seguiremos agora para a relação dos Orixás com suas respectivas ervas de uso Litúrgicos e medicinais.

Ervas:
Iremos relacionar as ervas dos seguintes Orixás: Oxalá, Ogum, Oxossi, Xangô, Omolu, Yemanjá, Nanã, Iansã e Oxum.

OXALÁ
Elemento – Ar

Metal – Prata

Planeta – Sol

Chakra – Coronário

Dia – Todos

Saúde – Todo o corpo

Ervas:


Tapete de Oxalá, Saião, Colônia, Manjericão Branco, Rosa Branca, Folha de algodoeiro,Sândalo, Malva, Patcholi, Alfazema, Folha do cravo, Neve branca, Folha de laranjeira.

Em algumas casas (Poejo, Camomila, Chapéu de couro, Coentro, Gerânio branco, Arruda, Erva cireira, Alecrim do Mato, Hortelã, Folhas de Girasol, Agapasto branco, Aguapé, Alecrim da orta, Alecrim do Tabuleiro, Baunilha, Camélia, Carnaubeira, Cravo da Índia).

Boldo ou Falso boldo

Nome Cientifico: Plectranthus barbatus



Nomes populares: Falso boldo, Boldo nacional, Malva-Santa, Malva-Amarga, Boldo do Brasil, Boldo do reino, Alumã e Sete dores.

Indicações: Afecções hepáticas (hepatite, cólicas, congestões, etc), afecções febris, afecções gástricas, dispepsias, flatulências, obstipação (fezes ressecadas), inapetência(falta de apetite), calculo biliares, debilidade orgânica, insônia, ressaca alcoólica.
Saião

Nome científico: Kalanchoe brasiliensis

Nomes populares: Coirama, Folha-da-fortuna, Folha da costa, Folha grossa, Orelha de monge,

Indicações: Afecções pulmonares, Aftas, Asma, Cálculos renais, Calos, Diabete, Doenças do pulmão, Erisipela, Frieiras, Picadas de insetos, Queimaduras, Tosse, Tuberculose, Tumores, Úlceras, Verrugas.
Manjericão

Nome científico: Ocimum basilicum

Nomes populares: Manjericão, Alfavaca, Alfavaca de jardim, Alfavaca doce.

Indicações: Infecções da pele e vias respiratórias, Rachaduras nos mamilos, Bronquite, Cólicas, febres, Flatulência, Insônia, Problemas digestivos, Emenagoga, Expectorante.
Alpínia ou Colônia

Nome científico: Alpínia Zerumbet

Nomes Populares: Colônia, Falso-cardamomo, Heliconda, Jardineira, Alpínia.

Indicações: Relaxante, anti-stress, anti-hipertensiva , artrite, asma, anti-catarral, anti-térmica,

anti-ulcerogênica, estomáquica, emenagoga.
Algodoeiro

Nome científico: Gossypium Arboreum

Nomes Populares: Algodão do Pantanal, Amaniú, Muginha.

Indicações: Aliviar queimaduras, Anemia, asma, cravos, curar feridas, disenteria, dor uterina, espinhas, fraquesa pulmonar, hemorragia pos parto, hemorragia uterina, herpes, infecção renal, provocar espasmos, contração uterina, regra abundante, reumatismo.


Sândalo

Nome científico: Santalum Álbum

Sua madeira é utilizada para extração de óleos essenciais e para produção de incenso.
Patchuli

Nome científico: Pogostemon Patchouly Pellet

Nomes Populares: Patchouli, Patcholi, Vetiver, Oriza.

Indicações: Afrodisíaco, anti-bacteriana, antidepressivo, anti-séptica, anti-acne, anti-fungica,

Antiinflamatória, desodorante, emoliente, citostática, condicionante, descongestionante, fixadora, higienizante, recondicionadora, rejuvenescedora, revitalizante, Tonica.

Alfazema

Nome científico: Lavandula Spica L.

Nomes Populares: Lavanda

Indicações: Anti-espasmódico, anti-séptico, cardiotónico, cicatrizante, colagogo, diurético, estimulante, insecticida, sudorífico.

Acne, bronquite, leucorreia, nervosismo, reumatismo, tosse, vertigens.
Folhas de laranjeira

Nome científico: Citrus Aurantium Sinensis

Nome popular: Laranjeira

Indicações: Anti-espasmódico (vômitos, espasmos, palpitações, tosses nervosas), calmante, indigestões.
Arruda

Nome científico: Ruta Graveolens

Nome popular: Arruda

Indicações: Anafrodisiaco (masculino), excitante (feminino), aumentar a resistência dos vasos sanguinios, evitando rupturas (varizes), restabelece o fluxo menstrual, vermes, repelente, dor de cabeça, calmante, ansiedade, amenagoga.
Vemos neste Orixá que por seu elemento ser o Ar, temos maior incidência de ação nas vias aéreas como expectorantes, fraqueza Pulmonar, tosse entre outras.

Vemos também como Humor sanguíneo atuando em afecções diversas, fluxo menstrual, entre outras.

Porem é sabido que o Orixá maior é Oxalá, com isso sua ação é em todo o corpo o que também é observado em suas ervas que alem das vias aéreas e no humor sanguíneo atua em todo o corpo.

OXOSSI
Elemento – Terra

Metal- Bronze

Planeta –

Chakra – Esplênico

Dia – Quinta feira

Saúde – Aparelho Respiratório
Ervas:

Alecrim, Guiné, Vence demanda, Abre caminho, Peregum(verde), Taioba, Espinheira Santa, Jurema, Jureminha, Mangueira, Desata nó, Erva de Oxossi, Erva Jurema, Alfavaca, Eucalipto.
Alecrim

Nome científico: Rosmarinus officinalis L

Nome popular: Alecrim

Indicações: Asma, astenia, celulite, colesterol, convalescença, depressão, entorse, enxaqueca, memória, pele, rugas, sono, torcicolo.
Guiné

Nome científico: Petiveria Tetranda gomez

Nome popular: Guiné, erva de pipi, tipi, tipi-verdadeiro.

Indicações: Afecções da cabeça, da vista, memória, reumatismo, paralisia, nervosismo, analgésico (em uso externo) em compressas.

O pó da raiz ameniza a dor de dente, gargarejo para a garganta.
Taioba

Nome científico: Arum Esculentum

Nome popular: Taioba

Indicações: Atua como suplemento em dietas, fonte de Ferro, Potássio, Cálcio e Manganês.
Espinheira Santa

Nome científico: Maytenus Ilicifolia

Nome popular: Espinheira Santa

Indicações: Ulceras, azia, má digestão, gastrite, ressaca alcoólica, cicatrizante, anti-séptico, tonificante.

Jurema

Nome científico: Mimosa Hostilis ( Jurema Preta ), Pithecollobium ( Jurema branca ), Mimosa Verucosa ( Jurema de oeiras ).

Nome popular: Jurema

A Jurema é da família das leguminosas comum no nordeste Brasileiro, possui propriedades psicoativas e Alucinógenas.

É utilizada no Catimbo.
Jureminha

Nome científico: Desmanthus Virgatus L

A Jureminha é uma espécie de leguminosa de ampla ocorrência no Brasil, podendo constituir por seu caráter de resistência a seca em uma alternativa para alimentação dos rebanhos na região nordeste.
Mangueira

Nome científico: Mangifera Indica L

Nome popular: Mangueira

Indicações: Anemia, asma, diarréia, digestão, dispepsia respiratórias, sarna, verminoses, estomatite, febre, gengivite, tuberculose.
Alfavaca

Nome científico: Ocimum Basilicum

Nome popular: Remédio de Vaqueiro, manjericão de folha larga.

Indicações: Má digestão, vômitos, náuseas, flatulência, problemas intestinais, rins, febre, falta de leite materno, halitose, queda de cabelo, dor de garganta, feridas, aplicar também sobre o bico do peito afetado.
Eucalipto

Nome científico: Eucalyptus globulus

Nome popular: Eucalipto

Indicações: Asma, asma cardíaca, afecções catarrais, adenites (inflamação de uma glândula ou linfonodo), bronquite, coqueluche, coriza, cistite, catarro da bexiga, disenteria, diabetes, febres, rinite, afecções das vias respiratórias, sinusite.
Vemos neste Orixá que por seu elemento ser Terra, sua ação é em todo o corpo, cabeça, pulmão e ventre.

Vemos também como Humor Bile Negra ou Nervoso, atuando como calmante, psicoativas, perda de memória, alucinógenas, etc..




XANGÔ
Elemento – Fogo

Metal- Estanho

Planeta – Júpiter

Chakra – Cardíaco

Dia – Quarta feira

Saúde – Fígado, Vesícula
Ervas

Erva de São João, Erva de Santa Maria, Beti Cheiroso, Nega Mina, Elevante, Cordão de Frade, Jarrinha, Erva de Bicho, Erva Tostão, Caruru, Para Raio, Umbaúba (em algumas casas Xequelê).

Erva de São João

Nome científico: Ageratum conyzoides L

Nome popular: Mentrasto, Catinga de bode, Matruco.

Indicações: Tõnico, espasmos, aperiente, antidesintérico, anti-reumático (uso externo), antidiarréico, febrífuga, antiinflamatório, carminativa, resfriados, cólicas menstruais e tensão pré-menstrual.
Erva de Santa Maria

Nome científico: Chenopodium Ambrosioides L

Nome popular: Erva de Santa Maria

Indicações: Angina, Asma, Aumenta a transpiração, bronquite, catarro, circulação, estomago, fungos de solo, hemorroida, pulga, piolho, relaxar espasmos.
Cordão de Frade

Nome científico: Leonotis nepetaefolia

Nome popular: Cordão de São Francisco

Indicações: Bronquite, asma, infecções pulmonares, artrite, gota, ácido úrico, gases, dores abdominais, nevralgia.
Jarrinha

Nome científico: Aristolochia cymbifera

Nome popular: Capa-homens, cassaú, cassayú, cassa-yú, cipó-das-matas, cipó-mil-homens.

Indicações: Afecções das vias urinárias, afecções nervosas, amenorréia, asma, ataques nervosos, cicatrização de feridas, convulsão histérica, convulsões epiléticas, diarréias rebeldes, enxaquecas, estimula a menstruação, histeria, nevralgia, sedativo nas histerias, ulceras, varizes.
Erva de Bicho

Nome científico: Polygonum persicaria var

Nome popular: Pimenta d`água, pimenta do brejo, etc.

Indicações: Afecções urinárias, amenorréia, congestão cerebral (Afluência anormal do sangue aos vasos do cérebro causado por emoções muito fortes e violentas), delírio psíquico de velhos, diarréia, eczemas, erisipela, estancar hemorragias, coagulação do sangue, febres, fragilidade capilar, memória.
Erva Tostão

Nome científico: Boerhavia Diffusa L

Nome popular: Agarra pinto, amarra pinto, batata de porco.

Indicações: Afecções hepáticas, albuminúria, anúria, baço, beri-beri, calculo biliar, cistite, congestão hepática, dispepsia, distúrbio estomacal, edema, engorgitamento do baço(Acumulação de líquido), febre biliosa, fígado, hemoptise, hepatite, icterícia, nefrite, nervosismo, vesícula biliar, retenção de urina, uretrite, vias urinarias.
Caruru

Nome científico: Amaranthus Viridis L

Nome popular: Amaranto, Bredo, Caruru manso.

Indicações: Corrimento vaginal, desnutrição infantil, doença venérea, afecção do fígado, febre, aleitamento.
Embaúba

Nome científico: Cecropia Peltata L

Nome popular: Ambaúba, Umbaúba

Indicações: Afecções da pele, afecções das vias respiratórias (asma, bronquite, tosse, coqueluche), alergia,

bronquite crônica, mal de Parkinson, normalizar a pressão arterial, ulcera, verrugas.
Vemos neste Orixá que por seu elemento ser Fogo, sua ação é na parte superior do corpo, cabeça.

Vemos também como Humor Bile Amarela ou Colérico, atuando como inibidor de ataques histéricos, nevralgias, febre biliosa, calculo biliar, entre outros.
OGUM
Elemento – Ar

Metal- Ferro

Planeta – Marte

Chakra – Umbilical

Dia – terça-feira

Saúde – Coração, Glândulas endócrinas
Ervas:

Peregum (verde), São Gonçalinho, Quitoco, Mariô, Lança Ogum, Coroa de Ogum, Nutamba, Alfavaquinha, Bredo, Cipó Chumbo, Aroeira, Pata de Vaca, Carqueja, Losna, Comigo ninguém pode, Folhas de Romã, Flecha de Ogum, Cinco folhas, Macaé, Folhas de Jurubeba, Canela de Macaco, Erva Grossa, Parietária.
Quitoco

Nome cientifico: Pluchea Sagittalis

Nome popular: Madecravo, Lucera

Indicações: Brônquios, catarro, distúrbios estomacal, doença da matriz, gota, indigestão, disenteria, tosse.
Cipó Chumbo

Nome cientifico: Cuscuta Racemosa Mart

Nome popular: Ano-Peipa, awó-pupa, fios de ovo, aletria.

Indicações:

Chá do Caule: Angina, icterícia, úlceras, disfunções gástricas, vesícula biliar, constipação, edemas, hemorragias bronco pulmonares, afecções da garganta e das vias respiratórias, bronquites, tosses com expectoração sanguínea, catarros e rouquidão, cólicas hepáticas, diarréia sanguínea, abscessos internos, hemoptises, congestões pulmonares, icterícias, angina, amigdalite.

Compressas com emplastos do caule: Furúnculos e feridas.

Decocção: Gargarejo, úlceras e feridas.
Erva Grossa

Nas tosses e bronquites, também usada para dissolver cálculos renais.
Parietária

Nome cientifico: Parietaria Officinalis

Nome popular: Alfavaca da cobra, tiritana, ervas das muralhas, saxifragia, erva de vidro, erva fura paredes, parte pedras, erva dos muros.

Indicações: Emolientes, calmante, diurética, renite, cálculos renais, distúrbios do aparelho urinário, furúnculos, feridas, queimaduras, catarro, tosse, afecções pulmonares, fissuras dos seios e do ânus, problemas das artérias e coração, febre inflamatória.
Aroeira

Nome cientifico: Schinus Molle L

Nome popular: Aroeira pimenteira, aroeira vermelha, aroeira mansa.

Indicações: Azia, gastrite, cistite, uretrite, diarréia, blenorragia, tosse, bronquite, reumatismo, íngua, dor de dente, gota.
Pata de Vaca

Nome cientifico: Bauhinia Forficata Link

Nome popular: Arvore orquídea, bauínia, capa-bode, casco de vaca.

Indicações: Afecções renais e urinarias, calmante (estados nervosos), catarro, colesterol, constipação intestinal, diarréia, diabete, gripe, prisão de ventre, parasitoses intestinais, regularizar a glicemia sanguínea, urina solta, rins.

Contra indicação: Pode potencializar drogas antidiabeticas ,hipoglicemia.
Vemos neste Orixá que por seu elemento ser Ar, sua ação é nas vias aéreas, pulmões.

Vemos também como Humor Sangüíneo, atuando nas hemorragias, tosses com expectoração sangüínea, diarréia sangüínea, inflamações,entre outros.
OMOLU/OBALUAIE

Elemento – Terra

Metal- Chumbo

Planeta – Saturno

Chakra – Básico

Dia – segunda-feira

Saúde – Todo o corpo
Ervas

Canela de velho, Erva de bicho, Erva de passarinho, Barba de milho, Barba de velho, Cinco chagas, Fortuna, Hera, Cuféia, Sete sangrias, erva de passarinho, Canela de velho, Quitoco, Zínia, Guiné.
Erva de bicho

Nome cientifico: Polygonum Punctatum F. Lott

Nome popular: Capetiçoba, Cataria, Pimenta do brejo, Pimenta D`água.

Indicações: Artrite, Erisipela, Hemorróidas, Inflamação, Ulcera, Vermicida.
Erva de passarinho

Nome cientifico: Struthanthus Flexicaulis

Nome popular: Erva de passarinho,(Erva de passarinho é uma erva hospedeira).

Indicações: Bronquite, Pneumonia, Pleurisias, Hemoptises, dores no peito, pontadas e outras afecções respiratórias,

Doenças no útero, hemorragias.
Cabelo de milho

Nome cientifico: Zea Mays L

Nome popular: Barba de milho,

Indicações: Albuminúria, Blenorragia, Calculo renal e na Bexiga, Cistite, distúrbios cardíacos, febre, retenção urinária, inchaço nas pernas, inflamações na bexiga, Nefrite.
Barba de Velho

Nome cientifico: Tillandsia Usneoides L.

Nome popular: Barba de pau, Samambaia, Barba de Macaco.

Indicações: Dores, inflamações no reto, engorgitamento do fígado, Hérnias, Ulcera varicosa, Varizes.
Cinco Chagas

Nome cientifico: Tropaeolum Majus L

Nome popular: Capuchinha, Agrião do México, Chagas das flores grandes.

Indicações: acne, Adrenomieloneuropatia, afecções da pele, afecções pulmonares, Caspa, desinfectante das vias urinarias, eczema, Escorbuto, Escrofulose, Falta de apetite, fortalecedor do couro cabeludo, impurezas no sangue, infecções bacterianas e fungais, infecções genito-urinárias e respiratórias, insônia, pele envelhecida, pele e cabelos enfraquecidos, prevenir a queda de cabelos, problemas digestivos, psoríase, retenção de líquidos, Tosse.
Vemos neste Orixá que por seu elemento ser Terra, sua ação é em todo o corpo.

No humor Bile Negra ou Melancólico, só foi identificado ação na planta Cinco Chagas (adrenomielenoneuropatia).

YEMANJÁ

Elemento – Água

Metal- Prata

Planeta – Lua

Chakra – Frontal

Dia – Sábado

Saúde – Psiquismo, Sistema nervoso
Ervas:
Colônia, Pata de vaca, Embaúba, Abebê, Jarrinha, Golfo, Rama de Leite, Aguapé, Lagrima de Nossa Senhora, Acará da praia, Flor de Laranjeira, Guabiroba, Jasmim, Jasmim de cabo, Jequitibá, Malva Branca, Marianinha, Trapoeraba Azul, Musgo Marinho, Nenúfar, Rosa Branca, Folha de Leite.
Aguapé

Nome cientifico: Eichornia Crassipes

Nome popular: Aguapé da Flor Roxa, Camelote, Dama do lago.

Indicações: Febre, Hepatite, Excitação nervosa, Furúnculos, Abscessos, Rins.
Guabiroba

Nome cientifico: Campomanesia Xanthocarpa O. Berg.

Nome popular: Guabirobeira, Gabirova, Gavirova.

Indicações: Cistite, Uretrite, Diarréia, Disenteria.

Malva Branca

Nome cientifico: Althaea Officinalis L

Nome popular: Malvasco, Malva da Índia, Malvões, Malva Branca.

Indicações: Tosse seca, Gripe, Bronquite, irritação da mucosa do tubo digestivo, estomatite, Faringite, ulcera Gastroduodenal, Síndrome do Cólon irritável, Ostipação ou Diarréia, Queimaduras, Abcessos, Furúnculos e outros processos inflamatórios cutâneos.
Trapoeraba Azul

Nome cientifico: Dichorisandra thyrsiflora

Nome popular: Marianinha, Capim-gomoso, Grama terra.

Indicações: Afecções das vias urinárias, Hidropisia, Reumatismo, Bronquite, Asmática, Amigdalite, Faringite,Afecções Hepáticas e esplênicas, desobstruente, anti-hemorroidária.
Vemos neste Orixá que por seu elemento ser Água, sua ação é no baixo ventre, tais como: síndrome do cólon irritável, cistite, uretrite.

Vemos também como Humor Linfático, atuando nas desobstruções da mucosa, abcessos.

OXUM

Elemento – Água

Metal- Ouro

Planeta – Vênus (Lua)

Chakra – Umbilical (Frontal)

Dia – Sábado

Saúde – Órgãos reprodutores Femininos, Coração.
Ervas:

Colônia, Macaça, Oriri, Santa Luzia, Oripepê, Pingo D`água, Agrião, Dinheiro em Penca, Manjericão Branco, Calêndula, Narciso, Vassourinha.

Não servem para banho – Erva cidreira, Gengibre, Camomila, Arnica, Trevo Azedo ou Grande, Chuva de Ouro, Manjericona, Erva de Santa Maria.
Erva de Santa Luzia

Nome cientifico: Euphorbia Hirta L

Nome popular: Erva Andorinha

Indicações: Asma, Bronquite, Catarro, Disenteria Amébica,Espasmos, Febre do feno, Queimadura, Tosse nervosa, Verruga.
Agrião

Nome cientifico: Nasturtium Officinale

Nome popular: Agrião das fontes, Agrião do rio.

Indicações: Afecções respiratórias, Amenorréia, Bócio, Desnutrição, Atonia muscular, Anorexia, inflamações, Afecções da pele e cabelos.
Calêndula

Nome cientifico: Calêndula Officinalis L.

Nome popular: Calêndula

Indicações: Pele, Estômago, Órgão urogenital, Antiinflamatório, Cicatrizante.

Vassourinha

Nome cientifico: Sida Rhombifolia L.

Nome popular: Malva Preta, Vassoura de relógio,Relógio.

Indicações: Catarro, Cólica Menstrual, Febre, Hemorroida, Pedra nos Rins, Tosse.
Erva Cidreira

Nome cientifico: Lippia Alba

Nome popular: Alecrim, Alecrim do Campo, Alecrim do Mato, Câmara.

Indicações: Afecções da pele e das mucosas, Afecções Hepáticas, Catarro, Cólicas (dor de barriga), Colite, dores musculares, dores reumáticas, enfermidades Venéreas, Espasmos, Estômago, Estomatite, Flatulência, Fluxo Vaginal, gases, indigestão, insônia, Laringite, náuseas, recuperação pós-parto, resfriado, sistema nervoso.
Gengibre

Nome cientifico: Zingiber Officinale

Nome popular: Gengibre

Indicações: Aerofagia, Amigdalite, Anorexia, Asma Brônquica, Beribéri, Catarros Crônicos, Ciática, Colesterol, Cólicas do estômago e intestino, Cólera Morbus, Dispepsia, dores musculares, Edemas Árticos e reumáticos, enjôo, Fígado, Flatulência, Halitose, Higienização da boca, Impotência Sexual, Impurezas da pele, inflamação na garganta, má digestão, Menorragia, Meteorismo, Náusea, enjôo de gravidez.
Camomila

Nome cientifico: Chamomilla Recutita L

Nome popular: Camomila Alemã, Camomila.

Indicações: Afecções da pele (Fistulas), Afecções nervosas, Afta, Assaduras, Cistite, Cólicas em geral. Diarréia em infantil, doença do Útero e do Ovário, embaraço gástrico, enjôo, Estomatite, Enxaquecas, Feridas, Gengivite, Gota, indigestão, inflamações oftálmicas, insônia, inapetência, ulceras.
Vemos neste Orixá que por seu elemento ser Água, sua ação é no baixo ventre com maior incidência nos órgãos genitais femininos, tais como: Doença do Útero e do Ovário, Cólica Menstrual, Fluxo Vaginal.

Vemos também como Humor Linfático, atuando nas desobstruções da mucosa, Catarro,abcessos.
NANÃ

Elemento – Água

Metal- Latão/ Níquel

Planeta – Lua / Mercúrio

Chakra – Frontal

Dia – Sábado

Saúde – Dor de Cabeça e problemas no intestino.
Ervas:

Manjericão Roxo, Colônia, Ipê Roxo, Folha da Quaresma, Erva de Passarinho, Dama da Noite, Canela de Velho, Salsa da Praia, Manacá, Assa Peixe, Cipreste, Erva Macaé, Dália Vermelho escuro, Folha de Berinjela, Folha de Limoeiro, Tradescância.
Manjericão Roxo

Nome cientifico: Ocimum Pupuraceus

Nome popular: Manjericão Roxo

Mesmas características do manjericão.

Ipê Roxo

Nome cientifico: Tabebuia Impetiginosa

Nome popular: Ipê

Indicações: Alergia, anemia, diabete, diarréia, câncer, candidíasis, catarro da ureta, colite, coceira, ovário, estimulante do sistema imunológico, feridas, fígado, fungo, garganta, inflamação artrítica, leucemia, lupus, mal de parkson, malária, osteomielite, problema respiratório, queimaduras, úlceras, útero.
Erva de Passarinho

Nome cientifico: Struthanthus Flexicaulis

Nome popular: Erva de Passarinho

Indicações: Afecções respiratórias, bronquite, doenças do útero, dor no peito, hemoptise, hemorragia, pleurisia, pneumonia.
Dama da Noite

Nome cientifico: Cestrum nocturnum

Nome popular: Dama da Noite

Uso: Fragrância, ornamental, cigarros, cachimbos, chás, friccionado na pele.

Indicações: Bronquite
Salsa da Praia

Nome cientifico: Plumbago Iittoralis

Nome popular: Carrapicho da praia, Salsa da praia.

Indicações: Flatulência, cólicas do estomago, intestino, afecções do peito, tosse, reumatismo articular e muscular nas palpitações, vertigens, erisipelas, icterícia, anúria.
Assa Peixe

Nome cientifico: Vernonia Ferruginea Less

Nome popular: Mata-campo, assa peixe.

Indicações: Asma, banho nas afecções do útero, bronquite, cálculos renais, contusão, hemorróidas, pontadas no peito e gotas, tosse rebelde.
Cipreste

Nome cientifico: Cupressus Sempervirens L

Nome popular: Cipreste

Indicações: Ansiedade, asma, atonia, muscular, bronquite, disenteria, edema, espasmo, febre, fraqueza, gripe, hemorragia, hérnia, insônia, má circulação, menopausa, pés cansados, próstata, reumatismo, sistema circulatório, sistema reprodutivo, tensão pré-menstrual, tosse, varizes, vesícula.
Erva Macaé

Nome cientifico: Leonurus Sibiricus

Nome popular: Erva Macaé

Indicações: Relaxante, calmante, potencia, menstruação e nódoas negras.
Vemos neste Orixá que por seu elemento ser Água, sua ação é no baixo ventre, tais como: doenças no útero, menopausa, sistema reprodutivo, tensão pré-menstrual, entre outras.

Como Humor Linfático, não foi observada ação relevante no sistema linfático.

IANSÃ

Elemento – Fogo(Ar)

Metal- Cobre

Planeta – Marte

Chakra – Frontal, Cardíaco

Dia – quarta-feira

Saúde – ******
Ervas

Cana do Brejo, Erva Prata, Espada de Iansã, Folha de Louro, Erva de Santa Bárbara, Folha de Fogo, Colônia, Mitanlea, Folha da Canela, Peregum Amarelo, Catinga de Mulata, Perietária, Para Raio, Cordão de Frade, Gerânio cor de rosa ou vermelho, Açucena, Folha de Rosa Branca.
Cana do Brejo

Nome cientifico: Costus Spicatus

Nome popular: Cana de macaco, cana do brejo

Indicações: Sudorífera, diurética, inflamações nos rins, arteriosclerose, amenorréia (ausência da menstruação),

Problemas na bexiga e nos rins, blenorragia, cálculo renal, distúrbio menstrual, dor reumática, dores, dificuldade de urinar, inchaço, inflamações na horta, leucorréia, nefrite, uretrite.
Louro

Nome cientifico: Laurus nobilis

Nome popular: Louro

Indicações: Alivia cólicas menstruais, afecções da pele e ouvido, cansaço, hemorróidas, reumatismo, contusão.
Erva de Santa Bárbara

Nome cientifico: Barbarea Vulgaris Arcuata

Nome popular: Erva de Santa Bárbara

Indicações: Vulneraria (cicatrizante de feridas).
Catinga de Mulata

Nome cientifico: Tanacetum Vulgare L

Nome popular: Anatásia, erva contra vermes, tanarida, catinga de mulata.

Indicações: Aerofagia, afecções nervosas, clarear manchas na pele, contusão, dismenorréia (cólica menstrual),

Bronquite, dores articulares, dores musculares, dor de dente, dores reumáticas, eliminar furúnculos, abortiva, entorse, feridas, flatulência, gota, histeria, infecções na pele, inflamações, menstruação, parasitoses, perturbações gástricas, picadas de inseto, repelir insetos.

Planta tóxica e perigosa, gestantes lactantes e crianças é proibido o uso.
Cordão de Frade

Nome cientifico: Leonotis nepetaefolia

Nome popular: Cordão de São Francisco, Cordão de Frade.

Indicações: Bronquite, asma, infecções pulmonares, limpa pulmão e reduz o catarro, artrite, gota, ácido úrico, cistite, nevralgia.
Gerânio

Nome cientifico: Pelargonium Graveolens L

Nome popular: Gerânio

Indicações: Cicatrizante,uso externo.


Açucena

Nome cientifico: Lilium Candidum L

Nome popular Cajado de São José, cebola cecem, copo de leite, açucena.

Indicações: Contusão, dor de ouvido, espasmo, mancha cutânea, queimaduras, úlcera.
Nesta Orixá, existe uma união entre os elementos Ar, Fogo e Água, pois foi observado ação medicinal em todos os três elementos.


Fontes de Pesquisa:


Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Caibalion

http://www.agrisustentavel.com/discussoes/lua.htm -http://www.ufpe.br/proext/images/publicacoes/cadernos_de_extensao/saude/fito.htm

http://www.plantamed.com.br/

http://usuarios.cultura.com.br/jmrezende/humores.htm

Autor:


Renato Paulo Gomes de Sousa

Téc. Químico e Médium Umbandista







©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal