Capítulo Quatro: Confesse, Arrependa-se e Perdoe



Baixar 34.15 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho34.15 Kb.



A Chave



Capítulo Quatro:
Confesse, Arrependa-se e Perdoe
(Pias de Bronze)


Por Nancy Missler
Traduzido por Marco Antonio Cunha Galhardi
O segundo passo essencial do Ritual do Átrio Interior é confessar e se arrepender de tudo o que o Espírito Santo nos mostrou e, além disso, perdoar incondicionalmente qualquer pessoa que tenha errado conosco.

Confessar significa simplesmente reconhecer a "posse" de nossos pensamentos e emoções negativos e admitir que o que temos feito, seja por ignorância ou conscientemente, entristeceu o Espírito de Deus em nós. Como isto é pecado, nós temos, portanto, que confessar a "posse" destas coisas.

Arrepender-se significa simplesmente escolher parar de seguir o que nossos pensamentos e emoções negativos estão nos dizendo e, ao invés disto, seguir o que Deus quer. Arrepender-se significa que devemos parar de olhar e apontar para a outra pessoa e começar a olhar e apontar para nós mesmos.

Este passo crítico de confissão e arrependimento é de nossa responsabilidade. Como 1 João 1:9 diz, "Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados..."

Este é o passo, no entanto, que muitos de nós deixamos de lado quando entregamos estas coisas para o Senhor. Certamente, nós entregamos nossas mágoas para Deus, mas na maioria das vezes, nós esquecemos de admitir a nossa própria parte no problema. E isto é o porque de tantas coisas que nós já rendemos à Ele freqüentemente voltarem. Se nós não fizermos a nossa parte de confessar e nos arrepender de nosso pecado e nosso eu, Deus estará impedido de fazer a Sua parte -- levar nossos pecados "quanto o oriente está longe do ocidente." (Salmos 103:12)

"Eu Fui Ensinada a Me Abater"

Escute o que uma jovem me escreveu alguns anos atrás: "Nunca me ensinaram como lidar com os conflitos em Cristo. Eu fui ensinada a me abater ou esmorecer e chorar até dormir, etc. Estava sempre faltando o passo 2, confissão e arrependimento de meu próprio pecado e meu eu. Ah sim, eu levava todo pensamento cativo e colocava a Mente de Cristo. Mas, eu me esquecia do passo mais importante, que era me livrar de todo o lixo em mim. E," ela continua, "certamente existia muito lixo lá!"

E ela está certa. Muitos de nós freqüentemente esquecem este passo importante de confissão e arrependimento, o que acaba causando a volta de muitas coisas. Quando alguma coisa que nós pensávamos já ter lidado volta, o inimigo, é claro, está lá no nosso ombro para nos convencer que Deus não é fiel. Depois que isto acontece várias vezes de novo, nós começamos a acreditar nele. O que Deus intenciona para o bem em nossas vidas, o inimigo sempre tenta distorcer e usar para o mal. Deus nos quer livres do pecado e de nosso eu pela confissão e arrependimento diários. Se fizermos isto, coisas entregues não irão voltar de novo, porque Deus realmente as terá levado.

Um Exemplo: "Eu Confesso Que Estou Deprimida"

Freqüentemente no passado eu entreguei meus sentimentos de depressão para Deus e pedi à Ele para levá-los embora. Nada parecia acontecer, no entanto, o que me fazia sentir ainda mais deprimida, porque eu assumia que Deus realmente não se importava. Agora eu reconheço que eu é que estava em falta. Eu havia omitido o passo mais importante de todos. Eu não havia reconhecido ou confessado meus sentimentos de depressão, nem escolhido parar de seguí-los.

Portanto, no futuro, se alguma vez nos encontrarmos deprimidos (e eu estou assumindo que a depressão é emocional e mental, e não causada quimicamente), nós não podemos simplesmente dizer para Deus, "Ajude-me com minha depressão," e de algum modo esperar que Ele automaticamente a remova. Ao invés disto, nós temos que dizer, "Pai, eu confesso que eu estou deprimido (i.e., eu reconheço que "possuo" estes pensamentos e emoções) e que escolhi entreter estes pensamentos ao invés de entregá-los para o senhor. Isto entristeceu e sufocou o Seu Espírito em mim -- isto é pecado -- e eu agora escolho parar de seguir o que estes pensamentos estão me dizendo, e escolho, em vez disto, seguir o que o Senhor quer de mim."

Confessando a Posse de Nosso Pecado e Nosso Eu

Porém, se capturarmos o pensamento negativo quando ele primeiro aparecer e não entretê-lo ou remoê-lo, então podemos pular este passo de confissão e arrependimento, porque não entristecemos o Espírito de Deus. Consequentemente, não haverá pecado ou desobediência envolvidos. Uma vez que damos aquele pensamento negativo para Deus, podemos novamente andar pela fé.

Se, entretanto, nos apegarmos àquele pensamento auto centrado por um tempo, remoê-lo e entretê-lo, então realmente precisamos confessá-lo como pecado porque ele já entristeceu o Espírito de Deus em nós. Precisamos confessar a "posse" desses pensamentos e emoções e então simplesmente mudar nossa mente quanto a seguí-los.

Outra coisa importante para enfatizar é que nós não somos responsáveis por mudar nossos próprios sentimentos negativos. Não podemos fazer isto. Nossa única responsabilidade é colocar em ação a Pessoa que pode mudar nossos sentimentos, e ela é Deus. E, fazemos isto ao confessar que possuímos estas emoções e então, pela fé, escolhemos nos arrepender delas. Depois disso, se torna responsabilidade de Deus mudar os nossos sentimentos, alinhando-os com nossas escolhas de fé.



Perdoe os Outros

Uma parte deste segundo passo de confissão e arrependimento é que nós temos também que incondicionalmente perdoar os outros por qualquer mal que eles nos tenham feito. Falta de perdão é uma das muitas coisas que entristecem e extinguem o Espírito de Deus em nós e, se nos aferramos a ela, isto irá impedir Deus de trabalhar em nós e através de nós. Portanto, a forma pela qual liberamos Deus para trabalhar em nossas situações é perdoar incondicionalmente (ou liberar) a outra parte, tenham ou não pedido por isto! (Mateus 6:14-15; 18:35)

Porém, não me interprete mal, não estamos realmente sendo indulgentes ou perdoando a eles. Não temos o direito ou a autoridade para fazer isso. Isso é responsabilidade de Deus. Quando nós os perdoamos incondicionalmente, estamos simplesmente os liberando para Deus, de modo que Ele possa então julgá-los com justiça, e também para que nossa resposta ao seu pecado não se torne uma pedra de tropeço em nós.

Um Exemplo: José

Um perfeito exemplo disso é José em Gênesis 45. Você se lembra da história. Os irmãos de José estavam com tanta inveja dele que eles o amarraram, o atiraram em uma cova e o deixaram lá para morrer. Alguns Midianitas viajando para o Egito se aproximaram e os irmãos decidiram vender José para eles. Ele foi levado para o Egito e lá passou 17 anos no cativeiro antes que Deus, através de uma série de circunstâncias, o libertou de forma supernatural. Enfim, José, de novo por intervenção de Deus, se tornou o governador do Egito.

A Bíblia deixa bem claro em Gênesis 45 que José perdoou incondicionalmente seus irmãos bem antes de eles virem a ele ou se arrependerem. Eles não pedem o perdão de José senão lá pelo meio de Gênesis 50 e, ainda assim, porque eles foram pegos e estavam com medo que José fosse retaliar. Ao perdoar seus irmãos incondicionalmente, José, não apenas se manteve um vaso limpo e aberto perante Deus, mas também confiou que Deus os julgaria justamente. O mesmo é verdade conosco.

Jesus nos deu o Seu próprio exemplo de perdão: em Lucas 23:34, quando os soldados O estavam crucificando, Ele disse. "Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem." Nós temos que fazer a mesma coisa, confiar que o Pai sabe de toda a verdadeira história, e que Ele promete ser o nosso vingador, para acertar as coisas a Seu tempo e do Seu modo.



Duas Partes para o Perdão

Então, existem na verdade duas partes para o perdão: primeiro, nosso relacionamento com Deus; e segundo, nosso relacionamento com a outra pessoa.

A primeira razão pela qual nós temos que perdoar incondicionalmente é porque Deus ordena isto na Bíblia. Marcos 11:25-26 nos ensina, "Quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que também vosso Pai que está no céu, vos perdoe as vossas ofensas. Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está no céu, não vos perdoará as vossas ofensas." Em outras palavras, nós perdoamos, porque Deus nos perdoou.

A segunda razão pela qual devemos perdoar é para a reconciliação com a pessoa que pecou contra nós. Quando escolhemos perdoar incondicionalmente aquela outra pessoa, nós estaremos limpos diante de Deus e nosso relacionamento com Ele será reconciliado. Como resultado, Deus nos promete dar o Seu Amor incondicional e supernatural.



Um Exemplo: Um Pastor Alemão

Aqui está uma história inacreditável e verdadeira de como isso funciona.

Em meados de 1930, um querido e amável pastor Alemão foi raptado da sua igreja. Suspeito de abrigar, encorajar e ajudar os Judeus, ele foi imediatamente levado para a prisão e colocado em uma cela de 1 metro e meio. Não houve interrogatório ou julgamento -- nem mesmo tempo para avisar a sua família sobre o que havia acontecido com ele.

Por semanas, este bondoso pastor pediu ao guarda da prisão do lado de fora de sua cela se ele poderia usar o telefone no final do corredor para ligar para a sua esposa e, ao menos, deixá-la saber que ele estava vivo. O guarda, entretanto, era um homem desprezível que odiava qualquer um que tinha alguma coisa a ver com os Judeus. Ele não apenas não permitia que o pastor usasse o telefone, mas também estava determinado a fazer a vida do pastor tão miserável quanto possível.

Quando as refeições eram entregues, o sádico guarda pulava de propósito a cela do pastor; ele fazia o pastor ficar semanas sem um banho; ele mantinha luzes acesas na cela do pastor para ele não poder dormir; ele ligava seu radio bem alto, esperando que o barulho quebrasse a paz de espírito do pastor; ele usava um linguajar obsceno e sujo; ele o incitava; ele o empurrava; e, quando podia, ele arrumava para o pastor ter a tarefa mais difícil nos trabalhos forçados.

O pastor, por outro lado, orava e orava várias vezes para evitar que o ódio e a falta de perdão o consumisse. Ele orava para ser capaz de perdoar e amar este guarda com o Amor de Deus. Enquanto os meses iam passando, sempre que ele podia, os pastor sorria para o guarda; ele o agradecia quando as suas refeições realmente eram entregues; quando o guarda ficava próximo a sua cela, o pastor lhe falava sobre sua esposa e seus filhos; ele até mesmo perguntava ao guarda sobre a família dele e sobre seus objetivos e ambições; e, uma vez, ele até teve uma chance de falar ao guarda sobre o Amor de Deus.

O guarda nunca respondia uma única palavra, mas, obviamente, ele escutou cada palavra.

Depois de meses de perdão incondicional e amor por este guarda sádico, o Amor de Deus finalmente irrompeu. Uma noite, quando o pastor estava novamente falando mansamente, o guarda esboçou um sorriso; no outro dia, ao invés de não receber o almoço, o pastor recebeu dois; na noite seguinte, lhe foi permitido não somente ir ao chuveiro, mas também ficar lá tanto tempo quanto ele quisesse; as luzes começaram a ser desligadas à noite na sua cela e o barulho do rádio cessou. Finalmente, uma tarde, o guarda entrou na cela do pastor, lhe pediu o número do seu telefone de casa, e ele, pessoalmente, fez o tão esperado telefonema para a família do pastor. Uns poucos meses mais tarde o pastor foi surpreendentemente libertado sem nenhum questionamento.

A única maneira pela qual podemos genuinamente amar aqueles que nos feriram muito, como o pastor fez com o guarda, é perdoando-os incondicionalmente (ou liberando-os para Deus) e nos tornando aquele vaso aberto para o Amor de Deus fluir. Se não fizermos isto, a Bíblia nos diz o que irá acontecer -- o inimigo irá levar vantagem sobre nós. (2 Coríntios 2:10-11)

Porém, se aquela outra pessoa vier até nós e pedir perdão, então nosso relacionamento com ela terá uma ótima chance de ser curado e poderemos acabar ainda mais íntimos do que antes. Se, entretanto, aquela outra pessoa nunca se arrepender e nunca vier pedir perdão, então haverá uma ruptura em nosso relacionamento e apenas o sábio Amor de Deus poderá operar. A Bíblia nos exorta, entretanto, a continuarmos amando sabiamente, a ainda sermos um vaso aberto para o Amor de Deus e a ainda nos entregarmos para ela. De fato, Lucas 6:27 vai ainda mais longe e diz que temos que "Amar [agapao] nossos inimigos."



Um Exemplo: "Somente Quando Eles Vierem Até a Mim"

Uma vez eu conheci uma jovem Cristã que não estava disposta a perdoar os seus amigos pelas grosserias que eles lhe fizeram. A moça costumava me dizer, "Eu vou perdoá-los apenas quando eles vierem até a mim primeiro e me pedirem perdão. E não antes."

Ela estava com raiva, não apenas de seus amigos, mas também de Deus por permitir que estas coisas acontecessem. Porém, o que estes jovens fizeram a esta moça foi errado e ela estava justificada pelos padrões do mundo a estar ferida e com raiva. Mas, a Palavra de Deus nos diz que temos que estar dispostos a perdoar incondicionalmente seja lá o que a outra parte tenha nos feito, independentemente de eles pedirem nosso perdão ou não. Em outras palavras, a nossa escolha de perdoar incondicionalmente libera Deus para trabalhar, não apenas em nós, mas também neles. Quando não perdoamos, não somente estamos sendo desobedientes à Palavra de Deus, mas também estamos nos abrindo para as flechas do inimigo.

Tanto quanto eu sei, esta moça ainda está esperando que seus amigos venham até ela e ainda não está disposta a perdoá-los até que eles o façam. Na última vez em que eu a vi, ela havia se transformado fisicamente em uma mulher amarga e "velha". E, esta é a parte triste, ela tem apenas 30 anos! É bastante interessante perceber que nós sempre refletimos no exterior a bagagem que carregamos conosco no interior.

Como o inimigo exultou e festejou no apego dessa moça à falta de perdão. Os seus amigos não eram seus prisioneiros, mas ela era! E tudo porque ela se recusou a fazer o que a Palavra de Deus diz, perdoar incondicionalmente aqueles que erraram conosco e amá-los sabiamente com o Amor de Deus.

Porém, eu concordo, que algumas vezes parece quase impossível perdoar o que a outra pessoa nos fez. Esta é outra ocasião, entretanto, onde podemos escolher confiar em Deus por Sua sabedoria e Amor e por Sua habilidade supernatural. Sempre lembrando que não precisamos sentir nossas escolhas, elas serão simplesmente escolhas de fé ou escolhas que não se podem sentir. Deus então, em Seu tempo e do Seu modo, irá alinhar nossos sentimentos com o que houvermos escolhido e realizar a Sua Palavra em nossas vidas. Em outras palavras, se nos entregarmos totalmente para Jesus e amá-Lo, Ele nos tornará capazes de genuinamente perdoar os outros.

2 Coríntios 2:10 nos diz, "E a quem perdoardes alguma coisa, também eu [Paulo]; pois, o que eu também perdoei, se é que alguma coisa tenho perdoado, por causa de vós o fiz na presença de Cristo." Por causa do que Jesus nos fez, nós podemos estender aquele mesmo perdão incondicional para os outros.

Novamente, Desenhe um Triângulo

Desenhe o processo de perdão de forma semelhante ao que fizemos com o triângulo para representar o Amor de Deus. Nós estamos no canto inferior esquerdo do triângulo; Deus está no topo; e aquela outra pessoa que estamos tentando perdoar está no canto inferior direito. Nós devemos perdoar incondicionalmente aquela outra pessoa, o que então a libera para Deus e nos limpa; Deus então nos dá o Seu Amor e o Seu perdão para ela; e esperançosamente aquela outra pessoa irá finalmente reconhecer sua culpa, vir até nós e pedir perdão.

Neste meio tempo, entretanto, nós estamos livres para continuar com nossas vidas, e continuar a amar como Deus quer de nós. Sempre lembrando que nossos sentimentos de mágoa (feridas emocionais), apenas irão ser curados depois que tivermos feito a escolha apropriada de fé para perdoar incondicionalmente. (Mateus 18:28-35)



Um Exemplo: Feridas de Nossos "Amigos"

Como irmãos e irmãs em Cristo, a Bíblia nos diz que devemos "amar em todo o tempo." (Provérbios 17:17) Porém, isto não significa enfiar nossas cabeças na areia e nunca tomar uma posição se alguém que conhecemos está fazendo algo errado. Entretanto, isto realmente significa, e a Bíblia confirma, que se ouvirmos alguma coisa ruim sobre alguém ou a vermos fazendo algo que não é de Deus, nós devemos ir até ela e lhe questionar, "falando a verdade em amor." (Efésios 4:15)

Não muito tempo atrás, alguém que eu amo muito ouviu um comentário maldoso sobre mim, mas ao invés de vir até a mim e perguntar se aquilo era verdade, ela acreditou na fofoca e raivosamente contou a muitas outras pessoas. Quando eu descobri o que ela havia feito, eu fiquei arrasada. Esta amiga não apenas não veio até a mim quando ela primeiro ouviu a história, mas ela também nunca se arrependeu do seu próprio erro quando ela descobriu toda a verdade.

Por isso, eu fui deixada com uma escolha. Eu poderia escolher pela fé (porque eu certamente não sentia isto) perdoá-la incondicionalmente, daí me reconciliando com Deus e abrindo um caminho para Ele trabalhar nela; ou eu poderia me apegar a minha falta de perdão "justificada" (porque o que ela havia feito era errado), criar uma brecha entre Deus e eu e terminar dando ao inimigo outro controle, ou abrigo, em mim.

O Senhor me mostrou que uma das razões porque este incidente recente foi tão doloroso era que eu ainda tinha mais entulho enterrado (falta de perdão) com relação a nossa experiência de falência (relatada no Capítulo Dois) e os Cristãos que fofocaram e nos difamaram naquele tempo. Este último incidente foi apenas o catalisador que disparou raízes bem mais profundas e escondidas de amargura em mim.

Porém, eu pensava que eu havia lidado com todas estas coisas mais de sete anos atrás, mas Deus me mostrou que feridas profundas como esta freqüentemente levam períodos de tempo mais longos para curar - i.e., para nossos sentimentos alinharem com nossas escolhas. Deus também me mostrou que se existe mais entulho em nossas câmaras secretas com relação a uma certa situação, Ele irá permitir que nossas emoções sejam de novo remexidas pela mesma coisa, para que estas coisas escondidas possam ser expostas e nós possamos realizar os passos apropriados para lidar com elas. E isto foi exatamente o que Deus estava fazendo em minha vida.

Deuteronômio 7:20 afirma isto, "...O Senhor teu Deus mandará entre eles vespões, até que pereçam os restantes que se tiverem escondido de ti."

Eu suponho que se Deus trouxesse todas as nossas feridas enraizadas de uma só vez, nós provavelmente não seríamos capazes de lidar com elas. Mas, nosso Deus é bondoso, suave e meigo e o Seu tempo é sempre perfeito. Eu fiz as escolhas certas, portanto eu sei que Deus irá no final das contas alinhar os meus sentimentos com o que eu escolhi e me dar o Seu Amor por esta mulher.



O Exemplo de Nosso Senhor

O Senhor nos diz vezes e mais vezes na Bíblia que o perdão incondicional é uma parte vital de todos os nossos relacionamentos. Um verdadeiro relacionamento de amor é aquele que não requer quaisquer explicações, e onde nós sempre temos a garantia de receber o benefício da dúvida. (1 Coríntios 13) Um verdadeiro amigo Cristão é aquele que perdoa (7 x 70) e se afasta de qualquer forma de traição. Oh, como o corpo de Cristo necessita de mais desses relacionamentos genuínos de amor.

Porém, se estivermos em falta em alguma situação e formos buscar a face de Deus, freqüentemente Ele nos fará voltar até a pessoa que ofendemos e pedir o seu perdão. Lembre-se, entretanto, que cada situação é diferente. Algumas vezes, buscar e receber o perdão de Deus em nossos corações e mentes será suficiente. Em outras vezes, Deus nos fará ir fisicamente e pedir o perdão da outra pessoa. Em cada caso, nós temos sempre que orar e buscar a Vontade de Deus. O Senhor não apenas promete nos dizer o que fazer, mas Ele também promete nos dar o Seu Amor e forças para sermos capazes de fazer o que for requerido.

Não é preciso falar, entretanto, que nós temos que continuar a sermos sábios e sempre buscarmos a vontade de Deus. Uma mulher que eu conheço se dirigiu até uma amiga que a tinha magoado e lhe disse que ela a perdoava pelo que ela havia feito. Bem, a senhora acusada ficou horrorizada, porque ela nem mesmo estava ciente de que havia um problema. Então, o perdão verbal daquela mulher fez mais mal do que bem e colocou um obstáculo ainda mais profundo no relacionamento delas.

A regra geral é: Se você estiver em falta numa situação, sempre busque a vontade de Deus sobre se Ele quer ou não que você vá pedir o perdão da outra pessoa. Se a outra pessoa estiver errada, perdoe-a incondicionalmente e deposite isto na cruz. Não vá e lhes diga que você os perdoa. Cuide disso entre você e o Senhor no altar. Apenas prossiga e os ame sabiamente com o Amor de Deus.

Receba o Perdão de Deus

Junto com a compreensão de como Deus quer que nós perdoemos os outros, também é importante que nós recebamos pela fé o perdão de Deus por quaisquer pecados que possamos ter cometido. De novo, 1 João 1:9 confirma isto, "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar [todos] os pecados..."

Se você tiver algum problema em acreditar e receber o perdão de Deus, eu sugeriria fazer uma lista de todas as passagens da Bíblia que você puder encontrar sobre o perdão, colocá-las em cartões 3x5 e lê-las seguidas vezes novamente. Pela fé, escolha acreditar no que estas passagens estão dizendo. Lembre-se, nós andamos pela , não por sentimentos. Deus, em Seu perfeito tempo, irá alinhar os seus sentimentos para que eles combinem com o que você escolheu acreditar e você irá começar a experimentar o Seu perdão na sua vida.

"O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia." (Provérbios 28:13)

Muitas mulheres me escreveram sobre os abusos sexuais horríveis que elas receberam quando criança. Uma querida mulher chamada Jan, não apenas me escreveu a sua história, mas confirmou, seguidas vezes, que estes passos realmente funcionam. Outra mulher escreveu, "Quão espantoso tem sido desde que eu comecei a fazer isso. Escolher fazer o que Deus quer mesmo quando eu não estiver sentindo aquilo, tem me ajudado tremendamente. Eu não sabia que você não tem que se sentir disposto, apenas estar disposto!"

Estas mulheres aprenderam por experiência que Deus as ama e as perdoa por qualquer coisa que elas possam ter feito que entristeceu o Seu Espírito. Elas também escreveram sobre o Amor miraculoso e sábio que Ele lhes deu para os seus ofensores. O Senhor verdadeiramente mudou os seus sentimentos para corresponderem com o que elas escolheram fazer, pela fé.

Estas mulheres, e muitas outras que escreveram, foram libertadas em um grau que muitos de nós nunca iremos compreender; mas se funcionou para elas, muito mais irá funcionar este processo de limpeza em nossas vidas diárias. Uma mulher me disse, a propósito, que estão agora usando o The Way of Agape (O Caminho ao Ágape) em prisões, para mulheres abusadas fisicamente.

(Ao encerrarmos este capítulo sobre o Ritual do Átrio Interior, por favor observe que os primeiros dois passos - identificar, reconhecer e experimentar nossos pensamentos e emoções; e confessar e se arrepender de nossos pecados e perdoar os dos outros - são na verdade apenas um passo. Tudo isso acontece nas Pias de Bronze. Mas, uma vez que existe muita coisa que ocorre neste primeiro passo, eu tomei a liberdade de dividí-lo em dois passos separados.)




A Chave

©2011 The King’s High Way Ministries, reservados todos los derechos.



www.kingshighway.org


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal