Assim já não são duas pessoas, mas uma só. Portanto, que ninguém separe o que Deus uniu



Baixar 82.47 Kb.
Encontro03.08.2016
Tamanho82.47 Kb.
CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.617

Para: segunda-feira, 19 de maio de 2014

Texto: Mt 19.6

“Assim já não são duas pessoas, mas uma só. Portanto, que ninguém separe o que Deus uniu.” (Mt 19.6)


Casamento, uma instituição de Deus
O pastor conversava com um casal que estava morando junto, mas não estava casado legalmente. Perguntados sobre a razão de não regularizarem sua situação, a resposta foi: “Pastor, nós estamos vendo se dá certo. Se não der certo, pelo menos não precisamos enfrentar toda a burocracia e os gastos de um divórcio”.

Infelizmente essa é uma idéia muito difundida nos dias de hoje. Sobre esse estilo de vida, precisamos falar do ponto de vista de Deus. Alguns pontos precisam ser esclarecidos sobre isso:

Diante de Deus o casamento acontece com ou sem um documento escrito. Na verdade, quando duas pessoas decidem morar juntas, nesse momento estão assumindo um compromisso diante de Deus.

Essa união, com ou sem documento escrito, é a união mais íntima que pode existir entre um homem e uma mulher. É tão íntima que Deus os considera uma só pessoa. Jesus mesmo o afirmou, quando disse: “Assim já não são duas pessoas, mas uma só. Portanto, que ninguém separe o que Deus uniu” (Mt 19.6).

Por ser de instituição divina, Deus quer que o casamento seja levado a sério. Não é só uma aventura que podemos desfrutar enquanto nos agrada. Deus pensou em nosso bem ao instituir o casamento. Ele queria que nós fôssemos criados num ambiente de harmonia, perdão e amor.

Também por ser de instituição divina, o casamento tem a promessa de sua bênção. Deus sabe que nós precisamos de sua ajuda para nos mantermos fiéis um ao outro.

Jesus, ao aceitar o convite de ir a um casamento, mostrou que Deus se agrada do casamento e quer estar presente todos os dias com as suas bênçãos. Você pode contar com a sua presença no seu casamento, ajudando você e seu cônjuge a perdoarem um ao outro, pois ele mesmo nos deu o maior exemplo de amor e perdão.

Oremos: Senhor, abençoa as famílias para que possam praticar o amor em seus lares. Em nome de Jesus. Amém

Pastor Albino Ariberto Nerling




CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.618

Para: terça-feira, 20 de maio de 2014

Texto: Mt 6.12

“Perdoa as nossas ofensas como também nós perdoamos as pessoas que nos ofenderam.” (Mt 6.12)


Buscando o perdão
O perdão é um desses assuntos dos quais se diz: Falar é fácil, fazer é que é difícil. Achamos o assunto bonito, gostamos até de aconselhar os outros a praticá-lo, mas quando nós precisamos praticar em nossas vidas, é diferente.

Normalmente, o ser humano escolhe quem ele vai perdoar. Pensamos que as pessoas precisam merecer o nosso perdão, e achamos que temos o direito de julgar a quem dar e a quem não dar o perdão.

Perdoar não é fácil. Para perdoar, precisamos vencer um dos grandes obstáculos dentro de nós: o orgulho. Quem perdoa abre mão da vingança. Quem perdoa abre mão do direito de revidar a ofensa recebida.

Você já pensou no que realmente está dizendo a Deus quando ora “perdoa as nossas ofensas como também nós perdoamos as pessoas que nos ofenderam”? Você já se deu conta de que você pede a Deus para lhe tratar como você trata os outros?

O perdão, por ser consequência do amor, é um dos dons mais importantes para o convívio, tanto familiar como social. E o primeiro lugar onde praticamos esse dom é na família. É no lar que os pais perdoam uns ao outros e perdoam os filhos. O perdão é sublime porque não é merecido.

Perdoar não favorece só quem errou e precisa do perdão. Ajuda, e muito, ao que foi ofendido, porque tira de sua alma o rancor, a raiva e a mágoa. E viver sem esses sentimentos é viver mais leve, mais feliz.

Quando Jesus veio a este mundo, ele demonstrou como Deus é grandioso. Ele veio para assumir a nossa culpa e, assim, Deus nos perdoa mesmo sem merecermos.

Receba o perdão que Deus oferece em Jesus, e então reparta esse perdão com os que convivem com você.



Oremos: Senhor, meu Deus, como é bom sabermos que tu nos perdoas quando te ofendemos! Ajuda-nos a praticar esse perdão com o nosso próximo. Amém

Pastor Albino Ariberto Nerling



CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.619

Para: quarta-feira, 21 de maio de 2014

Texto: Lc 4.12

“Então Jesus respondeu: — As Escrituras Sagradas afirmam: “Não ponha à prova o Senhor, seu Deus.” (Lc 4.12)


Um teste para Deus
Quando vamos ao mercado comprar lâmpadas, normalmente há um local para testá-las. Se ela ligar, é sinal de que está em perfeito estado. Você já se perguntou por que faz o teste da lâmpada? A resposta parece óbvia: porque você quer comprar um produto que está funcionando!

Mas, se pensarmos um pouco mais sobre o assunto, vamos descobrir que o teste é um sinal de desconfiança. Se você tivesse certeza absoluta de que a lâmpada funcionaria, nem faria o teste. Testamos porque não temos certeza absoluta de que as coisas vão funcionar.

Quando Jesus foi tentado pelo Diabo, uma das propostas do inimigo foi de que Jesus se jogasse do alto do templo, para mostrar que ele confiava nos cuidados de Deus Pai. Se Jesus aceitasse a proposta do Diabo, ele estaria incorrendo em dois erros: o primeiro seria duvidar do cuidado do Pai. Ele não necessitava provar nada. Ele tinha certeza absoluta. E, segundo, não estaria usando o bom senso, dom que Deus nos deu para avaliar o que podemos ou não fazer.

Ainda hoje colocamos Deus à prova. Sempre que nos expomos ao perigo, imaginando que Deus tem a obrigação de nos proteger; sempre que duvidamos do cuidado de Deus; sempre que tendemos a exigir provas do amor e do cuidado de Deus, nós estamos tentando a Deus. Sempre que deixamos de fazer a nossa parte, imaginando que Deus irá fazê-lo por ser todo-poderoso, estamos tentando a Deus.

Quando Jesus foi tentado pelo Diabo, ele nos ensinou como devemos responder à tentação. A Bíblia nos mostra isso no evangelho de Lucas, no capítulo 4, no versículo 12: “Então Jesus respondeu: As Escrituras Sagradas afirmam: ‘Não ponha à prova o Senhor, seu Deus.’”

Portanto, toda vez que você sentir vontade de colocar Deus à prova, lembre do amor que ele demonstrou ao enviar Jesus para morrer por você. Será que precisamos de prova maior?



Oremos: Ó Senhor Deus, obrigado por me amares de forma tão extraordinária. Ajuda-me a sempre confiar incondicionalmente em ti. Por Jesus. Amém

Pastor Albino Ariberto Nerling


CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.620

Para: quinta-feira, 22 de maio de 2014

Texto: 1 Co 10.12

“Portanto, aquele que pensa que está de pé é melhor ter cuidado para não cair.” (1 Co 10.12)


Podemos perder a fé
Há uma expressão que traduz o que muitos ensinam como verdade. Essa expressão é: “uma vez salvo, sempre salvo”. Aqueles que defendem esse ponto de vista ensinam que as pessoas que uma vez chegaram à fé, nunca mais a perdem. Dizem que é impossível alguém decair desse estado de graça.

Mas o ensino bíblico não fundamenta essa afirmação. O apóstolo Judas lembra que o próprio Diabo foi criado santo, mas se desviou. O apóstolo Paulo alerta: “Portanto, aquele que pensa que está de pé é melhor ter cuidado para não cair” (1Co 10.12).

Que ensinamento podemos tirar desse aviso do apóstolo? Ele mostra que a nossa vida deve ser vivida em constante alerta. Devemos observar as situações que podem colocar em perigo a nossa fé. Ser levado à fé é o primeiro passo para recebermos o perdão dos nossos pecados e sermos salvos, mas o que importa mesmo é sermos encontrados nessa fé no momento em que nos encontrarmos com Deus. Se não houvesse mais perigo de perdermos a fé, então a ação do Diabo para desviar os cristãos seria inútil. Também seriam desnecessários os avisos que a Bíblia dá sobre a vigilância que os cristãos devem praticar.

Por que o apóstolo Pedro nos preveniria contra o Diabo se ele não pudesse nos derrubar? Pedro diz: “Estejam alertas e fiquem vigiando porque o inimigo de vocês, o Diabo, anda por aí como um leão que ruge, procurando alguém para devorar” (1Pedro 5.8).

Como podemos ter cuidado para não cair? Estando unidos com aquele que venceu a tudo e todos, Jesus Cristo. A Bíblia diz que com Cristo nós somos mais que vencedores. E nós só podemos permanecer unidos com Cristo quando a sua Palavra fizer parte da nossa vida. Nela encontramos força para ficar em pé.

Oremos: Amado Senhor Jesus, fica sempre comigo para que eu não caia da fé em ti. Dá-me forças para resistir a tudo que quer me desviar do teu amor. Amém

Pastor Albino Ariberto Nerling



CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.621

Para: sexta-feira, 23 de maio de 2014

Texto: Mt 18.32-33

Aí o patrão chamou aquele empregado e disse: “Empregado miserável! Você me pediu, e por isso eu perdoei tudo o que você me devia. Portanto, você deveria ter pena do seu companheiro, como eu tive pena de você.” (Mt 18.32-33)


Perdoados e perdoando
Quando somos perdoados experimentamos uma das melhores sensações que temos, tanto na família quanto nos relacionamentos em geral. Como é bom sermos perdoados quando erramos, não é mesmo? A coisa muda de figura quando nós precisamos perdoar alguém que nos ofendeu. Aí o nosso orgulho humano quer falar mais alto. Pensamos que temos direito à vingança.

Jesus nos contou uma parábola que nos mostra como Deus quer que façamos com o nosso semelhante. A história fala de alguém que devia uma enorme quantia, que se tornou impagável. O credor o chamou e simplesmente lhe disse que a sua dívida estava perdoada. Imagine-se numa situação assim. Quanta alegria saber que a sua dívida, que lhe tirava o sono e a alegria, não existe mais. Mas a história continua dizendo que essa pessoa, que foi perdoada dessa enorme dívida, quando encontrou um colega que lhe devia alguns trocados, o cobrou e inclusive o levou preso até que ele lhe pagasse aqueles trocados.

A Bíblia nos relata o que aconteceu a seguir. O patrão chamou aquele empregado e disse: “Empregado miserável! Você me pediu, e por isso eu perdoei tudo o que você me devia. Portanto, você deveria ter pena do seu companheiro, como eu tive pena de você” (Mt 18.32-33).

Onde nós entramos nessa história? É bem simples: a dívida que nós acumulamos diante de Deus, que chamamos de pecado, é tão grande que se tornou impagável. Deus sabia que, se dependesse de nós, estaríamos perdidos. Então ele resolveu fazer Jesus pagar essa dívida em nosso lugar. Toda a pessoa que recebe esse perdão, se sente feliz, pois Deus tirou dela aquilo que lhe tirava o sono e a alegria. Agora Deus espera que eu também pratique esse perdão nos meus relacionamentos. Saber que Jesus, com seu sofrimento, morte e ressurreição, pagou toda a minha dívida com Deus, me dá forças para praticar o amor em meus relacionamentos.



Oremos: Ó Senhor, meu bondoso Deus, como é bom saber que tu me perdoas em Jesus Cristo. Ajuda-me a perdoar a todos. Amém

Pastor Albino Ariberto Nerling


CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.622

Para: sábado, 24 de maio de 2014

Texto: 1 Pe 3.1-7

“Mulher... a sua beleza deve estar no coração, pois ela não se perde; ela é a beleza de um espírito calmo e delicado, que tem muito valor para Deus. [...] Também você, marido, na vida em comum com a esposa, reconheça que a mulher é o sexo mais fraco e que por isso deve ser tratada com respeito. Porque a esposa também vai receber, junto com você, o dom da vida, que é dado por Deus. Aja assim para que nada atrapalhe as orações de vocês.” (1 Pe 3.4,7)


Beleza e respeito
Vivemos em tempos de aparência! Hoje estão em evidência as empresas que atuam na área de cosméticos, as academias de ginástica e os cirurgiões plásticos. Nunca a cultura do corpo esteve tão em alta.

Essa maneira de olhar a vida tem suas consequências, especialmente nos relacionamentos. As pessoas escolhem e são escolhidas, em grande parte, pela sua aparência. O grande problema é que as aparências mudam. Alguém escreveu: “o essencial é invisível aos olhos; só se vê bem com o coração”.

Quando o assunto é casamento, então, aparência e essência entram em discussão. As pessoas falam de aparência, a Bíblia fala de essência. O apóstolo Pedro alerta: “Mulher... a sua beleza deve estar no coração, pois ela não se perde; ela é a beleza de um espírito calmo e delicado, que tem muito valor para Deus” (1Pe 3.1-7). Pedro não está dizendo que a mulher deve ser desleixada, mas diz que existe algo mais importante: um espírito calmo e delicado.

Se beleza mantivesse o casamento, os belos atores e atrizes da televisão e do cinema não se separariam nunca, mas não é isso que acontece.

Ao mesmo tempo, Pedro adverte aos homens para que tenham respeito pela mulher. Ele lembra e faz questão de ressaltar que Jesus Cristo morreu e ressuscitou para salvar tanto homens como mulheres. Portanto, para Deus, a mulher é tão importante quanto o homem.

Segundo as palavras de Pedro, podemos dizer que beleza interior e respeito, alicerçados no amor de Deus em Cristo, são a base de um casamento duradouro. Em Cristo podemos ter um espírito calmo e delicado e podemos respeitar uns aos outros.



Oremos: Senhor, que em cada família esteja presente o teu amor, para que homens e mulheres possam ser tratados com respeito, amor e carinho. Amém

Pastor Albino Ariberto Nerling



HORA LUTERANA Nº 3.402

Para: domingo, 25 de maio de 2014

Texto: Jo 14.15-21

“Jesus continuou: — Se vocês me amam, obedeçam aos meus mandamentos... A pessoa que aceita e obedece aos meus mandamentos prova que me ama. E a pessoa que me ama será amada pelo meu Pai, e eu também a amarei e lhe mostrarei quem sou.” (Jo 14.15,21)


Amor e obediência
Quando você ama alguém, qual é a sua atitude para com essa pessoa? Podemos dizer que fazemos tudo o que podemos para agradá-la, pois queremos vê-la feliz. Não conseguimos imaginar uma pessoa ferindo, ofendendo e desagradando alguém a quem ama.

Na vida cristã acontece algo muito semelhante. Muitas vezes vemos pessoas se declarando cristãs, mas não se comportando como cristãs. Ser cristão significa ser de Cristo. Significa ser amado e perdoado por Cristo. E quem é cristão sabe como é grande o amor de Deus por nós. Deus nos ama tanto que fez aquilo que nenhum de nós faria. Ele deu seu Filho Jesus Cristo ao mundo para que toda a culpa dos nossos pecados fosse jogada sobre ele e, então, ele foi castigado em nosso lugar. Ele pagou pelos nossos pecados com sua própria vida. Deus não tinha a obrigação de fazê-lo. Jesus não precisava aceitar a missão. Então, por que tudo isso aconteceu? A resposta é simples e grandiosa: Tudo isso aconteceu por amor!

Quem sente esse amor de Deus aplicado em si, não pode ter outra atitude senão a de agradecer por um amor e um sacrifício tão grande. Como agradecer? Jesus responde: “Se vocês me amam, obedeçam aos meus mandamentos... A pessoa que aceita e obedece aos meus mandamentos prova que me ama. E a pessoa que me ama será amada pelo meu Pai, e eu também a amarei e lhe mostrarei quem sou” (Jo 14.15-21). Quando eu busco agradar a Deus, estou dizendo para os outros: Eu sou feliz porque sou amado por Deus e também o amo. Deixe o amor de Deus entrar em sua vida. É maravilhoso!

Oremos: Senhor, eu sei que não mereço o teu amor, mesmo assim, tu me amas tanto! Obrigado por me salvares em Cristo. Amém

Pastor Albino Ariberto Nerling



CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.623

Para: segunda-feira, 26 de maio de 2014

Texto: Sl 47

“Louvem a Deus com canções, pois ele é o Rei do mundo inteiro!” (Sl 47.7).



Cantai ao Senhor
Hoje é segunda-feira, dia em que muitas pessoas retomam suas atividades profissionais depois de desfrutar o descanso do final de semana. Infelizmente, a segunda-feira tem se tornado cada vez mais um dia indesejado pelas pessoas, justamente porque precisam acordar cedo e enfrentar a dura realidade da luta pelo pão de cada dia. As pessoas querem mais tempo para descansar ou curtir a vida.

“Quem canta seus males espanta” diz o ditado. E é melhor ainda quando esta canção exalta o nosso Deus que tanto nos abençoa! O Salmo 47 nos dá uma preciosa dica para encararmos os nossos desafios diários. “Louvem a Deus com canções, pois ele é o Rei do mundo inteiro!” (Sl 47.7).

É o bondoso Deus que nos revigora com a sua Palavra, nos presenteia com família, amigos, saúde, emprego e tantas coisas mais. Nem sempre nos damos conta que recebemos muito mais do que merecemos. Mas Deus nos dá as coisas assim mesmo! E a boa música cristã tem a capacidade de renovar a nossa vida, dando-nos coragem e ânimo para celebrar um novo dia sob as bênçãos do Pai Eterno, ou mesmo reafirmando a sua companhia nos momentos de aflição que a vida nos traz. A música que tem como foco Jesus Cristo e a sua obra de salvação por nós, de fato, nos encoraja a vivermos na certeza de que Deus está no controle de tudo. Ele é o bondoso Rei do nosso mundo e nós somos os seus súditos, que ele tanto ama e por quem ele zela.

Aproveite bem o seu dia! Mesmo que seja segunda-feira, cante o perdão dos seus pecados, a salvação eterna e a vida verdadeira que Deus, em seu amor, nos concedeu através do seu Filho Jesus.



Oremos: Meu Jesus não deixarei, pois só ele é minha vida. Falta alguma sentirei, animado irei à lida, mesmo tendo de sofrer toda a dor, e até morrer. Amém.

Pastor Aramis Jacoby




CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.624

Para: terça-feira, 27 de maio de 2014 – Colocar antes da Ascensão

Texto: Sl 68.1-10

“Preparem o caminho daquele que vem montado nas nuvens” (Sl 68.4).


Desacelerar e priorizar
Neste nosso mundo parece que tudo tem que ser “para ontem”. É uma correria só! Comida rápida, informações on-line, ninguém quer perder tempo. Afinal, dizem, que tempo é dinheiro.

Entretanto, como povo de Deus, somos sempre convidados a desacelerar e pensar sobre a nossa vida, aqui e na eternidade. Alguém, certa vez, disse que devemos estar com “as malas prontas” pois não sabemos quando será o dia do nosso juízo diante do Pai. E quão confortador é saber que, graças a Jesus Cristo, teremos passagem livre para nos achegar ao trono do Deus Altíssimo e vivermos felizes no paraíso.

Enquanto esse dia não chega, precisamos nos lembrar que, embora salvos, nossa vida aqui é curta e precisamos trabalhar em favor do nosso próximo, em benefício do Reino de Deus. O salmista Davi diz: “Preparem o caminho daquele que vem montado nas nuvens” (Sl 68.4). Assim como Jesus subiu ao céu na Ascensão - data que os cristãos lembram nesta próxima quinta-feira, ele um dia voltará. E ele não quer nos encontrar “de braços cruzados” vendo o amor esfriar entre as pessoas e para com o próprio Senhor Deus.

O rei Davi louva e enumera no Salmo 68 tudo o que Deus realizou para libertar o povo de Israel. Nós, o povo do Novo Testamento, fomos libertados da morte, inferno e poder do Diabo por causa de Cristo. Agora somos chamados a preparar o caminho do Salvador Jesus através do amor ao semelhante, não por obrigação, mas em gratidão por tamanha prova de amor que o Filho de Deus revelou ao tomar o nosso lugar na cruz.

Que o Espírito Santo nos capacite a corrermos para aquilo que realmente é importante nessa vida e no porvir, e a não perdermos tempo nas armadilhas da vida moderna.

Oremos: Querido Deus, dá-me tempo para que eu possa continuamente refletir sobre o teu amor por mim. E que a nova vida que tenho em Cristo possa dar frutos de consolo e ajuda ao meu semelhante, ali onde estou. Amém.

Pastor Aramis Jacoby



CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.625

Para: quarta-feira, 28 de maio de 2014

Texto: Ef 1.15-23

“Como é grande o seu poder que age em nós, os que cremos nele” (Ef 1.19).


Que poder é esse?
Certa vez um boi saiu furioso ao encontro de um jovem. Assustado, o rapaz fugiu correndo até deparar com uma cerca bem alta. Incrivelmente ele conseguiu pular por cima dela, mesmo sem saber de onde vieram as forças para isso. Talvez você também se lembre de situações semelhantes em que, por medo ou desespero, ganhou um “poder extra” e fez alguma coisa que não conseguiria realizar normalmente.

Mas, existe em nós um outro poder que nem sempre percebemos, que vem de fora, e que está em nosso coração e mente. Nós o recebemos através do Santo Batismo e por ouvir o evangelho. É a fé, a ação de Deus em nós pelo Espírito Santo! O apóstolo Paulo faz uma oração de agradecimento e faz questão de nos lembrar “como é grande o seu poder (de Deus) que age em nós, os que cremos nele” (Ef 1.19). E isto é especialmente extraordinário, pois a ação é de Deus!

Através deste poder podemos realizar coisas que a sociedade nem sempre valoriza, por exemplo, reconhecer os erros, arrepender-se, pedir perdão, obedecer a vontade do Pai e amar incondicionalmente como Deus nos amou. E ainda que estejamos nos sentindo fracos e abatidos, podemos nos nutrir através da Palavra de Deus que nos fortalecerá, pois ela é “viva e poderosa” (Hb 4.12), nela “nascemos de novo como filhos de um Pai que é imortal” (1Pe 1.23) e poderemos dizer com alegria: “O que me consola na minha angústia é isto: que a tua palavra me vivifica” (Sl 119.50).

Nós somos fracos, limitados e imperfeitos. Mas o poder maravilhoso de Deus está em nós na medida em que confiarmos ainda mais no ensino e sacrifício do seu Filho, Jesus Cristo, o nosso único Salvador.



Oremos: Ó Espírito Santo, meu bom consolador, age em mim com o teu poder para que eu possa viver conforme a vontade do Pai. Dá-me a alegria da nova vida que Cristo me presenteou sem que eu mereça. Peço em nome dele. Amém.

Pastor Aramis Jacoby



CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.626

Para: quinta-feira, 29 de maio de 2014

Texto: At 1.1-11

“Jesus foi levado para o céu diante deles. Então uma nuvem o cobriu, e eles não puderam vê-lo mais” (At 1.9).


Doce celestial
Certo homem foi a uma escola falar de Deus. Chegando lá, perguntou se as crianças conheciam a Deus, e elas responderam que sim. Continuou falando e os pequenos concordando: “Deus é o nosso pai! Ele fez a terra, o mar e tudo que está nela; nos fez como filhos dele”. O homem estava impressionado com a resposta dos alunos e foi mais longe, perguntando: “Como vocês sabem que Deus existe, se nunca o viram?” A sala ficou toda em silêncio. Mas Pedro, um menino muito tímido, levantou as mãozinhas e disse: “A minha mãe falou que Deus é como o açúcar no meu leite que ela faz todas as manhãs; eu não vejo o açúcar no meio do leite, mas se não tiver, fica sem sabor. Deus existe, e está sempre no meio de nós, só que não o vemos. Se ele sair de perto, nossa vida fica sem sabor”. O homem sorriu, e disse: “Muito bem, Pedro. Agora eu sei que Deus é o nosso açúcar e que está todos os dias adoçando a nossa vida!”

O Salvador Jesus, que é o nosso Deus, hoje não pode ser mais visto corporalmente. Ele subiu ao céu diante dos seus discípulos, como diz o texto de Atos: “Jesus foi levado para o céu diante deles. Então uma nuvem o cobriu, e eles não puderam vê-lo mais”. Mas você pode ter plena certeza de que ele está cuidando de todos nós. Ele está num lugar de honra junto ao Pai e lá nos aguarda para um tempo de alegria permanente. Até que este dia chegue, ore pedindo pelas suas necessidades e das demais pessoas, pois, afinal, temos um advogado, Jesus Cristo, “que foi ressuscitado e está à direita de Deus. E ele pede a Deus em favor de nós” (Rm 8.34). Na alegria e na tristeza, Jesus é quem adoça a nossa vida!



Oremos: Meu Deus, aumenta a minha fé para que eu sinta a tua presença na minha vida. Honra, glória e louvor a ti, meu Pai Celestial, ao Santo Espírito que me auxilia e a Cristo que está à tua direita como Rei dos reis, intercedendo por nós. Amém.

Pastor Aramis Jacoby



CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.627

Para: sexta-feira, 30 de maio de 2014

Texto: 1Pe 4.12-19

“Se alguém sofrer por ser cristão, não fique envergonhado, mas agradeça a Deus o fato de ser chamado por esse nome” (1Pe 4.16).


Os que seguem a Cristo
A Bíblia relata com exatidão o local onde aqueles que eram salvos se reuniam em nome de Jesus, sendo designados de cristãos. Segundo o livro de Atos dos Apóstolos “foi em Antioquia que, pela primeira vez, os seguidores de Jesus foram chamados de cristãos” (At 11.26). E talvez isso tenha começado como um deboche daqueles que não seguiam a Jesus.

Hoje, no século XXI, o que é ser cristão? De fato, é uma pergunta desafiadora, pois o Diabo, o mundo perverso e a nossa natureza pecaminosa tantas vezes nos impedem de exercer o nosso “ser cristão” de forma autêntica. Ainda mais nos dias de hoje, quando cada vez mais os valores da cristandade são ignorados ou taxados de obsoletos e ultrapassados, como, por exemplo, o próprio entendimento do que é uma família.

Dá para afirmar que esse desprezo ou deboche de certos setores e pessoas da sociedade não mudou muito, desde os tempos bíblicos. Por isso, continuam atualíssimas as palavras do apóstolo Pedro: “Se alguém sofrer por ser cristão, não fique envergonhado, mas agradeça a Deus o fato de ser chamado por esse nome” (1Pe 4.16).

Entretanto, se a perseguição ao povo de Deus continua escancarada, ou mesmo velada, também continua a certeza de que Deus está ao lado daqueles que sofrem por lhe seguir. Sigamos com ânimo, incentivados pelas palavras do Salvador Jesus: “No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem. Eu venci o mundo” (Jo 16.33). Sob este fundamento, que todos nós possamos viver de uma forma coerente, unindo ensino e prática, não apenas no nome, mas na fé que atua em amor ao próximo colocando em ação o nosso cristianismo.



Oremos: Senhor, dá-me a força para sofrer por ti e pela causa do evangelho, pois tu desejas que todas as pessoas sejam salvas. Obrigado por me fazeres um cristão. Em nome de Jesus, eu oro e creio. Amém.

Pastor Aramis Jacoby



CINCO MINUTOS COM JESUS Nº 13.628

Para: sábado, 31 de maio de 2014

Texto: 1Pe 5.6-11

“Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois ele cuida de vocês” (1Pe 5.7).


Deus cuida de nós
Qual é a sua maior preocupação nesta vida? Criar os seus filhos com caráter e valores cristãos num mundo em que os corações estão se esfriando? Ficar desempregado? Ser assaltado? Doença? Perder alguém que ama? A morte? São incontáveis os temores que possuímos.

No início da Igreja cristã também havia um grande temor, que era a perseguição por professar a fé no Senhor Jesus. Muitos morreram como mártires em função desta verdade. E o povo de Deus, tal como em muitas situações e países em nossos dias, sentiu-se acuado. Por isso, o apóstolo Pedro em sua primeira Carta, encoraja aos cristãos: “Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois ele cuida de vocês” (1Pe 5.7). Uma recomendação de alguém que sentiu na pele o medo de perder a vida em pelo menos duas ocasiões: quando caminhou sobre as águas e preocupou-se com as forças dos ventos e das ondas, e também quando desconfiaram que ele era um seguidor daquele “Galileu” que estava preso.

Felizmente, Pedro percebeu sua pequenez e, em arrependimento e confiança, pôde voltar-se para aquele que, mais do que um mestre, era o próprio Deus encarnado: Jesus Cristo!

Nesta vida muitas coisas nos preocupam, tiram o nosso sono e inserem desesperança em nosso coração. Entretanto, o nosso Deus, o verdadeiro e único Deus Pai, Filho e Espírito Santo cuida de nós. É ele mesmo que nos pede para levar em oração até ele o que nos aflige. “Se me chamarem no dia da aflição, eu os livrarei, e vocês me louvarão” (Sl 50.15). Nesta maravilhosa promessa do bom Deus, podemos nos guiar e encorajar em nossa vida. Assim como Pedro levou a Palavra aos que sofreram na sua época, também nós podemos levá-la aos que sofrem em nossos dias, pois ela é poder de Deus para consolo e ânimo.



Oremos: Senhor Deus, que em meio às preocupações da minha vida eu possa me lembrar das palavras de teu Filho Jesus, de que tudo o que pedir em nome Dele, ele o fará. Em Cristo. Amém.

Pastor Aramis Jacoby




HORA LUTERANA Nº 3.403

Para: domingo, 1º de junho de 2014

Texto: Jo 17.1-11

“Eu peço em favor deles” Jo 17.9


Cristo é o elo
Em uma empresa, muitos dos trabalhadores estavam descontentes com o salário, mas ninguém tinha coragem de pedir ao patrão que lhes concedesse uma remuneração melhor. Até que Arnaldo, um funcionário querido por todos, tomou coragem e foi até o chefe reivindicar em nome do grupo. Neste dia, o patrão conversou com Arnaldo, que era um dos seus mais antigos e melhores funcionários. Sabendo de sua integridade, concedeu o tão esperando aumento de salário que os empregados necessitavam. Isso graças àquele que foi o “elo”, a ligação entre empregador e empregados, o seu Arnaldo.

Nós também temos alguém que pede em nosso favor. E pede junto ao nosso Deus e criador. Esse alguém é Jesus Cristo. Orando pelos seus discípulos, ele disse: “Eu peço em favor deles” (Jo 17.9). O único elo entre os seres humanos e o Pai do céu. E isso é confortador para nós, pois diante de Deus, sem Jesus, não temos nada de bom para oferecer a não ser um coração manchado pelos nossos pecados.

Deus provou que não está distante de nós e que também é um amigo querido. Semelhante ao funcionário Arnaldo, que sentia também os problemas que seus colegas de profissão enfrentavam, Jesus viveu em carne e osso as alegrias e dificuldades que nós passamos na vida.

Porém, Jesus foi além. Ele entregou-se à morte na cruz para que as pessoas pudessem ter vida, e vida completa desfrutando do favor de Deus. Ele nos ama e mesmo sabendo da dor que sofreria pelo seu sacrifício, em sua oração não hesitou em pedir que Deus cuidasse dos seus seguidores.



Seguir a Jesus é a certeza de que temos alguém que tem plenos poderes para interceder junto ao Pai por nós. A sua prova de amor é sem igual na história da humanidade. Nada neste mundo é melhor do que pertencer a Jesus!

Oremos: Santo Deus, sei que de ti nada mereço. Mas creio em alguém verdadeiramente especial pra minha vida: Jesus. Ele está à tua direita intercedendo por mim. Obrigado por isso, meu Deus e Pai. Amém.

Pastor Aramis Jacoby


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal