Através da bíblia gênesis itamir Neves de Souza John Vernon McGee



Baixar 1.23 Mb.
Página1/26
Encontro29.07.2016
Tamanho1.23 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   26
COMENTÁRIO BÍBLICO

ATRAVÉS DA


BÍBLIA

GÊNESIS

Itamir Neves de Souza

John Vernon McGee

               



Ficha catalográfica elaborada por Clarabeti S. N. de Souza, CRB8 6895

Souza, Itamir Neves de & McGee, John Vernon

Gênesis: comentário bíblico / Itamir Neves de Souza. — São
Paulo : Rádio Trans Mundial, 2007. (Série Através da Bíblia)

400 p.


ISBN - 978-85-89558-15-0

1. Bíblia A. T. – Gênesis – Comentário 2. Gênesis -

Comentário I. Título

CDD (21 ed.) 222.11

Índice para catálogo sistemático

1. Bíblia A.T. – Gênesis – Comentário     222.11

2. Gênesis – Comentário     222.11

Copyright © 2007 Rádio Trans Mundial do Brasil

Todas as citações bíblicas foram extraídas da 2a. edição Revista e Atualizada da tradução de João Ferreira de Almeida (Sociedade Bíblica do Brasil)

Direção executiva – José Carlos dos Santos

Coordenação editorial – Walkyria Freitas

Revisão – Clarabeti Stolochi

Capa – Julio Carvalho

Projeto gráfico – Marcos Nascimento

Primeira edição – Setembro de 2007

Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida, arquivada ou transmitida por qualquer meio – eletrônico, mecânico, fotocópias, etc. – sem a devida permissão dos editores, podendo ser usada apenas para citações breves.

Publicado com a devida autorização e com todos os direitos reservados pela Rádio Trans Mundial do Brasil.

R. Épiro, 110

04635-030 São Paulo SP

Telefone: (11) 5031-3533

www.transmundial.com.br

SUMÁRIO


PREFÁCIO

INTRODUÇÃO GERAL À SÉRIE DE COMENTÁRIOS ATRAVÉS DA BÍBLIA

INTRODUÇÃO A GÊNESIS

A IMPORTÂNCIA DO LIVRO DE GÊNESIS

No princípio criou Deus os céus e a terra: Gn 1.1

Os primeiros dias da criação: Gn 1.2-31

O sexto dia da criação: Gn 1.26–31

A criação do ser humano: Gn 2.1-25

A queda do ser humano – o pecado: Gn 3.1-13

As conseqüências do pecado: Gn 3.14-24

Abel e Caim: Gn 4.1-7

O primeiro homicídio, os descendentes de Caim e o nascimento de Sete: Gn 4.8-26

Os descendentes de Adão: 5.1-20

O exemplo de Enoque e o contraste entre duas genealogias: Gn 5.21-32

A corrupção do gênero humano: Gn 6.1-10

O dilúvio: o anúncio e a experiência: Gn 6.11–7.24

O final do dilúvio: Gn 8.1-22

A aliança de Deus com Noé. As bênçãos e maldições: Gn 9.1-29

A família das nações: Gn 10.1-32

A torre de Babel e os semitas: Gn 11.1-32

O início da história de Abraão: Gn 12.1-20

A peregrinação de Abrão em Canaã: Gn 13.1-18

Abraão guerreia e encontra Melquisedeque: Gn 14.1-24

A fé de Abrão e a renovação da aliança: Gn 15.1-21

A história de Agar e o nascimento de Ismael: Gn 16.1-16

A mudança de nomes e o início da circuncisão: Gn 17.1-27

Abraão recebe anjos e intercede por Sodoma e Gomorra: Gn 18.1-33

A destruição de Sodoma e Gomorra: Gn 19.1–38

Abraão e Sara peregrinam em Gerar: Gn 20.1-18

O nascimento de Isaque. Agar no deserto: Gn 21.1-34

Deus prova Abraão pedindo Isaque: Gn 22.1-19

A descendência de Naor: Gn 22.20-24

A morte de Sara: Gn 23.1-20

Abraão manda seu servo buscar uma esposa para Isaque: Gn 24.1-32

O encontro e o casamento de Isaque e Rebeca: Gn 24.33-67

A morte de Abraão e os seus descendentes: Gn 25.1-34

A vida de Isaque: Gn 26.1-35

Isaque abençoa Jacó e Esaú: Gn 27.1-46

Experiências de Jacó: a fuga, a visão da escada e a coluna de Betel: Gn 28.1-22

As esposas de Jacó: Lia e Raquel e seus primeiros filhos: Gn 29.1-35

Os filhos de Jacó, as riquezas e seu pacto com Labão: Gn 30.1-43

Jacó retorna a terra de seus pais e faz aliança com Labão: Gn 31.1-55

Jacó prepara a reconciliação com Esaú e luta com Deus: Gn 32.1-32

O encontro de Jacó com Esaú: Gn 33.1-20

O conflito entre os filhos de Jacó e os siquemitas: Gn 34.1-31

Jacó em Betel, o nascimento de Benjamim e a morte de Raquel: Gn 35.1-29

A descendência de Esaú: Gn 36.1-43

José é vendido por seus irmãos: Gn 37.1-36

José é levado para o Egito: Gn 37.25-36

Judá e Tamar: Gn 38.1-10

José na casa de Potifar: Gn 39.1-23

José interpreta os sonhos dos prisioneiros: Gn 40.1-23

José interpreta os sonhos de Faraó e torna-se governador do Egito: Gn 41.1-57

Os irmãos de José vão ao Egito comprar alimentos: Gn 42.1-38

Os irmãos de José voltam ao Egito e são hospedados por ele: Gn 43.1-34

A estratégia de José para reter Benjamim: Gn 44.1-34

José se deixa conhecer por seus irmãos: Gn 45.1-28

Jacó (Israel), e família descem para o Egito: Gn 46.1-34

Israel no Egito. José compra toda a terra do Egito para o Faraó: Gn 47.1-31

Jacó adoece e abençoa os filhos de José: Gn 48.1-22

Jacó abençoa profeticamente seus filhos e morre: Gn 49.1-33

O lamento por Jacó. A bondade de José para com seus irmãos. José abençoa seus filhos e morre: Gn 50.1–26

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

PREFÁCIO


O lançamento dos comentários do programa Através da Bíblia em formato de livro é resultado de bastante oração. Muitos ouvintes sempre pedem as cópias das mensagens que mais lhes impactaram. Querem os comentários numa forma escrita para melhor estudar e se aprofundar no conhecimento das Escrituras.

Pastores e evangelistas nos informam que fazem anotações dos estudos enquanto escutam pelo rádio ou pela internet para usarem em suas igrejas. Muitos chegam a gravar as mensagens, a fim de usarem em seus trabalhos de evangelização e de doutrinamento. Agora, qualquer pessoa, do cristão mais simples ao professor mais erudito, através da leitura do texto impresso poderá aproveitar ainda mais desta exposição da Bíblia. Trata-se, sem dúvida, de mais uma fonte de bênção e de enriquecimento espiritual para o povo de Deus.

Muitos anos atrás, antes do Através da Bíblia começar a ser veiculado no Brasil pela Rádio Trans Mundial, tive o prazer de ouvir a série em inglês pela Trans World Radio, em Bonaire, quando trabalhei naquela emissora. Naquela época, não dava para imaginar que anos depois receberia a incumbência de traduzir a série para o português, que agora nesse novo formato foi totalmente revisada e ampliada pelo professor Itamir Neves de Souza.

Os primeiros anos de programa eram versões e adaptações da série do dr. J. Vernon McGee, que foi professor do Seminário Teológico de Dallas e diretor do Departamento de Bíblia do Instituto Bíblico de Los Angeles. Levei cinco anos para traduzir, adaptar e gravar toda a série de 1.300 programas de trinta minutos de duração.

Conhecendo o carinho, o respeito e a grande admiração que os americanos têm por dr. McGee, um homem apaixonado pela Bíblia, tenho de dizer algo sobre a tradução, sobre como executei esse trabalho. Segui as normas e orientações que me foram dadas. A minha responsabilidade era diante da missão Através da Bíblia e da Rádio Trans Mundial, da qual era funcionário. Foi nos seus escritórios e estúdios que eu produzi os programas. Havia controle e supervisão. Mas só depois de trabalhar dez anos como produtor de programas, roteirista, tradutor e locutor nesta rádio é que me foi dada essa tarefa.

Devo lembrar também que não traduzi os comentários do dr. McGee a partir de seus livros, que só surgiram depois. Usei as notas que eram preparadas por sua secretária. O programa era gravado e depois ela os transcrevia da fita. Alguns estudos chegaram com seis páginas de papel ofício, outros com sete, oito, nove, outros com dez. Tive que adaptá-los para encaixá-los dentro do tempo determinado de cada programa para ser completado com o prefixo e sufixo. Algumas vezes foi preciso adequar alguns comentários e aplicações, levando em consideração a cultura diversificada do Brasil, lembrando que precisávamos alcançar tanto os ouvintes de São Paulo como também os ouvintes das demais regiões do país.

Tenho certeza de que agora, nesse novo formato, o Através da Bíblia ampliará ainda mais os frutos produzidos desde seus primeiros anos de existência em solo brasileiro. Será uma contribuição inestimável para o crescimento espiritual e intelectual para os países de fala portuguesa. A série de comentários Através da Bíblia é o maná do céu e a água da vida, sendo oferecidos abundantemente aos que têm fome e sede da Palavra de Deus. Trata-se de um comentário fiel da Bíblia toda, livro por livro, capítulo por capítulo, versículo por versículo. É uma viagem que tem início no Éden e termina na nova Jerusalém. Começa no Gênesis e vai até o Apocalipse. Durante a caminhada, quem o ler com dedicação, buscando a orientação do Senhor, aprenderá a história do povo de Deus, assim como a história de seu Filho Jesus Cristo. Em outras palavras, aprenderá a revelação de Deus para salvar o homem e transformar vidas.

Pr. Davi Nunes dos Santos



Produtor e apresentador do programa
Através da Bíblia por mais de quatro
décadas pela Rádio Trans Mundial do Brasil

INTRODUÇÃO GERAL À SÉRIE DE COMENTÁRIOS ATRAVÉS DA BÍBLIA

A série de Comentários Através da Bíblia tem por objetivo apresentar aos leitores da língua portuguesa, em forma de livros, o trabalho realizado por intermédio da radiodifusão, na gravação feita de mais de 1.300 programas, num prazo de cinco anos, dos comentários que abrangeram toda a Bíblia, elaborados para o programa Através da Bíblia da Rádio Transmundial do Brasil.

Este programa radiofônico iniciou-se nos idos de 1967, em Pasadena, nos Estados Unidos da América através do seu idealizador dr. John Vernon McGee. De lá, rapidamente o programa se expandiu e hoje ele é veiculado em mais do que 400 estações de rádio pelo mundo todo e ouvido em mais de 100 idiomas diferentes, inclusive pela internet.

O objetivo desta série de Comentários Através da Bíblia, feitos pelo professor Itamir Neves de Souza, tem por base uma adaptação, revisão e ampliação dos comentários do dr. McGee. Esses comentários têm por objetivo oferecer aos que amam estudar a Palavra Eterna uma fonte de recursos bíblicos devocionais aplicáveis à vida diária de cristãos que desejam andar de acordo com a vontade de Deus. Esta série de comentários bíblicos, que mantém a sua estreita vinculação com o programa radiofônico é destinada aos cristãos de modo geral, aos professores da Escola Bíblica Dominical, aos líderes de Pequenos Grupos, aos líderes dos departamentos etários, aos seminaristas, aos evangelistas, aos diáconos e até aos pastores que ministram em tantas e longínquas comunidades de língua portuguesa espalhadas pelos mais diversos países do mundo.

Não foi o objetivo dos produtores do programa e dos editores desses comentários bíblicos que eles fossem feitos com características acadêmicas, baseando-se em tecnicismos adequados para os exegetas, profundos conhecedores das línguas originais da Escritura: o hebraico, o aramaico e o grego. Entretanto, como é possível notar-se pelas bibliografias mencionadas, que obras de valor teológico e conteúdo doutrinário saudável serviram de base para consulta e comentários levados ao ar e agora registrados por meio gráfico.

Dentro dos limites de tempo e espaço, esses comentários foram produzidos objetivando o entendimento claro e simples das Escrituras Sagradas e a sua aplicação prática para o desenvolvimento da vida cristã. Com perguntas, com desafios, com palavras de conscientização, com expressões de louvor e gratidão a Deus diante de trechos das Escrituras que demonstram a Sua graça, misericórdia e amor, estes estudos pretendem provocar os leitores à reflexão, ao questionamento pessoal e a avaliação interior de suas próprias vidas. Com o objetivo de transformar as vidas dos produtores, escritores, ouvintes e leitores, em vidas cada vez mais semelhantes ao Senhor Jesus Cristo, esses comentários são colocados nas mãos dos leitores com o desejo de que Deus os use para que tal objetivo seja alcançado.

Para os editores desta série, a Bíblia Sagrada deve ser entendida com facilidade, proporcionando aos seus estudantes prazer e entusiasmo através do seu estudo sistemático. Por isso, esses estudos se destinam ao crescimento pessoal e individual de cada cristão. E assim, a oração que fazemos é que Deus, através do Seu Santo Espírito, fale a cada coração e utilize esses comentários para a glória do Seu nome em nossas vidas.

Os Editores

INTRODUÇÃO A GÊNESIS

Embora o conteúdo principal do Pentateuco seja o relato histórico do povo de Israel, o seu surgimento, sua formação, suas leis e o seu desenvolvimento, desde os patriarcas até o seu estabelecimento na terra prometida, o livro de Gênesis inicia o seu relato bem antes da existência do povo que Deus escolheu para representá-lo.

Para fazer sentido aos leitores, o livro de Gênesis tem início com a narrativa dos passos anteriores à escolha de Abraão, o primeiro patriarca israelita, remontando a Deus e seu ato criador. Temos o relato de quatro grandes eventos antes da história dos patriarcas hebreus: a criação, a queda, o dilúvio e a divisão da humanidade após o evento da torre de Babel.

Ao lermos e estudarmos o relato dos onze primeiros capítulos do Gênesis, verificaremos que embora a obra da criação tenha sido aprovada por Deus, que avaliou o que criara como “muito bom”, o pecado provocou a separação do homem de Deus, seu criador, trazendo como conseqüência o castigo divino do dilúvio. Depois da divisão dos homens em raças, nações e línguas diferentes, temos a narrativa da insistente e amorosa ação divina, já iniciada logo depois da queda (3.15), em prover os meios para a salvação do homem.

Através da narrativa das vidas dos patriarcas de Israel, Abraão, Isaque, Jacó e certamente José, nos deparamos com as mais diferentes experiências pelas quais o ser humano é submetido. Assim, através de todas as páginas do livro de Gênesis, encontramos as mais preciosas verdades que fundamentam a fé cristã.

Os comentários da série Através da Bíblia atendem a quem quer estudar, praticar e ensinar as verdades eternas da Bíblia Sagrada. E, certamente, iniciarmos por Gênesis, além de ser lógico é desafiador, por termos nesse primeiro livro sagrado as respostas da fé cristã às questões levantadas sobre a origem do universo, a origem do ser humano e a origem das divinas ações salvíficas para a redenção da humanidade pecadora. Conquanto Gênesis relate o início da humanidade, o seu propósito não é apresentar a história da raça inteira. O que percebemos é uma seleção intencional enfocando os personagens e os eventos que se relacionam com o plano divino da redenção através da história.

Por esses e outros motivos que serão identificados na seqüência dos estudos, o desafio para a contemplação e aplicação das lições vistas em Gênesis devem motivar o leitor e o estudante a não medir esforços para conhecer integralmente este livro.

Gênesis é o livro das origens e, embora esteja ligado aos demais livros do Antigo Testamento, e especificamente ao Pentateuco, relaciona-se com toda a Bíblia, incluindo o Novo Testamento. Nele são estabelecidas certas verdades e doutrinas que irão surgir no restante das Escrituras. É um livro fundamental para todo estudante da Bíblia, porque nele encontramos as chaves para a compreensão geral das Escrituras Sagradas.

Com ênfase de aplicação prática e devocional, os estudos em Gênesis proporcionarão aos leitores momentos de reflexão e novo posicionamento diante das bondosas ações divinas em nosso favor.

Na expectativa de que este trabalho sirva para o leitor e redunde em glórias a Deus, assim oramos e pedimos as bênçãos do Senhor.
Itamir Neves de Souza

Produtor e apresentador do programa
Através da Bíblia da Rádio Trans Mundial do Brasil

A IMPORTÂNCIA DO LIVRO DE GÊNESIS

Gênesis é um livro fundamental para o Antigo Testamento, assim como Mateus é importante para o Novo Testamento. Eles merecem destaque porque nos fornecem as chaves para a compreensão geral das Escrituras Sagradas.

Gênesis está relacionado com toda a Bíblia. Estabelece certos pontos que irão surgir em outras partes das Escrituras e muitos detalhes são mencionados nele pela primeira vez. Em suas páginas encontramos, além da criação do ser humano, a instituição da família e, a partir dela, os problemas característicos do lar. Também encontramos em Gênesis a descrição do primeiro pecado e o julgamento divino caindo sobre ele.

Algumas ênfases repetidas muito freqüentemente ao longo de toda a Bíblia originam-se em Gênesis, como por exemplo as genealogias, onde lemos tantas vezes a fórmula “fulano” gerou “fulano”: Viveu Adão cento e trinta anos, e gerou um filho… e lhe chamou Sete. Sete viveu cento e cinco anos e gerou a Enos. Enos viveu noventa anos e gerou a… (Gn 5.3,6,9). Citar essas particularidades é relevante porque dizem respeito a famílias, e todos nós somos membros da família humana que começou no Éden.

Gênesis, algumas vezes, é chamado de o “Livro das Biografias”, porque além das genealogias nos apresenta vários personagens importantes. Nele há figuras muito conhecidas: Abraão, Isaque, Jacó, José e os doze filhos de Jacó. Por meio de Gênesis sabemos que Deus abençoou grandemente cada um deles, e a bênção foi estendida àqueles com quem eles se relacionaram.

Em suas páginas há detalhes importantes da vida de pessoas que deram origem à nação hebraica. Homens simples, escolhidos por Deus, iguais a qualquer um de nós e sem mérito algum, que confiaram Nele e em suas promessas e prosseguiram pela fé, participando ativamente de seu plano para a humanidade. Este plano divino começou a ser delineado e percebido desde que o pecado entrou no mundo. Em Gênesis 3.15 o redentor foi prometido e, a partir daí, Deus foi chamando instrumentos humanos para que seu plano se realizasse: Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

Por causa de sua palavra-chave, “início” ou “princípio”, Gênesis recebe também o título de “Livro dos Inícios”. Encontramos nele o concerto, a aliança de Deus. Freqüentemente o Senhor aparecia aos patriarcas e, de um modo especial, a Abraão. Além disso, nos deparamos com as manifestações da providência divina. Descobrimos porque o altar tornou-se tão proeminente neste livro. Encontramos o registro inicial de outros eventos e práticas, como a necessidade do trabalho, o início da civilização, o estabelecimento do sacrifício como meio para se chegar a Deus, as raças, as línguas, as cidades e a redenção.

Esses assuntos, que aparecem em tantos outros dos sessenta e cinco livros da Bíblia, têm o seu começo em Gênesis e oferecem subsídios para que assim ele seja chamado corretamente de o “Livro das Origens”.

Visão telescópica

Para estudarmos Gênesis, temos de conhecê-lo como um todo, iniciando com uma leitura completa de seu conteúdo de uma só vez. Seria bom planejar bem o tempo dedicado a essa tarefa, alternando a leitura em pensamento com uma leitura em voz audível. Não importa a sua postura: pode ficar assentado, em pé ou andando em um determinado local. O importante é não permitir que qualquer dificuldade o impeça de concluir esse plano.

Depois da leitura, devemos partir para a aquisição de uma visão geral do livro, e então, passar a analisá-lo em suas partes, seus detalhes e particularidades, como se estivéssemos usando inicialmente um telescópio e, posteriormente, um microscópio.

No caso de Gênesis, usaremos primeiro o telescópio, verificando o esboço do livro como um todo. A partir daí iremos detalhando o estudo em pequenas porções.

Através de uma visão telescópica, percebemos que Gênesis está dividido em duas grandes porções. Na verdade, estas duas porções constituem o esboço mais geral do livro. Os cinqüenta capítulos podem ser divididos em dois grandes blocos:

      Parte 1 –     A origem do universo e do ser humano, os seus primeiros passos e as suas conseqüências (capítulos 1–11).

      Parte 2 –     A origem do povo hebreu e o relacionamento de Deus com os patriarcas (capítulos 12–50).

Entretanto, ao dividirmos dessa maneira geral e bem simples esse importante livro bíblico, devemos ter bem claro em nossas mentes a sua mensagem: “O fracasso do ser humano sob todos os aspectos, e a salvação de Deus para cada situação”.

Existe também uma outra forma interessante de dividir o livro de Gênesis, relacionada ao tempo, a cronologia. Alguns estudiosos dizem que os primeiros onze capítulos cobrem um período de no mínimo dois mil anos e no máximo de muitíssimos anos. Um período de tempo, portanto, indefinido. Então, também é possível dizer que nesta primeira parte temos um espaço de tempo semelhante ao que vai do capítulo 12 de Gênesis até o último capítulo da Bíblia. Do capítulo 12 até a escrita do Apocalipse temos um período de aproximadamente dois mil anos, porém os eventos descritos em Apocalipse não têm data prevista para sua realização.

Tendo em vista essa comparação, é possível concluir que estes primeiros onze capítulos de Gênesis cobrem um período de milhares de anos, assim como a segunda parte cobre um tempo indefinido, pois não sabemos quando Jesus voltará.

O propósito de Deus, quando nos deu essa primeira parte, foi relatar de modo geral os seis dias da criação, onde foram formados o universo e o ser humano. Com certeza Ele quis registrar a queda, o surgimento do pecado e outros eventos marcantes como o dilúvio e a torre de Babel.

Depois de apresentada esta divisão, é possível fazer a seguinte pergunta: onde foi colocada maior ênfase, na primeira ou na segunda parte? Ou podemos perguntar de outra maneira: onde Deus colocou maior ênfase quando inspirou o livro de Gênesis e a Bíblia toda? Nos primeiros onze capítulos ou no restante da Bíblia?

Certamente a ênfase foi colocada na segunda parte. A primeira parte trata do começo da criação, mas a partir da segunda parte encontramos um destaque na redenção do homem (embora desde o capítulo 3, logo depois da queda, tenhamos o relato da iniciativa divina para a redenção humana).

Podemos concluir, então, que Deus estava mais interessado em Abraão do que em todo o universo que criou. Da mesma maneira Ele se interessa por nós, homens e mulheres, nos valoriza mais do que ao universo inteiro. Isto é claramente demonstrado pelo fato de ter enviado Jesus Cristo para nos salvar dos pecados!



Palavra-chave, mensagem geral, importância, rejeição, autoria, origem e estilo

Para percebermos o conteúdo geral de Gênesis, ainda precisamos focar o nosso telescópio em sete questões importantes.

Primeiro, a palavra-chave, “início” ou “princípio”, que aparece logo em Gênesis 1.1: No princípio, criou Deus os céus e a terra, é a palavra de onde se origina um de seus títulos: o “Livro das Origens” ou o “Livro dos Inícios”.

Segundo, em relação a sua mensagem geral, podemos dizer que Gênesis mostra o fracasso do homem em suas circunstâncias, mas também revela a maravilhosa salvação de Deus para cada situação. Deus sempre nos amou de tal maneira que continuamente estende sua salvação a todos!

Terceiro, se observa a importância de Gênesis, porque todos os fatos, verdades ou revelações principais têm ali o seu nascedouro. Gênesis é a origem de toda Bíblia e é essencial para uma compreensão real de cada parte. Este primeiro livro é o alicerce onde se apóia e sobre o qual se edifica a revelação divina.

Quarto, em relação à rejeição de seu conteúdo, temos que atentar para o seguinte fato: O livro sofre, junto com Apocalipse, a rejeição e até o ódio do grande inimigo de Deus e do seu povo, Satanás. O Apocalipse é atacado a partir de certos homens que não acreditam na realidade de suas visões, na complexidade dos seus símbolos e na promessa da volta de Jesus. A rejeição ao Gênesis é bem mais violenta e específica, porque por meio de cientistas e críticos modernos suas narrativas são rejeitadas. Uma das teorias que mais o atingiu foi a da evolução, propagada pelo cientista Charles Darwin, que ganhou notoriedade depois de elaborá-la. O ataque direto de Satanás a essas duas partes das Escrituras acontece porque elas proclamam a sua derrota. De Gênesis a Apocalipse Jesus é visto como o grande vencedor!

Em quinto lugar, quanto à questão que trata da sua autoria, muitos estudiosos oferecem os créditos a Moisés. Mas quando a confirmamos, surge a questão: como ele conseguiu elementos para compor o livro uma vez que não estava presente na ocasião dos eventos? É possível que tenha consultado coleções de documentos antigos? Que outra fonte utilizou? Será que usou as tradições verbais e também as tradições escritas dos eventos primitivos, que foram sendo preservadas por diversas gerações? Quem iniciou essa transmissão?

Uma das possibilidades apresentadas é a comunicação da tradição oral, de geração a geração, preservando a história da criação, e contando certamente com a participação de Abraão, Isaque, Jacó e José. Depois de José, durante os 400 anos de escravidão no Egito, essa narrativa foi sendo transmitida até chegar a Moisés, já no deserto, quando conduzia o povo para Canaã.

Mas, além disso, certamente não podemos deixar de reconhecer que Deus usou uma série de formas para inspirar Moisés a escrever este primeiro livro da Bíblia. Assim, além da autoria humana de Moisés, há definitivamente a autoria divina. A simplicidade de sua narração, a semelhança com a verdade, a consistência nos detalhes, a correção com relação às datas, a imparcialidade nas biografias, a segurança nos pontos filosóficos, a pureza em sua moralidade e a benevolência em seus desígnios são fatores que não deixam dúvidas para afirmarmos que Gênesis jamais poderia ser apenas de autoria humana. Temos que reconhecer a autoria divina! Sim, a autoria do primeiro e dos outros livros bíblicos é divina, pois é a revelação de Deus ao homem.

Em sexto lugar, quanto à sua origem, é aceitável pela maioria dos estudiosos que a partir do período do êxodo de Israel, durante a caminhada de quarenta anos no deserto, Moisés iniciou o seu registro dando origem ao livro do Gênesis.

É bom notarmos o que está escrito em Atos 7.38, onde encontramos uma declaração importante de Estevão: É este Moisés quem esteve na congregação no deserto, com o anjo que lhe falava no monte Sinai e com os nossos pais; o qual recebeu palavras vivas para no-las transmitir. Com essa citação, fica claro que Moisés teve revelações diretas da parte de Deus para produzir seus escritos, suas narrativas da criação durante o período do deserto.

Em sétimo e último lugar, o estilo do livro é claro: foi escrito em prosa e não em verso. É importante destacarmos esse detalhe, porque geralmente a poesia possui um elemento de mitologia e lenda, como podemos perceber na maioria dos livros antigos das outras nações, porém Gênesis não foi escrito de forma mitológica ou com conteúdo lendário. Seu estilo é rigorosamente histórico, porque é o relato, a narrativa histórica de fatos que realmente aconteceram.





Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   26


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal