Carta 389 Estado/Cidade



Baixar 0.5 Mb.
Página8/35
Encontro18.07.2016
Tamanho0.5 Mb.
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   35

Carta 418



Estado/Cidade: SP/São Paulo

Tipo de Texto: Carta de Redator

Título do Jornal: Farol Paulistano

Data/Edição: São Paulo, sábado, 01 de dezembro de 1827/nº 68

Fonte/Cota: Biblioteca do Museu Paulista/nº 222

Por falta de tempo nôs não foi possivel publicar n’este número algumas noticias interessantes vindas pelo correio da Côrte, o que farèmos em o proximo número || O Redactor.



Carta 419



Estado/Cidade: SP/São Paulo

Tipo de Texto: Carta de Redator

Título do Jornal: Farol Paulistano

Data/Edição: São Paulo, sábado, 15 de dezembro de 1827/nº 72

Fonte/Cota: Biblioteca do Museu Paulista/nº 222

Tem feito bastante bulha no Rio de Janeiro o chamamento da Astréa a Jurados, por causa da correspondencia assignada = Espreitador = que nós transcrevemos innocentissimamente em nossa Folha, julgando-a, como ainda a julgamos innocentissima. || No proximo seguinte Número seremos mais extensos sobre este objecto de muito publico, muito geral, e muito transcedente interesse. || O Redactor.




Carta 420



Estado/Cidade: SP/São Paulo

Tipo de Texto: Carta de Redator

Título do Jornal: Farol Paulistano

Data/Edição: São Paulo, sábado, 15 de dezembro de 1827/nº 72

Fonte/Cota: Biblioteca do Museu Paulista/nº 222

A Gazeta do Brasil do próximo passado correio está recheada d’aquelles bons dictos, que fazem dar concertos de gargalhadas aos Patuscos. || Não lhe falta immundicia, sobra-lhe impudencia, o que tudo prova que quem foi Ministro d’Estado, ainda quando por feitas representaçoens demittido sempre fica sendo um figurão influente, poderoso, e capaz de proteger uma Gazeta. || Parece-nos, que podemos afiançar que o novo Ministerio nada tem com a redacção d’esta porca Folha, e que ella se ainda vive, e se redobrou de virulencia, é porque ainda está andando como o movimento d’antes communicado, e que o ultimo impurrão foi forte como de despeito, da zanga, da raiva: a luz quando está proxima a apagar-se, dá maior clarão momentaneo, e se extingue logo. || O Redactor.




Carta 421



Estado/Cidade: SP/São Paulo

Tipo de Texto: Carta de Redator

Título do Jornal: Farol Paulistano

Data/Edição: São Paulo, sábado, 15 de dezembro de 1827/nº 72

Fonte/Cota: Biblioteca do Museu Paulista/nº 222

No dia 20 do próximo passado Novembro se publicou na Villa de São João d’ElRey um Periodico com o titulo = Astro de Minas = Foi-nos enviado por seu Redactor o primeiro numero, que contêm o Prospecto, e fomos convidados para a troca de nossas Folhas, que mui gustosamente acceitamos. A Provincia de Minas Geraes ja conta duas Folhas Periodicas, e ambas escriptas no senlido(sic) liberal. Não nos parece mal escripto o — Astro de Minas; e sabemos, que um muito estimavel, e filantropo habitante de São João d’ElRey que ja deu áquella Villa a Biblioteca, que possue, é senão o seu Redactor, ao menos seu protector. Louvores lhe sejão dados. || É uma Typographia, é um Periodico em bom sentido a maior trincheira contra o despotismo. Praza(sic) aos Ceos, que cheguemos a vêr uma Imprensa em cada logar em que houver uma authoridade. || O Redactor.




Carta 422



Estado/Cidade: SP/São Paulo

Tipo de Texto: Carta de Redator

Título do Jornal: Farol Paulistano

Data/Edição: São Paulo, quarta-feira, 19 de dezembro de 1827/nº 73

Fonte/Cota: Biblioteca do Museu Paulista/nº 222

Em desempenho da promessa que fizemos em o supplemento ao número 50 da nossa folha publicamos as seguintes listas dos Senhores nossos Compatriotas que voluntariamente e com ardôr concorrerão para a utilissima obra do dessecamento da varzea do Carmo. Pelo que toca ao resultado dos trabalhos que com ella se despenderão, não nôs cumpre ajunctar coisa alguma á evidencia que decorre d’um simples golpe de vista que se lance sobre a mesma varzea. || Nem por isso com tudo nôs constituïmos garantes de sua estabilidade, pois uma obra que segundo o juizo dos entendidos na materia, fôra avaliada em uma somma consideravel de contos de réis, não podia ser elevada a um ponto de perfeição com tão pouco dispendio de tempo, de braços, e dinheiro. Seja o que fôr, ninguem poderá roubar ao digno e honrado cidadão, que a empreendeu, a gloria não só do que fez, mas tambem de ter mostrado a possibilidade de se conseguirem mais sólidos resultados, uma vez que o Govêrno intervenha com soccorros subministrados pela Fazenda-Publica. De resto, nós sempre faremos mór aprêço d’aquelles de nossos Concidadãos; que sem attenção á chuva, ao sol, e a todos os incommodos pessoaes, se sacrificão ao bem público; do que outros que passão a vida a censurar e ridicularizar as mais uteis emprezas, pretexto mui bom para s’esquivarem a quaesquer exigencias de dinheiros ou serviços pessoaes. || O Redactor.




Carta 423



Estado/Cidade: SP/São Paulo

Tipo de Texto: Carta de Redator

Título do Jornal: Farol Paulistano

Data/Edição: São Paulo, sábado, 22 de dezembro de 1827/nº 74

Fonte/Cota: Biblioteca do Museu Paulista/nº 222

Temos o maior prazer em podêrmos dar aos nossos leitores a interessantissima, e sobre maneira agradavel noticia de que foi unanimemente julgada sem criminalidade a carta inserta na Astréa número 212, assignada por um Espreitador. É este julgamento um verdadeiro triumpho da liberdade de Imprensa no Imperio do Brazil. Está arreigada com fortissimas raizes em nosso abençoado sólo a preciosissima arvore da bem entendida liberdade legal, gozamos de um dos mais bellos direitos do homem, o de podêrmos livremente dizer o que sentimos com tanto que não ofendamos a Lei; temos bem montada a forte bateria, que mais estragos faz nos inimigos da prosperidade dos homens, e das e nações; parece inexpugnavel a nossa praça; não a podem conquistar os nossos contrarios. || É na verdade pasmoso que uma tal correspondencia desafiasse as furias do Senhor Promotor Veiga, que tão mansinho se tinha mostrado sempre, maiormente com a Gazeta do Brazil, que talvez não tenha deixado de atacar, uma só vez a forma de Governo entre nós estabelecida, e jurada. É pasmosa a accusação do Senhor Promotor Veiga, cuja fertilissima imaginação classificou aquella malfadada correspondencia entre os mais perniciosos escriptos! Nós daremos aos nossos Leitores um extracto d’esta curiosa pessa, e por ella ver-se-ha até que ponto chega a parcialidade, e talvez alguma cousa mais, que não dizemos com receio de manchar as paginas da nossa folha só voltada a verdade, e a justiça sempre unida com a decencia. Agora, que pela escassez do tempo mais não podemos fazer, só daremos o proprio artigo da victoriosa = Astréa = e muito recommendamos ao respeito, e gratidão de todos os amigos da liberdade da Imprensa os respeitaveis nomes dos integerrimos Juizes de Facto que julgarão a accusação da Astréa. || O Redactor.




1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   35


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal