Centro Brasileiro de Pesquisas em Democracia: Inovação e Globalização



Baixar 30.71 Kb.
Encontro30.07.2016
Tamanho30.71 Kb.
Centro Brasileiro de Pesquisas em Democracia: Inovação e Globalização

Nythamar de Oliveira, Ph.D. – Philosophy Dept

nythamar@yahoo.com

http://www.nythamar.com



Resumo:

O Centro Brasileiro de Pesquisas em Democracia dedica-se a pesquisas interdisciplinares sobre a democracia, reunindo pesquisadores, bolsistas e voluntários de cinco Programas de Pós-Graduação diferentes, representando três Faculdades distintas.



Palavras-Chave: democracia, inovação, globalização

Abstract:

The Brazilian Center for Reasearch in Democracy is committed to fostering interdisciplinary research in democracy, bringing together researchers, fellows and volunteers from five different Graduate Programs, representing three distinct Colleges of the University.



Key Words: democracy, innovation, globalization

Seguindo as políticas de reformulação das Estruturas de Pesquisa da PRPPG, foi criado em novembro de 2009 o Centro Brasileiro de Pesquisas em Democracia (CBPD) com o intuito de integrar Grupos de Pesquisa, Núcleos de Pesquisa e Laboratórios de Pesquisa de cinco Programas de Pós-Graduação (Filosofia, História, Ciências Sociais, Ciências Criminais e Economia), representando três Unidades distintas (Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Faculdade de Direito e Faculdade de Administração, Contabilidade e Economia) e com o objetivo principal de desenvolver estudos interdisciplinares e investigações teóricas e aplicadas sobre a democracia, de forma a reunir pesquisadores dessas áreas e de outras disciplinas afins que se propõem a reexaminar e investigar a história, o desenvolvimento e a consolidação da democracia num mundo globalizado através de suas instituições sociais, econômicas, jurídicas e políticas, cultura política e problemas teóricos correlatos. A criação do CBPD foi efetivamente viabilizada pela infraestrutra tecnológica de pesquisa, sediada no 5o. andar da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (prédio 5), com o apoio substantivo da PRPPG e da FFCH. As instalações físicas para o funcionamento do referido Centro propiciam o espaço adequado para que estudantes, bolsistas, voluntários e pesquisadores tenham acesso à infraestrutura de equipamentos e materiais de pesquisa, incluindo a Internet e recursos midiáticos. A integração do ser humano com a técnica é, de resto, o que possibilita uma reflexão sobre práticas de inovação e internacionalização quando pensamos em projetos de pesquisa interdisciplinar hoje. Afinal, foi justamente graças a essa integração do ser humano com a técnica, em seus infindáveis esforços de adaptação a novos meios e contextos de coexistência, que a própria ideia de democracia foi desenvolvida ao longo de 2500 anos de história, desde Péricles até os nossos dias. A fim de darmos conta da complexa integração entre práticas de inovação e internacionalização de tecnologias sustentáveis e sua disponibilização num mundo cada vez mais globalizado e democratizado, podemos recorrer a uma concepção interdisciplinar de democracia capaz de abranger não apenas os seus aspectos políticos e econômicos em termos instrumentais, governamentais e administrativos, mas também o seu potencial de inovação e transformação social em termos normativos de sociabilidade, intersubjetividade, moralidade e historicidade. A técnica e a tecnologia, neste caso, não seriam limitadas a uma aplicação instrumental de saberes humanos específicos para atingir determinados fins, mas serviriam também para inovar modos de convivência e de cooperação social num mundo pluralista em constante transformação. Da invenção da roda à utilização do fogo, da pedra, do ferro e da pólvora, da evolução das linguagens, alfabetos, escritas e sistemas numéricos à confecção de pergaminhos, manuscritos, livros e computadores, todas as diferentes formas de governar a si próprio e aos outros, desde os regimes tirânicos e despóticos até o aprimoramento de ordenamentos democráticos nos séculos XVIII e XIX, atravessaram uma evolução tecnológica pautada pela inovação e pela internacionalização. A democracia, neste caso, seria o melhor exemplo da irredutibilidade do humano à técnica, do normativo ao sistêmico, da ética à ciência. As chamadas Ciências Sociais e Humanas, assim como todas as Ciências Empíricas, corroboram esta primazia fundamental do ser humano com relação ao desenvolvimento das artes e ciências, que deveriam estar sempre a seu serviço. Com o aprendizado da cidadania democrática, aprendemos também que a inovação não está a serviço apenas de práticas e áreas de pesquisa tecnológica e técnico-científica, mas também da própria sobrevivência das instituições democráticas. Inovamos para melhor nos adaptarmos a novos meios e a novas formas de coexistência social, assim como a inclusão cada vez mais ampla de grupos outrora excluídos também fomenta a nossa capacidade de inovação. A globalização e a democratização terminam por se afirmar cada vez mais como tendências correlatas, em despeito de todas as tensões e contradições internas a processos de reivindicações, movimentos sociais e lutas pelo reconhecimento.

O Centro Brasileiro de Pesquisas em Democracia vem destarte consolidar o perfil de Universidade de pesquisa da PUCRS, ao mesmo tempo voltada para o avanço do conhecimento e para o desenvolvimento científico-tecnológico, sem abrir mão da crítica a toda forma totalizante de racionalidade técnico-instrumental. A nossa concepção interdisciplinar de democracia procura, assim, contribuir para o desenvolvimento econômico e social da nossa região e do nosso País, através de atividades de pesquisa de alto nível, visando a capacitação de seus pesquisadores, em nível internacional; a atração dos melhores alunos, tanto em nível de graduação como de pós-graduação, encorajando-os para atividades de pesquisa e integrando-os em funções de ensino, extensão e pesquisa; a ampliação e aprimoramento constante da infraestrutura para o desenvolvimento de pesquisas de porte mundial.

Todos os programas de pós-graduação aqui representados seguem investindo densamente no intercâmbio com programas congêneros do Brasil e do exterior, o que ocorre, em parte, por meio do incentivo a estágios pós-doutorais, participação em eventos com apresentação de trabalhos, mini-cursos, workshops e estágios discentes, particularmente nos programas de doutorado sanduíche (PDEE), MINTER, DINTER e PROCAD, assim como pela absorção de pesquisadores de pós-doutorado de outras instituições, de bolsistas de pós-doutorado PNPD e de estudantes e pesquisadores através de novos intercâmbios acadêmicos, como os que foram inciados e mantidos com grandes centros de pesquisa da Europa e das Américas.

Por outro lado, a própria concepção do CBPD e o planejamento estratégico da PUCRS postulam que o Centro e a Universidade devem estar de tal modo inseridos na comunidade internacional de pesquisa que possam ser considerados estações para encontros de caráter internacional no Brasil. Nesse sentido, grupos, núcleos, comunidades e sociedades de pesquisa, nas áreas de concentração e respectivas linhas de pesquisa que representam os cinco programas de pós-graduação, em especial nas rubricas Teorias da Justiça, Comunicação Política, Cultura Política, Desenvolvimento, Eleições, História Política, Movimentos Sociais, Organizações Sociais, Partidos Políticos, Políticas Públicas de Segurança e Administração da Justiça Penal, têm realizado encontros e atividades regulares. Ademais, dezenas de convidados, inclusive algumas das mais influentes personalidades nessas áreas de pesquisa, atuaram nos eventos promovidos por esses programas em 2009, mantendo uma média anual entre 20 a 30 pesquisadores estrangeiros em visita a cada PPG, neste trênio de avaliação dos programas. Dois dos melhores programas da PUCRS avaliados pela Capes estão, com efeito, na FFCH, a saber o PPG em História (nota 6) e o PPG em Filosofia (nota 5).

Um dos objetivos mais fundamentais do CBPD é o de corresponder aos mais altos padrões da pesquisa interdisciplinar em ciências sociais no país e no mundo, atingindo os níveis de excelência considerados máximos pelos seus pares e pelas Comissões de Avaliação da Capes em cada área, não apenas pela qualidade e regularidade da produção científica de seus docentes, mas também pelo teor e excelência de seus eventos, cursos e trabalhos discentes. Tais eventos e cursos, organizados pelos programas aqui representados e sediados na PUCRS, são e seriam internacionais em qualquer lugar do mundo. Com efeito, é da lógica interna da meta de internacionalização buscada pelo CBPD que os eventos e trabalhos de pesquisa aqui promovidos devem ser internacionais, mesmo sem o nosso deslocamento espacial, na medida em que há reciprocidade e reconhecimento da comunidade científica internacional ao dirigir-se aos resultados de nossas pesquisas, através de publicações, intercâmbios e eventos diversos.

O Centro Brasileiro de Pesquisas em Democracia tem assumido, desde a sua criação, um claro direcionamento ao fortalecimento das comunidades de pesquisa na forma de Grupos de Pesquisa (e de Trabalho) e Núcleos de Pesquisa. Nesse sentido, os 9 (nove) Grupos de Pesquisa abrigados pelo CBPD devem ser revigorados, recebendo orientação para qualificar e fixar a data de seus encontros anuais. Trata-se, portanto, de assegurar um centro de excelência composto por pesquisadores doutores, bolsistas de iniciação científica e seus orientandos de pós-graduação, que se propõem a apresentar os resultados de suas pesquisas em eventos nacionais (notavelmente nos Encontros de GTs da Anpof, Anpocs, Anpuh e Anpec) e internacionais (sobretudo nos Seminários Internacionais sobre a Justiça, desde 1997), através da publicação de livros e artigos em revistas especializadas e de convênios e acordos interinstitucionais. O CBPD conta atualmente com 20 Pesquisadores Permanentes, 5 Pesquisadores Associados e 31 estudantes bolsistas trabalhando em 9 Grupos de Pesquisa (CNPq) e 2 Núcleos de Pesquisa, em torno de 10 linhas de pesquisa integrando os 5 programas de pós-graduação envolvidos. O CBPD é regido por uma Comissão Coordenadora, formada por três pesquisadores permanentes, eleitos consensualmente e renovada a cada dois anos, sendo um(a) pesquisador(a) designado(a) Coordenador(a) do CBPD. Cabe à Comissão Coordenadora encaminhar ao Diretor da FFCH, à PRPPG e demais instâncias da PUCRS todas as iniciativas e decisões deliberadas e votadas pelos pesquisadores permanentes e representar o CBPD junto a órgãos de fomento à pesquisa (tais como FINEP, Capes, CNPq, FAPERGS) ou organizações para o trabalho dos pesquisadores.

Dentre as instituições e organizações com as quais temos intercâmbios previstos podemos citar o Latin American Centre, University of Oxford, o Institute for Latin American Studies (Lateinamerika Institut, Freie Universität Berlin), o Center for Latin American and Caribbean Studies (New York University), o Centro de Estudos Brasileiros (Universidade de Salamanca), o Institut Pluridisciplinaire pour les Études sur l'Amérique Latine à Toulouse (IPEALT, Université Toulouse), o Institut des Hautes Etudes de l’Amérique Latine (Paris III), The Teresa Lozano Long Institute of Latin American Studies (LLILAS, University of Texas at Austin), o Centro de Estudos Sociais da América Latina (CESAL – UFMG), o Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC-FGV), o Institut für Sozialpolitik und Organisation sozialer Dienste (Universität Kassel) e o Institute for Research in Phenomenology / The Center for Dewey Studies (Southern Illinois University at Carbondale).

O Núcleo de Pesquisa Interdisciplinar em Teoria da Justiça e Cultura Política

Leaders: Nythamar de Oliveira & Thadeu Weber

Criado em 1997 e cadastrado no CNPq desde 2000, é um núcleo de excelência composto por pesquisadores doutores, orientandos e bolsistas, sediado na PUCRS e com a participação efetiva de várias instituições tais como a UERJ, UFSM, UFPel, UFSC e UFG, e com o GT Teorias da Justiça (Anpof). Trata-se, portanto, de fomentar pesquisas interdisciplinares em teorias da justiça e cultura política em filosofia social (ética e filosofia política, ciência política, ciências sociais e ciências jurídicas), mais particularmente em torno da produção teórica de autores tais como Kant, Hegel, Rawls, Habermas, Tugendhat, Taylor, Honneth e Höffe. Procura-se desenvolver reflexões sobre justiça, eqüidade, democracia, reconhecimento, liberdade e igualdade, comportamento político e cultura política, liberalismo e socialismo, para além de suas formulações clássicas, a partir das contribuições do idealismo alemão e suas recentes apropriações contemporâneas. O grupo se propõe a apresentar os resultados de suas pesquisas em eventos nacionais (notadamente nos Encontros de GTs da Anpof e da Anpocs) e internacionais (sobretudo nos Seminários Internacionais sobre a Justiça, desde 1997), através da publicação de livros e artigos em revistas especializadas e de convênios e acordos interinstitucionais, e a proporcionar aos pós-graduandos um background político-filosófico no pensamento ético e político contemporâneo.

L: Márcia Dias & Rafael Madeira

O Grupo de Pesquisa Partidos, Eleições e Comunicação Política participa de forma articulada dos principais eventos (encontros e congressos) que contemplam sua área temática de concentração. Os principais encontros nacionais de que participam são os da Anpocs e ABCP, além de eventos internacionais como os da IPSA, Brasa e Fomerco, organizados em grupos de trabalho, seminários temáticos e mesas redondas. Vários membros do grupo já publicaram artigos em conjunto e participaram em livros e números de periódicos científicos organizados por alguns deles. O Doxa, Laboratório de Pesquisa em comunicação política e opinião pública, mobiliza parte dos pesquisadores deste grupo no acompanhamento e análise da cobertura jornalística sobre as eleições brasileiras.

O Núcleo de Estudos sobre Poder, Partidos Políticos e Eleições tem por objetivo primordial desenvolver e integrar pesquisas, assim como promover eventos que estimulem o debate em torno de questões associadas à linha de pesquisa Organizações Políticas e Sociedade. Os temas centrais que cercam as investigações são: democracia, representação e participação política, comportamento eleitoral, partidos políticos, instituições do Estado, relações Executivo–Legislativo e comunicação política. Assim, além dos temas tipicamente organizacionais, o núcleo também investiga questões de natureza comportamental na arena política.

L: Adalmir Marquetti


O Grupo de Pesquisa Crescimento e Progresso Técnico na Economia Brasileira tem por objetivo principal investigar o padrão de progresso tecnológico, a distribuição de renda e o crescimento da economia brasileira entre 1950 e 2003. O grupo procura entender as razões do baixo crescimento da economia brasileira entre 1980 e 2003 em comparação ao período 1950-1980. Entre os objetivos específicos do grupo de pesquisa estão: a) analisar a evolução da taxa de lucro e do salário real e suas relações com o progresso técnico e com as fases de crescimento da economia brasileira; b) analisar a evolução da taxa de acumulação e da alocação dos recursos e suas relações com o progresso técnico e com as fases de crescimento da economia brasileira; c) estudar as inter-relações entre a taxa de lucro e a taxa de acumulação na economia brasileira; d) analisar as relações entre o crescimento econômico e o setor financeiro na economia brasileira; e) desenvolver um modelo macro econômico com economia aberta e setor financeiro; f) estimar esse modelo empregando séries temporais.
L: Hermilio Santos

O Grupo de Pesquisa em Relações Sociais (GPRS) tem como objetivo desenvolver pesquisa sobre os diferentes aspectos das relações sociais nas sociedades contemporâneas. O empreendimento investigativo visa oferecer análises da vida cotidiana, sobretudo no que se refere ao entendimento da ação social, das formas de interação e interpretações do mundo da vida. Ao mesmo tempo, o GPRS procura identificar e analisar o estabelecimento de redes entre indivíduos e entre organizações. Os membros do GPRS organizaram diversos números da Civitas - Revista de Ciências Sociais, apresentaram resultados parciais das pesquisas desenvolvidas e em andamento nos principais congressos acadêmicos da área, no Brasil e no exterior. O líder do GPRS atualmente é Secretário do Research Committee 14 (Sociologia da Comunicação, Conhecimento e Cultura) da International Sociological Association - ISA - e é membro da direção do RC 07 (Pesquisas sobre Futuro), da mesma associação. O GPRS possui até o momento duas linhas de investigação: a) Juventudes e interpretações do mundo da vida e b) Relações sociais em rede.

L: Emil Sobottka

Grupo de Pesquisa Emancipação e cidadania: estado, organizações e políticas públicas

Membros do grupo têm sido chamados para assessorar órgãos públicos, em especial a secretaria estadual de planejamento do RS.Também, os professores e pesquisadores da UFES têm desenvolvido parcerias com o Poder Local de modo a subsidiar a implementação e desenvolvimento de estratégias de planejamento participativo no município. Na UENF, professores prestam assessoria às iniciativas de planejamento integrado em Macaé assim como desenvolvem pesquisas visando ao desenvolvimento regional do norte e noroeste fluminense. Vale ainda ressaltar que, a partir da PUC-MG, estudos acerca do delicado tema do "terceiro setor", diagnósticos e mapeamento de âmbito regional e nacional têm sido realizados. Tanto pesquisadores como estudantes têm participado de eventos acadêmicos e publicado resultados de suas pesquisas, cumprindo seu papel de produzir e divulgar conhecimento. Membros do Grupo organizaram diversos números de Civitas - Revista de Ciências Sociais. Em 2008 publica-se o livro A modernidade como desafio teórico: Ensaios sobre o pensamento social alemão.
L: Maria Izabel Mallmann

O Grupo de Pesquisa Relações e Organizações Internacionais desenvolve atividades de pesquisa de extensão sobre integração regional, política latino-americana, ordem internacional, governança global e teoria das relações internacionais que devem contribuir para consolidar a linha de pesquisa de mesmo nome junto ao Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais da PUCRS. Além desse objetivo geral, as atividades do grupo buscam especificamente 1) estabelecer e consolidar vínculos acadêmicos entre pesquisadores da área de diversas IES e outros órgãos que se dediquem à pesquisa nessa área; 2)produzir conhecimento de modo a ampliar a compreensão do contexto regional contemporâneo; 3)contribuir para formar jovens pesquisadores; 4) contribuir para aumentar o interesse sobre temas internacionais.

L: Helder Gordim da Silveira

O Grupo de Pesquisa "Da Implantação à Crise do Regime Militar Brasileiro" estuda as articulações e especificidades das esferas internacionais, regionais e locais, buscando produzir conhecimento novo em história sociopolítica do Regime Militar brasileiro visto no processo que se situa entre a crise da democracia representativa e o governo José Sarney. Trabalha-se na perspectiva de articular cenários internacionais, regionais e locais na análise de fenômenos e processos específicos do campo político relativos ao período, buscando-se estabelecer formas pelas quais essa articulação constitui novos objetos de análise no interior das temáticas clássicas referentes à censura, à militarização do Estado, à inserção internacional e aos movimentos e organizações no âmbito da Sociedade Civil. Tem-se como fontes preferenciais a grande imprensa, a imprensa alternativa, depoimentos orais e documentação oficial em processo de desclassificação.

L: Giovani Saavedra

O Grupo de Pesquisa Violência e Justiça estuda o sistema penal entre facticidade e validade, realizando pesquisas interdisciplinares de alto nível na área de Ciências Criminais. Em geral, pretende-se analisar criticamente os fundamentos da Criminologia e do Direito Penal, analisar as concepções de política criminal defendidas pelos atores e instituições envolvidos com o tema da segurança pública e controle do crime, na América Latina e no debate internacional, bem como, produzir análises críticas da situação atual da política criminal, da criminologia, do direito penal e processual penal brasileiro contemporâneos, tanto no plano normativo quanto em suas formas de gestão. Com publicações sobre o tema, o núcleo pretende ainda influenciar o debate da esfera pública sobre as novas formas de controle social e sobre o espaço de atuação do direito penal na sociedade brasileira. O NECC tem sido convidado a participar do processo de discussão e elaboração de leis e decretos, como o decreto do indulto, e de debates públicos sobre o sistema penitenciário. Além disso, tem desenvolvido pesquisas sobre o sistema penitenciário em conjunto com outros grupos de pesquisa, com o iTEC e com o Conselho Penitenciário.



L: Rodrigo de Azevedo

O Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas de Segurança e Administração da Justiça Penal (GPESC) pretende acompanhar as profundas reformulações por que passa o campo do controle do crime na sociedade contemporânea. O Grupo pretende realizar o mapeamento e a avaliação das novas práticas de gestão da segurança pública no Brasil, bem como o diagnóstico do desempenho dos mecanismos de controle social institucionalizados (polícia, sistema de justiça, sistema penitenciário, etc.), assim como analisar as concepções de política criminal defendidas pelos atores e instituições envolvidos com o tema da segurança pública e controle do crime. No âmbito do processo penal e da administração da justiça, o Grupo visa produzir análises críticas da situação do processo penal brasileiro contemporâneo, tanto no plano normativo quanto em suas formas de gestão. Parte-se da hipótese da (in)suficiência do processo penal para lidar com a resolução de conflitos na sociedade contemporânea, uma vez que ancorado epistemologicamente nas raízes da ciência moderna e, antes disso, herdeiro privilegiado de modelos processuais penais inquisitivos, típicos do medievo. Busca-se, neste âmbito, identificar e avaliar as experiências emergentes de ?modelos alternativos de composição de conflitos?, a dizer, os Juizados Especiais Criminais, o Projeto Justiça Instantânea, a Justiça Terapêutica e a Justiça Restaurativa.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal