Calçada Romana canta em Espanha



Baixar 9.94 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho9.94 Kb.
- ACTUAÇÕES EM NAVALVILLAR DE PELA E GUADALUPE
Calçada Romana canta em Espanha
O Coral Calçada Romana, de Alqueidão da Serra, deslocou-se, nos dia 3 e 4 de Junho, a Espanha, para um fim-de-semana que ficou pontuado por duas actuações.

A partida deu-se na madrugada do dia 3 e, através do Alto Alentejo, a comitiva depressa se internou em terras espanholas, passando junto a Badajoz. Depois, em Mérida, o grupo efectuou um pequeno circuito onde ficou a conhecer um pouco mais da história e dos monumentos daquela que é conhecida como a “Roma da Península Ibérica”. Após o almoço, tomado num parque de merendas junto à Barragem de Puerto Peña, seguiu-se um passeio pela chamada “Rota das Barragens”, através daquela que é a maior concentração de água doce da Península Ibérica.

A primeira actuação ocorreu na localidade de Navalvillar de Pela, no “II Encuentro Internacional de Corales”, organizado pelo Coral Municipal de Navalvillar de Pela. Para além do Calçada Romana e do coral anfitrião, esteve presente o Coral Municipal “San José”, de Calamonte, Badajoz.

O espectáculo iniciou-se com a actuação do Coral Calçada Romana, que apresentou um programa misto, primeiro com três temas mais clássicos e depois, a fechar, com três temas mais populares e ligeiros. A interpretação da peça “Olhos Negros” (Tradicional dos Açores), com harmonização de M. Roseira Dias, arrancou “bravos” da assistência e foi muito elogiada após o concerto.

O Coral Municipal de San José, de Calamonte, que tem cerca de 7 anos de existência, dedicou a sua actuação a temas de origem latino-americana, como costuma acontecer com os corais espanhóis. O Coral Municipal de Navalvillar de Pela, por sinal muito desfalcado neste espectáculo, mas com excelentes vozes, foi o último a actuar e na sua prestação destacaram-se os temas “The lion sleeps tonigh” e “Balaio”, tema popular brasileiro harmonizado por Heitor Villalobos.

Depois da habitual troca de lembranças, os três corais interpretaram, em conjunto, o bonito tema “Te Quiero”, de Mário Benedetti. Seguiu-se uma animada ceia-convívio, que decorreu num hotel da localidade.


Património da Humanidade

No dia 4 de Junho, a comitiva saiu de Navalvillar em direcção a Guadalupe, logo pela manhã. Em contraste com Navalvillar de Pela, Guadalupe fica situada nas montanhas, na Serra de Las Villuercas, importante zona de caça, com espécies cinegéticas únicas. Antes da eucaristia dominical, todo o grupo visitou o Real Mosteiro de Santa Maria de Guadalupe, Património da Humanidade e uma pérola de arquitectura e arte que não se esquece com facilidade. A visita guiada, que durou cerca de 50 minutos, conduziu o grupo por alguns museus, como o das Iluminuras, o de Bordados (relacionado com todos os paramentos e adereços próprios das cerimónias religiosas) e o de Pintura, onde se destacavam telas de El Greco, Goya e do grande artista da Extremadura espanhola, Zurbarán. A visita incluiu ainda o Coro, com um magnífico cadeiral em madeira finamente trabalhada, a Sacristia (onde os olhos de uma figura pintada na parede nos seguiam para onde quer que nos deslocássemos) e os “aposentos” da Virgem de Guadalupe, por detrás do altar-mor. Guadalupe é, na verdade, um local extraordinário, que vale a pena visitar.

Às 12h00, o Coral Calçada Romana iniciou a animação da principal eucaristia dominical celebrada na basílica do mosteiro. O nome do Coral Calçada Romana, da freguesia de Alqueidão da Serra e de Porto de Mós foi destacado pelo celebrante o que nos encheu de orgulho.

Depois da eucaristia, o grupo dispôs de algum tempo livre para conhecer as ruelas estreitas e típicas de Guadalupe e para efectuar algumas compras.

Após o almoço, tomado num magnífico restaurante com vista sobre o Real Mosteiro de Guadalupe, o grupo seguiu, através da Serra de Las Villuercas, em direcção ao Parque Natural de Monfragüe, santuário de aves de rapina, que dominam, com o seu voo, as penas escarpadas sobre o rio Tejo. Em Villareal de San Carlos, a comitiva teve oportunidade de assistir a um interessante vídeo sobre o parque, a sua história e a sua fauna e flora.

Já em Portugal, a última paragem ocorreu nas Termas de Monfortinho, mais propriamente no Clube de Pesca e Tiro, onde um magnífico lanche-ajantarado culminou da melhor forma uma digressão curta mas extremamente enriquecedora pois, para além de permitir o contacto com outros corais que, certamente, em breve nos visitarão, possibilitou conhecer importantes centros patrimoniais e naturais e divulgar (bem!) a nossa terra.



Esta digressão foi generosamente apoiada pela Junta de Freguesia de Alqueidão da Serra e pela Câmara Municipal de Porto de Mós.
Ver fotos em:

http://www.calcada-romana.org/default.asp?EEAVQCEM=1P0gLj14&id_ep=44


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal