Celia regina russo pagano



Baixar 25.28 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho25.28 Kb.


Curso de Extensão Universitária

Introdução à História da Neurociência



SISTEMA LÍMBICO: O CENTRO DAS EMOÇÕES

CELIA REGINA RUSSO PAGANO

SÃO PAULO - 2003

Sistema Límbico: O Centro das Emoções



Os sentimentos e as emoções são, na maior parte das vezes provocadas pela visão, audição, odor de certos objetos ou seres. As emoções desencadeiam manifestações vivas, que tem sempre dois aspectos: motor e vegetativo, tais como o medo, cólera, desejo, etc. Quando temos uma emoção muito forte, a freqüência cardíaca aumenta, os olhos enchem de lágrimas, ficamos pálidos e depois ruborizados. O responsável pela regulagem desses fenômenos é o Sistema Límbico, que localiza-se na parte interna dos hemisférios cerebrais, funciona em conjunto com uma parte do lobo frontal para que nossas emoções e expressões afetivas estejam dentro dos limites “normais”.

Ao longo de sua evolução, o cérebro humano adquiriu três componentes que foram surgindo e se superpondo, tal qual em um sítio arqueológico.


As Três Unidades do Cérebro Humano

O cérebro humano é constituído de três unidades cerebrais:




  • Arquipálio ou Cérebro Primitivo – constituído pelas estruturas do Tronco Cerebral: Bulbo, Cerebelo, Ponte, Mesencéfalo, Núcleo da base: Globo Pálido, Bulbos Olfatórios, Corresponde ao cérebro dos répteis ou complexo-R (Paul Maclean).




  • Paleopálio ou Cérebro Intermediário – formado pelas estruturas do Sistema Límbico. Corresponde ao cérebro dos mamíferos inferiores.




  • Neopálio ou Cérebro Superior – compreendendo a maior parte dos hemisférios cerebrais – formado por um tipo de córtex: neocórtex, e alguns neuronais subcorticais. É o cérebro dos mamíferos superiores: primatas e os homens.

Para Paul Maclean: “essas unidades funcionam como três computadores biológicos, cada um conservando suas próprias formas de inteligência, subjetividade, sentido de tempo e espaço, memória, motricidade e outras funções menos específicas”. São três unidades cerebrais que constituem um único cérebro.


Paul Broca (neurologista francês) em 1878, observou na superfície medial do cérebro dos mamíferos (abaixo do córtex) uma região a qual ele nomeou de lobo límbico – constituída por neurônios (núcleos de células cinzentas). Esse conjunto de estruturas foi denominado mais tarde de sistema límbico.
O sistema límbico comanda certos comportamentos necessários à sobrevivência dos mamíferos, cria e modula as funções que permitem ao animal distinguir o que lhe agrada ou desagrada., desenvolve as funções afetivas, origina emoções e sentimentos, como amor, ódio, alegria, tristeza, ira paixão. Também é responsável por alguns aspectos da identidade pessoal e por funções ligadas à memória.
O neopálio ou cérebro racional – terceira unidade cerebral- desenvolveu-se com a chegada dos mamíferos superiores ao planeta, trata-se de uma rede complexa de células nervosas altamente diferenciadas, que produzem a linguagem simbólica, que permite ao homem desempenhar as tarefas intelectuais: leitura, escrita e cálculo matemático. Segundo Paul Maclean: “o neopálio é o gerador de idéias, a mãe da invenção e o pai do pensamento abstrato”.

Papel das Estruturas Cerebrais na Formação das Emoções


William James, no fim do século passado, propôs que um indivíduo após perceber um estímulo que o afeta, sofre alterações fisiológicas perturbadoras : angústia, palpitações, falta de ar, etc. O reconhecimento desses sintomas pelo cérebro é que gera a amoção. Pode-se dizer que as sensações físicas são a emoção.
Walter Cannon em 1929 apresentou outra teoria contrapondo a de William James que também teve sua teoria modificada por Phillip Bard.
A teoria de Cannon-Bard diz que quando um indivíduo encontra-se diante de um acontecimento que de alguma forma, o afeta, o impulso nervoso atinge primeiramente o tálamo e a mensagem se divide. Uma parte vai para o córtex cerebral, onde as experiências subjetivas de medo, alegria raiva, tristeza se originam. Uma outra se dirige para o hipotálamo, o qual determina os sintomas (alterações neurovegetativas periféricas). Segundo essa teoria as reações fisiológicas e a experiência emocional são simultâneas.
O erro dessa teoria foi considerar o tálamo como centro inicial para a emoção.
O Circuito De Papez

Em 1937, James Papez afirmaria que a emoção não é função de centros cerebrais específicos e sim de um circuito que envolve quatro estruturas básicas, interligadas por feixes nervosos:



  • O hipotálamo com seus corpos mamilares

  • O núcleo anterior do tálamo

  • O giro cingulado

  • O hipocampo

Este circuito atuando harmonicamente, é o responsável pelo mecanismo de elaboração das emoções (funções centrais das emoções), bem como dos sintomas (expressões periféricas).


As Estruturas Cerebrais na Formação das Emoções

As estruturas envolvidas com a emoção se interligam intensamente e nenhuma delas é exclusivamente responsável por este ou aquele tipo de estado emocional. No entanto, algumas contribuem mais que outras para esse ou aquele determinado tipo de emoção.



  • Amigdala: pequena estrutura em forma de amêndoa. Fundamental para a auto preservação, por ser o centro identificador do perigo, gerando medo e ansiedade, colocando o animal em situação de alerta, colocando-o pronto para evadir-se ou lutar. Nos humanos a lesão da amígdala faz com que o indivíduo perca o sentido afetivo da percepção, ele sabe quem está vendo mas não sabe se gosta ou desgosta da pessoa.



  • Hipocampo: está envolvido com os fenômenos de memória, em especial com a formação da memória de longa duração (aquela que persiste). Quando os hipocampos são destruídos nada mais é gravado na memória, o indivíduo esquece uma mensagem recém recebida.



  • Talamo: Está correlacionado com as alterações da reatividade emocional, nos homens e nos animais.



  • Hipotálamo: Lesões nos núcleos hipotalamicos interferem com diversas funções vegetativas e com os comportamentos motivados: sede, fome, sexualidade, regulação térmica.



  • Giro Cingulado: principal feixe nervoso ligando os dois hemisférios cerebrais. Esta região participa da reação emocional à dor e da regulação do comportamento agressivo.



  • Tronco Cerebral: região responsável pelas reações emocionais, apenas respostas reflexas de vertebrados inferiores. Em humanos, essas estruturas primitivas participam não só dos mecanismos de alerta como também da manutenção do ciclo vigília-sono. Outras estruturas do tronco cerebral respondem pelas alterações fisionômicas dos estados afetivos: expressões de raiva, alegria, tristeza, ternura etc.



  • Área Tegmental Ventral: Indivíduos que apresentam por defeito genético redução no número de receptores das células neurais dessa área, tornam-se incapazes de sentirem-se recompensados pelas satisfações comuns da vida e buscam alternativas: alcoolismo, cocaínomania, compulsividade por doces e pelo jogo.



  • Septo: área onde estão localizados os centros do orgasmo. Esta região se relaciona com as sensações de prazer.



  • Área Pré-Frontal: não faz parte do circuito límbico tradicional, mas suas conexões bi-direcionais com o tálamo, amigdala e outras estruturas sub-corticais, explicam o importante papel que desempenha na expressão dos estados afetivos. Quando o córtex pré-frontal é lesado, o indivíduo perde o senso de suas responsabilidades sociais, capacidade de concentração e de abstração.

Bibliografia


http://www.epub.org.br
Revista Cérebro e Mente – Revista Eletrônica de Divulgação Científica em neurociência
Número 5 – Março – Maio – 1998

Autores: Júlio Rocha do Amaral, MD & Jorge Martins de Oliveira, MD, PhD




Catálogo: cursos -> neurociencia
neurociencia -> Fundamentos neurolingüÍsticos: contribuições à Fonoaudiologia
neurociencia -> Lateralidade e dominância cerebral: abordagem histórica
neurociencia -> As Bases Neurais da Emoção – Uma Revisão desde o Século XIX à Atualidade Ana Cristina Troncoso
neurociencia -> Psiconeuroimunologia aliene Silva Gonçalves dos Santos Vou discorrer sinteticamente sobre um apêndice da Ciência, que por mais explícita que seja a sua importância, ainda não é reconhecida como tal. Psiconeuroimunologia
neurociencia -> Universidade estadual de campinas – unicamp
neurociencia -> Neurociência no brasil pedro Carlos Primo preâmbulo
neurociencia -> História da Glândula Pineal Epífise
neurociencia -> Instituto Edumed para Educação em Medicina e Saúde Núcleo de Informática Biomédica da unicamp
neurociencia -> Da Pré História a Plasticidade Neuronal: os caminhos da memória
neurociencia -> Professor: renato m. E. Sabbatini


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal