Chamou-os e começou a enviá-los



Baixar 67.58 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho67.58 Kb.
INVESTINDO EM DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS

CHAMOU-OS E COMEÇOU A ENVIÁ-LOS” (cf. Mc 6,7)



APRESENTAÇÃO

Sempre que falamos sobre o dízimo, procuramos conscientizar os fieis sobre a necessidade da sua contribuição mensal para a sua comunidade, em vista do seu sustento.

Este ano, vamos refletir um pouco sobre alguns dos frutos que o dízimo deve promover nas nossas comunidades, principalmente no que diz respeito ao trabalho evangelizador e pastoral, pois é importante também formar a consciência do nosso povo sobre os frutos que o dízimo deve trazer para a vida de comunidade a fim de que possam acompanhar melhor o destino de sua contribuição e valorizar mais o próprio dízimo.

1º ENCONTRO

ESTIMAR OS DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS

UM PROFETA SÓ NÃO É ESTIMADO EM SUA PÁTRIA”



COMENTÁRIO INICIAL

COMENTARISTA – O dízimo não visa somente a satisfação das necessidades materiais da comunidade. Ele deve também contribuir para a valorização de todos os agentes de pastoral, através da formação, das celebrações e da promoção de momentos de espiritualidade e de confraternização.

CANTO INICIAL

1 – Ofertar nossa vida queremos, como gesto de amor, doação./ Procuramos criar mundo novo, trazer para o povo a libertação.



Ref. – De braços erguidos a Deus ofertamos / aquilo que somos e tudo que amamos./ Os dons que nós temos compartilharemos / Aqueles que sofrem, sorrir os faremos.

2 – A injustiça que fere e que mata, tanto homem, criança e mulher,/ faz o jovem viver sem sentido, frustrado, perdido, distante da fé.    

3 – Como o pão e o vinho se tornam Corpo e sangue de Cristo Jesus./ Transformemos a realidade, pra ser de verdade esperança e luz. 

ORAÇÃO INICIAL

ANIMADOR (A) – Em nome do Pai...

TODOS – Amém.

ANIMADOR – O Deus que quer o bem e a felicidade de todas as pessoas que Ele chama para participar da missão da Igreja esteja no coração e na vida de cada um de nós.

TODOS – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

CONVERSANDO SOBRE O ASSUNTO

ANIMADOR (A) – O Código de Direito Canônico, no Cânon 216 nos diz o seguinte: “Todos os fiéis, já que participam da missão da Igreja, têm o direito de promover e sustentar a atividade apostólica, segundo o próprio estado e condição, também com iniciativas próprias; nenhuma iniciativa, porém, reivindique para si o nome de católica, a não ser com o consentimento da autoridade eclesiástica competente”. Isso quer dizer que a Igreja deve reconhecer a contribuição apostólica dos leigos e leigas e favorecer a sua atuação. O que podemos dizer sobre este assunto?

Colocações espontâneas

PALAVRA DE DEUS

COMENTARISTA – Valorizar a atuação dos leigos e leigas é também uma manifestação da nossa fé em Jesus Cristo. Cantemos aclamando a Palavra de Deus.

CANTO DE ACLAMAÇÃO

Aleluia, Aleluia, Aleluia! /  Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia! 

1 – Quem der testemunho de mim / diante  dos  homens  dos  tronos, / Não tema o que eu possa dizer, / que o meu Espírito mesmo dirá.



LEITURA BÍBLICA (Mc 6, 1-6)

REFLEXÃO

ANIMADOR (A) – Vamos refletir sobre a Palavra que acabamos de ouvir respondendo às seguintes perguntas:

1 – Por que temos dificuldades em valorizar as pessoas que exercem ministérios nas nossas comunidades?

2 – Como a Igreja contribui para que os leigos e leigas possam exercer melhor o próprio ministério?

3 – Como o dízimo contribui para esta valorização?



Respostas espontâneas

PRECES COMUNITÁRIAS

ANIMADOR (A) – Considerando as nossas reflexões e iluminados pela Palavra que acabamos de ouvir, vamos apresentar nossas orações comunitárias.

Preces espontâneas

ANIMADOR (A) – Agora, rezemos todos juntos a oração que Jesus rezou e nos ensinou a rezar.

TODOS – PAI NOSSO...

CANTO

Ref. – Sabes, Senhor,/ o que temos é tão pouco pra dar,/ mas esse pouco, nós queremos  com os irmãos compartilhar.

1 – Queremos nesta hora, diante dos irmãos,/ comprometer a vida, buscando a união.     


2. Sabemos que é difícil, os bens compartilhar,/ mas com a tua graça, Senhor, queremos dar.     
3 – Olhando o teu exemplo, Senhor,  vamos seguir,/ fazendo o bem a todos, sem nada exigir.

GESTO CONCRETO

ANIMADOR (A) – Neste mês, vamos pensar numa atividade para a divulgação do dízimo na nossa comunidade. Vamos planejar a nossa atividade.

Inicialmente, precisamos escolher um secretário ou uma secretária que anote as conclusões de cada reunião.

Escreva o nome da pessoa escolhida: ­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­______________________________________

Agora vamos levantar ideias para pensar nossa atividade. Vamos apresentar quatro sugestões, que serão discutidas na próxima reunião.

Sugestão 1: __________________________________________________________

Sugestão 2: ­­­­­­­­­­­­­­­­­__________________________________________________________

Sugestão 3: __________________________________________________________

Sugestão 4: __________________________________________________________



ORAÇÃO FINAL

ANIMADOR (A)Senhor nosso Deus, o chamado para o exercício de um ministério na comunidade manifesta o vosso amor para conosco e a vossa preocupação em suprir nossas necessidades. Fazei com que cada vez mais valorizemos as pessoas que foram chamadas para o vosso santo serviço e procuremos contribuir para que tenham tudo quanto for necessário para que possam desempenhar bem a missão que lhes foi confiada. Por Cristo, nosso Senhor.

TODOS – Amém.

ANIMADOR (A) – O Senhor nos abençoe e nos guarde. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

TODOS – Amém.

CANTO FINAL

Ref. – Quem disse que não somos nada, que não temos nada para oferecer./ Repare as nossas mãos abertas trazendo as ofertas do nosso viver. (Bis)

1 – A fé na nossa caminhada de fraternidade exige comunhão./ Só resta-nos doar a vida, pois o compromisso é nossa vocação./ Ô, ô, ô, ô recebe, Senhor!  

2. Trazemos a nossa pobreza, gente que deseja servir aos irmãos./ Os dons que nós oferecemos serão transformados em revelação./ Ô, ô, ô, ô recebe, Senhor!

2º ENCONTRO

ENVIADOS PELO PRÓPRIO CRISTO

COMEÇOU A ENVIÁ-LOS”



COMENTÁRIO INICIAL

COMENTARISTA – A preocupação com a entrada de todas as pessoas no Reino de Deus e a satisfação de suas necessidades faz com que Jesus nos envie em missão. O dízimo deve contribuir para que a missão da Igreja tenha êxito.

CANTO INICIAL

1 – Daqui do meu lugar eu olho teu altar./ E fico a imaginar aquele pão, aquela refeição./ Partiste aquele pão e deste aos teus irmãos./ Criaste a religião do pão do céu, do pão que vem do céu.



Ref. – Somos a Igreja do Pão, do Pão repartido e do abraço da Paz./ Somos a Igreja do Pão, do Pão repartido e do abraço da Paz.

2 – Daqui do meu lugar, eu olho teu altar./ E fico a imaginar aquela paz, aquela comunhão./ Viveste aquela paz e a destes aos teus irmãos./ Criaste a religião do pão da paz, da paz que vem do céu.



ORAÇÃO INICIAL

ANIMADOR (A) – Em nome do Pai...

TODOS – Amém.

ANIMADOR – O Deus esteja no coração e na vida de cada um de nós.

TODOS – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

CONVERSANDO SOBRE O ASSUNTO

ANIMADOR (A) – O Código de Direito Canônico, no Cânon 275 § 2 afirma o seguinte: “Os clérigos devem reconhecer e promover a missão que os leigos exercem na Igreja e no mundo, cada um conforme a parte que lhe cabe”. O que podemos dizer sobre este assunto?

Colocações espontâneas

PALAVRA DE DEUS

COMENTARISTA – É o próprio Jesus quem envia os membros da sua Igreja em missão. Cantemos aclamando a Palavra de Deus.

CANTO DE ACLAMAÇÃO

Ref. – Alê, Alê, Aleluia (2x) / Alê, Alê, Aleluia, Alê, Aleluia! (2x) 

1 – Vamos ouvir, Aleluia! Jesus falar, Aleluia!/ O Evangelho Aleluia, alê, vai nos libertar! (2x)



LEITURA BÍBLICA (Mc 6, 7-13)

REFLEXÃO

ANIMADOR (A) – Vamos refletir sobre a Palavra que acabamos de ouvir respondendo às seguintes perguntas:

1 – Por que Jesus envia seus discípulos?

2 – Por que Jesus lhes dá os poderes necessários para que possam exercer sua missão?

3 – Qual é o papel do dízimo na ação missionária da Igreja?



Respostas espontâneas

PRECES COMUNITÁRIAS

ANIMADOR (A) – Considerando as nossas reflexões e iluminados pela Palavra que acabamos de ouvir, vamos apresentar nossas orações comunitárias.

Preces espontâneas

ANIMADOR (A) – Agora, rezemos todos juntos a oração que Jesus rezou e nos ensinou a rezar.

TODOS – PAI NOSSO...

CANTO

Ref. – Nesta prece, Senhor, venho te oferecer,/ O crepitar da chama, a certeza de dar! 
  
1 – Eu te ofereço o sol que brilha forte,/ Te ofereço a dor do meu irmão./ A  fé  na esperança, e o meu amor!

2 – Eu te ofereço as mãos que estão abertas,/ O cansaço do passo mantido,/ Meu grito mais forte de louvor!

3 – Eu te ofereço o que vi de belo,/ No interior dos corações,/ A coragem de me transformar!

GESTO CONCRETO

ANIMADOR - Na reunião passada, levantamos quatro sugestões de atividades para a divulgação do dízimo na nossa comunidade. Vamos recordar quais foram as quatro sugestões.

O secretário ou secretária faz a leitura das quatro atividades levantadas na reunião anterior

ANIMADOR (A) – Agora vamos escolher qual atividade iremos realizar.

O grupo discute e define qual atividade será realizada

ANIMADOR (A) – Devemos também marcar o dia, a hora e o local da nossa atividade.

Atividade: ___________________________________________________________

Dia: ___________ Hora: _____________ Local: _____________________________

O secretário ou secretária anota tudo para apresentar na próxima reunião

ORAÇÃO FINAL

ANIMADOR (A)Senhor Jesus, ao enviar-nos em missão, vós nos concedeis o dom de participar da vossa divina missão de salvação da humanidade. Fazei que compreendamos cada vez melhor esta graça que recebemos e que a vossa Igreja sempre contribua para que todos os chamados possam exercer com competência e eficácia a missão que lhes foi confiada. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo.

TODOS – Amém.

ANIMADOR (A) – O Senhor nos abençoe e nos guarde. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

TODOS – Amém.

CANTO FINAL

1 – Sê bendito, Senhor, para sempre / pelos frutos das nossas jornadas!/ Repartidos na mesa do Reino,/ anunciam a paz almejada!



Ref. – Senhor da vida,/ Tu és a nossa salvação!/ Ao prepararmos a tua mesa,/ Em ti buscamos ressurreição!

2 – Sê bendito, Senhor para sempre / pelos mares, os rios e as fontes!/ Nos recordam a tua justiça,/ que nos levam a um novo horizonte!

3 – Sê bendito, Senhor, para sempre / pelas bênçãos qual a chuva torrente!/ Tu fecundas o chão desta vida / que abriga uma nova semente!

3º ENCONTRO

OLHANDO AS NECESSIDADES DO NOSSO POVO

ERAM COMO OVELHAS SEM PASTOR”



COMENTÁRIO INICIAL

COMENTARISTA – O amor misericordioso de Deus está sempre atento às necessidades e aos sofrimentos dos seus filhos e filhas. Por isso nós, que fomos criados à sua imagem e semelhança, devemos ter o mesmo olhar.

CANTO INICIAL

Ref. – De mãos estendidas, ofertamos/ O que de graça recebemos. (bis)

1 – A natureza tão bela/ Que é louvor, que é serviço/ O sol que ilumina as trevas/ Transformando-as em luz/ O dia que nos traz o pão/ E a noite que nos dá repouso/ Ofertemos ao Senhor/ o louvor da criação. 

2 – Nossa vida toda inteira/ Ofertamos ao Senhor/ Como prova de amizade/ Como prova de amor/ Com o vinho e com o pão/ Ofertemos ao Senhor/ Nossa vida toda inteira/ O louvor da criação.

ORAÇÃO INICIAL

ANIMADOR (A) – Em nome do Pai...

TODOS – Amém.

ANIMADOR – O Deus que é misericórdia e compaixão esteja no coração e na vida de cada um de nós.

TODOS – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

CONVERSANDO SOBRE O ASSUNTO

ANIMADOR (A) – O Código de Direito Canônico, no Cânon 473 § 1 nos diz o seguinte: “O Bispo diocesano deve cuidar que todas as questões pertencentes a administração da diocese toda sejam devidamente coordenadas e organizadas, de modo a promover mais adequadamente o bem da porção do povo de Deus que lhe foi confiada”. O que podemos dizer sobre este assunto?

Colocações espontâneas

PALAVRA DE DEUS

COMENTARISTA – As necessidades do povo de Deus são maiores do que o cansaço de Jesus e dos discípulos. Nós também devemos trabalhar incansavelmente pelo bem dos nossos irmãos e irmãs. Cantemos aclamando a Palavra de Deus.

CANTO DE ACLAMAÇÃO

1 – Como são belos os pés do mensageiro que anuncia a paz./ Como são belos os pés do mensageiro que anuncia o Senhor.



Ref. – Ele vive Ele reina,  Ele é Deus e Senhor. (Bis)

LEITURA BÍBLICA (Mc 6, 30-34)

REFLEXÃO

ANIMADOR (A) – Vamos refletir sobre a Palavra que acabamos de ouvir respondendo às seguintes perguntas:

1 – Quem deve ser pastor das ovelhas hoje?

2 – Por que o trabalho com as ovelhas deve estar acima do nosso cansaço?

3 – Qual a importância do dízimo para o cuidado das ovelhas?



Respostas espontâneas

PRECES COMUNITÁRIAS

ANIMADOR (A) – Considerando as nossas reflexões e iluminados pela Palavra que acabamos de ouvir, vamos apresentar nossas orações comunitárias.

Preces espontâneas

ANIMADOR (A) – Agora, rezemos todos juntos a oração que Jesus rezou e nos ensinou a rezar.

TODOS – PAI NOSSO...

CANTO

1 – A Ti, meu Deus, elevo meu coração,/ elevo as minhas mãos, meu olhar, minha voz./ A Ti, meu Deus, eu quero oferecer / meus passos e meu viver,/ Meus caminhos meu sofrer.     


Ref. – A tua ternura, Senhor, vem me abraçar / e a Tua bondade infinita, me perdoar./ Vou ser o teu seguidor,  e te dar o meu coração./ Eu quero sentir o calor de Tuas mãos.

2 – A ti meu Deus, que és bom e que tens amor / ao pobre, ao sofredor,/ Vou servir, esperar ./ Em ti Senhor, humildes se alegrarão / cantando a nova canção, de esperança e de paz.



GESTO CONCRETO

ANIMADOR - Na nossa última reunião, decidimos que ação iremos realizar e marcamos a data, o horário e o local do nosso evento. Agora, precisamos convidar outras pessoas para participar da nossa ação. Vamos fazer uma lista de convidados e distribuir esta lista entre nós para que o convite seja feito.

ORAÇÃO FINAL

ANIMADOR (A) – Enviai, Senhor, sobre todos nós o vosso Santo Espírito, a fim de que Ele nos sustente constantemente na missão que nos foi confiada. Por Cristo, nosso Senhor.

TODOS – Amém.

ANIMADOR (A) – O Senhor nos abençoe e nos guarde. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

TODOS – Amém.

CANTO FINAL

1 – Venho, Senhor, minha vida oferecer / como oferta de amor e sacrifício. / Quero minha vida a ti entregar / como oferta viva em teu altar.



Ref. – Pois pra Te adorar foi que eu nasci./ Cumpre em mim o Teu querer./Faça o que está em Teu coração./ E que a cada dia eu queira mais e mais estar ao Teu lado, estar ao Teu lado, estar ao Teu lado, Senhor.

4º ENCONTRO

O DÍZIMO PARA A CARIDADE

DISTRIBUIU-OS AOS QUE ESTAVAM SENTADOS TANTO QUANTO QUERIAM”



COMENTÁRIO INICIAL

COMENTARISTA – As nossas comunidades possuem necessidades reais que precisam ser satisfeitas, tanto no que diz respeito à vida religiosa como também à vida social. O dízimo deve responder a essas necessidades.

CANTO INICIAL

1 – Um coração para amar, pra perdoar e sentir,/ para chorar e sorrir ao me criar Tu me deste./ Um coração pra sonhar, inquieto e sempre a bater,/ Ansioso por entender as coisas que Tu disseste.



Ref. – Eis o que eu venho te dar, eis o que eu ponho no altar,/ Toma Senhor que ele é Teu, meu coração não é meu.

2 – Quero que o meu coração seja tão cheio de paz,/ que não se sinta capaz de sentir ódio ou rancor./ Quero que a minha oração possa me amadurecer./ Leve-me a compreender as consequências do amor.



ORAÇÃO INICIAL

ANIMADOR (A) – Em nome do Pai...

TODOS – Amém.

ANIMADOR – O Deus que sempre nos dá os meios necessários para que possamos contribuir para a satisfação de todas as necessidades da nossa comunidade esteja no coração e na vida de cada um de nós.

TODOS – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

CONVERSANDO SOBRE O ASSUNTO

ANIMADOR (A) – O Código de Direito Canônico, no Cânon 529 § 2, afirma o seguinte: “O pároco reconheça e promova a parte própria que os fiéis leigos tem na missão da Igreja, incentivando suas associações que se propõem finalidades religiosas. Coopere com o próprio Bispo e com o presbitério da diocese, trabalhando para que também os fiéis sejam solícitos em prol do espírito de comunhão na paróquia, sintam-se membros da diocese e da Igreja universal e participem ou colaborem nas obras destinadas a promover essa comunhão”. O que podemos dizer sobre este assunto?

Colocações espontâneas

PALAVRA DE DEUS

COMENTARISTA – Assim como Jesus multiplica os pães, precisamos colocar todos os nossos dons a serviço da comunidade para que Ele multiplique o bem que posemos fazer. Cantemos aclamando a Palavra de Deus.

CANTO DE ACLAMAÇÃO

1 – Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça./ E tudo o mais vós será acrescentado./ Aleluia , Aleluia.

2 – Não só de pão o homem viverá, mas de toda palavra / que procede da boca de Deus./ Aleluia , Aleluia.

3 – Se vos perseguem por causa de mim, não esqueçais o porque./ Não é o servo maior que o senhor Aleluia , Aleluia.



LEITURA BÍBLICA (Jo 6, 1-15)

REFLEXÃO

ANIMADOR (A) – Vamos refletir sobre a Palavra que acabamos de ouvir respondendo às seguintes perguntas:

1 – Por que Jesus multiplica os pães e os peixes que o menino tem?

2 – O que isso significa para nós?

3 – Qual a importância do dízimo nesta questão?



Respostas espontâneas

PRECES COMUNITÁRIAS

ANIMADOR (A) – Considerando as nossas reflexões e iluminados pela Palavra que acabamos de ouvir, vamos apresentar nossas orações comunitárias.

Preces espontâneas

ANIMADOR (A) – Agora, rezemos todos juntos a oração que Jesus rezou e nos ensinou a rezar.

TODOS – PAI NOSSO...

CANTO

1 – Muitos grãos de trigo se tornaram pão. Hoje são teu Corpo, ceia e comunhão.


Muitos grãos de trigo se tornaram pão.

Refr. – Toma, Senhor, nossa vida em ação, para mudá-la em fruto e missão! Toma, Senhor, nossa vida em ação, para mudá-la em missão.

2 – Muitos cachos de uva se tornaram vinho. Hoje são teu Sangue, força no caminho. Muitos cachos de uva se tornaram vinho.

3 – Muitas são as vidas feitas vocação. Hoje oferecidas em consagração. Muitas são as vidas feitas vocação.

GESTO CONCRETO

ANIMADOR (A) – Agora que já sabemos o que vamos fazer, marcamos a data, o horário e o local e já convidamos as pessoas para participarem do nosso evento, precisamos organizar tudo direitinho pra que o trabalho seja o melhor possível. Por isso, vamos ver tudo o que precisa ser providenciado e distribuir as tarefas entre os membros do nosso grupo.

ORAÇÃO FINAL

ANIMADOR (A) – Senhor Jesus Cristo, que saciastes a fome do vosso povo multiplicando os pães, concedei-nos a graça de colocar nas vossas mãos tudo o que somos e temos para que a vossa graça multiplique os seus efeitos em vista da salvação de todos. Vós que viveis e reinais pelos séculos dos séculos.

TODOS – Amém.

ANIMADOR (A) – O Senhor nos abençoe e nos guarde. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

TODOS – Amém.

CANTO FINAL

Ref. – Quem nos separará? Quem vai nos separar/ Do amor de Cristo? Quem nos separará?/ Se ele é por nós, quem será, quem será contra nós?/  Quem vai nos separar do amor de Cristo, quem será?

1 – Nem a espada ou perigo,/ nem os erros do meu irmão,/ Nenhuma das criaturas nem a condenação.  

2. – Nem a vida, nem a morte, a tristeza ou aflição./ Nem o passado, nem o presente, o futuro, nem opressão.  

3 – Nem as alturas, nem os abismos, nem tampouco a perseguição./ Nem a angústia, a dor ou a fome, nem a tribulação.



LEITURAS BÍBLICAS

PRIMEIRO ENCONTRO (Mc 6, 1-6)

Depois, ele partiu dali e foi para a sua pátria, seguido de seus discípulos. Quando chegou o dia de sábado, começou a ensinar na sinagoga. Muitos o ouviam e, tomados de admiração, diziam: Donde lhe vem isso? Que sabedoria é essa que lhe foi dada, e como se operam por suas mãos tão grandes milagres? Não é ele o carpinteiro, o filho de Maria, o irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? Não vivem aqui entre nós também suas irmãs? E ficaram perplexos a seu respeito. Mas Jesus disse-lhes: Um profeta só é desprezado na sua pátria, entre os seus parentes e na sua própria casa. Não pôde fazer ali milagre algum. Curou apenas alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. Admirava-se ele da desconfiança deles. E ensinando, percorria as aldeias circunvizinhas.



SEGUNDO ENCONTRO (Mc 6, 7-13)

Então chamou os Doze e começou a enviá-los, dois a dois; e deu-lhes poder sobre os espíritos imundos. Ordenou-lhes que não levassem coisa alguma para o caminho, senão somente um bordão; nem pão, nem mochila, nem dinheiro no cinto; como calçado, unicamente sandálias, e que se não revestissem de duas túnicas. E disse-lhes: Em qualquer casa em que entrardes, ficai nela, até vos retirardes dali. Se em algum lugar não vos receberem nem vos escutarem, saí dali e sacudi o pó dos vossos pés em testemunho contra ele. Eles partiram e pregaram a penitência. Expeliam numerosos demônios, ungiam com óleo a muitos enfermos e os curavam.



TERCEIRO ENCONTRO (6, 30-34)

Os apóstolos voltaram para junto de Jesus e contaram-lhe tudo o que haviam feito e ensinado. Ele disse-lhes: Vinde à parte, para algum lugar deserto, e descansai um pouco. Porque eram muitos os que iam e vinham e nem tinham tempo para comer. Partiram na barca para um lugar solitário, à parte. Mas viram-nos partir. Por isso, muitos deles perceberam para onde iam, e de todas as cidades acorreram a pé para o lugar aonde se dirigiam, e chegaram primeiro que eles. Ao desembarcar, Jesus viu uma grande multidão e compadeceu-se dela, porque era como ovelhas que não têm pastor. E começou a ensinar-lhes muitas coisas.



QUARTO ENCONTRO (Jo 6, 1-15)

Depois disso, atravessou Jesus o lago da Galiléia (que é o de Tiberíades). Seguia-o uma grande multidão, porque via os milagres que fazia em beneficio dos enfermos. Jesus subiu a um monte e ali se sentou com seus discípulos. Aproximava-se a Páscoa, festa dos judeus. Jesus levantou os olhos sobre aquela grande multidão que vinha ter com ele e disse a Filipe: Onde compraremos pão para que todos estes tenham o que comer? Falava assim para o experimentar, pois bem sabia o que havia de fazer. Filipe respondeu-lhe: Duzentos denários de pão não lhes bastam, para que cada um receba um pedaço. Um dos seus discípulos, chamado André, irmão de Simão Pedro, disse-lhe: Está aqui um menino que tem cinco pães de cevada e dois peixes... mas que é isto para tanta gente? Disse Jesus: Fazei-os assentar. Ora, havia naquele lugar muita relva. Sentaram-se aqueles homens em número de uns cinco mil. Jesus tomou os pães e rendeu graças. Em seguida, distribuiu-os às pessoas que estavam sentadas, e igualmente dos peixes lhes deu quanto queriam. Estando eles saciados, disse aos discípulos: Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca. Eles os recolheram e, dos pedaços dos cinco pães de cevada que sobraram, encheram doze cestos. À vista desse milagre de Jesus, aquela gente dizia: Este é verdadeiramente o profeta que há de vir ao mundo. Jesus, percebendo que queriam arrebatá-lo e fazê-lo rei, tornou a retirar-se sozinho para o monte.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal