As raízes ‘JB’ e sua tradiçÃo de preservar animais pampa luiz Antonio Vilela Junqueira de Andrade Fazenda Campo Lindo – Cruzília (MG)



Baixar 85.37 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho85.37 Kb.
AS RAÍZES ‘JB’ E SUA TRADIÇÃO DE PRESERVAR ANIMAIS PAMPA

Luiz Antonio Vilela Junqueira de Andrade

Fazenda Campo Lindo – Cruzília (MG)

Novembro de 2004
(Entrevista concedida em Outubro de 2004 à

Revista Cavalo Pampa – órgão oficial da ABCCPampa)

Tradicional criatório de cavalos do Sul de Minas, a Fazenda Campo Lindo, através da Linhagem JB, foi um dos principais redutos de um rico plantel de animais de pelagem pampa. Uma história que mistura a vocação para a eqüinocultura e pecuária de leite da Família Junqueira à seleção de animais de rara beleza, que servem hoje de reserva genética para a raça Pampa. Os cruzamentos dirigidos, geração após geração, ocorridos com mais intensidade, sobretudo nas décadas de 60 e 70, foram e são garantia certa de produtos de pelagens sobrepostas, alguns, verdadeiras pinturas.


A história da raça Mangalarga, seja ela de qualquer ramificação que tenha tomado - Paulista ou Marchador -, se confunde com a história dos Junqueira e com uma legião de descendentes, tendo como elo mais forte, no início, Gabriel Francisco Junqueira. Conhecido como Barão de Alfenas, morava, na segunda década do século XIX, na Fazenda Campo Alegre, em Baependi, hoje município de Cruzília, Sul de Minas, propriedade herdada de seu pai, João Francisco Junqueira, o patriarca da família.


José Américo Junqueira de Mattos, um dos maiores estudiosos desta família, sobre a qual escreveu um livro, chegou a dedicar um capítulo à história do Barão e das origens do Mangalarga. No capítulo "Família Junqueira: sua História e Genealogia", ele escreve: “Resumindo, a raça Mangalarga nasceu na Fazenda Campo Alegre, propriedade do Barão de Alfenas. Ela resultou do caldeamento de várias raças com o Cavalo Junqueira. Os reprodutores daí resultantes cruzaram, principalmente, com éguas selecionadas de propriedade de filhos e netos do patriarca da família Junqueira. Dessa miscigenação, surgiram as características básicas, depois desenvolvidas, da raça Mangalarga, a saber: um cavalo ágil, veloz, forte, resistente e, ao mesmo tempo, de marcha macia e cômoda para o trabalho, para as viagens a longas distâncias e para o principal lazer da época - a caça ao veado.”


Um dos descendentes do Barão de Alfenas foi Urbano Junqueira de Andrade, já falecido, um dos responsáveis pela consolidação de uma das linhagens mais consagradas na raça Mangalarga Marchador, a ‘JB’, cujo trabalho de seleção, com forte predomínio de animais pampa, continua sendo realizado pelo seu filho Luiz Antônio Vilela Junqueira de Andrade.



Sangue Pampa impresso na tropa há quase um século

Nascido em São Vicente de Minas, em 16 de maio de 1922, na sede da Fazenda Pitangueiras – segundo o filho Luiz Antônio, “local onde várias senhoras da família se dirigiam para ganhar seus filhos” – Urbano Junqueira assumiu, na década de 60, a administração da fazenda Campo Lindo, hoje com 3.400 hectares de terra cultiváveis.


Casado com Irene Vilela Junqueira e pai de um casal – Yolanda e Tony -, Urbano era dedicado não só a eqüinocultura, mas também à pecuária leiteira. Por diversas vezes foi à Holanda e à Dinamarca, importando destes países os mais aprimorados exemplares da Raça Holandesa, além de técnicas de fabricação de queijos finos.


Com o falecimento do pai, Luiz Antônio Vilela Junqueira, o ‘Tony’, assumiu a Campo Lindo e passou a dar continuidade ao brilhante trabalho de seleção que vinha passando de geração a geração. Os animais Pampas não foram descartados do criatório e o filho orgulha-se hoje em dizer que não tem dificuldades de obtenção deste tipo de produto, visto que a genética do Pampa está impressa no seu criatório há mais de 100 anos.



A Fazenda Campo Lindo, famosa pela marca ‘JB’

De acordo com Luiz Antônio Vilela Junqueira, a Fazenda Campo Lindo pertenceu inicialmente ao Cel. Antônio Luiz de Noronha e Silva. José Flausino Junqueira era genro do coronel, tendo herdado do sogro a fazenda. Posteriormente, conta que ela passou para seu filho, João Bráulio Fortes Junqueira, que foi quem criou a marca ‘JB’, que até hoje identifica os animais nascidos na tricentenária Fazenda Campo Lindo.


“Do casamento de João Bráulio com Gabriela Vitalina Diniz Junqueira, nasceu Genoveva Catarina Junqueira de Andrade e do casamento desta com Urbano Xavier Andrade, nasceu José Bráulio Junqueira, pai de Urbano Junqueira, chegando aos dias atuais a mim, Luiz Antônio Vilela Junqueira”, explicou.


Idealista, perseguidor do aprimoramento genético e responsável pelo futuro da tropa ‘JB’, Tony, além da seleção de cavalos, dedica-se hoje à pecuária leiteira e de corte, além de culturas de milho e batata, essas em regime de parceria.



Pampa sobre Pampa

Na tropa de Marchadores, inúmeros de pelagem pampa foram preservados e incluídos no trabalho de seleção. Antes mesmo que Urbano Junqueira assumisse as rédeas da Fazenda Campo Lindo, já se destacavam alguns filhos de Neon JF.


Veja a relação elaborada por Tony para entender melhor as linhas de cruzamento, onde Sincero JB deixou uma legião de filhos de pelagem pampa. Sincero, por sua vez, deixou Atrevido JB, outro reprodutor de expressão.
Alguns animais, posteriormente, foram transferidos ou comercializados para tios de Tony, dentre eles Maurício, Waldir e Ioche, todos de Lins (SP), e para os criadores Laerte Junqueira Filho e José Eduardo Castro Junqueira. Outros permaneceram integrando o plantel ‘JB’.

Tony tem uma opinião formada sobre a raça Pampa: ela veio para impulsionar a eqüinocultura nacional. “O Pampa é a coqueluche do momento, sendo ele o mais cobiçado, o que tem alcançado os melhores preços. Acredito ser uma raça que veio para ficar, conquistando em poucos anos a simpatia de todos os amantes do cavalo”, concluiu.




Filhos de Neon JF

Animal

Mãe

Pelagem

Nascimento

Raro JB

Aliança

Pampa de Castanho

1957

Rabisco JB

Ísis

Pampa de Tordilho

1957

Rebeca JB

Exposição

Pampa de Preta

1957

Rajada JB

Laranjada

Pampa de Castanha

1957

Soraya JB

Kósmica

Pampa de Preta

1958

Saionara JB

Lagartixa

Pampa de Tordilha

1958

Saeta JB

Aliança

Pampa de Castanha

1958

Silhueta JB

Investida

Pampa de Tordilha

1958

Sênior JB

Iluminúria

Pampa de Tordilha

1958

Sincero JB

Jogatina

Pampa de Preto

1958




Filhos de Sincero JB (nascido em 20/10/58)

Animal

Mãe

Pelagem

Nascimento

York JB

Investida

Pampa de Preta

1963

Ypiranga JB

Moama

Pampa de Tordilho

1963

Zinco JB

Kerozene

Pampa de Preto (todo branco e cabeça preta)

1964

Atrevido JB

Orgia

Pampa de Zaino

1965

Astuto JB

Moama

Pampa de Tordilho

1965

Apolo JB

Espoleta

Pampa Tordilho

1965

Berimbau JB

Tolice

Pampa Castanho

1966

Barulho JB

Moama

Pampa Preto

1966

Biruta JB

Meca

Pampa Castanho

1966

Biscoito JB

Kerozene


Pampa Tordilho

1966

Cabo JB

Jafá

Pampa Baio

1967

Cadete JB

Limonada (Pampa de tordilho registrado no Marchador em livro aberto, com o nome de JB do Galo Vermelho)

1967

Coça JB

Kerozene

Pampa Tordilha

1967

Canadá JB

Meca

Pampa Tordilha

1967

Donzela JB

Vampe

Pampa Tordilha

1968

Dado JB

Yes

Pampa Castanho

1968

Duque JB

Lagartixa

Pampa Tordilho

1968

Exército JB

Moama

Pampa Castanho

1969

Xarada JB

Onça

Pampa Tordilho

1962




Filhos de Atrevido JB (nascido em 1965)

Animal

Mãe

Pelagem

Nascimento

Esporte JB

Quitandinha

Pampa Castanho

1969

Flamengo JB

Tolice

Pampa de Preto

1970

Fogo JB

Yacanga

Pampa Castanho

1970

Faísca JB

Yes

Pampa Castanho

1970

Pop Haiti JB

Vampe

Pampa Tordilho

1972

Hora JB

Xarda

Pampa Castanha

1972

Holanda JB

Yacanga

Pampa Castanha

1972

Onda JB

Jaqueta

Pampa Castanha

1978

Omelete JB

Isca

Pampa Castanho

1978

Xingu JB

Denúncia

Pampa Castanho

1986

Zinabre JB

Sota

Pampa Castanho

1987




Animais que foram transferidos

Animal

Genealogia

Pelagem

Nascimento

Xuri JB

Olaria x Rajada

Pampa de Preta/Zaina

1962

Rabisco JB

Neon x Ísis

Pampa de Tordilho

1957

Rebeca JB

Neon x Exposição

Pampa de Preta

1957

Soraya JB

Neon x Kósmica

Pampa de Preta

1958

Saionara JB

Neon x Lagartixa

Pampa de Tordilha

1958

York JB

Sincero x Investida

Pampa de Preta

1963

Apolo JB

Sincero x Espoleta

Pampa Tordilho

1965

Biscoito JB

Sincero x Kerozene

Pampa Tordilho

1966

Biruta JB

Sincero x Meca

Pampa Castanho

1966

Cabo JB

Sincero x Jafa

Pampa Baio

1967

Duque JB

Sincero x Moama

Pampa Tordilho

1968




Éguas que permaneceram e se destacaram na Fazenda Campo Lindo

Xarada JB

Onça

Pampa Tordilho

1962

Canadá JB

Meca

Pampa Tordilha

1967

Donzela JB

Vampe

Pampa Tordilha

1968

Denúncia JB

Luar x Xarada

Pampa Castanha

1968


Quem foi Gabriel Francisco Junqueira,

o Barão de Alfenas?
Por José Américo Junqueira de Mattos
“Nasceu em 1782, na Fazenda Campo Alegre. Deve ter tido as primeiras letras ali mesmo, na Campo Alegre, pelo professor Luiz Gomes. Gabriel Francisco Junqueira casou-se em 11 de junho de 1808, com Ignácia Constança de Andrade. Após a morte de sua esposa, em 27 de junho de 1858, foi seu inventariante. No inventário, constam várias fazendas dedicadas à agricultura e pecuária, além de grande quantidade de cavalos, gado e porcos - Gabriel Francisco foi quem começou a criação, seleção e desenvolvimento da raça Mangalarga. Mas o que impressiona é o expressivo número de escravos: 111 e o monte-mór (soma dos bens legados) de 327:219$100 (trezentos e vinte sete contos, duzentos e dezenove mil réis e cem vinténs). Muito acima dos abastados fazendeiros da época. Esse inventário é muito interessante pois nos dá uma idéia dos usos e costumes do século XVIII.

Em 1831, na eleição para deputado na Assembléia Constituinte, encarnando as idéias liberais, Gabriel Francisco foi o escolhido para concorrer com o candidato do Imperador D. Pedro I, o ministro José Antônio da Silva Maia, representante do conservadorismo Imperial. Derrotou-o fragorosamente por uma diferença de mais de 95% do votos!!! Com a derrota estrondosa de seu candidato, o Imperador entrou em depressão e essa derrota e mais o assassinato do jornalista Líbero de Badaró, na Província de São Paulo, foram fatores fundamentais para que abdicasse, em 7 de abril de 1831, em favor de seu filho. Desta forma, a eleição de Gabriel Francisco Junqueira foi um marco importante na história de nosso país pois consolidou os ideais liberais que iriam daí por diante dominar o Parlamento Imperial.


Em 1842, Gabriel Francisco Junqueira comandou, na região de Baependy, um movimento de repercussão nacional: a Revolução Liberal de 1842. A Revolução Liberal encarnava os ideais de uma sociedade mais liberal, em oposição à política conservadora do Império.


A Família Junqueira se destacava não só pelos recursos econômicos de que dispunham seus membros, como também, em conseqüência destes, pelo poder e prestígio político propiciado, entre outros, pela eleição de Gabriel Francisco Junqueira – o Barão de Alfenas foi deputado federal do Parlamento Imperial em três legislaturas seguidas (1834-1837).

Pelo Decreto de 11 de outubro de 1848, o Imperador D. Pedro II, reconhecendo seus méritos pelos inúmeros serviços prestados à Nação, outorgou a Gabriel Francisco Junqueira, o título de Barão de Alfenas.


O Barão de Alfenas faleceu em 18 de janeiro de 1868, aos 87 anos de idade. Foi enterrado na Igreja de São Tomé das Letras, que acabara de construir. Quando morreu, tinha o amor e o respeito de toda a família, o qual nos foi passado por tradição através de gerações, e um enorme prestígio político por sua liderança liberal e pelos inúmeros serviços prestados a Minas e à Nação.
O casal teve 11 filhos, dos quais 9 deixaram grande descendência, hoje espalhada por quase todo o território nacional.





Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal