AvaliaçÃo da idade gestacional pelo método novo de ballard new ballard score (nbs)



Baixar 43.32 Kb.
Encontro27.07.2016
Tamanho43.32 Kb.

AVALIAÇÃO DA IDADE GESTACIONAL

PELO MÉTODO NOVO DE BALLARD


NEW BALLARD SCORE (NBS)
Paulo R. Margotto

Chefe da Unidade de Neonatologia/HRAS



O NBS é um método de avaliação da idade gestacional (IG) de recém-nascido (RN) através da análise de 6 parâmetros neurológicos (postura, ângulo de flexão do punho, retração do braço, ângulo poplíteo, sinal do xale, calcanhar-orelha) e 6 parâmetros físicos (pele, lanugo, superfície plantar, glândula mamária, olhos/orelhas, genital masculino, genital feminino), a cada um dos quais se atribui uma pontuação que na somatória determinará a estimativa da idade gestacional. Este é um método modificado da versão original sendo agregados alguns itens, permitindo assim a avaliação de RN com IG a partir de 20 semanas. A correlação entre o NBS e a IG calculada pela amenorréia é de 0,97; para o RN < 26 semanas, esta correlação foi mantida quando o método foi aplicado nas primeiras 12 horas de vida.

Vantagens:

  • Mais rápido que o método de DUBOWITZ.

  • Pode ser realizado em RN doentes.

  • Inclui RN com IG até 20 semanas.

  • Pode ser realizado até 96 horas de vida.

INCONVENIENTE
O NBS superestima significativamente em 0,6 a 1,7 semanas a IG de RN entre 32 e 37 semanas de IG, sendo atribuído ao stress intra-uterino que acelera a maturação fetal.

Estudo recente de Donovan e cl, a cada semana (de 22 a 28 semanas de idade gestacional pela história menstrual precoce), o NBS excedeu a idade gestacional por 1,3 a 3,3 semanas, havendo uma grande variabilidade (6,8 a 11,9 semanas). Vejam, assim que, na ausência de pré-natal iniciado precocemente, deve ser suspeita a acurácia da avaliação da idade gestacional nos RN pré-termos extremos.




EXAME NEUROLÓGICO



POSTURACom o RN em repouso, observar a atitude dos 4 membros.

O. Deflexão total dos 4 membros.


  1. Flexão ligeira dos quadris e joelhos.

  2. Flexão moderada ou acentuada dos membros inferiores e discreta flexão do antebraço.

  3. Membros inferiores em flexão, quadris abduzidos, com membros superiores com alguma flexão (posição de batráquio).

  4. Os quatro membros apresentam flexão igual e forte.


ÂNGULO DE FLEXÃO DO PUNHO – Flexionar a mão sobre o punho, exercendo pressão suficiente para obter o máximo de flexão possível. Medir o ângulo entre a iminência hipotenar e a face anterior do antebraço.
RETRAÇÃO DO BRAÇO – Flexionar ao máximo o antebraço durante 5 segundos, em seguida estender ao máximo através de tração das mãos, soltando em seguida observando o ângulo entre o braço e antebraço.
ÂNGULO POPLÍTEO – Com o RN em decúbito dorsal e a pelve apoiada na superfície da mesa de exame, a perna é flexionada por completo sobre a coxa com uma das mãos, e com a outra mão a perna é estendida, observando-se o ângulo obtido.
SINAL DO XALE – Com o RN em decúbito dorsal, segurar umas das mãos e levá-la o máximo possível em direção ao ombro do lado contralateral. Permite-se levantar o cotovelo sobre o corpo. A contagem de pontos se faz segundo a localização do cotovelo.

Menos 1: cotovelo ultrapassa a linha axilar do lado oposto.

O: cotovelo atinge a linha a linha axilar anterior contralateral.

1: permanece entre a linha axilar contralateral e a linha média.

2: cotovelo na linha média do tórax.

3: cotovelo não chega à linha média do tórax.


MANOBRA DE CALCANHAR-ORELHA - Levar um dos pés ao máximo possível em direção à cabeça, mantendo a pelve sobre a mesa. Atribua os pontos conforme a figura.

EXAME CLÍNICO

No item superfície plantar medir o comprimento dos pés, da extremidade do primeiro artelho até a extremidade do calcanhar. Atribuir pontuação menos 1 quando a medida obtida estiver entre 40 e 50 mm e pontuação menos 2 quando a medida encontrada for inferior a 40 mm.

No item olhos-orelhas avaliar o grau de dificuldade encontrado para a abertura forçada das pálpebras. Frouxamente aderidas no caso de uma ou ambas poderem ser separadas com leve tração. Fortemente aderidas quando ambas as pálpebras não são separadas por leve tração.

Maturidade Neuromuscular



Maturidade Física



PONTUAÇÃO

IDADE EM SEMANAS

-10

20 SEMANAS

-9

20 + 3 d

-8

20 + 6 d

-7

21 + 1 d

-6

21 + 4 d

-5

22 SEMANAS

-4

22 + 3 d

-3

22 + 6 d

-2

23 + 1 d

-1

23 + 4 d

0

24 SEMANAS

1

24 + 3 d

2

24 + 6 d

3

25 + 1 d

4

25 + 4 d

5

26 SEMANAS

6

26 + 3 d

7

26 + 6 d

8

27 + 1 d

9

27 + 4 d

10

28 SEMANAS

11

28 + 3 d

12

28 + 6 d

13

29 + 1 d

14

29 + 4 d

15

30 SEMANAS

16

30 + 3 d

17

30 + 6 d

18

31 + 1 d

19

31 + 4 d

20

32 SEMANAS

21

32 + 3 d

22

32 + 6 d

23

33 + 1 d

24

33 + 4 d

25

34 SEMANAS

26

34 + 3 d

27

34 + 6 d

28

35 + 1 d

29

35 + 4 d

30

36 SEMANAS

31

36 + 3 d

32

36 + 6 d

33

37 + 1 d

34

37 + 4 d

35

38 SEMANAS

36

38 + 3 d

37

38 + 6 d

38

39 + 1 d

39

39 + 4 d

40

40 SEMANAS

41

40 + 3 d

42

40 + 6 d

43

41 + 1 d

44

41 + 4 d

45

42 SEMANAS

46

42 + 3 d

47

42 + 6 d

48

43 + 1 d

49

43 + 4 d

50

44 SEMANAS


REFERÊNCIAS


  1. Ballard JN, Novak KK, Driver M. A simplified score for assessment of fetal maturation of newborn infant. J Pediatr 95: 769-774, 1979.

  2. Ballard JN, Koury JC, Wedig K, Wang I, Eilers-Walsman BL, Lipp R . New Ballard Score expanded to include extremely premature infants. J Pediatr 119: 417-423, 1991.

  3. Donovan ET, Tysan JE. Inacouracy of Ballard score before 28 week’s gestation. J Pediatr 135: 147-52, 1999.

  4. Pessoto MA, Marba STM. Apêndices (Método do New Ballard). IN. Marba STM, Filho Mezzacappa F. Manual de Neonatologia ,UNICAMP, Revinter, Rio de Janeiro, 1998,pg 372-373



Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal