Código: Teoria do Restauro Arquitectónico Curso: cda-3ºciclo Ano Curricular: 1º Ramo / Especialidade



Baixar 37.25 Kb.
Encontro28.07.2016
Tamanho37.25 Kb.
Código:Teoria do Restauro Arquitectónico

Curso: CDA-3ºciclo Ano Curricular: Ramo / Especialidade: História e Teoria

Anual [ ] Semestral: 1º [ ] 2º [X] Trimestral: 1º [ ] 2º [ ] 3º [ ]

Créditos: 5 ECTS Nível: Obrigatória [ ] Opcional [X]

Idioma: Português

Pré-requisitos: Nenhum

Docente(s): Pedro Marques de Abreu

Endereço Web:

Email:pabreu@fa.utl.pt
1. Horas de contacto:

Teóricas Práticas Teórico-Práticas 28 Laboratoriais Outras Total 28
2. Objectivos:

O objectivo desta disciplina é o de introduzir o discente no âmbito da Cultura do Restauro Arquitectónico (entendendo-se por este termo qualquer prática de arquitectura sobre pré-existências), fornecendo não só um conjunto de informações (de proveniência histórica) que funcionem como base de contextualização para a reflexão sobre estas matérias, mas também ferramentas de carácter crítico-especulativo que permitam o discernimento competente e operativo nas situações concretas.

O processo didáctico será constituído por aulas teóricas, conferências e visitas de estudo – pelos docentes da disciplina e por especialistas convidados – acompanhadas por aulas de apoio (tutorial). As aulas teóricas dividir-se-ão por dois tipos: aulas de transmissão de matéria histórica; e aulas de exercício teórico-crítico, de aplicação de princípios a problemas concretos.

3. Programa:

O programa desenvolver-se-á em três fases. Em primeiro lugar será desenvolvido um percurso histórico-crítico pela Teoria do Restauro Arquitectónico, desde a Antiguidade até aos nossos dias, com especial ênfase nos séculos XIX e XX, nomeadamente nas diversas recomendações internacionais e nos principais documentos doutrinários.

Em segundo lugar serão apresentados alguns aspectos do modo como o Restauro Arquitectónico foi entendido, teoricamente e na prática, em Portugal.

Finalmente será desenvolvida uma reflexão teórico-crítica sobre a identidade do objecto a restaurar (património, bem cultural, monumento), a partir da compreensão da necessidade antropológica da Memória no território, aferindo quais as pré-existências e quais as determinantes dessas pré-existências que devem ser conservadas, para finalmente poder discorrer linhas metodológicas de acção sobre objecto, com consequências directas no procedimento arquitecónico do restauro. Um exercício de aplicação, que terá um desenvolvimento contemporâneo às aulas, visará a realização da síntese dos conteúdos comunicados e servirá como teste de aplicabilidade à prática arquitectónica.



Os Conteúdos programáticos serão os seguintes:

I. História do Restauro Arquitectónico

1) Antiguidade e Idade Média

2) Renascimento, Contra-Reforma e Iluminismo

3) Séculos XIX e XX

II. Teoria e Prática do restauro Arquitectónico em Portugal

1) Do Romantismo à Primeira Républica

2) O período do Estado Novo

3) Do último quartel do século XX aos nossos dias

III.Porquê, o quê e como restaurar: a dinâmica teórica na prática do restauro arquitectónico

1) Operatividade da Memória na arquitectura sobre pré-existências (conceito de monumento como medium físico entre Memória e arquitectura: instâncias histórica e artística).

2) Conceito de Revitalização como meio processual entre Memória e arquitectura: finalidades conservadora e reveladora.

3) Criticismo metodológico em casos paradigmáticos de arquitectura sobre pré existências.

4. Bibliografia:

A.A. V.V.– Patrimoine et passions identitaires, Actes des Entretiens du Patrimoine, 6 a 8 Janeiro, Editions du Patrimoine/ Fayard, Paris, 1998.

A.A. V.V. – Restauracion arquitectónica. Valladolid: PUV, 1992.

ABREU, Pedro Marques de – Palácios da Memória I (Tese de Mestrado, FAUTL, 1997).

ABREU, Pedro Marques de – Palácios da Memória II (Tese de Doutoramento, FAUTL, 2007).

AGUIAR, J. – Cor e cidade histórica. Estudos cromáticos e conservação do património, Porto, Edições FAUP, 2003 (versão corrigida e parcial da tese de doutoramento, prólogo de Nuno Portas).

ALARCÃO, J. – Introdução ao Estudo da História e do Património Locais, Coimbra, ed. Instituto de Arqueologia e História da Arte – Faculdade de Letras de Coimbra, 1982.

ALBA, António F. (e outros) – Teoria e Historia da la Restauracion. Madrid: MRRP, ed. Munilla-Léria, 1997.

ARENDT, Hannah – A condição humana. Lisboa: Relógio de Água, 2001.

ARGAN, G. – Storia dell´Arte come Storia della Cittá. Roma: Editori Riuniti, 1984 (História da Arte como História da Cidade. São Paulo: Martins Fontes, 2005, 5ª ed.).

ASSUNTO, Rosario – «O Revival» in G. C. Argan et alt. – O Revival. Roma: 1977.

AUGÉ, Marc – Não-Lugares. Introdução a uma Antropologia da Sobremodernidade. Editora 90º, 2006 (1992, Ed. Du Seuil).

BABELON, J.P. e CHASTEL – La notion de patrimoine. Paris: Liana Levi, 1994.

BAPTISTA NETO, Maria João – Memória, Propaganda e Poder. O Restauro dos Monumentos Nacionais (1929-1960). Porto: FAUP, 2001

BRANDI, Cesare – Teoria del restauro. (Edizioni di Storia e Letteratura, Roma: 1963) Torino: Einaudi, 1977. (Ed. portuguesa Aguiar, J.; Rodrigues, D.; Proença, N. Prats, C., (trad.) – Teoria do Restauro. Su Álvaro Pires; A passo d´uomo: Portogallo, O Manuelino. Lisboa: Ed. Orion, 2006.)

CAPITEL, A. – Metamorfosis de monumentos y teorias de la restauración. Madrid: Alianza, 1992.

CARBONARA, Giovanni (a cura di) – Trattato di restauro architettonico. Turim: UTET, 1996.

CESCHI, C., Teoria e storia del restauro. Roma: Bulzoni, 1970.

CHOAY, F. – L allégorie du patrimoine. Paris: Ed. du Seuil, 1992.

DE GRACIA, F. – Construir en lo construido, La arquitectura como modificacion, Madrid, Nerea, 1992.

FEIFFER, C. – Il progetto di conservazione. Milão: Franco Angeli, 1989.

HALBWACHS, Maurice – La Mémoire collective. Paris: Albin Michel, 1997 (2ª ed)

HENRIQUES, F. – A Conservação do Património Histórico Edificado, Memória nº 775 do LNEC. Lisboa: LNEC, 1991.

HENRIQUES, F.; VIRGOLINO, J. – Textos Fundamentais, em Cadernos SPPC, Nº1, Janeiro. Évora: SPPC, 1996.

JOKILEHTO, Jukka – A History of Architectural Conservation. Oxford: Butterworth-Heinemann, 1999.

JUSTICIA, Maria – Antología de textos sobre restauración, Jaén: Ed. Universidade de Jaén, 1996.

LE GOFF, Jacques – «Antigo/moderno». in Enciclopédia Einaudi, volume 1: Memória - História. Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1984.

LE GOFF, Jacques – «Documento/monumento». in Enciclopédia Einaudi, volume 1: Memória - História. Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1984.

LE GOFF, Jacques– «Memória» in Enciclopédia Einaudi, volume 1: Memória - História. Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1984.

LOPES, Flávio e BRITO CORREIA, Miguel – Património arquitectónico e arqueológico : cartas, recomendações e convenções internacionais. Lisboa: Livros Horizonte, 2004

MAIA, Maria Helena – Património e Restauro em Portugal (1825-1880). Lisboa: Ed. Colibri/IHA-FCSHUNL, 2007

MUÑOZ VIÑAS, Salvador – Teoría contemporánea de la restauración. Editorial Sintesys, 2003 (tb ed. Electrónica, Contemporary Theory of Conservation, Butterworth-Heinemann, 2004)

MUÑOZ, A. et. al. – Restauracion Arquitectonica, Valladolid, Universidad de Valladolid, 1992

NETO, M. – Memória, Propaganda e Poder. O Restauro dos Monumentos Nacionais (1929-1960). Porto: FAUP, 2001

PAIVA, J.; AGUIAR, J.; PINHO, A. – Guia Técnico de Reabilitação Habitacional. Lisboa: LNEC-INH, 2006 (dois vol.).

PEREIRA, Paulo – Património Edificado. Pedras angulares. Lisboa: Aura, 2005.

PHILIPOT, Paul – Historic Preservation: Philosophy, Criteria, Guidelines, in Proceedings of the Northamerican Int. Regional Conference. Pennsylvania, 1972

RICOEUR, Paul – «Vulnerabilité de la Mémoire» in Jacques LE GOFF (dir.) Patrimoine et passions identitaires. Paris: 1997.

RICOEUR, Paul – La Mémoire, l’Histoire et l’Oubli. Paris: Seuil, 1997.

RIEGL, Alois – El culto moderno a los monumentos. Madrid: Visor, 1987. (edição original: Der moderne Denkmalkultus. Sein Wessen und sein Entstehung, Viena e Leipzig, 1903)

RIVERA BLANCO, José J. – De varia restauratione: teoría e historia de la restauración arquitectónica.Valladolid, R&R, 2001.

ROCA, Javier – Renovación, restauración y recuperación Arquitectonica y Urbana en Portugal. Granada: Universidad de Granada, Biblioteca de arquitectura, Urbanismo y Restauración, 2003.

RUSKIN, John – The Seven Lamps of Architecture. New York: Dover Publications, 1989.

TOMÉ, M. – Património e restauro em Portugal (1920-1995). Porto: FAUP, 2002.

UNIVERSIDAD POLITÉCNICA DE MADRID, Tratado de Rehabilitation. Madrid: ed. Munilla-Léria, 1988.
5. Avaliação:

A avaliação corresponderá à realização de um pequeno ensaio que ponha em correlação as matérias leccionadas com o tema de tese previsto pelo doutorando











6. Estimativa total de trabalho:

20h

Horas










7. Data de actualização:

13/12/2012





©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal