Carta 389 Estado/Cidade



Baixar 0.5 Mb.
Página5/35
Encontro18.07.2016
Tamanho0.5 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   35

Carta 400



Estado/Cidade: SP/São Paulo

Tipo de Texto: Carta de Redator

Título do Jornal: Farol Paulistano

Data/Edição: São Paulo, quarta-feira, 21 de março de 1827/nº 07

Fonte/Cota: Biblioteca do Museu Paulista/nº 222

No seguinte numero faremos algumas reflexões sobre as correspondencias deste, mormente acerca da do Senhor Assignante, que julgamos dignas de providencias promptas; e desde já pedimos a attenção do Excelentíssimo Prezidente a este tão importante objecto, em que igualmente a humanidade, e a politica muito interessão. || Pobres Senhores da Terra da Santa Cruz! || Não a civilizão, o captiveiro vos dão em troco do rico paiz que era vosso!




Carta 401



Estado/Cidade: SP/São Paulo

Tipo de Texto: Carta de Redator

Título do Jornal: Farol Paulistano

Data/Edição: São Paulo, quarta-feira, 18 de abril de 1827/nº 11

Fonte/Cota: Biblioteca do Museu Paulista/nº 222

Apenas chegou-nos à noticia o funesto acontecimento praticado n’esta Cidade em a noite de 11 do corrente, quasi succumbimos pelo excesso do pezar; e as circunstancias do facto, quaes nos referirão, presentes á nossa imaginação, não permittuão(sic) diminuir se a energia d’estes sentimentos generosos, que são communs a todo o cidadão amigo da humanidade, da Patria, e da restricta observancia das leis. Tencionavamos pois manifestar ao publico similhante fatalidade, quando recebemos a carta, que acabamos de transcrever, na qual o nosso estimavel correspondente se mostra tão justamente penetrado de assombro, de magoa, que pouco nos deixa a reflectir. || Espanta na verdade, e custa a crer, que no centro de uma Cidade, no meio de um Povo polido e amavel, que tem um Governo fundado nas solidas bases da Justiça se commettesse, talvez sem motivo, uma acção tão estranha. || Entretanto se a causa indirecta do assassinio foi, como dizem, a publicação de uma carta, que inserimos em nosso ultimo número, sem duvida folgarão com isto os desgostosos das Instituiçõens Liberaes; mas consola-nos a lisongeira idea de que todo o homem são, despido de prejuizos, e amante da prosperidade Nacional, sentindo quam preciosa foi sempre a propagação das luzes, e a livre emissão do pensamento em materias politicas ha-de convencer-se de que á falta de conhecimentos, e a immoralidade é que se deve tornar a culpa de qualquer máo resultado, que maliciozamente se queira attribuir á liberdade da Imprensa. Sim (não hesitamos em asseverar) é o desprezo o mais profundo dos verdadeiros principios de sociabilidade, é o esquecimento dos mais sagrados deveres, e o menos cabo de todas as leis quem só poude induzir a tão inconsiderado procedimento, e por isso estamos persuadidos que os companheiros d’armas d’aquelle militar terão sentido bastante, que de sua corporação, que se deve presar de briosa, e honrada emanasse tão feio crime. || Quanto aos pasquins, que menciona o dicto nosso correspondente, unicamente accresentaremos , que parece verificarse o que antevimos quando no 1º número d’esta folha dicemos que choverião improperios mais sobre nossa pessoa, que sobre nossas opinioens. || O Redactor.




Carta 402



Estado/Cidade: SP/São Paulo

Tipo de Texto: Carta de Redator

Título do Jornal: Farol Paulistano

Data/Edição: São Paulo, quarta-feira, 25 de abril de 1827/nº 12

Fonte/Cota: Biblioteca do Museu Paulista/nº 222

Ignoramos se a correspondencia do Senhor Inimigo do Despotismo contem ou não calumnias e mentiras, mas nem por isso adoptamos a comminação do Senhor Ouvidor, de ser havido aquelle nosso Correspondente por mentiroso e intrigante, só porque não descobrio o seu nome. Desejaramos alèm d’isto que a nossa Folha não fosse o meio de manter a desavença em parte alguma da Provincia, e por tanto ainda que a imparcialidade com que escrevemos nos obrigue por agora a admitir o desafogo do Senhor Ouvidor, todavia esperamos que para o futuro os Senhores que acharem lesada a sua reputação, recorrão de preferencia aos meios que a lei outorga, e não nos considerem obrigados a inserir tudo quanto quizerem escrever, pois que isso vai tirar á nossa Folha o logar, que devem ter as materias de instrucção. Estas reflexões explicarão tambem o motivo, porque não inserimos uma outra correspondencia, que nos veio á máo em defêsa do mesmo Senhor Ouvidor. || O Redactor.




Carta 403



Estado/Cidade: SP/São Paulo

Tipo de Texto: Carta de Redator

Título do Jornal: Farol Paulistano

Data/Edição: São Paulo, quarta-feira, 25 de abril de 1827/nº 12

Fonte/Cota: Biblioteca do Museu Paulista/nº 222

Tomamos a liberdade de supprimir uma pequena parenthese, que vinha n’esta correspondencia por motivos que estamos promptos a dar de viva voz ao mesmo Senhor Correspondente, e asseveramos que ao caso do dito Senhor exigir de nòs, que declaremos, quaes as palavras que se continhão na dita parenthese, e o logar que ella occupava, fál-o-hemos com aquella imparcialidade, que nos suppõe, e de que na verdade nos jactamos. || O Redactor.




Carta 404



Estado/Cidade: SP/São Paulo

Tipo de Texto: Carta de Redator

Título do Jornal: Farol Paulistano

Data/Edição: São Paulo, quarta-feira, 25 de abril de 1827/nº 12

Fonte/Cota: Biblioteca do Museu Paulista/nº 222

Pàra em nosso poder uma correspondencia, cujo illustre Autor se intitula = Inimigo de quem ralha... ... = que não inserimos por não vir com os requisitos precisos para nos desligarem de toda a responsabilidade, e por outros motivos que de viva voz estamos promptos a communicar, a quem vier recebêl a de nossa mão. Por occasião d’isto prevenimos a todos os Senhores, que se dignarem dirigir-nos suas correspondencias, e que não forem particularmente de nós conhecidos, que fação reconhecer as suas assignaturas, ou no mesmo papel que contiver a correspondencia, ou em outros avulso. || O Redactor.




1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   35


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal